Skip to content

Qual Esquerda, Qual Direita!

20 Abril, 2017

Não entendo como ao longo dos séculos ainda não se abandonou a terminologia esquerda e direita,  com origem na Revolução Francesa. Pior do que isso foi atribuir uma carga negativa à direita de tal modo que ninguém se quer identificar com ela, quando deveria ser precisamente o oposto. É à esquerda que devemos as ligações aos piores ditadores de sempre, chacinas em massa, privação absoluta de liberdades, fome, miséria e injustiças. A História não mente. Agora mesmo a Venezuela é bom exemplo disso. Mas curiosamente, nas escolas, ainda hoje,  passam a ideia que ser de esquerda é ser pelos desfavorecidos das classes trabalhadoras. Ser de direita é ser pelos ricos e opressores. Nada mais falso.

Com efeito, foi com a Revolução Francesa em 1789-1799 que a terminologia surgiu. Quando os jacobinos (radicais alinhados com a baixa burguesia e trabalhadores) e girondinos (moderados com tendência à conciliação e com boa articulação com a alta burguesia e nobreza) reuniram no salão da Assembleia Constituinte para redefinir os destinos de França, os primeiros, em busca de representatividade e legitimidade política, sentaram à esquerda,  os segundos à direita, dando lugar a novos modelos políticos, sociais e culturais que viriam a espalhar-se pela Europa. A Revolução francesa era expressamente progressista influenciada pelo Iluminismo francês e os girondinos mesmo ligados à tradição estavam inseridos nesta perspectiva. Dito de outra forma, todos, quer uns quer outros lutavam à época contra a monarquia absolutista, divergindo apenas na forma  de chegar à sociedade ideal.

Curiosamente foram os radicais jacobinos, que protagonizaram o Período do Terror onde defendiam o terrorismo de Estado, liderado por Robespierre e que supostamente pretendia fazer uma perseguição aos girondinos, mas que acabou por ser um extermínio de todos os opositores considerados inimigos da revolução, inclusive alguns dos próprios jacobinos que haviam sempre apoiado a mesma. Isto não vos lembra nada?

Nasceu a partir daqui o comunismo, socialismo,  fascismo, liberalismo e por aí fora. Na sua base, todos  querem uma sociedade mais justa com direitos iguais, sem pobreza, onde todos têm igualdade nas oportunidades. Porém, é a forma de lá chegar que os distingue profundamente. Os comunistas e fascistas acreditam que é no fim das classes sociais com um Estado forte totalitário, que concentra em si toda a actividade económica, distribuindo depois a riqueza consoante as necessidades de cada um, que está a sociedade perfeita e justa. Os sociais democratas e liberais entendem que pelo contrário, o Estado deve ser reduzido deixando livre a economia para fluir e gerar riqueza que depois fortalece o Estado Social de modo a que este assegure direitos fundamentais aos mais carenciados.

Ora, a História já comprovou as duas teorias. Os primeiros deram origem a ditaduras, algumas sanguinárias, sobre uma sociedade de pobreza extrema, manietada, oprimida, sem direitos e estão em vias de extinção no Globo. Os segundos, a sociedades que prosperam e crescem a olhos vistos carecendo apenas de uma maior regulação e controlo, projectando-as a níveis de desenvolvimento jamais registadas antes do século XIX. Dá que pensar.  Afinal qual é o modelo amigo dos pobres?

Acredito que é por mera ignorância promovida nas escolas que leva pessoas a pensarem que são de “esquerda” sem na realidade o serem. Porque quem defende o fim das injustiças sociais, da erradicação da pobreza, tem forçosamente de ser apoiante de uma corrente ideológica social democrata ou liberal. Nunca outra. Porque é precisamente ao estimular fortemente a economia, dando liberdade e espaço  às pessoas para prosperarem e criarem postos de trabalho, que uma sociedade cresce para a erradicação da pobreza e nunca o contrário. Isto claro, enquanto o Estado Social se dedica apenas a promover o bem estar dos cidadãos.  As correntes comunistas, pelo contrário, são desenvolvidas por burgueses e ensinam um grupo a viver a sombra do Estado prometendo prosperidade porque sabem que não podem assumir o poder sozinhos. Precisam de criar uma clientela à sua volta, no Estado, bem “alimentada” com promessas de bons salários e muitos direitos que lhes assegure o voto. E depois, em nome da igualdade condicionam as liberdades de todo um povo para governar “sem opositores”.

Por isso não há cá direita nem esquerda. Há apenas pessoas que acham que o Estado tudo lhes deve garantir sem terem de se esforçar muito,   e outros que acreditam que é no trabalho e liberdade individual que se conquistam as coisas.

Sem demagogias e filosofias baratas trata-se apenas , numa linguagem simples, de lutas entre as cigarras e as  formigas.

Só isto.

Advertisements
27 comentários leave one →
  1. 20 Abril, 2017 19:30

    Muito bem Cristina! Cuidado para os canhotos do Júlio de Matos não lhe começarem a xingar por aqui, o ar está e continua perigoso!
    Deixo o meu contributo também: https://portugalgate.wordpress.com/2017/04/20/esta-tudo-louco/

    Liked by 2 people

  2. 20 Abril, 2017 19:32

    Republicou isto em PortugalGate and commented:
    Via Blasfémias, a direita é alvo de bulling.

    Liked by 1 person

  3. Filipe Costa permalink
    20 Abril, 2017 23:01

    Falando de comunistas, basta ver o Alentejo, as Câmaras, é lá que há emprego, trabalhar? Pois.

    Mas atacar comunas, ataco todos, eles querem é distribuir, cada um como pode, leu a reportagem dos caciques do PSD? Alguém aproveitou? Ninguém!!!! Nem os jornaleiros.

    Esta:
    http://observador.pt/especiais/a-rede-da-familia-goncalves-como-se-tornaram-poderosos-no-psdlisboa/

    Algo está podre, muito podre.

    Gostar

  4. Manuel Assis Teixeira permalink
    20 Abril, 2017 23:02

    Ai há esquerda e há direita sim senhora! Não é só o estado e o seu papel que nos separa! Aliás nem sequer é o estado! É uma atitude, é uma maneira de estar e ser e de encarar a vida! Ai há esquerda e direita há. E eu quero estar na direita! Desta vez não concordo consigo!

    Gostar

    • Cristina Miranda permalink
      20 Abril, 2017 23:07

      Não entendeu o texto. Refiro-me apenas aos termos “direita” e “esquerda” e a conotação que lhes é dada. E não disse que é apenas o Estado que os distingue. Falo em maneiras de ver a sociedade ideal.

      Gostar

      • Manuel Assis Teixeira permalink
        20 Abril, 2017 23:10

        Pois é isso! Não entendi!

        Gostar

  5. Barão Marquês permalink
    20 Abril, 2017 23:03

    A confusão que se deseja. Mas o pior é que o engodo é de tal ordem que basta um colante na lapela ou um jornal pendurado debaixo do braço para parecer ser. Um persistente, doentio e arrastado complexo, sempre propagado qual praga assassina da democracia.

    Liked by 1 person

  6. Euro2cent permalink
    20 Abril, 2017 23:11

    Então, e quem for por uma monarquia absolutista ou uma tirania benévola, como é que faz?

    É uma discriminação intolerável …

    Gostar

  7. 20 Abril, 2017 23:25

    Ai ricos tempos, em que autora ainda supostamente com aparelho dental, se lançava à grande conquista dos amanhãs, com os evangelhos do ps segundo socas debaixo do braço proselitando socratices…

    Liked by 1 person

  8. javitudo permalink
    20 Abril, 2017 23:38

    Os Narodniks dos fins do século XIX tentaram ensinar o imperativo moral da revolta. Esganiçaram e pouco mais. Provenientes da classe social média-alta aproximaram-se dos inocentes com dotes de oratória e poses teatrais. Cantaram, dançaram, aterrorizaram, enquanto o Illich não os expurgou definitivamente. Os Narodniks do século XXI andam a aproveitar-se do Illich ser velho e decadente. Na história aproveitam-se as oportunidades. Vamos a um suponhamos. Imaginem ordas de assassinos a entrar por todos os lados nas cidades desguarnecidas, embaladas pelos cantos do activismo salobre, adormecidas pelo pó inesgotável. Vemos as notícias vindas da cidade luz hoje sombra, ouvimos as peças dos editores chefe cúmplice. Numa primeira fase, como habitualmente, atentados dobram incidentes, criminosos viram delinquentes. Horas depois a realidade apaga a adulteração noticiosa. Lágrimas de crocodilo afloram nas faces inocentes das virgens requentadas.
    A estratégia escorre no leito dos rios vermelhos que as margens policiais oprimem, já dizia o tio Bertoldo que não era peco. Só falta borrar as paredes com a frase repetida “Desarmem a polícia!”. O resto virá por acréscimo.

    Liked by 1 person

  9. 21 Abril, 2017 00:11

    Governo lança Estratégia Nacional para o Design. lololololololol

    Liked by 1 person

    • 21 Abril, 2017 01:53

      E já encomendaram o trabalhito ao Design Council no Reino Unido. Centros de saúde sem vacinas e estes a torrar dinheiro no “design”. É mesmo gentinha sem noção…

      Gostar

  10. 21 Abril, 2017 10:03

    Aliás , a península ibérica com os ditadores de esquerda Franco e Salazar são um exemplo dos crimes de tortura, assasinato, prisão , massacres que a esquerda costuma efectuar .

    Gostar

    • Jorge permalink
      21 Abril, 2017 10:13

      Podemos acrescentar Hitler, Mussolini, América Central, América do Sul…

      Gostar

      • lucklucky permalink
        21 Abril, 2017 18:08

        Quer Mussolini quer Hitler eram socialistas.

        Nicola Bombacci veja lá de quem era amigo e com quem morreu…

        Liked by 1 person

    • 21 Abril, 2017 20:09

      “Quer Mussolini quer Hitler eram socialistas.”

      E eu sou o pai natal

      Gostar

      • sam permalink
        22 Abril, 2017 11:37

        És mais o burro do presépio…

        Gostar

      • 22 Abril, 2017 17:23

        És muito ignorante .
        “Papa revela que vaca e burro em presépio são invenção”

        Gostar

  11. Arlindo da Costa permalink
    21 Abril, 2017 17:53

    Ó minha senhora, se não fosse a luta da «esquerda« durante a História, talvez a sennhora hoje fosse uma «serva da glebe».

    Esquerda significa Liberdade e Libertação. Direita significa «Um Atraso de Vida» e Subjugação Individual e Colectiva.

    A América, a França e a Rússia são hoje grandes porque tiveram Revoluções de Esquerda.

    Estude!!

    Gostar

    • Cristina Miranda permalink
      21 Abril, 2017 19:21

      Qual luta de esquerdas qual quê!!! Luta de gentes que queriam acabar com a monarquia absolutista. Gentes das quais saíram depois todoas as ideologias políticas que hoje conhecmos. Essa lenga lenga é completamente falsa.

      Liked by 1 person

      • 21 Abril, 2017 20:11

        “Gentes ” que estavam em casa e que de repente dava-lhes na veneta acabar com o poder. Geralmente acordavam de noite e como não havia TV faziam revoluções assim do nada

        Gostar

      • Cristina Miranda permalink
        22 Abril, 2017 10:51

        Não sabe interpretar o que lê e distorce o sentido das coisas… Brilhante

        Gostar

      • 22 Abril, 2017 17:25

        “Não sabe interpretar o que lê e distorce o sentido das coisas… Brilhante”

        Desvios de direita

        Gostar

    • lucklucky permalink
      21 Abril, 2017 19:43

      Esquerda significa Igualdade logo significa Opressão. E na Igualdade uns são mais iguais que outros.

      A Esquerda e o Socialismo foram os maiores responsáveis pelas matanças de milhões do Séc.XX do Comunismo ao Fascismo passando pelo Nacional Socialismo.

      Liked by 1 person

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: