Skip to content

sá carneiro

2 Outubro, 2017
by

Como poderá a direita voltar a conquistar o poder? Sá Carneiro explicou-o, há quase quarenta anos: federando-a num bloco eleitoral único, que integre também independentes que representem forças expressivas do país, e definindo um projecto político de governação que seja claramente distinto do da esquerda. Em 1979, quando levou a direita, em maioria absoluta, para o governo, o projecto político da então Aliança Democrática foi linear: devolver a democracia e as instituições representativas aos cidadãos, expurgando-as da caserna do Conselho da Revolução, rever a Constituição no sentido de a aproximar das democracias europeias, reverter as nacionalizações e privatizar uma economia então muito estatizada. Hoje, apesar do país já não viver em 1979, esse caminho não poderá ser muito diferente, embora seja, por muitos motivos, mais difícil. Primeiro, Pedro Passos Coelho não é, por méritos que tenha, Francisco Sá Carneiro. Depois, Assunção Cristas não é Amaro da Costa. Em seguida, ir buscar os independentes necessários ao sucesso de um bloco não socialista, como Rui Moreira e outros, não se afigura tarefa fácil. Por fim, apresentar a um país com um tão elevado número de funcionários públicos, um programa reformista que lhes atingirá os privilégios consolidados pelo regime, é meio caminho para nunca chegar à maioria absoluta. Mas só quem conseguir fazer o pleno destas condições será líder do PSD, da direita e, num futuro de médio prazo, do país. E com menos do que isto nenhum governo da direita durará muito tempo.

Anúncios
19 comentários leave one →
  1. carlos alberto ilharco permalink
    2 Outubro, 2017 12:56

    Nem mais.
    É altura de deixar os paninhos quentes e alguém assumir-se de direita, sem vergonha.
    Há muita coisa a fazer, como por exemplo acabar com as Fundações que mamam no Estado, acabar com as RTP’s que fazem o mesmo, fundir a GNR e a PSP, acabar com dezenas de Institutos que duplicam o trabalho dos Ministérios, reduzir as Câmaras num terço, as freguesias em metade, não contratar nem mais um parecer fora dos juristas do Estado, diminuir em um terço os deputados etc etc.
    Há gente para isto?
    Não.

    Liked by 2 people

    • Monti permalink
      2 Outubro, 2017 16:56

      Ia apoiar, contudo parece não valer a pena. No governo pós 2011, deixaram para trás dezenas de medidas a tomar oportunamente sob efeito troyka. Algumas entre as que aponta. Ausência de um governo sombra a sério quando na oposição, tribo de deputados a fazer de conta quanto a tudo isso que aponta.
      Quem falar verdade não ganha eleições. Logo, devia saber por aproveitar uma oportunidade de ouro, como a de 2011.

      Gostar

  2. lucklucky permalink
    2 Outubro, 2017 12:59

    “definindo um projecto político de governação que seja claramente distinto do da esquerda.”

    Quem na Direita é não Socialista? Quem na Direita usa um léxico e aborda assuntos não Socialistas?

    Para existir um projecto político claramente distinto é preciso existir uma cultura política claramente distinta.

    Gostar

  3. lucklucky permalink
    2 Outubro, 2017 13:05

    A monocultura marxista domina na escolha das notícias, na escolha da opinião, na escolha de como o PSD e CDS devem ser e de quem devem ser os seus líderes

    Porque é que a Assunção Cristas é a líder do CDS, porque o jornalismo marxista a promoveu cada vez que ela dizia algo que poderia sido dito pela Esquerda.

    Gostar

  4. piscoiso permalink
    2 Outubro, 2017 13:53

    Definir um projecto político de governação que seja claramente distinto do da esquerda é uma clivagem que me parece utópica. É o que Trump está a tentar fazer relativamente aos democratas. Alguma vez Trump vai conseguir um sistema de saúde claramente distinto do Obamacare?

    Gostar

    • sam permalink
      2 Outubro, 2017 14:07

      A ver se os 50 fuzilados desta noite estão muito preocupados com o Obamacare…

      Gostar

      • JPT permalink
        2 Outubro, 2017 14:40

        Eles não, mas os familiares dos que morreram devem estar mais preocupados com os chumbos sucessivos da legislação para proibir a venda livre de espingarda-metralhadoras nos EUA. Já as várias dezenas de feridos são capazes de, esses sim, estarem preocupados com a cobertura de seguro que têm – em especial se forem do Nevada, onde o que não falta são pessoas sem dinheiro para seguro e o Obamacare é activamente boicotado.

        Gostar

      • piscoiso permalink
        2 Outubro, 2017 14:43

        É outro problema: o uso de armas.
        A Segunda Emenda à Constituição dos EUA protege o direito do povo a manter e portar armas. Foi aprovada em 1791 e até hoje ninguém a conseguiu alterar, apesar das chacinas sistemáticas.

        Gostar

      • 2 Outubro, 2017 15:13

        “Foi aprovada em 1791 e até hoje ninguém a conseguiu alterar”, e até hoje não caiu em nenhuma ditadura.
        E como na França não tem 2º emenda, lá não há chacinas…

        Gostar

  5. lucklucky permalink
    2 Outubro, 2017 14:44

    Por cá a Direita com mais importância é a que é paga pelo jornalismo marxista para dar opinião contra qualquer que sejam os líderes da dita que saiam fora da Overton window do jornalismo marxista

    https://en.wikipedia.org/wiki/Overton_window

    Liked by 1 person

  6. José Domingos permalink
    2 Outubro, 2017 15:25

    A maneira mais cómoda de a esquerda, ficar a mandar, é através dos funcionários públicos, mais família, esta com a esperança de colocar um familiar no estado, tem emprego assegurado e nunca é despedido , os sindicatos, dá-se o que eles querem e estão sossegados e comprados e os reformados e pensionistas, que por mais cinco cêntimos, votam em qualquer um.
    Depois está cá a malta do privado, a trabalhar 60 ou 70 horas por semana. sem pagamento de horas extras nem feriados nem fins de semana, porque isto de fins de semana com a família, é uma conquista de Abril, um direito, só para o publico.
    E chegámos a esta vergonha, sustentar um estado sem fundo, vitimas de um esquema de extorsão, limitados que somos a ser pagadores de impostos, para o estado comprar mais clientes. Um verdadeiro estado de direito.
    A direita em Portugal, não tem ninguém, para nos tirar deste atoleiro, o povo labrego também não quer, o pinto de suza 44, pode ser presidente da republica, quando quiser, basta prometer 2,5% como prometeu aos funcionários públicos em 2009, com os resultados que deu.

    Gostar

  7. Alain Bick permalink
    2 Outubro, 2017 15:29

    assisti as reuniões com o GOLU
    não se repetem as condições proporcionadas pelos Irmãos
    Adão e Silva
    Rodrigues dos Santos
    Medeiros Ferreira

    Cristas propõe-se substituir o pcp na geringonça

    Gostar

    • 2 Outubro, 2017 16:03

      Mas, afinal, não foi Sá Carneiro que quis – e não o deixaram – integrar a Internacional Socialista ? Ou estarei confuso ? já foi á mais de 40 anos …

      Gostar

  8. piscoiso permalink
    2 Outubro, 2017 17:12

    Rui Moreira, ao finalizar ontem a sua intervenção depois dos resultados conhecidos, citou uma frase de Sá Carneiro. Isso quer dizer que a linha de Sá Carneiro está hoje longe do PSD de Passos Coelho.

    Gostar

    • sam permalink
      2 Outubro, 2017 22:39

      Isso quer dizer que quando o fantasma de Sá Carneiro vai a jogo, os xuxas não têm hipótese.

      Gostar

  9. Arlindo da Costa permalink
    2 Outubro, 2017 17:21

    Sá-Carneiro era um social-democrata. Um homem do centro esquerda. Partidário do personalismo humanista e defensor dos trabalhadores.

    Sá-Carneiro nada tinha nem tem com a actual trupe passista e cavaquista que envenenaram e intoxicarem o PSD.

    O PSD devia ir à «conservatória» e apresentar o seu processo de dissolução e liquidação.

    Gostar

    • sam permalink
      2 Outubro, 2017 22:40

      Sá Carneiro era um socialista com tiques de honesto. Fedeu-se.

      Gostar

  10. LTR permalink
    2 Outubro, 2017 18:03

    Ou andam depressa ou aparece um partido em modo PRD e evaporam.

    Gostar

  11. Filipe Costa permalink
    2 Outubro, 2017 19:31

    “Mas só quem conseguir fazer o pleno destas condições será líder do PSD, da direita e, num futuro de médio prazo, do país. E com menos do que isto nenhum governo da direita durará muito tempo.”

    Desculpe-me a ousadia, mas a que direita se refere? Em Portugal não existe, ou estou enganado?

    Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s

%d bloggers like this: