Saltar para o conteúdo

Galizamos

27 Novembro, 2019

É certo que faz parte da normalidade económica restaurantes mal geridos fecharem, não tem nada de mais. O que é que distingue este caso de outros? Nada de verdadeiramente muito especial. A gerência do restaurante, manifestamente incompetente, acumulou dívidas de 1,8 milhões de euros e pretendia de forma desonesta fechar o restaurante à sucapa dos trabalhadores, pela calada da noite e roubando o seu recheio. Felizmente os trabalhadores descobriram a coisa e forçaram manter o restaurante aberto com uma comissão de 3 trabalhadores a gerir apenas a caixa do dia de forma a pagar os seus  salários em atraso, a eletricidade para manter a coisa em funcionamento e aos fornecedores de matérias-primas. A luta de quem foi roubado por tentar recuperar o que é seu parece-me muito justa e digna de ser apoiada. E creio que é isso mesmo que muita gente na cidade, incluindo os seus vereadores tem feito: ir lá almoçar/jantar para que os trabalhadores sejam pagos do lhes devem. O resto, a viabilidade futura do restaurante obviamente já cai fora desse âmbito pois a incompetência ou fraude foi de tal forma elevada que dificilmente aquilo será recuperável. Mas que ao menos que quem dá corpo  ao manifesto todos os dias, que veja receber o que é seu.

14 comentários leave one →
  1. JgMenos permalink
    27 Novembro, 2019 18:12

    O que há a notar é que rombos de um tal calibre só são possíveis com a acumulação de capitais negativos ao longo de anos.
    Isso só é possível porque o desgraçado o artº35º – suspenso há data do seu nascimento – criado a partir de uma directiva europeia, foi pervertido por sucessivas originalidades abrilescas sempre apostadas em mantê-lo inócuo e ridículo.

    E todo o choradinho sem partir para soluções; toda a bondadezinha após tolerância pelo intolerável; toda a treta piedosa de quem não cuida da seriedade dos negócios e dos gestores; não passa de treta abrilesca, ridícula, falsa e desonesta!

    Gostar

    • 27 Novembro, 2019 19:06

      Como se Abril tivesse alguma coisa a ver com este caso! A maioria das aldrabices feitas neste país desde o 25/04 foi feita por aquele que agora dizem mal do regime; BES, BPopular, e mais umas centenas de milhares de falências fraudulentas que têm vindo a ser feitas por patrões desonestos que, em 90% dos casos, chamam comunistas ao PS e a tudo que está à sua esquerda.

      Gostar

      • lucklucky permalink
        27 Novembro, 2019 20:20

        Haha, é o Eatado Socialista – ou seja os impostos cobrados – que dá muitos euros aos Capitalistas …. de….. Estado.

        Gostar

      • JgMenos permalink
        29 Novembro, 2019 00:37

        E não é ao Estado que compete fazer leis?
        Só há corrupção e ladroagem graves quando o Estado é incompetente e corrupto.
        E para capitais negativos bastam as empresas do Estado.

        Gostar

  2. 27 Novembro, 2019 19:08

    Espero que os fornecedores que “estão a arder” também lá vão almoçar e jantar, Já agora, aonde fica esse restaurante? Eu também vou!

    Gostar

  3. 27 Novembro, 2019 19:28

    Pergunto-me se o senhorio está a arder, se estiver o despejo vem a caminho, a segurança social e a gastronomia portuense nada têm a ver com o proprietário.

    Gostar

  4. A. R permalink
    27 Novembro, 2019 20:33

    Entretanto na Alemanha o controlo de preços de rendas de casa deu nisto em Berlin:
    “donde un anuncio de una vivienda en alquiler a 550 euros han provocado colas de 12 horas en las oficinas poniendo de manifiesto el enorme desbarajuste entre oferta y demanda”. 12 horas para ir ver esta pechincha

    Liked by 1 person

    • castanheira permalink
      27 Novembro, 2019 23:07

      Controle dos preços das rendas é a coisa pior que pode acontecer a uma cidade .É como bombardea-la lentamente ano apos ano . Tal como se verificou em Lisboa e Porto que quase caíram de podres .
      Esse controle por parte do estado leva sempre , mas sempre , á estrangulação da oferta e consequentemente ao declinio e escassez .
      Socialistas nunca aprendem e cometem sempre os mesmos erros.

      Gostar

      • 27 Novembro, 2019 23:22

        Quem congelou as rendas foi o Dr. Oliveira Salazar. Pelos vistos esse também é socialista, aqui no tasco…

        Gostar

      • 27 Novembro, 2019 23:28

        E também foi o Dr. Oliveira Salazar que mandou os privados fazerem casas de renda económica. Quem definia a renda era o Estado.
        Numa dessas morei 8 anos da minha vida, num prédio da R, Campolide nº 107.
        A Direita quando se apanha no poder faz faz me….

        Gostar

      • JPT permalink
        28 Novembro, 2019 10:21

        O Sr. Galvão aldraba. O congelamento das rendas foi mais uma calamidade da Primeira República, originalmente decretado em 1910. Como sucedeu com várias outras calamidades da Primeira República (a começar pelos horrores que são a bandeira e o hino – e não sou monárquico), Salazar manteve o congelamento das rendas. O mesmo sucedeu após o 25 de Abril, pois, como é evidente, por esse meio, o Estado pôde pagar reformas de miséria, e passar para os proprietários das casas o verdadeiro custo da segurança social (que, ainda hoje, não consegue suportar, continuando a prorrogar o regime de excepção para os idosos com recursos limitados – e muito bem, não fora passar esse custo para os senhorios).

        Gostar

      • JgMenos permalink
        29 Novembro, 2019 00:44

        Temos um Galvão a comparar o incomparável.

        O Salazar fazia propostas economicamente viáveis, controlava a moeda e os juros e tinha boas contas, sem se armar em chulo de quem tinha algo de seu.
        O das conversas já nem tanto.
        Os das tretas abrilescas são puros sacadores.

        Gostar

    • A. R permalink
      28 Novembro, 2019 19:02

      “E também foi o Dr. Oliveira Salazar que mandou os privados fazerem casas de renda económica.” Ah, ah … agora a esquerdalha invoca Salazar para justificar a sua gula pelo alheio. Eles lá sabem como se querem legitimar! Mas …. no tempo de Salazar havia habitação e os impostos quase não existiam.

      Gostar

  5. Procópio permalink
    27 Novembro, 2019 23:47

    Não galizamos, disparatamos. Não só nos restaurantes, mas um pouco por todo o lado.
    Já o espertalhão mor dizia nos anos 70:
    “Shortly, the public will be unable to reason or think for themselves. They’ll only be able to parrot the information they’ve been given on the previous night’s news.”
    — Zbigniew Brzezinski

    Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: