Saltar para o conteúdo

Coitadinho do ministro!

4 Julho, 2019

O ministro Adjunto e da Economia visita o Salão internacional do Setor Alimentar e BebidasVerti uma lágrima de comoção ao ler a parte da entrevista do ministro Siza Vieira ao Observador em que o dito cujo revela que foram para ele “situações pessoalmente, muito penosas” as polémicas em que se viu envolvido em torno das suas incompatibilidades. Diz ele que “isso desencoraja muita gente de poder corresponder a um impulso de serviço público“. Eis um verdadeiro altruísta!

Conhecendo-se tudo o que se conhece sobre António Costa, a sua falta de vergonha na cara, a relação muito difícil que tem com a verdade e uma ética não exactamente de padrão comum a gente digna, bastava ao ministro Pedro aceitar integrar este governo para ficarmos apreensivos, atentos à sua conduta e sujeita-lo a escrutínio.

Mas Siza afirma que a culpa disto tudo é da sua mulher. Com um convite para o executivo em cima da mesa, foi ela que o pressionou a “arrumar 30 anos de vida profissional” em dois dias. Não sei se isto é atitude de um machista ou de uma vítima de violência doméstica. Fica à melhor interpretação dos leitores.

Algo que o ministro não explica é absoluta e inadiável necessidade de, para esse efeito de arrumação, ser obrigado a formar uma empresa com a mulher na véspera de tomar posse. Não poderia fazê-lo dois dias depois, por exemplo? E em que medida “preservar estas coisas” (o património familiar) numa empresa fica mais salvaguardado do que a título pessoal?

Mas, independentemente da bondade das intenções do Dr. Vieira, o que é facto é que ele está condicionado como qualquer cidadão a cumprir a lei e os regulamentos, pelo que conforme foi à época aqui assinalado resulta obtuso que se considere para o momento de renúncia à gerência da sociedade com a esposa a data que consta de uma carta e não a definida por Lei para cumprimento efectivo da obrigação.

O Observador não confrontou Pedro Siza Vieira com outras situações polémicas e este aproveitou para passar por cima do caso inédito de um ministro da Economia pedir escusa de decisões que envolvam matérias relacionadas com a indústria hoteleira nacional, cujo respectivo lobby corporativo é dirigido pela sua esposa.

Já antes PSV tinha pedido escusa de matérias respeitantes ao sector eléctrico, entre outros tema em que a firma Linklaters à qual pertencia teve um papel negocial e de representação de interesses, antes de Siza Vieira transitar para o Governo liderado pelo seu amigo pessoal António Costa.

Enfim, com tanta escusa era escusado ser ministro e escusado tomar-nos por lorpas.

*

 

 

Anúncios
14 comentários leave one →
  1. MJRB permalink
    4 Julho, 2019 17:56

    Muito bem, TAFernandes !
    Falta mínima paciência para aturar certos tipos…
    Está no ADN do P”S” o rei na barriga, a mentira, a trafulhice, o poder e a moralidade acima de tudo e de todos, a posse do país, a paternidade da democracia. Vão-se foder, pá !

    Liked by 2 people

  2. Daniel Ferreira permalink
    4 Julho, 2019 17:58

    E em que medida “preservar estas coisas” (o património familiar) numa empresa fica mais salvaguardado do que a título pessoal?

    Existem aí exemplos às “paletes”, transversais a todos os governos das últimas décadas, mas pegando no exemplo mais fresquinho do Berardo, serve para depois de fazerem todo o crime e mais algum, os senhores que fazem as “leis” virem dizer que não estava nada em nome dele. Esta até o Costa percebe sozinho

    Gostar

    • Carlos Rosa permalink
      4 Julho, 2019 23:43

      Eh pá, este ministro, além de ter o nome de um arquiteto de renome, tem, o que é ainda mais importante, cara de boa pessoa.
      Por isso foi escolhido pelo nosso primeiro ministro.
      A leste nada de novo.

      Gostar

      • pitó permalink
        5 Julho, 2019 14:28

        Vexa repare, cuidadosamente, nas fotos da gente de proa (*). Se Vexa tivesse que contactar e resolver uma questão (comezinha, até), iria com os quatro pés atrás — no ensino de um professor meu, católico, que em assuntos similares dizia que «ia sempre com um pé atrás, como o Senhor dos Passos».
        Para mim têm sempre a cara de um vilão, de um «mau da fita»,.
        Só este tipo de calvície é, para mim, sinal de personalidade complexada, de canalha. Não tem nada a ver com hormonas. Se tivessem tomates e testosterona não actuavam assim.
        Passei meio século a VER, a sentir, as pessoas.

        (*) todas podem ser tratadas, Mas basta ir ver as milhentas imagens na NET.

        Gostar

    • Carlos Rosa permalink
      4 Julho, 2019 23:55

      Entretanto o povo português continua a degustar a política de Esquerda.
      Tá-se bem!

      Gostar

    • Zé Manel Tonto permalink
      5 Julho, 2019 16:52

      “Esta até o Costa percebe sozinho”

      Ainda não me tinha ocorrido essa maneira de chamar burro a alguém. Vou começar a usar.

      Gostar

  3. LTR permalink
    4 Julho, 2019 18:33

    Eu gosto de pessoas como o comendador Berardo, que respondem ao que lhe é perguntado de acordo com o que pensa, sem máscaras. Esse ao menos levanta os braços e rir-se mostrando em plena AR que se está potencialmente cagando para isto tudo. O resto é quase tudo berardos de fatinho a andar pelos corredores de braços abertos como se fossem proceder ao levantamento de pesos nos Jogos Olímpicos, orgulhosos dos seus feitos passados e prometidos, e da maneira como passam entre os pingos da chuva, entre primeiras páginas de jornais que dão conta da meia-ralé perseguida pelos favores menores.

    A primeira cajadada no fundo de estabilização da segurança social já vai a caminho da habitação social na capital em campanha pré-eleitoral. E falam em descentralização. Toca a ir de férias.

    Gostar

    • Carlos Rosa permalink
      4 Julho, 2019 23:37

      Portugal 2015 / CE 2019,

      Ascenção e queda de um trafulha.

      Gostar

  4. 4 Julho, 2019 19:01

    Um nojo, esta gente. Um nojo este, o amigo dele que lhe deu o lugar, o amigo do outro que foi para a vice-presidência do parlamento europeu…

    Gostar

  5. pitosga permalink
    4 Julho, 2019 19:15

    Telmo A Fernandes, muito bom post.

    E a última linha é de bom bom gosto.

    Gostar

  6. Artista Português permalink
    4 Julho, 2019 20:36

    Parabéns ao autor. O que ali não se diz mas está nas entrelinhas é que não ter vergonha na cara tornou-se condição sine qua non para se pertencer a este governo, assim como já o era no governo do 44.

    Gostar

  7. Weltenbummler permalink
    4 Julho, 2019 22:10

    é da falta do dente do sizo

    Gostar

  8. MJRB permalink
    5 Julho, 2019 01:40

    “Acho” que 50% do aparecimento do diabo previsto pelo PPCoelho já está há muitos meses com meio corpo à vista: investimento público nicles, finanças cinzentonas, mentiras, cativações exageradas, crises nos hospitais, SNS, transportes, justiça, ensino, etc., etc..
    Falta a outra metade que muito provavelmente chegará depois das legislativas, com aspecto imprevisível e incontrolável dimensão.

    Liked by 1 person

  9. Beirao permalink
    6 Julho, 2019 09:41

    O sizazinho a vitamizar-se, coitadinho, que peninha sinto do bicho.
    Esta malta não tem um pingo de vergonha na cara…
    Este caramelo, pelo apelido, será filho do arquiteto comuna?

    Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: