Saltar para o conteúdo

Organizem-se e façam já um código para sabermos o que é racismo e o que não é

29 Janeiro, 2020

Esta canção de intervenção cantada pelo Sérgio Godinho é racista ou de libertação?I

A África é dos africanos
Já chega quinhentos anos
Já chega quinhentos anos
A África é dos africano
s

Não vos parece racista? Então cantem isto com “A Europa é dos europeus” e logo vêem onde vão parar. Na verdade o racismo é aquilo que a esquerda quiser. Por exemplo, a polémica em torno da reacção de André Ventura à proposta da deputada Joacine de devolver património dos museus às ex-colónias é em si mesma de um paternalismo absurdo.

33 comentários leave one →
  1. FreakOnALeash permalink
    29 Janeiro, 2020 09:46

    Provavelmente daria pensa suspensa cantar a versão europeia da música…que o diga o escritor francês Renaud Camus!!!

    Liked by 1 person

    • Carlos Rosa permalink
      29 Janeiro, 2020 17:45

      O que eles querem é o colonialismo ao contrário do que era.
      A Esquerda em Portugal, com o Costa a 1º Ministro, quer que sejam os países que foram as províncias ultramarinas portugueses ( muito diferente das colónias de outros países europeus) a vir tomar conta de Portugal: Costa a 1º Ministro com toda a simpatia e apoio às Joacines, com os aplausos dos bloquistas.

      Liked by 1 person

    • Carlos Rosa permalink
      29 Janeiro, 2020 20:53

      São onze (11) marroquinos de idade compreendida entre os 20 e os 30 anos.
      Meteram-nos numa barcaça a 2 Km da costa do Algarve pela calada da noite e……. liga o motor e vamos para Portugal que tem um 1º Ministro cá dos nossos e um Ministro das polícias que está do lado dos bandidos.
      Acelera. Se o motor falhar temos outro. Está fresquinho, mas vais ver que os bacanos até te vão dar chá quente e bolinhos à chegada.

      Liked by 1 person

    • Carlos Rosa permalink
      29 Janeiro, 2020 21:05

      O mês passado atirámos o barro à parede com 8. Correu bem. Correu ou não correu?
      Agora vamos 11, ok?
      Tudo nos conformes.
      Sabes que aqueles merdas, há 500 anos vinham para aqui como queriam e quando queriam. Mas um dia linchá-mo-los. Nem o capacete do Rei levaram de volta.
      Agora vamos lá meter-lhes cuspinho atrás da orelha, ok?
      Se a coisa correr bem…… enfim, logo se vê. Temos lá bons camaradas.

      Liked by 1 person

  2. Velho do Restelo permalink
    29 Janeiro, 2020 09:58

    Parece que finalmente vou poder explicar a razão profunda da escolha do meu nick!
    Não me orgulho da demanda tuga a que chamamos “descobrimentos”!
    Tal como Camões subtilmente foi dizendo pela boca do Velho do Restelo, melhor seria que Portugal se dedicasse mais a desenvolver o pequeno rectângulo, do que a procurar riqueza fácil noutras paragens.
    Claro que também não censuro, até porque na época era moda e sempre fomos dados a seguir as “modas”!
    O facto é que agora estamos a pagar a factura do luxo de termos andado a “espalhar cultura” aos 4 ventos!
    Dito isto, por mim podem levar tudo o que lhes pertença, desde que devolvam tudo o que por lá foi feito, e levem todos os de lá que por cá descontentes estão !

    Liked by 3 people

    • Tiradentes permalink
      29 Janeiro, 2020 12:20

      Primeiro—os portugueses nunca se dedicaram…em tudo…..sempre quiseram de mão beijada
      Segundo- o rectângulo à beira mar cagado nunca teve, (nem terá) por onde se “dedicar” para desenvolver
      Terceiro- Todos os povos em desespero até de sobrevivência, (como foi o o dos tugas) “procuraram” na “expansão” outras paragens donde poderiam assegurar algum sustento.
      Quarto-A história da humanidade é feita do ponto terceiro. Veja-se (pelo menos) desde a antiga Grécia chamada de berço da cultura, passando por persas, romanos, árabes, mongóis …e por aí fora
      Quinto- Porque raio os tugas famintos e paupérrimos, em desespero não fariam aquilo que todos fizeram e que todos farão……..como a história recente também prova que é “repetição da matéria dada”? Ingleses, Americanos, Russos e agora Chineses?

      Gostar

    • 29 Janeiro, 2020 14:38

      Tem razão, não devíamos seguir as “modas”. Ou seja, não devíamos andar de comboio, de automóvel, nem de avião, etc.

      Liked by 1 person

    • Amora de Bruegas permalink
      29 Janeiro, 2020 16:39

      Ui…, tamanha ignorância.
      Os portugueses de então TRABALHARAM, contrariamente aos xuxas/corruptos da actualidade, sempre de mão estendida para Berlim e prontos a irem beijar os sapatos de Merkel. Naquele tempo, ARREGAÇARAM as mangas e desbravaram territórios, contrariamente aos autoctones que agiam de forma passiva, amorfa diante da Natureza.
      Por devoluções, comecem por devolver os que estão parasitando os portugueses e eles que paguem o elevado património que deixamos e eles destruiram…, como bárbaros que ainda são os governantes.

      Liked by 2 people

    • hajapachorra permalink
      30 Janeiro, 2020 04:39

      Vossência é apenas mais uma das muitas vítimas do estado calamitoso das nossas escolas. Não faz a menor ideia, como não faz 99% da população portuguesa, do que significa a figura do velho do Restelo na epopeia de Camões. A famigerada personagem não fala para o momento da acção, não tem em vista os descobrimentos do tempo de D. Manuel, até porque então ninguém se opunha ao empreendimento. O velho do Restelo é uma criação camoniana sobre o momento político que se vivia então, no tempo da regência de D. Catarina. Representa o poderoso partido que desaprovava a política de D. João III, de abandono das praças africanas. Sobretudo depois do sobressalto colectivo que foi o cerco de Mazagão, o velho do Restelo representa a corrente dominante que conduzirá D. Sebastião para as areias do norte de África. O velho do Restelo – Camões, de certo modo – é um dos responsáveis de Alcácer Quibir. Nada tem a ver com a expedição de Vasco da Gama. É uma pena que os Lusíadas sejam ensinados, quando o são, de forma tão ignorante.

      Liked by 1 person

      • Velho do Restelo permalink
        30 Janeiro, 2020 19:01

        ou talvez seja apenas presunção sua …

        Gostar

  3. Expatriado permalink
    29 Janeiro, 2020 10:13

    Devolver? Pois bem, podem começar pelos que chegaram hoje, de barco, ao Algarve.

    Liked by 3 people

  4. José Reis permalink
    29 Janeiro, 2020 10:24

    A Europa já não é dos europeus porque se deixou, infelizmente e perigosamente, africanizar.
    A abertura inconsciente de fronteiras a toda a escumalha deu no que deu.
    Além de chegarem ilegais, dedicam-se aos crimes e aos assaltos, porque não gostam de trabalhar e cumprir horários, e além disso ainda lhes dão subsídios para não se queixarem de racismo.
    Pela parte que me toca, tudo farei para devolver a Europa aos europeus brancos, porque a Europa nunca teve outra cor, que é a cor da liberdade, da democracia, do desenvolvimento, dos valores culturais e tradicionais, da arte e do modernismo.
    Não queremos por cá a negritude dos ghetos e dos gangues, nem tão pouco a adulteração dos nossos costumes e formas de estar.
    Comigo será sempre assim: preto de um lado, eu (branco) do outro.
    O racismo que eles sentem por mim, eu devolvo-lhos em dobro.

    Liked by 3 people

  5. HRamos permalink
    29 Janeiro, 2020 11:32

    Não, o Ventura esteve mal.

    Se näo parecer extremista, ainda saca uns votos moderados.

    Assim é só outro PNR.

    Gostar

    • Albano Silva permalink
      29 Janeiro, 2020 12:15

      Então o comentário do Ventura parece-lhe extremista? E o que lhe parece ser a exigência de retorno do suposto património (cultural, só?) africano recolhido, e só existente graças à sua preservação “colonial”, por Portugal há séculos; moderada?
      Talvez seja!

      Liked by 1 person

      • HRamos permalink
        29 Janeiro, 2020 12:50

        Tantas opções para fazer o contraponto, mas “Volta para a tua terra Escarumba” não fica bem a ninguém.

        Estava a ir bem, borrou a pintura agora.

        Gostar

      • Cristóvão permalink
        29 Janeiro, 2020 14:40

        @HRamos E onde é que ele disse isso?

        Liked by 1 person

  6. A.Silva permalink
    29 Janeiro, 2020 11:53

    ..da-se, os grunhos de direita são tão idiotas que até mete dó.

    Gostar

    • Tiradentes permalink
      29 Janeiro, 2020 12:22

      não se incomode muito, porque os grunhos da esquerda são iguais ou bem piores, como a sua expressão parece provar

      Liked by 4 people

  7. HRamos permalink
    29 Janeiro, 2020 15:14

    Eu proponho que a própria deputada Joacine seja devolvida ao seu país de origem. Seria muito mais tranquilo para todos… inclusivamente para o seu partido! Mas sobretudo para Portugal!

    Liked by 1 person

  8. MJRB permalink
    29 Janeiro, 2020 15:17

    Dois deputados patetas.

    Liked by 1 person

  9. JgMenos permalink
    29 Janeiro, 2020 15:27

    Qual paternalismo qual nada!

    São cretinos que se levantam pela manhã a pensar no ‘fracturante’ do dia!

    São precisos mais Venturas para arrumar com esse lixo.

    Liked by 1 person

  10. Artista português permalink
    29 Janeiro, 2020 16:18

    Racismo e anti-colonialismo, cá no burgo, são dois caminhos mas com um só sentido: racismo é só quando o preto está na mó de baixo; colonialismo é só quando é o branco a levar. A Isabelinha dos “ovos d’ouro” só começou a gritar racismo quando viu a careca a ser descoberta, mas o colonialismo dela não conta como tal. “MPLA único e legítimo representante do povo angolano”, assenta como uma luva aos PC, BE, Livre e outros que tais. E não têm qualquer espécie de vergonha naquilo que fizeram. Condenem o AV que ele até lhes agradece…

    Liked by 1 person

  11. Chopin permalink
    29 Janeiro, 2020 18:05

    Pode-se dizer, como o sr V. Cunha abaixo, que o nível do discurso não é o desejado, com o que concordo. O caso é que há um constrangimento constante da liberdade de opinião no espaço público. Portugal caminha para se equivaler aos piores exemplos na Europa em matéria de conflitualidade racial e crime violento. E, o que se vê, é um dos lados a disparar permanentemente e o outro lado a fazer-se de morto. Só é admitido o discurso eunuco.
    Não temos dirigentes políticos com a qualidade desejável para enfrentar esta lepra que o comunismo, o socialismo e a grande banca que quer fazer cair as fronteiras, colocaram sobre as nações europeias.
    Estes povos primitivos a quem foi aberta uma autoestrada para entrar na Europa, não nos respeitam. Desprezam-nos, sabem tirar proveito do assistencialismo europeu e os esquerdistas se encarregam de paralisar todos os mecanismos de defesa das nossas sociedades
    O que o sr André Ventura fez, é afinal o mínimo que se pede a um político profissional, bater de frente com esta seita do sociopata Rui Tavares. Apesar da linguagem vulgar, disse o que pensa a maioria dos portugueses. Estes, já estão a ficar fartos de ouvir o lobo a gritar “lobo”.

    Liked by 5 people

  12. Artista português permalink
    29 Janeiro, 2020 21:34

    A Joacina acaba de exonerar a sua assessora jurídica na AR. Alguém já ouviu falar em racismo?

    Gostar

  13. Portuga permalink
    29 Janeiro, 2020 22:27

    O Pacheco Pereira até já fez as contas. Temos muito mais a devolver do que a receber. Gostava de saber que contas fez ele para chegar a essa conclusão. Deve ter sido um palpite por simpatia, não!

    Gostar

  14. A.R permalink
    29 Janeiro, 2020 23:24

    Então devolvam Cabora Bassa, as centenas de km dee linhas de camilho de ferro que lá deixámos, etc, etc

    O André ventura falou bem … uma racista, cheia de ódio e que celebra com uma bandeira não portuguesa deveria ela própria partir pois faz a mesma falta que um buraco na estrada

    Liked by 2 people

  15. 30 Janeiro, 2020 00:03

    Nos tempos que correm, o auto-proclamado “anti-racismo” é o pior serviço que se faz às supostas vitimas “racializadas” do alegado “racismo” (“branco”, pois claro).
    E não é tanto por, vendo racismo onde não há racismo, contribuir para a desconfiança ou a irritação de uma parte significativa da população “branca” (a única que, de acordo com os “anti-racistas”, é racista por inerência). Esta irritação, para além de levar por vezes a uma linguagem mais directa e crua quando se trata de chamar os bois pelos nomes, não tem dado lugar a um qualquer aumento do verdadeiro racismo.
    É sobretudo porque os ditos “anti-racistas” lembram quotidianamente aos “não brancos”, supostas vitimas do racismo, que supostamente eles não fazem verdadeiramente parte da comunidade nacional. O que não é sequer verdade : os paises ocidentais em geral e Portugal em particular são os que menos discriminam todos aqueles que vêm de fora e que mais e melhor os integram.

    Liked by 1 person

  16. JCA permalink
    30 Janeiro, 2020 06:24

    .
    Nao me parece assim tão liquido. Sugere mais a cidadã Joacine, quiçá o seu Partido, estarem a destapar uma panela de pressão, acordar fantasmas, sem se perceber o objetivo final:
    .
    o que sucederia a um deputado (preto ou branco) com dupla nacionalidade na Assembleia de qualquer capital da ex-colonias, hoje Paises independentes, e bem, para os bens dos que foram forçados a retornar lhe fossem devolvidos ?
    .
    pretende ao fim e ao cabo a deputada, legitimamente eleita, provocar um ajuste de contas, reclamar que sejam devolvidas por Portugal certas coisas ‘roubadas’ para provocar que a outra parte passe a reclamar também o que nunca lhe devolveram, ou devolvem ?
    .
    Só pergunto.

    Gostar

  17. Beirao permalink
    30 Janeiro, 2020 09:23

    Fomos corridos a pontapé de África, um milhão de portugueses, apenas com a roupa do corpo, muitos outros não tiveram a mesma sorte e foram torturados, massacrados e assassinados, mas para estes cabrões esquerdalhos, e mesmo cobardolas falsamente ditos de direita, o que André Ventura disse, devolva-se a joacine á sua terra, que justamente é o que diz e pensa o povo, sim, o povo português que trabalha e paga impostos para sustentar todos estes filhos da puta que se atiraram raivosamente ao Ventura, por dizer a verdade, a Verdade dura e pura é fascismo. Quadrilha de bandidos e bandalhos
    vendidos!

    Liked by 1 person

  18. Leunam permalink
    30 Janeiro, 2020 11:54

    Querem o património de origem africana dos museus?
    Levem-no.

    Mas então, antes disso, paguem pelo seu justo e real valor actual, tudo quanto Portugal deixou feito por lá.
    E também o que AINDA HOJE POR LÁ, E PELOS DE LÁ, faz em benefício dos autóctones!

    Os Povos de lá, ficaram a dispor de UMA LÍNGUA UNIVERSAL, um bem inestimável.

    Ficaram milhões de indivíduos autóctones com Cursos escolares primários, Cursos médios e Cursos universitários ministrados não só na Metrópole mas também por todo o Ultramar, pagos pelo Erário Público Português

    E o que lá ficou edificado?

    Ficaram todas as Províncias Ultramarinas, nomeadamente Angola e Moçambique, dotados de dezenas de CIDADES COMPLETAS, onde se incluíam toda a espécie de:

    Edifícios habitacionais
    Edifícios administrativos
    Edifícios religiosos
    Mercados Municipais
    Redes completas de abastecimento de águas
    Redes completas de abastecimento de electricidade
    Redes de efluentes
    Escolas primárias
    Liceus
    Duas Universidades
    Hospitais
    Quartéis e várias outras instalações militares
    Estádios de Futebol
    Unidades completas de Radiodifusão
    Cinemas

    Tudo isto feito com Qualidade, convenientemente apetrechado e a funcionar regularmente e, pago pelo Erário Público Português.

    Ficaram também disseminadas pelos territórios ultramarinos:

    Muitas Pontes e Viadutos
    Diversas Explorações Mineiras de relevo
    Barragens grandiosas e grandiosas redes de distribuição eléctrica (Cambambe e Cabora Bassa, por exemplo)
    -Inúmeras Estradas (só em Angola, mais de 5000 Km terraplanados e asfaltados de 1961 a 1970).
    Importantes Linhas de Caminhos de Ferro, incluindo todo o material circulante.
    Portos de mar
    Modernos (à época) Aeroportos e Aeródromos
    E um número elevadíssimo de importantes e completas Explorações Agrícolas (café, sisal, cacau, pecuária, etc.) criadas e desenvolvidas por particulares, explorações que, igualmente ficaram na sua quase totalidade, na posse dos autóctones.

    Tudo isto feito com Qualidade, convenientemente apetrechado e a funcionar regularmente e
    tudo pago pelo Erário Público Português?.

    E hoje, se não fosse Portugal e toda a Europa, que seria desse povo africano que foge, por todos os meios, das suas terras por muitas e variadas razões, das quais, os desgovernos e o seu intrínseco racismo não são as menores.

    Eu tenho o maior respeito por aqueles africanos que humildemente trabalham por cá, muitos deles sujeitando-se aos trabalhos mais modestos mas vivendo uma vida honesta e diligente.

    Já não me merece qualquer respeito quem venha para cá só para fazer exigências sem contribuir em nada para quem cá está.

    Liked by 2 people

    • Jornaleca permalink
      30 Janeiro, 2020 15:11

      Muito bem dito.

      Essas putas, que atacaram o tal colonialismo, fizeram o só por inveja. Não se deixe enganar, caro @Leunam.

      E o que é que sucedeu? Roubaram-nos Angola e Moçambique.

      Foi tudo só um truque, uma mentira diabólica.

      Agora os chineses são colonizadores, sobretudo em África. E o que é que sucede? LOL

      Já nos querem para trás. Porque nós tínhamos, inteligência e coração, respeito, perante os outros.

      Existem muitos presidentes africanos, que começam a odiar os chineses, porque esses são comunistas, e pior que tudo que já foi visto em África. E os tais cabrões daquele tempo calam-se, já não querem criticar a esquerda. A esquerda protege um ao outro.

      Aquilo vai terminar muito mal, para os colonialistas e fascistas e comunistas chineses, o esterco da humanidade.

      Muitos pretos gostam dos portugueses, ainda.

      Após terem saboreado a esquerda fascista e estúpida e ladrona.

      Gostar

    • Velho do Restelo permalink
      31 Janeiro, 2020 10:22

      Não será demais destacar, para além de tudo o que muito bem referiu, todo o património dos privados que se viram forçados a abandonar os territórios, com a roupa que tinham no corpo, sob a ameaça da própria vida !
      Chegados a Portugal, tiveram que se sujeitar a viver de esmolas até conseguirem reorganizar-se !
      Mesmo os portuguêses que cá estavam, foram penalizados com essa “migração” forçada.
      Basta ver que durante muitos anos, não houve admissões na função pública (para eles), porque os ditos “retornados” tinham prioridade.
      E o que é que os “racistas” tugas fazem ? De certo modo distraídos, deixam que os tais venham atrás da teta que afinal os alimentou durante séculos!
      Pois vão mamar na pata que os pôs !

      Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: