Skip to content

alguém que deite mão a isto

5 Janeiro, 2018
by

Enquanto os partidos ditos não-socialistas e as pessoas sensatas do PS andaram a assobiar para o ar e a fazer de conta que nenhuma ameaça pairava sobre o Alojamento Local, alguns tresloucados do PS e os habituais delinquentes do Bloco e do PCP foram urdindo uma trama contra o sector de actividade económica que mais emprego e riqueza criou nas últimas décadas, em Portugal. O resultado disso está à vista e é tão mau que fez com que o próprio António Costa tentasse impor uma solução contrária à apresentada por parte do seu grupo parlamentar. Só que Costa, ao contrário do que a propaganda oficial tenta fazer crer, é um líder tíbio e frouxo, que joga diariamente a sua sobrevivência política em alianças precárias, que fazem dele uma vítima perfeita de coacção e chantagem. Esse foi o preço que ele aceitou pagar de ser primeiro-ministro a todo o custo, e se, até agora, a coisa se ia compondo com mais ou menos benesses concedidas aos “parceiros”, o ataque ao Alojamento Local poderá ditar o fim dos sucessos económicos ditos deste governo e a saída de Costa e do governo pela porta pequena, quando este esperava uma reeleição triunfal, em forma de maioria absoluta. O problema mais sério da coisa está, porém, na incomensurável estupidez ou/e maldade de condenar investidores e investimentos às invejas de vizinhos, princípio abstruso a que nem o CDS foi capaz de resistir.  Vão ser muitos e muitos milhões de euros deitados ao lixo, vai ser muito crédito mal parado ou definitivamente incobrável, vai ser muito banco a tremer das pernas, vai ser muita pequena e média empresa de construção a falir e, claro, vai ser muito, mas muito desemprego a crescer. No fim de tudo, obviamente, a culpa do governo e dos políticos terem espatifado um negócio que corria muito bem por eles quase não intervirem nele será do “mercado”. Tal como o mordomo dos clássicos policiais, que é sempre o culpado dos crimes, também o “mercado” é sempre o responsável pelos actos criminosos da péssima classe política que restou ao fim de mais de quarenta anos de democracia. Alguém que deite mão a isto!

1119846

Anúncios
16 comentários leave one →
  1. rão arques permalink
    5 Janeiro, 2018 11:39

    Uma democracia que funciona na base do expediente, do golpe e da vigarice pode ser muita coisa, mas antes de mais é um nauseabundo chiqueiro.

    Gostar

  2. lucklucky permalink
    5 Janeiro, 2018 13:05

    Portugal está doente

    Liked by 1 person

  3. A. R permalink
    5 Janeiro, 2018 15:14

    Lembrar a célebre piada de Ronald Reagan

    Gostar

  4. Arlindo da Costa permalink
    5 Janeiro, 2018 19:39

    Isto está muito bem entregue. É só para informar algum que tenha chegado há momentos de Marte ou de Saturno…

    Gostar

  5. licas permalink
    5 Janeiro, 2018 19:49

    alguém que deite mão a isto ?

    (era o que se ansiava por 1920: depois viu-se o que sucedeu . . . )

    Gostar

    • 5 Janeiro, 2018 23:00

      Sucedeu o quê?
      Não sabe?
      Sucedeu uma onda de trabalho e progresso para Portugal.
      Se não sabe, informe-se. De preferência sem fanatismo na cabeça.

      Liked by 1 person

    • A. R permalink
      5 Janeiro, 2018 23:46

      Terminou aquela bandalheira maçonico-socialista que devorou a nação e nasceu uma Pátria nova. Agora estão de serviço os que levaram o país ao descalabro a que chegou em 1920.

      Gostar

  6. Leunam permalink
    5 Janeiro, 2018 23:54

    Sr David Rosa

    Excelente réplica a sua.

    Mas, se me permite um conselho, não perca tempo com um provocador que vem para aqui dizer baboseiras sistematicamente.

    Quanto ao AL, assunto do texto de Rui A. tenho como certo que este Sr. é parte interessada e, por isso, escreve o que escreve.
    Assim, também não vale a pena debater aqui esta problemática.

    Gostar

  7. 5 Janeiro, 2018 23:59

    “alguém que deite mão a isto” o País já não tem solução, e se há um abanão na UE, caímos que nem tordos.

    Liked by 1 person

  8. licas permalink
    6 Janeiro, 2018 12:04

    Não sabe o que sucedeu? Eu digo-llhe, fui testemunha presencial:
    ____Acabu num só os Partidos Pol+iticos
    ____ Terminou a liberdade de expressão
    ____ Fomos inundados per palavreado oco e propaganga “nacional”, a tal que por ordem e graça do espírito santo coincidia com a de Salazar
    ____ Fomos alvo na ONU de facécias colossais, istriiónicas, de todo o mundo quando declarámos que Portugal não tinha territórios que não fossem autónomos, Chacota universal quando designámos as Colónias como “Províncias Ultramarinas”
    ____ As esposas dos cidadãos TINHAM que pedir autorizaçaõ aos respectovis maridos para se ausentarem no Estrangeiro
    ____ As publicações periódidcas eram submetidas a prévia censura dos conteúdos
    ____ A Polícia Política (PIDE) velava por nos manter no “bom caminho”; senão prisão arbitrária sem julgamento formal, do transviado, que até uma ves sob prisão, podia ser assasssinado sem quaisquer consequencias para os guardas
    ___ Desde a Instrução primária os meninos e as meninas na Mocidade Portuguesa aprendia o quanto era um privilégio vivermos sob a batuta de Salazar
    ___ As enfermeiras estavam proibidas de contrairem casamento.

    Gostar

  9. licas permalink
    6 Janeiro, 2018 19:56

    . . . e tu, PiErr em vez de bolsares asneiras deverias
    criticar os Factos que apontei. è assim que as discussões
    entre seres racionais funcionam.

    Gostar

  10. licas permalink
    6 Janeiro, 2018 20:08

    O pé-descalço

    “A senhora Maria Joaquina da Silva Teixeira, que tem 29 anos e reside no largo de Santa Marinha, em Gaia, foi ontem responder ao Tribunal de Policia – por, no dia 30 de novembro do ano passado (1954), ter sido encontrada descalça numa das ruas da cidade.

    (o episódio passou-se 20 anos após a postura municipal em que
    se proibia a esta prática)

    Gostar

  11. licas permalink
    6 Janeiro, 2018 20:27

    Queres mais, PiErre?

    “Em 1933, a censura que já se aplicava às notícias e aos jornalistas passou também para a esfera literária. Centenas de obras foram proibidas. Da lista negra de autores portugueses faziam parte Urbano Tavares Rodrigues, Miguel Torga, Alves Redol, Natália Correia, Herberto Hélder, Aquilino Ribeiro, Vergílio Ferreira, entre outros”.

    Gostar

  12. Luis Rodrigues permalink
    7 Janeiro, 2018 01:45

    Colocacao PERFEITA! Parabens

    Gostar

  13. J. Cruz permalink
    7 Janeiro, 2018 07:29

    Está tudo dito e bem dito!

    Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: