Saltar para o conteúdo

boas notícias para a direita

4 Agosto, 2018
by

img_4237_1280x640_acf_cropped

A direita portuguesa está – finalmente – fragmentada em, pelo menos, quatro grupos com pretensões de poder: nos seus dois partidos históricos, o PSD e o CDS, no novo partido de Pedro Santana Lopes e num conjunto de pequenos partidos ou proto-partidos de matriz liberal (Iniciativa Liberal, Democracia 21, Partido Libertário).

Isto é, ao contrário do que se poderá julgar, uma boa notícia para a direita portuguesa e para o regime democrático.

Primeiro, porque PSD e CDS estavam, desde há muito, completamente anquilosados, não traziam nada de novo para o país e as pessoas, e, por esse motivo, dificilmente cresceriam. Ora, como a geringonça demonstrou, a direita só voltará ao poder se conseguir uma maioria absoluta parlamentar (115+1), o que PSD e CDS, nestas circunstâncias, muito dificilmente atingiriam. Se estes novos partidos conseguirem alguma representação parlamentar – e, pelo menos, o de Santana Lopes é uma incógnita e poderá até ser uma surpresa (não o desvalorizem…) – poderão vir a somar votos e deputados aos dos dois partidos tradicionais.

Em segundo lugar, a concorrência apura a qualidade e o facto de aparecerem novos partidos, com novas mensagens programáticas, onde a abertura ao liberalismo poderá ser muito importante, contribuirá para aumentar a exigência dos eleitores do PSD e do CDS. Se a mensagem liberal e popular começar a ter receptividade pública, PSD e CDS certamente que se interessarão por ela. Veja-se o que está a suceder com o Partido Popular espanhol, que aproveitou a mudança do líder para fazer uma inflexão ideológica do centrismo para o liberalismo. Poderá ser que, finalmente, a direita indígena perca os complexos de esquerda e assuma o liberalismo como uma componente ideológica própria. E, como este é politicamente transversal, poderemos ter grupos liberais expressivos em qualquer uma das formações partidárias.

Por outro lado, a saída de Pedro Santana Lopes do PSD, poderá permitir que Rui Rio centre a posição ideológica do partido que lidera num centro-esquerda à nórdica, competindo mais directamente com o PS e roubando-lhe votos de uma área onde sobretudo se encontram os funcionários públicos que se consideraram maltratados pelo PSD de Passos Coelho. Deste modo, o PSD poderá perder votos à direita, mas ganhará à esquerda. O que eleitoralmente é bom para a direita: quebrará o tabu do voto do funcionalismo público no PSD, aumentará a expressão parlamentar da direita no seu conjunto, e poderá reduzir os votos (e mandatos?) do PS.

Por último, há uma imensa abstenção, e muita dela resulta do desinteresse que a política tradicional provoca nos eleitores. Novos partidos, novas mensagens e novos protagonistas poderão ir buscar alguns votos aí, e ampliar o eleitorado da direita.

Em conclusão, dificilmente a direita regressaria ao poder com os dois partidos do costume. A geringonça entender-se-á sempre, desde que forme maioria no parlamento, para manter o poder e para evitar que isso aconteça. Dividida em vários partidos, a direita portuguesa poderá, por paradoxal que pareça, regressar ao poder com mais facilidade.

Anúncios
39 comentários leave one →
  1. André Miguel permalink
    4 Agosto, 2018 14:58

    A direita em Portugal regressará ao poder quando perder o complexo de inferioridade, mandar às malvas o politicamente correcto e disser aquilo que o povo quer ouvir, mas os jornalistas não gostam, ou seja, quando for “populista”. Até lá o PS continuará a ser o verdadeiro e único DDT (caso ainda não tenham dado conta nunca existiu outro).

    Liked by 3 people

    • carlos alberto ilharco permalink
      4 Agosto, 2018 18:40

      Absolutamente.
      E a primeira coisa que têm que dizer é que rasgam a Constituição mal sejam poder.

      Liked by 1 person

      • Alberto Silva permalink
        4 Agosto, 2018 20:51

        Que é o que ela precisa. Está caducada!

        Gostar

  2. Zé Manel Tonto permalink
    4 Agosto, 2018 15:44

    “a concorrência apura a qualidade”

    Mas o bloco de esterco apareceu no fim dos anos 90, e desde essa altura o Peièsse apresentou gente do calibre de Sócrates, Vara e Costa. Agregou Galamba, Isabel Moreira e Canavilhas e sua magnífica taxa das pens e discos rígidos.

    Não me parece que a concorrência à esquerda tenha feito os chuchas apurar seja o que for. Foi uma corrida para o fundo.

    Quanto a achar que PSD e CDS são de direita, lembro que muita gente nesses partidos era 100% fã de Bernie Sanders para a eleição presidencial americana de 2016. São essas as credenciais de direita dos partidos de “direita” portugueses.

    Vão pastar!

    Liked by 2 people

  3. Zé Manel Tonto permalink
    4 Agosto, 2018 15:53

    “a saída de Pedro Santana Lopes do PSD, poderá permitir que Rui Rio centre a posição ideológica do partido que lidera num centro-esquerda à nórdica, competindo mais directamente com o PS e roubando-lhe votos”

    Aqui está o problema do rectângulo: A direita para ganhar tem que ser de esquerda.

    Esqueçam, o futuro do rectângulo é a cauda da Europa.

    O salário médio antes de impostos já é superior ao português em 4 dos 10 países que entraram na UE em 2004. Está a 100 ou menos euros em outros 3 (depois de impostos o cenário é semelhante). Se calhar porque lá há investimento estrangeiro porque não odeiam os “porcos capitalistas” e a burocracia não mata qualquer projecto.

    Gostar

  4. Zé Manel Tonto permalink
    4 Agosto, 2018 16:02

    Não querendo ser chato e escrever demais, já tentamos esquerda durante quase 50 anos. Não resulta. Ir buscar votos à esquerda, apresentando o PSD como centro esquerda não vai resultar. Portugal tem, ajustado ao poder de compra, o terceiro salário médio mais baixo da União Europeia

    https://en.wikipedia.org/wiki/List_of_European_countries_by_average_wage

    Todos os países que entraram em 2004 têm, ajustado ao poder de compra, um salário médio mais elevado que o português.

    Chega de brincar ao socialismo!

    Há que dizer isto alto e bom som, atirar esta informação à cara dos portugueses! Países que estavam economicamente de rastos há menos de 30 anos, em 14 anos na União Europeia ultrapassaram-nos. Mais vale copiá-los e largar este modelo abrilesco esgotado!

    Liked by 3 people

    • Alberto Silva permalink
      4 Agosto, 2018 21:01

      Isso mesmo. Quem escreve assim não está a errar. É estranho porque a maioria das pessoas são carneirada e o que é novo custa a entrar nas suas cabeças. Mas o que escreve é a realidade por muita intoxicação com que a Esquerda nos quer baralhar.
      O mito de a Esquerda defender quem trabalha não passa disso mesmo. É um mito! E o maior embuste perpetrado no sec. XX.

      Liked by 2 people

  5. Procópio permalink
    4 Agosto, 2018 16:14

    O paradoxo está nisto: uma direita decente nunca existiu no sítio. O paradoxo está em que o botas terá sido dos principais responsáveis. Exerceu a autoridade sem explicar o que era o marxismo leninismo. Não comem criancinhas, o que fazem é liquidar os pais.
    A vaga marxista cultural avançou assim pela europa e eua como cão tinhosos por vinha vindimada. Teria que chegar cá com os anos de atraso do costume, mas chegou. A guerra colonial foi um rastilho, muitos oficiais já tinham dificuldade para entrar nas portas de suas casas quando voltavam das comissões.
    Saltando para os dias de hoje. O estado a que o sítio chegou nem o rui a. parce ter compreendido na íntegra. Nem eu, os dados que permitiriam ter a noção do descalabro são omitidos. Nove séculos esboroados. Para os judas, o dia pode chegar.

    “Só por causa disso esta noite terás cãibras,
    Pontadas que te tirarão o fôlego. Ouriços
    Rolarão sobre ti tanto quanto a vastidão
    Da noite permita. As picaduras serão mais
    Do que os alvéolos de um favo de mel, mais profundas
    Do que as das abelhas”.
    Tempestade. William Shakespeare

    Não se aguardem cenas tradicionais. O sítio já está a ser totalmente “ocupado” por grupos diversos. Os centros de decisão já foram. A desocupação está em marcha, dois terços do território pasto de chamas e rebalderias, um terço com gente acumulada em lugares desurbanizados com parasitas, carteiristas de todos os tipos e gente a fazer pela vidinha enquanto não consegue zarpar daqui para fora. Ficará o refugo, a carneirada com os seus pastores.
    A história porém trás surpresas. Lá em cima os oligarcas andam desentendidos. O grupo que tem posto a coleira nas hierarquias está em baixa. Esperemos para ver. Já há quem lamente que tudo correu mal.
    https://www.lifesitenews.com/news/george-soros-laments-trumps-victory-everything…has-gone-wrong
    Lá fora decorre uma luta de titãs. Cá dentro não é com estes juízes, estes militares e muito menos com estes políticos da esquerda e de direita envergonhada que se sai do atoleiro.

    Gostar

  6. 4 Agosto, 2018 17:22

    O entusiasmo é já tanto com a quase certeza do regresso da “direita” ao poder a partir da (de)cisão do Santana, com o RRio no PSD e com tantos partidos e proto-partidos a canalizarem votos para uma frente “comum” vulgo voto, por que não a criação duma espécie de CERN para todos serem acelerados e alcançar uma nova “matéria” ou “antimatéria” partidária ?
    Bem, CERN activado caso o partido do Santana queira, porque até início de Setembro de 2019 terá tantos ou mais militantes do que o PSD. E se conseguir convencer os proto, potro e putativos partidos, desiste do CERN, rejeita apoios do PSD, do PP, e vencerá de caras (com ajuda da revista Caras) as legislativas. Outros apoios para uma maioria absoluta do “Movimento” do Santana serão os da Cristina Ferreira, do Goucha, do Toi, do comentador socialite Carlos Castro.

    Gostar

    • Alberto Silva permalink
      4 Agosto, 2018 21:06

      Vai cagar para outro lado, fedorento.

      Gostar

      • 4 Agosto, 2018 21:21

        o “Alberto Silva” surgiu para comentar por outro. Compreendo.

        Gostar

  7. LTR permalink
    4 Agosto, 2018 18:22

    Tenho sérias dúvidas sobre o apoio eleitoral dos portugueses a um homem capaz de governar vitaliciamente sem ganhar uma única eleição, ainda por cima contando com a indigitação pelo PR contra a tradição, mas há doidos e fotógrafos para tudo. Basta recordar Fernando Gomes e o seu triunfante retorno à invicta.

    O problema do partido do Santana Lopes é que vai ser o Partido Santana Lopes, com o qual e através do qual ele vai inchar até aos limites do ridículo narcísico.

    Gostar

    • 4 Agosto, 2018 19:24

      Isso: “o Partido Santana Lopes”. Terá um “poucochinho” mais visibilidade do que o outro potro, o Livre.

      Gostar

  8. cachecol permalink
    4 Agosto, 2018 18:24

    Depois de 40 anos de roubalheira ainda não entenderam que a irracionalidade da Democracia aumenta com o numero de partidos …isto só é possivel num pais de ignorantes Para os ignorantes . Como funciona uma sociedade ? Com poucos ou muitos socios ?.
    Não há grandes diferenças entre a democracia lusitana e a do Zimbabwe Democracia com iletrados é uma fantasia …
    E para vos irritar (não tenho mandato para o defender) , mas Salazar foi o unico politico que não se aboletou no exercicio do cargo …

    Liked by 1 person

  9. Procópio permalink
    4 Agosto, 2018 18:24

    MJRB, o carlinhos já não está cá, foi com o saca rolhas.

    Gostar

    • 4 Agosto, 2018 19:47

      procópio,
      Sim, eu sei que saltou a rolha depois de o rapaz usar o saca-rolhas.
      Vc. (tal como eu) não acredita em fantasmas. Muito bem !
      Mas “acho” que também no peculiar mundo da política, eles existem e no caso, o CC tem influência nos irremediavelmente crentes no Santana que é um crente fervoroso, tem fé em tudo no que se mete, menos no PSD. Sente-se ainda hoje órfão de Francisco Sá Carneiro.

      O Santana já tinha ameaçado sair, lembro-me, em duas ocasiões. Muito poucos ligaram aos amuos. Ninguém quis saber dessas ameaças, porque de facto hoje provou mais uma vez que é um fraco líder e um opositor manso interessado essencialmente em olhar à sua volta para saber se há jornalistas e fotógrafos. Não suporta estar numa oposição, não a quer fazer, sobretudo interessa-lhe protagonismo. O seu escritório de advogado terá mais clientes.

      LTR já perspectivou correctamente: “o Partido Santana Lopes”.

      Gostar

  10. becas permalink
    4 Agosto, 2018 19:50

    Seja o for o partido do Santana Lopes vai ser bom , já não se aguentam estes grupos políticos . O defeito da nossa direita é ser de esquerda

    Liked by 1 person

    • Alberto Silva permalink
      4 Agosto, 2018 21:12

      O Santana Lopes não chega aos calcanhares do Sá Carneiro.

      Gostar

  11. Mario Figueiredo permalink
    4 Agosto, 2018 20:07

    “dificilmente a direita regressaria ao poder com os dois partidos do costume”

    Esquecendo por um momento que ninguém sabe que direita é essa que o Rui está a falar e desde já confessando que também gostaríamos de experimentar o que o Rui anda a fumar, esta frase é hilariante pelo significado que ela tem para a geringonça e para o Bloco em particular; “Direita nunca mais!”

    Gostar

    • rui a. permalink*
      4 Agosto, 2018 20:08

      A direita do regime. Não há outra.

      Liked by 1 person

    • Mario Figueiredo permalink
      4 Agosto, 2018 20:28

      Pois bem. Mas essa voltará ao poder assim que o PS-barra-geringonça arrastar o país para nova crise económica, se enredar em escândalos irreparáveis, ou de outra forma qualquer comprometer a sua permanência no poder; coisa que faz com alguma tradição em cada 3 eleições nos últimos 25 anos.

      Mas admitindo que tem razão e será através em um novo tabuleiro de coligações que se desenharão as eleições parlamentares daqui para a frente, não vejo qualquer razão para celebrar. Faço minhas as palavras de Zé Manel Tonto: Estou farto! Tal como esses pretensos partidos liberais que o Rui elege como referência, vem aí pela mão de Santana Lopes apenas mais um partido de cariz socialista, igual a todos os partidos que da esquerda à direita do nosso parlamento vivem amarrados ao socialismo Abrilista.

      Liked by 1 person

      • rui a. permalink*
        4 Agosto, 2018 21:27

        E onde é que me viu a celebrar? Limitei-me a dizer que isto é bom para a direita. Do regime, é claro, porque outra não há. Por mim, estou-me nas tintas, porque não pertenço a regime algum. Ou melhor, até nem é completamente verdade, já que preferi ver um governo chefiado pelo Passos a este chefiado pelo Costa. De resto, que se amanhem todos.

        Liked by 2 people

  12. 4 Agosto, 2018 21:12

    Rui A.
    logo após a saída do Santana, ficou possuído por incontrolável entusiasmo. Com protos, potros e putativos partidos.
    Calma ! O calor vai diminuir. E o balão-Santana, esvaziar após finais de 2019 — “está escrito nas estrelas”.

    Gostar

    • rui a. permalink*
      4 Agosto, 2018 21:28

      Meu Caro, estou-me nas tintas para o Santana. O que acho é que fazem mal em desvalorizá-lo eleitoralmente.

      Liked by 1 person

      • 4 Agosto, 2018 23:19

        Caro Rui A., ironizei (mal) com o calor nesta fase Santana mais partidos.
        No entanto, eleitoralmente não terá hipóteses, elegerá nas legislativas no máximo dois deputados, Santana incluído.
        Santana traíu quem há poucos meses o apoiou. Vai pagar por os ter abandonado.

        Gostar

  13. 4 Agosto, 2018 21:16

    Carago, ó c’um carago, parece que não há hipótese de surgir, impor-se e beneficiar inevitável apoio dos tugas um partido assumidamente de direita ou de extrema-direita… Tá difícil de parir.

    Gostar

  14. Leunam permalink
    4 Agosto, 2018 21:39

    MJRB

    Com o “trabalho” que se tem desenvolvido na Escola nacional nos últimos 44 anos, bem pode esperar sentado!

    Liked by 1 person

    • 4 Agosto, 2018 23:28

      Primeiro terá de surgir uma personalidade absolutamente não-inquinada pela política e inimputável a nível social e pessoal. Inatacável profissionalmente. Com um discurso convincente, fluente, puro e duro. Munido de ideias precisas para o país. Onde está ?
      Os tempos são diferentes se comparados por exemplo com 1975-76 e a cultura, a história, a sociedade,os tugas, são bem diferentes por exemplo da Hungria ou Áustria.
      E há outro problema, a comunicação social. Externamente, outros problemas o atrapalharão e quase inviabilizarão.

      Gostar

      • 4 Agosto, 2018 23:33

        O que eu desejo é a Diferença pela e para a Qualidade, “coisa” que também está difícil de surgir e provavelmente ninguém conseguirá propor, manter e, improvavelmente executar.

        Gostar

  15. Vitor permalink
    4 Agosto, 2018 22:04

    Sendo que me é relativamente indiferente votar mais à esquerda ou à direita a minha principal preocupação é conseguir dar o meu voto a políticos que sejam COMPETENTES na defesa dos interesses dos portugueses.
    Na opinião do autor será mais fácil escolher um candidato e respetiva equipa que o façam com estes rearranjos partidários?
    parece-me que se dá demasiada importância a esta história da esquerda vs direita, que no fundo é uma forma de atirar areia para olhos das pessoas, ou seja, o dividir para reinar e muito pouca atenção ao facto de os políticos serem ou não competentes.
    Iremos ter no futuro próximo candidatos capazes de subir os valores do salário médio em Portugal e de promover a natalidade? Iremos ter políticos que consigam produzir legislação de qualidade, que efetivamente seja compreensível e exequível pelo cidadão comum e que eliminem as leis e normas que não fazem sentido? Iremos ter políticos que promovam a competência e os interesses de todos os portugueses em vez dos interesses dos familiares e daqueles de quem estão mais próximo?
    A meu ver isto é o mais importante e reduzir isto ao binómio esquerda direita é daquelas “mentiras” que por ser tanta vez repetida acaba por fazer as pessoas acreditarem que é verdade, só que não é. Talvez fizesse sentido na altura da revolução industrial mas nos dias de hoje penso que não. Mas reconheço que poss estar redondamente enganado…

    Gostar

  16. Leunam permalink
    4 Agosto, 2018 22:06

    Procópio PERMALINK
    4 Agosto, 2018 16:14
    “O paradoxo está nisto: uma direita decente nunca existiu no sítio. O paradoxo está em que o botas terá sido dos principais responsáveis. Exerceu a autoridade sem explicar o que era o marxismo leninismo. Não comem criancinhas, o que fazem é liquidar os pais.”

    Que me diz o Sr. a isto?

    Gostar

  17. José Ramos permalink
    4 Agosto, 2018 22:40

    Mesmo que haja um deserto a atravessar, isto é positivo. Refundar uma democracia que está há muito anquilosada e refém de clientelas, negócios e compadrios. Também não me surpreende que esta possível revolução venha da chamada “direita”. A esquerda, toda ela, é demasiado reaccionária para querer mudar.

    Liked by 1 person

  18. 4 Agosto, 2018 23:04

    Pois é como dizVitor PERMALINK
    4 Agosto, 2018 22:04

    “ A meu ver isto é o mais importante e reduzir isto ao binómio esquerda direita é daquelas “mentiras” que por ser tanta vez repetida acaba por fazer as pessoas acreditarem que é verdade, só que não é. Talvez fizesse sentido na altura da revolução industrial mas nos dias de hoje penso que não. Mas reconheço que poss estar redondamente enganado…”

    Parece-me certo que na actaual esdtado das populaçõres, muito embora se queixem da brutal incidência dos impostos, as opessoas não extão dispostas a prescindir do estado social, prevenindo a época das suas vidas, por doença, tenham que suportar gastos de dinheiro incomportáveis…
    Parafraseando
    posso estar redondamente enganado,,,,

    (a experiência já vem de longe: Suécia)

    Gostar

  19. 4 Agosto, 2018 23:26

    O PSD e o PS são dois moribundos partidos que só se aguentam porque se apoiam um no outro , sendo o PSD mais muleta do que o PS. No momento em que o PSD cair ou fragmentar-se o PS cairá logo a seguir. Portanto para aqueles que querem ver-se livres do PS só precisam de o livrar da muleta em vez de tentar aguenta-la.

    Não têm de quê.

    Gostar

  20. Procópio permalink
    5 Agosto, 2018 00:04

    licas, as pessoas ainda não viram tudo, nem suspeitam onde isto pode chegar.
    É muito bom estar protegido pelo estado social, mas o estado social tem um peço.
    Suspeito que a UE em bloco não venha a ter forma de assegura uma despesa dessas.
    França, Bélgica, Alemanha, Áustria, Espanha e Portugal estão nas lonas.
    Não têm reservas nos cofres públicos e o dinheiro tem que sair do orçamento geral a cada ano. O vieirinha bico calado sobre estes assuntos… O número de aposentados nesses países cresce. A natalidade é baixa.
    Os governos apodera-se dos fundos de aposentadoria supostamente sacrossantos, e permitem que seus governos usem essas economias para se conservarem no poleiro.
    As despesas com armamento a que a UE será forçada a fazer a partir de 2019 vão ser o rastilho para uma festa de arromba. É bom que o kosta e& lá estejam por essa altura.

    Liked by 1 person

  21. Leunam permalink
    5 Agosto, 2018 01:41

    MJRB PERMALINK
    4 Agosto, 2018 23:28
    “Primeiro terá de surgir uma personalidade absolutamente não-inquinada pela política e inimputável a nível social e pessoal. Inatacável profissionalmente. Com um discurso convincente, fluente, puro e duro. Munido de ideias precisas para o país. Onde está ?”

    Isso já não se fabrica!

    A última personalidade portuguesa que preencheu rigorosa e cabalmente todos os requisitos que o Sr. aponta, tem os ossos debaixo de uma lage de granito, no Cemitério do Vimieiro.

    A Moral e Educação Cívica e o amor à terra que nos viu nascer, já foram.

    A ignorância, a dissolução e o vício estão generalizados no nosso povo com menos de 44 anos.

    Os frutos já estão por aí mas daqui a uns tempos, como diz Procópio, ” vai ser uma festa de arromba!”

    Gostar

    • 5 Agosto, 2018 10:46

      Leunam,

      Se essa personalidade já nasceu, estará a todos os níveis ainda numa incubadora.

      Talvez –talvez…– o MCThomaz não consiga disfarçar perante a populaça essa muito provável “festa de arromba”, para a qual tem contribuído e muito ao anestesiar o maralhal e proteger todos os desaires e truques do AC-DC e da geringonça.

      Gostar

  22. 5 Agosto, 2018 09:16

    Rui Rio mostrou-se uma terrível decepção.
    Que choninhas!

    Gostar

    • 5 Agosto, 2018 10:54

      “A bem da nação” (não por acaso o MCThomaz apela de quando em quando em “convergências”) RRio não se importará de ser vice do AC-DC. O PSD está lixado sob a sua titubeante e fraca liderança.
      Ouvi há dias o seu discurso no Chão da Lagoa e concluí logo no início que o RRio é mais um demagogo, popularucho e interesseiro político. Que não se importa de fazer dos outros parvos.
      Isso, um “choninhas”.

      Liked by 1 person

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: