Skip to content

Portugal é maricas

9 Janeiro, 2017

Era sabido, por muito que fosse coisa que não se mencionasse, que o regime tinha trejeitos efeminados. Sempre foi demasiado dado a conversas cuscas e comparações que só donas-de-casa sexualmente negligenciadas fazem, como “o meu rabo é mais firme que o da Alemanha” ou “depois de amamentar um ditador por tantos anos, as minhas mamas ainda são mais firmes que as das inglesas”. Algumas pessoas – grupo em que me incluo – suspeitavam que o país pudesse ser homossexual, o que não teria qualquer mal, e até justificava a relutância de refugiados muçulmanos em serem co-adoptados. Porém, não se trata de mera homossexualidade: o país é completamente maricas, tão larilas como D. Sebastião a dançar YMCA em frente a um poster gigante da Judy Garland.

Sem entrar em polémicas desnecessárias, morreu um político. É verdade que tinha 92 anos, que estava gagá há algum tempo – o que o levava a associar terramotos à austeridade que mata –, mas, ei, durante os loucos anos de Passos Coelho, quando toda a gente enaltecia a unha encravada como se de intratável cancro se tratasse, tudo aparentava a mais perfeita normalidade. Era o nãoseaguentismo. E até se percebia: depois de Sócrates seria impossível aceitar um governo sem lenhadores portadores de grosso machado que nos preenchesse o vazio emocional. Contudo, agora que Soares faleceu, toda a imprensa decidiu assumir que a vida é um cabaret, old chum. Portugal saiu do armário vestido de lantejoulas.

O que nos dói se choramos?
Que parte do nosso corpo descarnou subitamente?
O que nos falta se ele nos deu tudo o que era?
Se não há tragédia nem surpresa?
É o adeus.
O adeus dói.

Pedro Santos Guerreiro

Pá… Se isto fosse sobre um pai, uma pessoa calava-se, teria pudor em gozar com a dor de um filho que prova a amargura fulminante da nova condição de órfão. Se João Soares publicar algo, uma pessoa cala-se. Agora, não se tratando de um filho sobre a perda do pai, o que leva esta gente a escrever baboseiras sentimentalistas ao som de Richard Clayderman? Mariquice. É um país decorado com grande arco-íris, hippies nus dançando Age of Aquarius e espirros na imprensa por alergia ao excesso de maquilhagem. Já nem há alertas de pólen no ar, agora saímos de casa e regressamos carregados de pó-de-arroz.

Cambada de mariquinhas. Adianta muito dizer que se quer acabar com estereótipos – acabar com estereótipos é acabar com os portugueses. E se dúvidas haviam sobre a visita do doutor Costa à Índia, já se dissiparam: isto é só Bollywood e pipocas – sem manteiga, se faz favor, que comi um queque para aliviar o choro de ver o cão a ser vacinado.

Advertisements
43 comentários leave one →
  1. Alain Bick permalink
    9 Janeiro, 2017 09:47

    levar no cu não leva a nada, como nos explica a Dra. Anete Guimarães no vídeo “Sexo Anal e suas consequências“. No máximo, o cu, violado, nos deixaria um câncer de próstata (aos homens) ou uma INEVITÁVEL Endocardite Bacteriana (a homens e mulheres) – aidéticos que o digam!
    dizem que são órgãos sexuais. Coitado do cu: se fosse órgão sexual também seria cortado, retalhado, operado e desfigurado. Não sendo órgão sexual, dele abusam como se o fosse, na raiva insana daqueles que não conseguem ainda fecundar a merda. Pobre cu: não é fertilizado nem mais aduba.
    cu não é coisa-em-si, mas recebe uma coisa em si como um ser humano incorpora um alien por meio das desgraçadas relações dos ditos seres “racionais” com sua liberdade, a qual, numa reação ainda mal compreendida, é transformada em libertinagem e delírio. A aparência do cu é fenômeno enquanto há vida; quando, então, a vida é violada, torna-se numa singularidade apocalíptica, um buraco negro que gesta vícios, doenças e adoração ao Rabudo.
    Hoje, o Cu-Brasil está arrombado e, do seu esfíncter, saem vermes adultos a sorrirem para as câmeras da TV Globo. Lembrando: se tomar no cu fosse bom, a Coca-Cola já teria patenteado um refrigerante para celebrar isso
    O cu é terminal de desembarque, não estação elevatória. Assim, o cu progride em higiene à medida que se fecha às “novas ideias”. Numa paródia do pensamento de Einstein, se baseiam os pervertidos e revolucionários. Se Einstein tivesse dito, num trocadilho, que “um cu [com ele pensa um revolucionário] que se abre às novas ideias, jamais volta ao seu calibre original”, eu lhe diria que: “cu é propriedade privada e também tem seus direitos ‘anais’ contra violações de usurpadores e coletivizadores sádicos”.
    Se eu pudesse dizer algo mais aos revolucionários culólatras, para isso faria um outro trocadilho: “É melhor se cagar e deixar que os outros pensem que você é um idiota, do que escancarar o cu e acabar com a dúvida de todos” (In memoriam de Abraham Lincoln).

    Liked by 1 person

  2. André Miguel permalink
    9 Janeiro, 2017 09:49

    Eheheheh! Muita bom.

    Gostar

  3. Valinho permalink
    9 Janeiro, 2017 10:29

    Maricas ou mariconso???

    Gostar

  4. Rão Arques permalink
    9 Janeiro, 2017 10:41

    Não há pai para paus mandados.
    Parados do tempo é sina e pecado nosso.
    Sem pretender beliscar todas as etapas e episódios que cabem com justeza no histórico do senhor, deixo aqui uma pergunta que me assalta:
    Se Mário Soares, como outros que a história regista ou que ingrata esquece não tivessem tido uma postura interventiva na nossa sociedade ainda seriamos um povo sem pais da democracia e sem capacidade de a apalpar e lhe dar forma nossa?
    “O caminho faz-se caminhando”.

    Gostar

  5. Terry Malloy permalink
    9 Janeiro, 2017 11:18

    Ao fim de uma longa doença, que o inutilizou psiquicamente, faleceu o senhor Soares.

    Elogiar politicamente Mário Soares é um mau sinal para Portugal que, a prosseguir, nos pode levar a um desastre de consequências imprevisíveis.

    Liked by 1 person

  6. Terry Malloy permalink
    9 Janeiro, 2017 11:21

    Não sei como, esqueci-me de referir que estas são palavras… do próprio Mário Soares, no “elogio” fúnebre que fez a Margaret Tatcher aquando da sua morte, em 10 de Abril de 2013, no DN.

    “Ao fim de uma longa doença, que a inutilizou psiquicamente, faleceu a senhora Thatcher.

    […]

    Elogiar politicamente Margareth Thatcher é um mau sinal para a Europa que, a prosseguir, nos pode levar a um desastre de consequências imprevisíveis.”

    Gostar

  7. Terry Malloy permalink
    9 Janeiro, 2017 11:24

    De referir que esse artigo acaba exactamente com esta magnífica lição sobre a dívida externa, que é todo um tratado sobre o regime e a esquerda portuguesa:

    “Quando não há dinheiro não se paga, como os países da América Latina nos ensinaram. O exemplo da Argentina é, nesse aspeto, paradigmático.”

    Gostar

  8. lucklucky permalink
    9 Janeiro, 2017 11:39

    É o Medo.
    Todos eles se têm de se mostrar mais papistas que o Papa.

    É a mesma razão que no país da “Liberdade” que dizem Mário Soares salvou, todas as editoras tiveram medo de reeditar o livro de Rui Mateus.

    Liked by 3 people

  9. bentoluis permalink
    9 Janeiro, 2017 12:29

    À medida que se aproxima a data de acusação ao 44, a famiglia… que tomou o PS de assalto une-se toda…Tudo bons rapazes: J.Coelho, Vara, 44, Pedro SIlva Pereira, Kosta, Galamba, Carlos César, Santos SIlva, mais aquele senhor que “se está a cagar para o segredo de justiça”…. Só falta juntar o Pinto Monteiro, o Noronha e o Edward G. Robinso e fazíamos um bom filme de gangsters…Capici?

    Gostar

  10. 9 Janeiro, 2017 12:42

    Mário Soares morreu.
    Todos morremos.
    Para a frente é que é o caminho. Vamos trabalhar e lutar por Portugal e pelos portugueses que estão fartos de política da treta.
    Os que acreditam em bruxas estão à espera que o Tó Costa traga investimento e dinheiro com fartura da Índia.
    Vão desiludir-se mais uma vez.
    Portugal só se vai safar se arregaçar as mangas e trabalhar com força, tanto para derrubar os aldrabões da política como para empreender e produzir riqueza.
    Sem alimentar chulos.

    Gostar

    • 9 Janeiro, 2017 15:57

      Eu luto por Portugal, no dia em que o estado português me sair da frente e me escravizar em impostos. Neste momento por Portugal só luto com espingarda .

      Gostar

    • 9 Janeiro, 2017 18:43

      Eu não morri. Estarei doente?

      Gostar

      • 10 Janeiro, 2017 11:52

        Não percebeu.
        Quando escrevi todos morremos, quis dizer, todos havemos de morrer.
        O Mário Soares era um mortal como eu e como você somos.

        Gostar

  11. Manuel A permalink
    9 Janeiro, 2017 13:56

    Sr David Rosa

    Estou plenamente de acordo com o seu comentário.
    Falta-nos um Mestre de Avis e um Condestável da raça dos do séc. 14, para guiar esta nossa Nação.
    É preciso eliminar os traidores, os aldrabões, os ladrões, os chupistas, os fracos e os nulos.
    É preciso premiar os que de boa vontade demonstrem ser “Pola Lei e Pola Grei”.
    Produzir e Poupar que há muito por onde.
    Os sacrifícios inevitáveis serão recompensados se o trabalho for feito com sabedoria, honestidade e seriedade, colectivamente e sem esmorecimento.
    Pensando sempre no BEM COMUM.

    Liked by 1 person

    • 9 Janeiro, 2017 16:05

      “É preciso eliminar os traidores, os aldrabões, os ladrões, os chupistas, os fracos e os nulos.”

      Só que isso é o que as democracias geram e da qual se alimentam. Já Platão tinha chegado a essa conclusão.

      Gostar

    • André Miguel permalink
      9 Janeiro, 2017 18:38

      No bem comum o tanas! O seu bem pessoal, desde que de forma honesta e nao coerciva, é o melhor bem comum que pode haver.
      Com o bem comum é que andamos a ser enrolados há séculos.

      Gostar

    • 10 Janeiro, 2017 12:12

      Sr Manuel A,

      Não estou de acordo consigo.
      O Mestre de Avis e o Nuno Álvares Pereira fizeram uma equipa excepcional. Engrandeceram Portugal. Viu-se nos 100 anos que se lhes seguiram. Mas ninguém ressuscita . Temos que olhar para o presente e alinhar-mo-nos com os homens valorosos de hoje.
      Nós temos o Pedro Passos Coelho que já mostrou que é estadista. Eu já me apercebi disso sem ser militante do PSD. E sabe porque é que eu acho que ele é um bom estadista? Porque faz por isso, trabalha, luta, faz erros. Não será único, mas é um que se mostrou. Por isso a escumalha nacional tanto quer derrubá-lo ainda hoje.
      Outra coisa em que não concordo consigo é quando escreve que é preciso eliminar traidores, fracos, etc..
      Olhe, houve um presidente de um país que disse que fraco era o Estado que não defendesse as suas prostitutas e os seus ladrões.
      E mais não escrevo, por agora.
      Um feliz ano para si.

      Gostar

  12. atom permalink
    9 Janeiro, 2017 15:02

    Este já passou. Para quando o desaparecimento do Boliqueime?

    Gostar

    • Carneiro permalink
      10 Janeiro, 2017 15:17

      Por falar nisso: um dos mais famosos naoseaguentistas, o Tordo, publicou no seu FB, há menos de uma hora, ” Não tenho ouvido falar de si, Cavaco Silva. Um dia chega a nossa vez, não é?”. Com o que faz prova de vida e de que continua cretino. Também.

      Gostar

  13. Juromenha permalink
    9 Janeiro, 2017 15:05

    Indigência mental,além de ausência de sentido do ridículo ou…necessidade, a quanto obrigas…( num país miserável os lugares à manjedoura não estão garantidos em permanência, há que demonstrar “amor à causa” e ao (s) dono(s) do palheiro…).

    Gostar

  14. Jorge Perestrelo permalink
    9 Janeiro, 2017 15:21

    Blasfémias é um blogue da extrema direita fascista.

    Legalizem um partido, apresentem o vosso programa e vão a votos.

    Depois falem nos órgãos eleitos, sem o insulto e a trafulhice histórica e ideológica.

    Faleceu Mário Soares, democrata, anti fascista, cidadão de combates desiguais.

    Gostar

    • José Ribeiro permalink
      9 Janeiro, 2017 16:24

      Oh camarada!
      Desde quando é que o fascismo é de direita?

      Liked by 1 person

    • 9 Janeiro, 2017 16:39

      “Legalizem um partido, apresentem o vosso programa e vão a votos.” Assim como, fizeram os ascendentes regicidas, daqueles que detêm hoje o regime politico actual ?

      Liked by 1 person

    • Rão Arques permalink
      9 Janeiro, 2017 16:53

      Com que então quem não se aconchegar a um partido tem que se calar? Com a capa que lhe deram na fila rata saiu-me um bom seguidor do Tonho das Botas.

      Liked by 1 person

    • castanheira antigo permalink
      9 Janeiro, 2017 16:56

      Colar rótulos é fácil !.. Não precisa pensar , não é camarada?!

      Gostar

      • 9 Janeiro, 2017 18:44

        Basta decorar uns excertos e depois vomitá-los com voz esganiçada!

        Gostar

    • Os corruptos que se cuidem permalink
      10 Janeiro, 2017 02:25

      Este anormal nem sabe que o fascismo é revolucionaríssimo e esquerdíssimo.

      Gostar

    • lucklucky permalink
      10 Janeiro, 2017 09:34

      Jorge Perestrelo

      Fascismo é filho do Socialismo.

      Mussolini grande Socialista que dirigiu o jornal do partido…

      Informa-te sobre a Socialização da Economia.em 1943…

      E já agora morto com Mussolini estava um fundador do Partido Comunista Italiano. Amigo de Lenine e Mussolini. Socialista até ao fim :

      Gostar

  15. castanheira antigo permalink
    9 Janeiro, 2017 15:49

    É o mundo ás avessas .
    Mas?! Agora torna-se fácil ver não só quem são os mariconços mas também os hipócritas ,os imbecis , os tolos , os parasitas , os aduladores , os idiotas ,os oportunistas e finalmente os donos disto tudo , os mafiosos , os que dominam os “media” e geram tanto medo de escrever ,falar , enfim SER LIVRE.

    Liked by 1 person

  16. Jorge Coimbra permalink
    9 Janeiro, 2017 16:02

    Enquanto nos dirigimos ao abismo, a vontade de fazer literatura é maior. Será que ao morrer afogado ouviremos um poema contra o governo? Ou ao morrer de fome escreveremos no chão uma carta choramingas? Porque ninguém convoca uma manifestação, que pode até ser escrita, para sacudir o país? Não entendo.

    Gostar

    • 9 Janeiro, 2017 16:18

      Há por aqui uns quantos “liberais conservadores” que se movem e manifestam , mas é só quando o governos decidem acabar com as suas rendas garantidas com contratos de associação com o estado.

      Liked by 1 person

      • Isabel silva permalink
        9 Janeiro, 2017 18:18

        Que venham, que venham e que sejam cada vez mais.

        Gostar

  17. carlos alberto ilharco permalink
    9 Janeiro, 2017 16:37

    Há alguns que têm direito a chorar e a chorar muito.
    São os senhores jornalistas que o acompanhavam nas milhares de viagens que fez por todo o planeta, com cama, mesa e roupa lavada.
    Quase que apostava que o senhor Perestrelo foi pelo menos numa, e se não foi então foi e é burro.

    Gostar

    • Isabel silva permalink
      9 Janeiro, 2017 18:35

      Eu não choro por quem lutou subrepticiamente para nos obrigar a aceitar uma constituição que eu acho uma vergonha ( já a leram? Entao experimentem ) e que nos condenou eternamente a uma partidocracia/cleptocracia. Provas? Contas escritas em livro de rui Mateus, aeroporto de macau, subsídios às fundações, casos BPN, BPP E ESPSANTO, fora o que vai aparecer com o 44, tudo o resto já falado e aquilo que não se sabe. Não esquecer o maior escândalo de violacao de direitos humanos: a amnistia dada a um terrorista com assassinios comprovados.
      O que vale é que somos um país de larilas!

      Liked by 1 person

      • André Miguel permalink
        9 Janeiro, 2017 18:43

        Não esquecer o crime que foi a descolonização.

        Gostar

  18. SRG permalink
    9 Janeiro, 2017 18:45

    O sr Perestrelo certamente nunca lutou em África, porque se assim fosse jamais teceria loas a um indivíduo que foi o causador de muitos jovens morrerem, quando com o seu comparsa Alegre, na rádio de Argel comunicava aos nossos inimigos as nossas posições no terreno. Mas há mais gente que muito sofreu com a “magnífica” descolonização feita pelo dito senhor e que tem muito más recordações do finado. Tenho razões para lhe desejar que a terra lhe seja tão leve, como a serra da Estrela em cima.

    Gostar

  19. 9 Janeiro, 2017 18:46

    Acho que somos mais um país de capados e de eunucos!

    Liked by 1 person

  20. atom permalink
    10 Janeiro, 2017 13:37

    Hoje dia 10, restaurante, televisão a transmitir as cerimónias fúnebres de M. S. Isto faz-me lembrar, o grande espalhafato que fizeram com o funeral de S. Carneiro. O falecido MS pode ser lembrado como o “pai da democracia” mas o funeral do S. Carneiro foi o “pai de todos os funerais”.

    Gostar

  21. Carneiro permalink
    10 Janeiro, 2017 15:20

    Posso garantir que há uma hora o Tordo estava vivo. Não ficamos todos felizes com a notícia ?

    Gostar

  22. Arlindo da Costa permalink
    11 Janeiro, 2017 20:09

    Portugal tem muitos maricas. Todos nós sabemos quem são…
    Até tem devotos do culto mariano 🙂

    Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: