Skip to content

as delícias da pequenada

26 Novembro, 2017
by

bela-adormecida-historia-630x329-800x445

Sempre me entusiasmou a pervesidade implícita (para mim mais do que explícita…) da Bela Adormecida, sobretudo na versão Disney, onde uma falsa-ingénua loiraça e curvilínea princesa se deixava seduzir (ou seduzia?…) por um príncipe com evidentes más intenções. O climax da história e do filme da Disney é, inegavelmente, a cena em que a dengosa da Aurora, depois de se deixar picar por uma agulha fálica, desfalece estrategicamente numa alcova escondida, a aguardar que o seu homem chegasse e fizesse o que tinha a fazer. O quê, não era da nossa conta…

Se, durante anos, temi pela minha normalidade emocional, fiquei ontem a saber, que não apenas sou um tipo mais do que normal, como intuo a realidade das coisas por detrás das aparências. É que, para além de ver confirmadas as minhas suspeitas lúbricas sobre a história da Aurora, finalmente percebi que ela encerra também uma séria lição moral: nunca abuse de uma moça inconsciente. Mesmo que esteja acordada…

Mas se a Bela Adormecida é fonte de volúpia infanto-juvenil, o que dizer da Cinderela? Como interpretar a prova do sapato, onde um mancebo (outro príncipe…) força os limites apertados do seu pézinho para lhe enfiar, à bruta, um sapato? Não estará aqui um claro apelo à violação feminina? E a Branca de Neve e os Sete Anões, também ela desfalecida e inconsciente, não graças a uma agulha fálica, mas a uma maçã bíblica, símbolo do pecado original, a que não resistiu? Não será uma alegoria óbvia sobre o voyerismo masculino exercido sobre raparigas ingénuas? E o que foram os anõezinhos fazer com ela, quando a apanharam desmaiada? E porque se chama, um desses sete tratantes, «Dengoso»? E o outro «Sabichão»? Sabes muito, sabes… E o Dumbo, o Elefante Voador? Porventura enviaria fotografias da sua tromba hirta a jornalistas suas amigas? Deixam a criançada ver disto e queixam-se, mais tarde, que a coisa deu para o torto. Isto já para não falar nas princesas do Aladino, na perversa dominatrix dos 101 Dálmatas, nas curvas da Pequena Sereia, nos saltinhos de corça do esvoaçante Peter Pan, no nariz do Pinóquio ou nos avanços abusivos do deformado patife da Bela e do Monstro.

É preciso tomar cautela com todas estas sórdidas mensagens sexistas, que são verdadeiras formas de violência de género contra as mulheres. Esperemos que a Fernanda Câncio, a Rita Ferro Rodrigues, a Isabel Moreira e as manas Mortágua estejam atentas…

Anúncios
17 comentários leave one →
  1. Uma Pessoua permalink
    26 Novembro, 2017 12:51

    A verdadeira forma de violência é o “E viveram felizes para sempre”

    Liked by 1 person

  2. JgMenos permalink
    26 Novembro, 2017 14:21

    o que essa tropa fandanga merece é que não as comam, fufas incluídas!

    Gostar

    • Adriana Lima permalink
      26 Novembro, 2017 16:27

      Ou que as comam, precisamente as fufas, só para as castigar!

      Gostar

    • Alexandre Novais permalink
      27 Novembro, 2017 12:07

      Duvido que algum homem razoável tivesse paciência para as aturar para dos dois minutos iniciais!

      Gostar

  3. carlos alberto ilharco permalink
    26 Novembro, 2017 15:05

    Estas historias infantis deviam ser todas eliminadas.
    A razão é muito simples, hoje já não há infantis.
    Qual é o infantil que acredita numa moça adormecida por dezenas de anos e que acorda com um beijo.
    Começa logo a questionar se estava a soro ou não.
    Depois se o hospital era público ou privado.
    E finalmente se o outro infantil lhe levantou as saias antes ou depois do beijo.
    Adaptem estas larachas aos tempo modernos ou então admirem-se de os infantis não lerem nada.
    Se o Vilhena ainda cá andasse, o Ministério podia contratá-lo para a reescrita.
    Até eu ia comprar.

    Gostar

    • Aventino permalink
      26 Novembro, 2017 16:58

      Num restaurante, uma familia almoçava. Os pais e duas jovens que durante todo o almoço
      manipulavam alienadas cada qual a sua “placa”. A meio do repasto, uma delas ostentando
      numa mão o garfo e na outra o iphone, utilizou este para arrastar o arroz para o garfo
      que de seguida levou à boca.
      Não pude ver a reação dos pais. Aquela mesa continuou na melhor mansidão do mundo.
      O Walt Disney não é deste filme.

      Isto vai dar merda!!!

      Liked by 1 person

      • carlos alberto ilharco permalink
        27 Novembro, 2017 07:12

        Nem mais.
        Outro dia ainda foi pior.
        Chegaram (um casal) demoraram cada um com seu menu a escolher os partos, deram as instruções, mergulharem nos smartphones e não se ouviu uma palavra durante o repasto.
        Ambos estavam com ar muito feliz.
        Foi em Massamá no Restaurante Anel de Ouro, para não julgarem que estou a inventar.

        Gostar

  4. 26 Novembro, 2017 15:25

    As sua queridas camaradas betinhas, por acaso também não entram nessa sua lista, hum ? Ainda na ultima caça às bruxas que houve não há muito tempo, as irmãs marias as “delas” e as “vossas” queridas, andavam todas a berrar no mesmo tom.

    Gostar

  5. Procópio permalink
    26 Novembro, 2017 16:56

    Vi a loira com o gajo à cola.
    Ía ler.
    Vi delícias.
    Desisti logo.
    Sei lá do que posso ser acusado?

    Gostar

  6. 26 Novembro, 2017 17:50

    faltou o lobo mau play boy 🙂 come-a toda , à capuchinho , já menstruada , e à avó , um caso de senifilia grave 🙂
    boa boca , o lobo.

    Gostar

    • lucklucky permalink
      27 Novembro, 2017 06:53

      Ora bem.

      Eu sempre preferi a bruxa má à sonsa da branca de neve.
      E excelente post do rui a.

      Gostar

  7. Euro2cent permalink
    26 Novembro, 2017 19:24

    Bela Adormecida, sobretudo na versão Disney,

    Um dia destes, se houver tempo, é de procurar o conto original.

    Então é que tinham todos um treco.

    Liked by 1 person

  8. Arlindo da Costa permalink
    26 Novembro, 2017 19:54

    É nestas histórias «inocentes» que começa a grande criminalidade…

    O Giulliani de New York pode muito bem explicar-vos como é…

    Gostar

    • Tiradentes permalink
      27 Novembro, 2017 09:31

      defendendo “fássistas”….. Recorrente no arlindismo…..

      Gostar

  9. maria costa permalink
    27 Novembro, 2017 16:06

    As esganiçadas cá do burgo ainda não acordaram para este magno problema, mas esperem que elas imitem as esganiçadas da estranja e vão ver como as histórias vão ter um fim infeliz 🙂

    Podem sempre escolher aquela do homem sueco, que se vestia de mulher e maquilhava para estar confortável em casa, na companhia do seu pónei que pensava que era cão e roía ossos no tapete!

    Gostar

  10. sam permalink
    27 Novembro, 2017 19:27

    Rui A., um Vasco Granja reencarnado.

    Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: