Skip to content

Os benefícios do obscurantismo anti-científico

11 Junho, 2018

carl

 

Frank Carlucci, o embaixador americano em Lisboa durante o PREC, morreu na semana passada e logo o Facebook e o Twitter se encheram de impropérios em sua memória. Inicialmente fiquei um pouco chocado com a atitude mas, após breve reflexão, partilhei do ponto de vista: o homem prestou um péssimo serviço a Portugal, principalmente na questão das liberdades. Sem a sua intervenção em 1975 o mais provável era não estarmos hoje sujeitos a ler tolices em redes sociais; não por falta de tolos, naturalmente, mas pela proibição do acesso à internet. Como diria o Pacheco Pereira: mau trabalho!

Pelo que se conta nos livros de história, a doutrina dos EUA sobre o nosso país estava profundamente dividida nessa altura: uns queriam deixar o PCP instituir um regime comunista que servisse de exemplo a não ser seguido pelos restantes países do sul da Europa; outros defendiam o apoio a movimentos de extrema-direita com a intenção de tentar restaurar o estado salazarista. Aparentemente, já estava decidido que íamos ser uma ditadura, depois logo se via de que cor. Mas Carlucci, dando mostras da sua falta de juízo, insistiu com os seus superiores que a entediante democracia parlamentar era viável neste caótico cantinho lusitano e, não tendo por estes sido imediatamente internado num manicómio, conseguiu provar-lhes que tinha razão.

O mérito do embaixador americano foi ter feito parte de um movimento polémico muito antes de este ser relevante e problemático. Henry Kissinger, o importante líder da diplomacia dos EUA, queria utilizar a penúria do futuro Portugal soviético como um antídoto contra o comunismo no Ocidente. Para grande sorte dos portugueses, Frank Carlucci era fervorosamente anti-vacinas.

 

Anúncios
20 comentários leave one →
  1. carlos alberto ilharco permalink
    11 Junho, 2018 17:39

    Tinha sido melhor deixar o PCP tomar conta do país e reduzi-lo a quase nada, numa penúria no estilo da grande purga.
    Assim ficávamos vacinados de vez contra estes bandalhos.
    Não aconteceu e por isso ainda por aqui andam a causar o mesmo mal e agora até a fingirem que são democratas e com apoio de pessoas que até parecem ser inteligentes.

    Liked by 1 person

  2. procópio permalink
    11 Junho, 2018 19:57

    carlos alberto advoga a vacina, calma, há vacinas no frigorífico. Quando os sítios são invadidos por epidemias, falhando todas as soluções, há sempre vacinas.

    Sobre Carlucci haveria muito a dizer. Chegou a Lisboa como embaixador, a 24 de Janeiro de 1975. Soltaram-se os ódios. O otelo disse não poder garantir a sua segurança. O márinho aflito telefonou a Carlucci, disse o otelo não se leva a sério… Já o Carlucci tinha falado com o idiota tendo tudo ficado esclarecido. Conversa breve pelo telefone: “Você não tem competência, de acordo com as normas portuguesas, para declarar o embaixador americano persona non grata. Envie a tropa proteger a Embaixada, e já!”.
    Problemas nunca mais. Até convidou o idiota para almoçar. Ele comeu-o.

    Gostar

  3. procópio permalink
    11 Junho, 2018 20:20

    Vale a pena dar uma vista de olhos pelo “Economist” deste mês para ver como a vida em sítios minúsculos está dependente de factos inesperados.
    Frank Carlucci, apesar de todos os seus defeitos, e foram muitos, até inconfessáveis, fez parte de um grupo soft, inclinado para a paz. Actualmente esse grupo é minoritário.

    “O melhor fiador da paz mundial é uma América forte. Felizmente, ainda desfruta de vantagens. Tem aliados ricos e capazes, ainda de longe as forças armadas mais poderosas do mundo, experiência incomparável em combate, os melhores engenheiros de sistemas e as principais empresas de tecnologia do mundo. No entanto, essas vantagens podem facilmente ser desperdiçadas. Sem o compromisso da América com a ordem internacional e com o poder duro de defendê-la contra desafiantes determinados e capazes, os perigos crescerão. Sem ele, o futuro da guerra pode estar mais próximo do que se pensa”.

    Gostar

  4. Arlindo da Costa permalink
    11 Junho, 2018 21:50

    Claro. É a diferença entre um católico italo-americano e a dum judeu americano, um reles diplomata que «autorizou» a invasão de Timor-Leste por parte da Indonésia, para além doutros crimes contra a Humanidade.

    Gostar

    • Mario Figueiredo permalink
      11 Junho, 2018 22:51

      Ao menos viveu o tempo suficiente para ver Álvaro Cunhal morrer. Como ele, somos todos abençoados com esse pequeno prazer.

      Gostar

      • Artista Português permalink
        14 Junho, 2018 10:13

        Mais prazer do que ver o AC morrer foi saber que o AC viu morrer a multinacional para a qual trabalhou a via inteira como funcionário zeloso e dedicado. Viu morrer o sítio onde nascia o “sol da terra”.

        Gostar

    • 11 Junho, 2018 23:32

      Já morreu o Álvaro Barreirinhas Cunhal e também já morreu o Mário Soares. Tadinhos.
      É tempo de os portugueses se mobilizarem para limpar Portugal afastando a Esquerda que só quer mama.

      Gostar

      • carlos alberto ilharco permalink
        12 Junho, 2018 08:35

        Faltam, infelizmente, ainda muitos.
        Duas alegrias que o meu Pai não teve

        Gostar

    • Mario Figueiredo permalink
      12 Junho, 2018 00:16

      Sim! E Mário Soares; o traficante de marfim e diamantes do nordeste Angolano.

      Mas esse era amigo do Carlucci. O Mário Soares era esse tipo sem coluna vertebral que ensinou todos os outros a caminhar sem coluna vertebral. Mário Soares foi o dono da frase “em política, feio, feio, é perder!” com a qual logo começou a demonstrar que em politica tudo vale.

      E tudo vale. Desde fazer acordos com o seu amigo Marcello Caetano para legalizar o PS até apoiar Soares Carneiro contra Ramalho Eanes para as presidenciais. E desde insultar publicamente um magistrado quando este soltou um grupo de manifestantes que reclamavam por mais salários, até ao “Ó Sr. Guarda, desapareça!”. Desde o fax de Macau e as malas de dinheiro que de lá lhe chegavam à mão, até diamantes e marfim angolanos, denunciados por Rui Mateus num livro que foi retirado de circulação e depois alvo de processo judicial em Angola.

      Nah! Carlucci viu Mário Soares morrer sim senhor, mas foi Cunhal é que ele celebrou mais. a cada escândalo varrido para debaixo do tapete pela família socialista, este “socialismo na gaveta” de Soares só dava razão à crença de Carlucci que já na Alemanha de Leste provava que um bom marxista não é um marxista morto, mas um marxista com um maço chorudo de dólares na mão.

      Gostar

    • Carlos Guerreiro permalink
      12 Junho, 2018 16:11

      Sem esquecer o Almeida Santos, o sombra das virgulas, que o mafarrico o tenha.

      Gostar

  5. pitosga permalink
    12 Junho, 2018 00:29

    Sérgio Barreto Costa,
    mas que excelente post !
    Felicito-o.

    Gostar

  6. Mauritano permalink
    12 Junho, 2018 08:02

    Outro grande “post” no Blasfémias

    Gostar

  7. Rão Arques permalink
    12 Junho, 2018 08:31

    Á imagem do país passo a Passos, em Alvalade agora o Bruno é que paga as favas.
    Quem com ferros Marta, até ao lavar dos cestos é vindima.

    Gostar

  8. 12 Junho, 2018 10:18

    Existe por aí um país que tem um “provérbio político” que diz qq coisa como:

    “Sabem pq os EUA nunca sofreram um golpe de Estado? Porque não tem nenhuma embaixada americana lá”.

    Para o bem da sanidade deste blogue, não tornem a tentar escrever qualquer coisa minimamente positiva sobre o senhor (((Kissinger))). Tem no curriculum, entre muitas outras aberrações, ter sido principal “estratega” (juntamente com o nada doente mental Zbigniew Brzezinski) da ascensão do Comunismo não-ateu Chinês, responsável pela morte dezenas de milhões de almas. E dizia-o com orgulho. Descontando os já tradicionais psicopatas da escola de Frankfurt e os seus homólogos Soviéticos, esse senhor é o maior genocida do século XX.

    Gostar

  9. Juromenha permalink
    12 Junho, 2018 16:15

    Não esquecer que Franco só morre em Nov.75.
    A propósito : a Brunete chegou, ou não, a mexer-se?
    Terão concluído que com Talavera la Real ali mesmo à mão…

    Gostar

  10. José Ramos permalink
    12 Junho, 2018 22:00

    Ao contrário dos “improperiadores” do costume, honrei a memória de Frank Carlucci quando soube da sua morte e volto a fazê-lo agora. Obrigado Mr. Carlucci,

    Gostar

  11. becas permalink
    13 Junho, 2018 14:49

    Quando da existência de Frank Carlucci a maior parte dos opinadores de hoje ainda não tinham dentes e portanto não compreendiam o que se passava . Depois e a partir de 1975 começou a lenga lenga da esquerda, contra os fassistas imperialistas americanos

    Gostar

  12. 13 Junho, 2018 17:48

    sugiro o livro ‘Libido Dominandi’ de E. Michael Jones sobre a ‘benevolência’ da intervenção de Carlucci em Portugal, inundando o país com pornografia e exaltando as tais liberdades que por alguma razão a direita moderada agora aplaude porque deixou de ter quaisquer valores para além do credo satânico ‘do what thou wilt’. a pobreza material é preferível à pobreza espiritual.

    Gostar

  13. Vasco Silveira permalink
    19 Junho, 2018 12:20

    Caro Sérgio Barreto Costa
    Sobre o tema, ouvi há dias um conhecido “tudólogo” ( fala de tudo), MS Tavares, a referir que, em conversa com Kissinger, M Soares disse não querer ser o Kerenski Português ; “ministro do Czar”, informou o avisado tudólogo, e que não foi o apoio americano que nos salvou do comunismo, mas sim a Internacional Socialista!
    Entre a ignorância do ministro do Czar e o preconceito antiamericano, ficamos deslumbrados com estas…tudólogos, é isso…

    Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: