Saltar para o conteúdo

O meu “privilégio” branco

8 Junho, 2020

Reina a hipocrisia. Nunca como hoje se respeitou mais os direitos humanos no ocidente. Os racismos foram criminalizados, a igualdade entre indivíduos está salvaguardada nas Constituições das nações, a escravatura abolida. Mas… é exactamente aqui, no ocidente, e nos países que mais oportunidades dão aos cidadãos de todos os credos, culturas e raças, que as manifestações contra o racismo têm lugar e de forma cada vez mais violenta. Porquê?

Morreu um negro nas mãos de policiais. É factual. Como morrem às mãos das mesmas autoridades gente de outras raças e culturas. Todos os anos. Centenas. Por que razão a morte de um negro é racismo e as outras, não? Isso mesmo foi denunciado por vários negros que não se revêem, e bem, nesta hipocrisia monumental dos FALSOS activistas pelos direitos humanos. Mas uma mulher destacou-se e arrasou com a narrativa perguntando por onde andaram  os “Black Lives Matter” quando todos os dias negros matam negros:

É claro que estes cidadãos indignados insuspeitos por serem negros, não têm qualquer destaque nos média, pelo contrário: são ignorados. Como são ignoradas as mortes de cidadãos negros e não só, às mãos destes anarquistas terroristas que dizem defender direitos humanos nestas manifestações violentas (veja aqui). Estas “black lives” não importam?

Mais vozes de negros a arrasarem a narrativa dos “Black Lives Matter”:

 

E outra:

 

Outras:

Se dúvidas houvesse que a MORTE na sequência da detenção de George Loyd não é uma questão de cor de pele, deixo aqui uma detenção policial, desta vez em Dallas, mas que não foi motivo de histeria mundial generalizada e em que o indivíduo também disse aos agentes: “I can’t breathe” (veja aqui).  A diferença é que este era branco e loiro. Terá sido pelo seu  “privilégio branco”?

Depois vem as estatísticas oficiais que desmontam a falácia da vitimização das “minorias”( veja aqui).

E grandes senhores a dizerem o que tem de ser dito sobre essa constante vitimização em pleno século XXI:

Em consequência soltaram-se motes contra o  “privilégio branco” ou lá o que isso é, levando pessoas a colocarem crianças inocentes a fazerem isto:

FB_IMG_1591514424551

Então fui à procura de ver esse “privilégio branco” na sociedade de hoje e encontrei-o aqui:   https://www.cmjornal.pt/portugal/detalhe/adolescente-espancada-por-grupo-de-raparigas-no-seixal

aqui: https://www.jn.pt/sociedade/video-de-agressao-a-adolescente-causa-indignacao-1860230.html

aqui: https://tvi24.iol.pt/videos/sociedade/jovem-violentamente-agredida-ficou-sem-parte-do-cabelo/5c7042090cf2b67a55a5e305

aqui: https://sicnoticias.pt/pais/2018-12-11-Video-mostra-jovem-de-14-anos-a-ser-violentamente-agredido-em-Lisboa

aqui: https://www.cmjornal.pt/multimedia/videos/detalhe/jovens-violentamente-agredidos-na-baixa-do-porto

aqui: https://expresso.pt/actualidade/advogado-de-leonor-cipriano-pede-proteccao-policial=f427893

e na África do Sul: https://www.youtube.com/watch?v=EThwj4NtnvU&list=PLr4FezHm2oaIrQMEpcOCwkdwfgyJzb89o&index=2&t=0s

E podia continuar a lista interminável de “privilegiados brancos” cá e pelo mundo fora… 

Depois lembrei-me que eu, tal como milhões de pessoas, também fui (e sou) uma “privilegiada branca” mas:

  1.  desde cedo tive de trabalhar no duro, das 8h às 6h, para a minha independência  e sem ajudas de ninguém  ;
  2. sempre descontei para a segurança social mas quando precisei dela a ajuda não dava “para a cova dum dente”;
  3. nunca tive facilidades com empréstimos pelo contrário, quando precisei, tive de deixar o “pêlo” no banco como garantia caso contrário, não havia nada para ninguém. Zero;
  4. nunca fui favorecida em tribunal porque a lei é para todos e é para cumprir;
  5. nunca me perdoaram dívidas, multas ou impostos: “pagas e não bufas senão vem aí penhora”;
  6. nunca me caiu emprego, nem bom nem mau, no colo. Tive de dar “às sapatilhas” para os conseguir e sujeitar-me ao que havia sem esquisitices, com muita honra e orgulho;
  7. passei uma infância muito triste por ter sido vítima de racismo. Sim! Sim! Os brancos também são alvos das pessoas estúpidas e mal formadas, mas não fiz do vitimismo a minha luta. Fiz da luta a minha força para vencer todos os obstáculos;
  8. nunca tive qualquer oferta na vida servida numa  bandeja: tive que trabalhar arduamente para ter tudo o que tenho.

Foi isto que consegui com o meu “privilégio”. Nem mais, nem menos.

Termino com um comentário, que subscrevo, encontrado no facebook  de João Loureiro Vaz:

“Privilégio branco?
Foi construir a Europa ao longo de séculos.
Foi construir a América do Norte.
Foi sufocar em fábricas durante a revolução industrial.
Foi habitar em bairros miseráveis depois de sair da fábrica.
Foi ficar soterrado em minas que eram matadouros.
Foi morrer aos milhões em trincheiras infestadas de ratazanas.
Foi morrer aos milhões em bombardeamentos aéreos e desembarques em praias minadas.
Foi encontrar nos mares a sepultura quando se procurava ganhar a vida, como ainda hoje sucede.
Foi ser escravizado e vendido em mercados do norte de África ao Cáucaso durante séculos.
Foi morrer gelado na imensidão da Sibéria.
Foi morrer de fome nos campos da Ucrânia.
Foi morrer de exaustão nos campos da Ásia Central.
Foi criar e descobrir instrumentos que contribuíram para a humanidade inteira.
Foi eliminar instituições que duravam há milénios, como a escravatura.
Vou pedir desculpa por causa disto? não me parece.”
42 comentários leave one →
  1. Luis permalink
    8 Junho, 2020 13:07

    O grande problema nacional é a economia. É o empobrecimento em relação à Europa e a países asiáticos, a dívida, a insustentabilidade da Segurança Social. Está-se a esticar a corda mas não é de excluir uma viragem política na Alemanha e na Holanda nos próximos anos que nos tire o tapete. E aí a coisa vai ficar feia. Se Portugal sair do euro, com a economia fraquinha e carregada de dívida que tem, e com as responsabilidade que o Estado assumiu, ficaremos piores que a Argentina e que a Turquia (a Argentina ao menos tem grandes recursos naturais e a Turquia não tem uma população envelhecida).

    Andamos a discutir todos os dias racismos num país onde a maior parte da população é homogénea, ao contrário dos EUA, onde há 3 grandes comunidades. Isso não acontece em Portugal. O espaço mediático é totalmente ocupado com estas tretas e o grande problema nacional, que é uma emergência, não se discute. No dia que faltar a comida na mesa, comam racismo, comam bandeiras arco-íris, comam feminismo! Portugal até meados do século passado tinha muita, muita fome, só começou a convergir com a Europa rica no Estado Novo, e mesmo assim nos anos 70, com o país a crescer mais de 5% ao ano, havia grandes bolsas de pobreza! E para lá caminhamos, acham que os países não empobrecem? Vejam a Venezuela, a Argentina, Angola após 1975, a antiga Rodésia, a Bulgária e a Ucrânia nos anos 90!

    Liked by 5 people

    • Andre Miguel permalink
      8 Junho, 2020 13:25

      Luís, as elites do país sempre viveram bem com isso, historicamente nunca houve a intenção de enriquecer Portugal.
      Este país sempre foi de meia dúzia de pindéricos, que se alambuzam na mesma gamela às custas de um povo embrutecido e ignorante.
      Tal como enuncia no seu comentário, eu não tenho dúvidas que no espaço de uma geração seremos a Cuba da Europa.

      Liked by 1 person

      • Luis permalink
        8 Junho, 2020 14:12

        Nem sempre foi assim. A grande desgraça e queda começa com D. João III. Há sinais de esperança mais tarde com a Restauração, mas com a morte de D. João IV e do Conde da Ericeira a desgraça regressa. Agora bateu no fundo e os portugueses têm de ter noção disto. O país bateu mesmo no fundo e já não tem Império. Em 900 anos de História o país está naquele que é talvez o seu pior momento. Tem uma dívida altíssima, a mais alta de sempre, as poupanças estão em mínimos históricos, não há renovação geracional, não há elites decentes, e o património (terras, empresas, ouro, arte) vai-se vendendo aos estrangeiros. É um país que caminha para o caixão!

        Liked by 2 people

  2. isabel permalink
    8 Junho, 2020 13:47

    O cerne da questão está no seu terceiro parágrafo: “É claro que estes cidadãos indignados insuspeitos por serem negros, não têm qualquer destaque nos média, pelo contrário: são ignorados. Como são ignoradas as mortes de cidadãos negros e não só, às mãos destes anarquistas terroristas que dizem defender direitos humanos nestas manifestações violentas (veja aqui). Estas “black lives” não importam?”
    Porque será assim em quase todo o ocidente? Ora aí está a resposta que vale 1 milhão de$$$$.

    Liked by 1 person

  3. 8 Junho, 2020 13:51

    “Nunca como hoje se respeitou mais os direitos humanos no ocidente. Os racismos foram criminalizados, a igualdade entre indivíduos está salvaguardada nas Constituições das nações, a escravatura abolida.”

    O vosso problema começa a aqui dona Cristina. Porque no fundo vocês liberais/conservadores da “”direita”” partilham do mesmo falso universalismo moral do iluminismo revolucionário.
    A da tabula rasa, e a Liberté, égalité, et fraternité. Falava você no seu outro post em totalitarismos. Ora este é o vosso.

    E partir daqui vocês da suposta “”direita”” começaram sempre a correr atrás do prejuizo a fazer e ceder em tudo, por oportunismo e para que não vos chamassem “nomes”…

    Gostar

  4. Weltenbummler permalink
    8 Junho, 2020 14:09

    se a ‘África é para os africanos’
    devolvam a pretalhada
    não invadi a terra de ninguém, não os aceito esta escumalha na minha

    Gostar

    • jppch permalink
      8 Junho, 2020 14:57

      bem invadirmos invadirmos… parece que não deixámos um gene de bom senso… e ao fim de 60 anos a África não aprendeu nada connosco… a miséria, o nepotismo e a cleptocracia ainda por cima são culpa nossa …. concordo…. devolvam alguma pretalhada que não se acondiciona no nosso estado de direito… e mandem-na para o musseque… ara lá que deviam estar antes de se manifestar aqui com o Black Lives Matter… regressem e não chateiem… e já agora os intelectuais do BE que se manifestem (durmam e comam) por lá no musseque, sem as mordomias que a sociedade burguesa lhes dá e que eles tanto odeiam

      Gostar

      • jppch permalink
        8 Junho, 2020 15:04

        bom quanto ao invadirmos, só uma nota… não foi a piroga deles que veio à Europa mas sim a nossa tecnologia que com eles “socializou” … e eles conosco aprenderam… se não estão contentes aqui…. piroga com eles, para a terra deles

        Gostar

      • Zé Manel Tonto permalink
        8 Junho, 2020 19:03

        invadimos?

        Calma lá. se não se pode dizer que todos os indivíduos de uma raça são isto ou aquilo, porque uma percentagem o é, porque carga de água temos que aceitar que “invadimos”, quando nenhuma das pessoas que “invadiu” está viva.

        Essa conversa do invadimos é o cavalo de Tróia para a chulice das “reparações”.

        Liked by 2 people

  5. Luis permalink
    8 Junho, 2020 14:14

    Quando temos uma empresa, a SONAE, a financiar o Público. Quando temos Bispos que piscam o olho e apoiam as Esquerdas. Quando temos um Balsemão como dono da SIC e dos Expresso… está tudo dito sobre o futuro deste país.

    Liked by 1 person

  6. LTR permalink
    8 Junho, 2020 14:19

    Caso Sócrates – Presunção de inocência! Não à justiça na praça pública.

    Caso Floyd – Presunção e julgamento na praça pública por racismo [durante a pré-campanha para as presidenciais].

    Caso dos polícias na China a atirarem violentamente bebé e mãe ao chão e a colocarem-se de igual modo sobre ela – desconhecido até o Nuno Rogeiro o trazer ontem. Desconhecido a partir de hoje. (YouTube v=XF2S7Bg_99Y)

    Caso típico de comboio na linha – grupo de jovens [transparentes] ataca outro à facada.

    Gostar

  7. Maria da Luz Moutinho permalink
    8 Junho, 2020 14:27

    A Dª. Cristina teve o seu momento OMO …branco mais branco não há e até no seu post foi acometida de várias brancas!!

    Gostar

    • castanheira permalink
      8 Junho, 2020 15:56

      “A Dª. Cristina teve o seu momento OMO …branco mais branco não há e até no seu post foi acometida de várias brancas!!”
      Gostava que apresentasse argumentos que sustentem tal afirmação , se é que os tem .
      Se quizer ter qualquer credibilidade!

      Liked by 1 person

    • chipamanine permalink
      8 Junho, 2020 21:44

      A Maria da Luz Moutinho teve o seu momento TRAQUE, Cheirou mal mas deu-lhe umas negras mas não passou disso.

      Gostar

  8. Jornaleca permalink
    8 Junho, 2020 15:59

    Dois polícias injustamente suspendidos, em Buffalo, EUA, acusados de usar “violência a mais”, mas só pelos vigaristas da esquerda e SEM PROVAS.

    57 (cinquenta e sete) colegas deles suspenderam também o trabalho em solidariedade com os dois polícias.

    A Antifa nunca é acusada de usar força a mais, pelos mesmos vigaristas. Incendiar e matar polícias é “bom”.

    Gostar

  9. Zé Manel Tonto permalink
    8 Junho, 2020 16:21

    Eu explico a estes imbecis o que é privilégio branco.

    Privilégio branco é chegar a outro país com mestrado em engenharia, e estar dois anos a mandar curriculos até à primeira entrevista.

    Privilégio branco é conseguir o emprego na área ao fim de três anos.

    Privilégio branco é trabalhar mais de 75% dos Sábados durante três anos, mais tantos Domingos que lhes perdi a conta, acordar às 4h30, quando não às 2h30, fazer turnos de 12h numa fábrica, para juntar dinheiro para fazer formações, melhorar o currículo, e conseguir chegar às entrevistas e ser aceite.

    Privilégio branco é um tipo saber que, ou vai à luta ou fica sentado na cama a deprimir, porque não há um “sistema” ou o “homem branco” para culpar. Ou te mexes ou ninguém faz nada por ti.

    Privilégio branco é pagar rios de dinheiro em impostos para manter um sistema de RSI e quejandos que beneficia, desproporcionalmente, as minorias.

    A mim, nenhuma pessoa fora dos meus familiares directos me deu nada.
    Privilégio branco? Faço-lhes como o Zé Povinho.

    Os meus amigos negros nunca os ouvi queixarem-se destas patetices, mas pode ser devido ao facto de eu só me dar com gente séria

    Liked by 2 people

    • Andre Miguel permalink
      8 Junho, 2020 17:04

      Privilégio branco é trabalhares num país com 25 milhões de habitantes, sustentado por 40 mil trabalhadores estrangeiros da industria petrolífera, porque o país não produz mais nada e seres um branco de merda que devias voltar para a tua terra…

      Gostar

    • Filipe Bastos permalink
      8 Junho, 2020 17:40

      Zé, nunca me verá a defender a treta do “privilégio branco” ou a histeria da identity politics que só confunde e divide.

      Só os mamões ganham com isto; não os pobres, não as classes inferiores que são realmente chuladas e exploradas há séculos, e certamente não a esquerda, que só aliena as pessoas e ficará ainda mais afastada do poder.

      Dito isto, estranho as suas agruras: todos os engenheiros que conheço saíram com emprego certo ou conseguiram-no após poucas semanas.

      Muitos (de TI) nem têm horário. Todos ganham acima ou muito acima da média. Toda a gente sabe que a engenharia tem procura e não é mal paga, pelo contrário. Em TI até é sobrepaga, em alguns casos obscenamente.

      Dá trabalho? Claro, tudo dá trabalho. Mas há bem pior, e quase tudo paga menos. Em relação à vasta maioria da população, v. está numa posição privilegiada. Se calhar trabalha muito; mas muita gente trabalha muito, Zé. E muitos poucos a têm.

      Gostar

      • Zé Manel Tonto permalink
        8 Junho, 2020 19:11

        “todos os engenheiros que conheço saíram com emprego certo ou conseguiram-no após poucas semanas”

        Eu saí sem emprego certo, e a experiência que tinha não era na área que queria exercer.
        Foi erro meu, não foi culpa de nenhum sistema. Ensinou-me a não dar ouvidos a namoradas.

        “está numa posição privilegiada”

        Esse privilégio foi conseguido com trabalho, não caiu do céu.
        E o trabalho é completamente independente da raça da pessoa.
        Conheço pessoas de várias raças que atingiram o mesmo patamar. Não andavam era a queixar-se de um sistema “racista”.

        Liked by 2 people

      • Filipe Bastos permalink
        8 Junho, 2020 23:32

        “Esse privilégio foi conseguido com trabalho, não caiu do céu. E o trabalho é completamente independente da raça da pessoa.”

        Ninguém afirmou o contrário. A sua resposta é típica da direita. O que eu disse foi: muita gente trabalha muito; muito pouca gente tem a sua posição privilegiada.

        Como não lhe interessa responder a isso, v. responde a uma questão imaginária: reafirma o seu mérito, que ninguém questionou, e a falsa vantagem da raça, que ninguém sugeriu.

        O que realmente divide o mundo, Zé, não é a raça, nem o sexo, nem a religião, nem a orientação sexual, nem outras tretas do que agora passa por ‘esquerda’. É a riqueza. O dinheiro. Não é óbvio?

        Gostar

      • Zé Manel Tonto permalink
        9 Junho, 2020 07:55

        “muito pouca gente tem a sua posição privilegiada.”

        Não estamos no feudalismo.
        As posições priveligiadas (assumindo que um emprego em engenharia o é) estão ao alcance de qualquer um.

        Ser filho do dono da empresa ajuda? Pois claro.
        O Paulo Azevedo de certeza que chegou mais depressa ao conselho de administração da SONAE por ser filho do Belmiro.
        Se não fosse, talvez demorasse mais, ou talvez o fizesse noutra empresa. Mas se fosse um idiota chapado não chegava a essa posição, nem ali, nem em nenhuma empresa que tenha que prestar contas a accionistas.

        Estranho seria se, perante duas pessoas que apresentem qualidade de trabalho semelhante, fosse escolhido alguém que pode por-se a andar a qualquer momento, face a alguém cuja história familiar é de trabalhar ali.

        O que me parece é que as pessoas que protestam contra privilégios não estão a protestar isto. Estão a protestar relativamente a coisas que podem mudar, se deixarem de pensar como vítimas.

        Apenas isto.

        Gostar

  10. Expatriado permalink
    8 Junho, 2020 18:28

    Só por curiosidade. Alguém sabe quantos chineses residentes em Portugal foram infectados pelo COVID-19?

    Gostar

  11. Expatriado permalink
    8 Junho, 2020 18:57

    Zero argumento quando pressionado a justificar o que afirmava

    Pois…

    Gostar

    • Maria permalink
      8 Junho, 2020 21:11

      Excelente vídeo e extraordinário e corajoso testemunho. Parabéns ao autor do vídeo e a quem o for publicando, como neste caso o Expatriado.
      Escrevi neste espaço um comentário há pouco a falar deste bravo cidadão, mas não apareceu…, talvez por ter sido aqui e não no espaço reservado aos comentários. Veremos se ele ainda aparece.

      Gostar

  12. Expatriado permalink
    8 Junho, 2020 19:21

    Podem-se acrescentar os meios de comunicação social (SIC, TVI, etc.) em Portugal aos de lá. Aqui, o anchor da CNN (who else?) tentou levar o sheriff a dizer o que ele queria mas… encontrou um homem de coluna vertebral direita.

    Liked by 1 person

  13. 8 Junho, 2020 20:53

    Quando um cadastrado e condenado vira heroi, tirem-me deste filme LOL. https://www.thesun.co.uk/news/11782066/did-george-floyd-have-criminal-past/

    Gostar

  14. 8 Junho, 2020 20:55

    A supremacia branca é promovida – de toda a evidência – pelos grunhos dentre os brancos; mas a praxis marxista prefere apresentá-los como agentes do capitalismo, ainda que nem os pretos percebam porque assim seja, ainda que os pretos que acreditem se sintam submergidos por forças esmagadoras.
    Essa era a tónica na política imperialista soviética – que actuou em associação com uns USA, que, para além de negócios, queriam aparentar promover no exterior o que não faziam no seu país – exorcizou a presença da Europa em África, para prejuízo dos africanos.

    É essa herança dos sovietes que vemos na exaltação esquerdalha do racismo e da violência, quando não desfraldam um cartaz a nada que se passe de bem pior na China ou na Coreia do Norte.
    O Ocidente é sempre o alvo.

    Gostar

  15. 8 Junho, 2020 23:03

    Parece-me que o nosso caso é especial, pois estivemos no centro de ações escravocratas. É preciso urgentemente um discurso oficial que acalme estas ondas acusatórias, porquanto pelos vistos não chegou outorgar a autodeterminação às ex-colónias. Soljenitsín já avisara que a Europa iria ter prejuízos inesperados e incomensuráveis no período pós-colonial. Além disso, se se pediu educadamente desculpa aos judeus, porque não também aos africanos que achem isso justo?

    E peço perdão quando interagi manipulado e joguete de forças insidiosas no bullying sobre colegas habituados a ouvir tais pigarreios, bastando reconhecer a vergonha por não entender ostracismos ou até insultos pela cor da pele (que nunca fiz!). O mais asqueroso são os movimentos de marginalização programados para prejudicar e humilhar conterrâneos, cujo único fito é reduzir o acesso à cidadania por motivos doutrinários de que o país é pequeno, no qual não cabem todos, consequência da insídia.

    Gostar

    • 9 Junho, 2020 13:29

      Essa cena das desculpas tem prazo.
      No caso da escravatura de negros não inovamos numa prática que era já comum entre eles.
      No caso da colonização, aceleramos uma evolução que se deixada às forças locais demoraria centenas de anos. A missão civilizadora pode ser deslustrada mas não negada.

      Resumindo, somos responsáveis pelo presente e temos deveres para com o futuro.
      O passado cada um que se aguente com o seu, e se a tropilha das ‘sensibilidades sociais’ quer fazer cartazes e dar umas passeatas, não há que ficar condicionado por isso.

      Gostar

      • 9 Junho, 2020 17:34

        As ‘desculpas’ são antecipar os «deveres para com o futuro». Não é só a esquerda de cá a ler os manuais escolares, neste momento são as esquerdas e as direitas da Europa e das Américas a fazê-lo. Estão a pesar a imagem para o futuro. Por isso seria até boa altura para um Museu dos Descobrimentos. Repare, foram vandalizar a estátua do Churchill.
        A relação inicial foi entre elites, reis e régulos que reconheciam privilégios de casta e confiança. O embarque de milhares tinha a concordância dos sobas e entravam num registo genealógico. Alguma coisa se modificou no tempo, como a humilhação do Gungunhana. Nessa ‘missão’ não caberia a ironia, por mais fina que seja, do Salazar: se o bem-estar dos negros era querer vê-los a ler o Diário de Notícias à entrada da palhoça.

        Gostar

      • 9 Junho, 2020 18:49

        “As ‘desculpas’ são antecipar os «deveres para com o futuro».!

        Essa é a armadilha!
        Condicionar o futuro a um juízo ‘moral’ sobre o passado.
        A História tem a moral do seu tempo e basta.

        O Gungunhana foi um déspota que sucedeu a outro, Manicusse, que fugido de Chaka zulu, invadiu Moçambique e subjugou os povos da região que ocupou. Os déspotas ou se matam ou humilham.

        Moçambique faz dele herói porque precisa de heróis para um país que o nosso herói, Mouzinho de Albuquerque e tantos outros. com o seu sangue, suor e trabalho lhes construiu.
        Cada um com o seu passado, cada um com os seus heróis.

        Gostar

  16. Maria permalink
    9 Junho, 2020 04:06

    Cristina: tudo quanto escreveu está correctíssimo e nem precisa d’acrescentar mais nada.

    Esta farsa montada do Black Lives Matter pode comparar-se a muitas outras similares acontecidas no passado e salvo raras excepções acabam sempre em violência e não raro em mortes, sendo esta a ideia que está na origem de quem está por detrás da promoção e organização destas manifestações que aliás incentiva e apoia.

    Deixo-vos o nome e o pensamento deste espécime mundialista que, para quem ainda não sabe, é o verdadeiro mentor das manifestações de ódio dentre raças e de outros eventos bem piores. E depois de o lerem pensem no género de gente que governa o nosso mundo por interpostos políticos-paus mandados que ele coloca no poder em todas as democracias através dos partidos da esquerda e extrema esquerda, que é quem de facto governa esses países.

    “I’m George Soros
    a bilionaire sociopathic destroyer of economies, cultures & countries who posed as a German in nazi Germny & helped seize property from jewish community. I also wrote most liberal policies in the US & puppet US politicians, including Clinton and Obama.
    I’m funding ANTIFA”

    (o logotipo que representa o seu movimento são duas bandeiras uma preta mais larga e outra vermelha mais estreita, ambas em movimento para a esquerda, no centro da preta outro círculo menor branco com o símbolo nazi a meio – numa tira mais estreita à volta do logotipo está impresso Antifa International)

    Gostar

    • Jornaleca permalink
      9 Junho, 2020 04:40

      @Maria, de qual fonte, obra, retirou essas citações, por favor?

      Gostar

      • Maria permalink
        9 Junho, 2020 20:38

        Jornaleca, enviei agora mesmo um comentário para si, mas não o vejo aparecer…
        Disse ainda nele que as respostas a estas suas peeguntas iriam noutro comentário. Este enviar-lhe-ei um pouco mais tarde.

        Gostar

    • Maria permalink
      9 Junho, 2020 20:34

      Jornaleca: desculpe não lhe ter respondido ontem, mas fez-se tarde. E hoje, só o faço agora por ter estado a ver todos os vídeos que a Cristina deixou. Todos excepcionais de uma clarividência e justeza a toda a prova. Só não vi ainda os linques. O vídeo de um miúdo de vinte anos com o título “white lives matter” é qualquer coisa!, é um discurso inteligente e desassombrado e merecia ser visto por toda a gente, sobretudo pela esquerda e extrema esquerda fascista, a mesma que anda agora a berrar em manifestações por todo o mundo “black lives matter”, a mesma esquerda que anda a acusar há décadas a direita nacionalista de ser racista, xenófoba e mais não sei quantos epítetos miseráveis, quando ela, a esquerda comunista e socialista, é que é racista e xenófoba e odeia todos os que não pertençam à sua área política.

      Os comunistas e socialistas de todo o mundo – e Portugal não é excepção – a maioria deles são maçons e descendentes de judeus (os honestos confirmam-no) odeiam os brancos europeus e norte-americanos e camufladamente odeiam particularmente os negros e os povos asiáticos. Os comunistas (d’origem judaica ou não) são as pessoas mais racistas do mundo, tal como os judeus em geral também o são. Eles consideram-se superiores a todos os seres humanos e afirmam ser o povo eleito e acham que as restantes raças existem para os servir (vide George Soros).

      Repetindo-me: comunistas e socialistas odeiam de morte todas as raças (menos a sua, mas mesmo esta tem que se lhe diga), sejam eles bancos, amarelos ou pretos. E odeiam sobretudo aqueles que ideològicamente se afirmem da direita civilizada e apoiem partidos desse expectro político. Não admira que a Constituição não admita partidos da verdadeira direita, a esquerda e extrema esquerda tem-lhe um medo atroz pois estão cientes de que ela obteria 90% dos votos em todas as eleições e eles desapareceriam do mapa. Os partidos supostamente de direita que existem neste regime/sistema forem os permitidos (e escolhidos a dedo) por Cunhal e Soares sob juramento de jamais pugnarem pelos valores da direita nacionalista e patriota. E assim têm feito.

      Jornaleca: sobre o que me perguntou respondo-lhe no posto seguinte.

      Gostar

  17. Maria permalink
    9 Junho, 2020 04:23

    Mais dois pensamentos do criminoso Soros que define às mil maravilhas a sua personalidade doentia.

    “I made my life’s mission to destroy the United States. I hate this Country and I hate all the people in it.”
    George Soros – Newsweek 1979

    “I pay white cops to murder black people. And then I pay black people to riot . Because race wars keep the sheep in line”. George Soros

    Gostar

  18. lucklucky permalink
    9 Junho, 2020 07:40

    Privilégio Socialista: Obrigar pessoas não socialistas a pagar o Socialismo.

    Gostar

  19. A. R permalink
    9 Junho, 2020 07:41

    Eu tenho orgulho da raça branca e de ser branco: os brancos são muito menos que 20% da população mundial mas deram ao mundo o Cálculo, a válvula, o transístor, a rádio, a televisão, o telefone, o telemóvel, os satélites, o átomo, a bateria, o painel solar, a teoria da relatividade, a energia atómica, os carros, os TAC, levaram o Homem à Lua, exploram planetas distantes, descobriram e sequenciaram o DNA, fizeram transplantes, cirurgias ao coração, o motor a jacto, as vacinas e as mais maravilhosas obras de arte (arquitectura, literatura, pintura).

    E partilharam tudo com todas as raças.

    Gostar

  20. Desalinhado permalink
    9 Junho, 2020 09:46

    A raça negra saiu da sua África e invadiu a Europa, e aqui chegados, são protegidos por uma política laxista assistencialista que fomenta o parasitismo, a marginalidade e o crime, e mal agradecidos como são, ainda se queixam de racismo e xenofobia.
    Michael Jackson, um dos ídolos da raça negra, mas descontente com a cor da sua pele, fez uma catrefada de plásticas para ver se ficava branco e até conseguiu que o seu nariz ficasse aparentemente igual a uma boneca de porcelana.
    Estes negros não se enxergam, à noite ainda passam despercebidos, mas à luz do dia não passam de uns pelintras arrogantes que acham que isto é tudo deles.
    Alguém há muitos anos dizia que a pobreza de África havia de chegar à Europa, e eu ainda jovem, não percebia bem o alcance desta afirmação, mas agora vejo que esse visionário tinha toda a razão e está-se a cumprir a sua profecia.
    As sociedades onde existem negros misturados irão ter graves problemas no futuro. Eles são conflituosos por natureza rácica, são desobedientes e indisciplinados porque não gostam de cumprir regras estabelecidas.
    A população prisional, na sua maioria, é composta por ciganos e africanos, e não será por racismo que estão ali, como alguns hipócritas nos querem fazer ver, porque prevaricam e cometem crimes.
    O problema não foi um polícia branco ter manietado um negro com o joelho em cima do pescoço, porque se fosse ao contrário deixaria de ser um problema, o que causou esta indignação e este histerismo mundial, empolado pelo chinfrim de uma comunicação social, também ela manietada pelos critérios de subjectividade com que se deixa manipular, é de elevar-se a herói um cadastrado condenado e marimbar-se e borrifar-se pela segurança e ordem pública, pese embora o exagero, quando todas as imagens da detenção foram sonegadas e só apresentadas as que mais convinham para incriminar o agente policial.
    Não podemos inverter os papéis, transformar os vilões em anjos e os polícias em demónios, sob pena de amolecermos perante os oportunistas radicais, porque o direito que eles reclamam é de não haver um Estado de direito.
    Em Portugal, infelizmente, também cá chegou a pindérica indignação racista sob a forma de manifestações que não ligaram patavina nenhuma ao distanciamento social aconselhado, autorizadas por um ministro da Administração Interna que mais parece uma Maria vai com as outras, que em matéria de incompetência era bom que o confinassem de vez.

    Liked by 1 person

  21. Maria permalink
    9 Junho, 2020 20:42

    Jornaleca, este é o terceiro comentário que acabei de escrever para responder às suas perguntas. Não os vejo aparecerem! Estranho… Vou esperar mais um tempo para ver se aparecem, senão depois volto a escrever.

    Gostar

  22. Maria permalink
    10 Junho, 2020 02:46

    Jornaleca, aqui vai o que perguntou. Se tiver oportunidade e tempo leia todas as que puder. Olhe que muito do que Michael Walsh denuncia – a destruição dos países europeus pela esquerda comunista e socialista apoiada pelos governantes destes países todos eles vendidos aos mundialistas, dentre eles George Soros um dos mais poeminentes – vai d’encontro ao que o Jornaleca tem afirmado vezes sem conta.

    O espaço em que vêm algumas das notícias que reproduzi chama-se Ethnic-European e o autor é um jornalista e investigador incansável que não se cansa de denunciar o vai mal sobretudo nos países europeus, mas também no mundo. Chama-se Michael Walsh, nascido na Irlanda, educado no Reino Unido e hoje a viver em Espanha. Em novo foi um activista ferrenho e promoveu manifestações contra a invasão do Reino Unido por milhares de emigrantes sem controlo nem ordem. Chegou a ser preso. Desde então até hoje não tem parado de chamar a atenção para a destruição da Europa, apontando como principais culpados os governantes das chamadas democracias, todos eles socialistas e comunistas marxistas e estalinistas que, para enganar os povos, travestem-se de democratas imaculados.

    Agora veja bem estes títulos…, dizem pràticamente tudo da pessoa em causa:

    Soros fundou a Open Society Fundation;
    Os Juízes do T.E.D.H. (Tribunal Europeu dos Direitos do Homem) quase todos trabalharam para Soros;
    George Soros fundou a Central European Society em 1988;
    Soros is a master in the art of disorganising the world under the guise of philanthropy
    (estas revelações foram feitas por um investigador francês, com as quais concordam os que têm investigado as movimentações de Soros através da Open Society Fundation;

    Por fim, dê uma olhadela à foto de Soros vestido de polícia a sorrir para a câmara e com o joelho a pisar uma almofada simbolizando o Planeta. (esta imagem faz parte dos temas de hoje). Isto quer dizer o quê?

    Há ainda um tema (dentre milhares d’outros) que merece a pena ser lido: “How Soros buys European Nations”.

    Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: