Saltar para o conteúdo

Carta Aberta a Maria João Marques

5 Outubro, 2020

Cara Maria João,

Em resposta ao seu artigo de opinião no Público, permita-me que lhe dirija estas palavras:

Se é fácil rir do Chega, como diz, acredite que é ainda mais fácil rir de si. Mas eu não o vou fazer. Porque acima de tudo você é um ser humano e só por isso, devo-lhe respeito. Isto aprende-se nas famílias conservadoras como foi a minha, caso não saiba.

Você não é um exemplo da escrita. No Twitter, fora da revisão de textos, já lhe apanhei erros de caixão à cova. Valorizo muito mais quem se engana nas vírgulas mas tem um conteúdo marcado pela experiência de vida, do que “flores de estufa” que vivem em redomas cobertas de Chanel e Gucci que “escrevinham” sem conhecimento de causa.

Eu estive na Convenção do Chega, aquele evento da direita (não, não é “extrema direita” de coisa nenhuma por isso pare de repetir a falácia dos média se faz favor) onde supostamente se reúnem “nazis, fascistas, homofóbicos, racistas” que você e a querida imprensa tanto propagandeiam. E sabe uma coisa? Não encontrei nenhum. E sabe porquê? Porque os verdadeiros fascistas estão no governo a aprovar leis que restringem a liberdade, que “compram” a imprensa livre, outras que promovem a censura, outras que facilitam a expropriação de bens privados, outras que aumentam o número e os poderes das elites, outras que aumentam a pobreza e os sem abrigos, outras que violam a Constituição e os Direitos do Homem. Os homofóbicos e racistas e mais outras falsas conotações, deviam estar de folga porque o que eu vi foi gente que luta pela reposição dos valores sociais perdidos pela imposição da agenda marxista. Ou seja, conservadores de direita defensores dos valores judaico-cristãos que foram a base da civilização ocidental – onde a Maria João se pavoneia- enquanto fala mal da única civilização livre e democrática e a primeira, caso não saiba, que devolveu direitos às mulheres. https://templariodemaria.com/nao-foi-o-feminismo-que…/…

Na Convenção do Chega houve idiotas, tal como existem nas do PS, PCP, PSD, CDS, BE e por aí fora, mas com uma diferençazinha: os idiotas do Chega são para mostrar até à exaustão pelos média e “marias” que escrevem no “Púdico”. Os dos outros partidos, são para esconder. Quantos idiotas radicais de esquerda há no PS e PSD? Sabe? Claro que não. A Comunicação Social não mostra. Mas eu conheço.

O que realmente aconteceu com a tão famosa moção apresentada por um delegado – não pelo Partido -, e que dá um jeitaço aos “jornalixos” na sua missão de desacreditação do Chega, é que assim que foi a votos – 216 votaram CONTRA e 38 a favor – culminou numa estrondosa salva de palmas (alguns de pé) quando foi reprovada. Isto é o “ódio, a secundarização e a opressão das mulheres” aqui retratado em todo o seu esplendor. Esta é a VERDADEIRA génese do Chega e não outra. Pare de inventar. Está a ser ridícula.

Podia no entanto ir buscar os extraordinários discursos da maioria que interveio. Como por exemplo desta jovem brilhante, representante da Juventude Chega. Mas isso não lhe interessa porque estraga a sua narrativa, certo? https://youtu.be/6ZYtsin2kGQ

Para a sua informação, e por favor actualize a sua cassette, as mulheres já são em maioria de acordo com o Pordata. Aprenda que da teoria magnífica da definição no dicionário de “feminismo” até à prática vai uma distância abismal e que na realidade o feminismo não procura a igualdade entre géneros há muito tempo.

Se aprofundasse os temas em vez de repetir o que ouve, saberia que os homens já estão em minoria. As estatísticas revelam que actualmente em termos populacionais as mulheres dominam: 4.891.983 homens e 5.433.469 mulheres o que significa que em pouco tempo, com a legislação actual que as protege, serão elas maioritárias em quase todos os sectores. Por outro lado também são elas que vivem mais tempo. As mulheres têm uma esperança média de vida à nascença de 83 anos, contra 78 dos homens. Portanto, para além de serem em maior número, vivem mais. São elas também que representam 88% das famílias monoparentais. No ensino 49% dos alunos matriculados desde o pré-escolar até ao superior, são mulheres. Nas universidades, elas estão em maior número onde representam 54%. Dentro dos doutoramentos, 1.587 são de mulheres, contra 1.382 de homens. Dizem ainda os dados que em 2017, na função pública estavam empregados: no norte 17 634 homens contra 19389 mulheres; na área metropolitana de Lisboa 13 516 homens contra 17 251 mulheres; no Algarve 3 624 contra 4 917 mulheres. Apenas o Alentejo, regiões autónomas dos Açores e Madeira é que – por enquanto – mantêm as mulheres em minoria (fonte PORDATA). Se analisarmos de acordo com a distribuição de profissionais nas áreas da saúde, educação e justiça, temos APENAS menos mulheres – por enquanto – a leccionar no superior (44%) – Fonte Fundação Francisco Manuel dos Santos. Onde estão as feministas para repor a igualdade?

Recomendo-lhe também o excelente documentário “Red Pill” feito por uma ex-feminista. Contra factos não há argumentos. Lamento. https://youtu.be/lstjXmkjUf4

Também lhe recomendo o mesmo zelo a defender as meninas das culturas onde elas são transacionadas como gado aos 9 anos e depois transformadas em seres sem identidade embrulhadas em lençóis negros, subjugadas aos homens que as tratam como mercadoria e que vivem em solo ocidental.

Escreva na testa para não esquecer: você não nos representa, a nós MULHERES, por isso não fala em meu NOME. Sou mulher e não admito que me ridicularize ao não defender todos por igual como me ensinaram os meus pais conservadores. Ao insistir que a violência doméstica é fruto das relações heterossexuais – quando as estatísticas revelam que são os casais homossexuais que têm mais violência doméstica – você está a ser ridícula. E eu não quero mulheres assim a falar por mim.

O que nos opõe é termos tido berços diferentes. O meu pai, um honrado conservador de direita, mostrou-me que as meninas têm tanto potencial como os homens ao ensinar-me a conduzir máquinas industriais; carregar camiões; ligar um carro sem bateria; mudar pneus; usar berbequim e tantas outras coisas de “homem”. E o seu, o que lhe ensinou para além de ser uma pequena princesa mimada?

Termino desejando-lhe que um dia seja realmente feliz porque gente infeliz é amarga e revoltada incapaz de analisar com lucidez. Exactamente o que vemos nos seus escritos.

33 comentários leave one →
  1. Joe Bernard permalink
    5 Outubro, 2020 11:48

    A M O esta resposta!!!
    Os melhores cumprimentos.

    Liked by 1 person

  2. chipamanine permalink
    5 Outubro, 2020 12:39

    O subtítulo do artigo de “opinião” cabe à articulista que nem uma luva. A alucinação, a maldade e o ódio ficam escancarados na “cabecinha pensadora” de quem parte de preconceitos sabendo as conclusões antes dos postulados. O “articulado mental” (se assim se pode chamar) parte de axiomas da “coltura marxiana” onde todos os “pecados” (da dialéctica marxiana) cabem apenas e tão só “à direita” que toda ela é “extrema”. À moçoila é-lhe permitido mentir, omitir para poder dizer a sua verdade sobre a reprovação maciça da dita, portanto é o ódio e a maldade que a guiam secundada pela técnica de usar todos os meios para atingir os seus fins de diabolização dos outros.

    Liked by 2 people

  3. Vasco Silveira permalink
    5 Outubro, 2020 13:09

    Cara Senhora

    Sempre reconheci e respeitei a força dos seus escritos e convicções, mesmo quando por vezes, raramente discordei das mesmas.
    Não lhe conhecia no entanto a sua ironia para perfeitos neologismos como ” jornalixo” e melhor ainda ,”O Púdico”.

    Felicito-a por este post, e desejo-lhe uma forte e longa vida pública, porque as suas convicções são matéria prima cada vez mais rara.

    quanto aos números, eu não me preocuparia com eles: a Cristina Miranda e a Helena Matos valem de certeza por cinco milhões de fracos homens.

    Cumprimentos

    Vasco Silveira

    Liked by 2 people

  4. 5 Outubro, 2020 13:23

    Excelente. Penso que gastou muitos caracteres com essa nulidade.

    Liked by 1 person

  5. Albino manuel permalink
    5 Outubro, 2020 13:37

    gajedo a guinchar e a puxar os cabelos.

    Gostar

  6. André Silva permalink
    5 Outubro, 2020 13:53

    Força, Cristina Miranda. Sempre a admirei, e cada vez a admiro mais. Fico muito satisfeito por saber que está ligada ao CHEGA, e se poucas dúvidas tivesse (que já não tinha) o meu voto está definitivamente destinado.
    É de pessoas (sejam elas homens, mulheres, mistos, indefinidos ou em transição, brancos, pretos, amarelos, vermelhos, castanhos ou azuis às bolinhas amarelas, gays ou heteros, crentes, ateus ou agnósticos e por aí fora) como a Cristina que o país e o resto do mundo precisa. A Maria João Marques é uma insignificante, ignore-a ou despreze-a..

    Liked by 2 people

  7. Weltenbummler permalink
    5 Outubro, 2020 14:03

    para na jornala pública cumprir a génera a mulherzinha devia chamar-se joana
    o seu testículo é ‘o da joana’

    Gostar

  8. Weltenbummler permalink
    5 Outubro, 2020 14:41

    « a feminilidade é um disfarce cuja dupla função é tanto encobrir a fantasia de posse do pênis tomado do pai como também proteger a mulher contra o perigo de retaliação, que poderia ser feita pelas figuras parentais em decorrência disso.
    RIVIERE, Joan. A feminilidade como máscara

    Gostar

  9. Jorge Moreira permalink
    5 Outubro, 2020 15:47

    Simplesmente brilhante!!! Obrigado Cristina Miranda.

    Liked by 2 people

  10. Maria José Melo permalink
    5 Outubro, 2020 17:10

    Nota 20, Cristina Miranda!
    Continue sempre assim!
    Eu sou mulher e nunca me senti menorizada em relação aos homens.
    Esta victimização e o clamor por quotas ou privilégios especiais tem que acabar. Uma verdadeira mulher impõe-se pelo seu trabalho e valor, não precisa nada de quotas. Isso é inferiorizar a mulher!
    Vemos tantas mulheres em postos de destaque. Precisaram de quotas?

    Liked by 1 person

  11. Andre Miguel permalink
    5 Outubro, 2020 17:39

    O feminismo tambem quer quotas para a construção civil, minas ou pescas? Ou é só para cargos de gestão?

    Liked by 1 person

  12. Zé Manel Tonto permalink
    5 Outubro, 2020 17:50

    Não vale a pena.
    A Maria João Marques é aquela mulher de direita que é feminista. Só aí está apresentada. Depois é de direita, mas é contra todas as coisas de direita.
    Talvez por isso tenha ganho o lugarzinho no Público.

    Liked by 2 people

    • lucklucky permalink
      5 Outubro, 2020 18:56

      É uma “Comentadora de Direita” ou por outras palavras faz entrismo.

      Serve para dizer mal de todas as ideias da direita.

      https://en.wikipedia.org/wiki/Entryism

      Gostar

    • vasco silveira permalink
      6 Outubro, 2020 10:44

      Conhecem o Pedro Marques Lopes?
      Sim, aquele palhaço da televisão avençado do Sócrates.
      Também dizia que era de direita …
      A vontade de comer faz as pessoas darem muitas cambalhotas.

      Liked by 1 person

  13. lucklucky permalink
    5 Outubro, 2020 18:54

    O objectivo do Marxo-Feminismo é destruir a Mulher.

    Torná-la igual ao Novo Homem.

    Liked by 2 people

  14. Maria permalink
    5 Outubro, 2020 20:50

    Grande Cristina, Grande mulher. Parabéns pelo excelente texto. Assim é que se fala ou melhor, escreve. Tive uma educação parecida com a sua excepto no aspecto prático que mencionou relativamente ao seu lado paterno. O meu Paí era um republicano convicto (na altura dele o partido não se chamava socialista e sim republicano) e era-o por ter estudado em Coimbra desde os 4 anos de idade até à Universidade. E quase todos os estudantes de Coimbra do seu tempo consideravam-se republicanos (e possìvelmente os de hoje sê-lo-ão também, agora comunistas e socialistas), salvo as excepções que confirmam a regra. A minha Mãe e toda a sua família eram monárquicos. Em casa não se discutia política, era proibido. A minha Mãe respeitava a orientação política de meu Pai e ele respeitava a inclinação monárquica de minha Mãe e sua família.

    (Curiosamente e num pequeno aparte, o meu Pai não gostava de Salazar, como seria natural, não obstante jamais disse mal dele, tendo inclusivamente elogiado várias medidas políticas por ele tomadas, dentre elas a total segurança do País, o inabalável patriotismo, o não termos entrado na 2ª. G.M., a sua honestidade como Governante e a estabilidade política do regime, contràriamente à instabilidade permanente detectada nos restantes países democráticos europeus (dava o exemplo de Itália) de que as democracias são o exemplo acabado – como aliás mencionado pelo próprio Salazar, dando como exemplo as “democracias”, acrescentando que era um regime que saía muito caro ao País – se isto não é ser-se de enorme elevação moral, então não sei que lhe chamar.

    O meu Pai foi um pai excepcional, a educação que nós filhos recebemos, tanto da Mãe como do Pai, foi a melhor que todos os Pais podem e devem dar aos filhos: em honestidade, patriotismo, integridade e ética moral e cívica. Tendo o meu Pai sido um republicano jamais influenciou essa orientação nos filhos e tanto assim foi que nós todos, com a excepção da minha irmã mais velha – com uma grande diferença de idade dos restantes irmãos e talvez por isso mesmo – que, após o 25/4 tornou-se apologista do socialismo. Os restantes filhos e éramos muitos, todos votavam e votam no CDS, eu fui a única que sempre votei no PSD, embora gostasse d’alguns membros do CDS e do próprio partido… mas tive enormes desilusões com o passar do tempo, basta lembrar as manobras políticas muito feias e o encosto ao PS de Freitas do Amaral, bem fez P. Posta quando na devida altura enviou o seu retrato da Sede do CDS para a do PS. Isto até 2003, ano a partir do qual deixei de votar.

    Isto aconteceu após ter rebentado o escândalo de pedofilia da Casa Pia que me deixou estarrecida. Claro que fiquei escandalizada e decepcionada com todo o regime ao tomar conhecimento de que o partido socialista (ou seja, a parte maioritária do sistema que nos tinha governado até então) estava pejado de pedófilos desde o seu início – e escândalo maior quem detinha a tutela da Casa Pia tinha sido simultâneamente um abusador sexual das muitas crianças que o testemunharam – e tendo ele sido investigado e comprovada a acusação, só não foi julgado e condenado por o seu processo ter prescrito!!! Esta criatura nojenta é hoje, para escândalo e vergonha maior de todo o Portugal e de todo o Povo, aquele que detém o segundo cargo mais importante do Estado a seguir ao do Presidente da República!!!, maior vergonha como a que está patente neste regime/sistema e seus membros de toda a esquerda, não deve haver igual ou sequer parecido em todo o mundo – desde os que detinham os mais altos cargos políticos e que incluíam em comandita gente da televisão, rádio, cinema, teatro e restantes artes, todos eles de uma maneira ou de outra ligados ao sistema e protegidos pelo partido socialista, faziam parte da Rede Pedófila de Estado.

    Agora que estou a seguir atentamente as andanças políticas de André Ventura (e as belíssimas e corajosas prestações discursivas nas quais o seu patriotismo toma a dianteira) e do seu CHEGA, incluindo os seus colaboradores mais próximos, sou muito capaz de voltar a ir às urnas e se o for de certeza para votar neste partido. Bem disse a Cristina há temos que o CHEGA iria chegar longe como partido e iria multiplicar-se em adesões e em simpatizantes, era só uma questão de tempo. Confesso que duvidei um pouco, ainda nada sabia deste partido nem sequer sabia que existia. Foi isso mesmo que está a acontecer. VIVA André Ventura e VIVA o CHEGA.

    Gostar

    • SRG permalink
      6 Outubro, 2020 16:39

      Ainda bem que existem mulheres como a Maria e a Cristina, íntegras, mentes abertas e esclarecidas, lutadoras e com convicções. As minhas saudações e cumprimentos para duas grandes Mulheres. Parabéns.

      Liked by 1 person

  15. Weltenbummler permalink
    5 Outubro, 2020 22:29

    « Até as corporações mais nojentas, como o é sem dúvida a Goldman Sachs, apoiam hoje em dia o movimento LGBT+ e as suas demais variantes.»
    https://casadasaranhas.com/2020/10/03/sexo-drogas-e-pseudo-ativismo/

    Gostar

  16. 5 Outubro, 2020 22:47

    A personagem não merece uma carta aberta. É dar-lhe importancia que não tem.

    Gostar

    • Cristina Miranda permalink
      5 Outubro, 2020 22:50

      Pelas mentiras q propaga, merece. Tal como qualquer outra figura apelidada de comentador ou colunista ou jornalista, SEMPRE q faltarem à verdade. Deixá-los dizer tudo o q lhes apetece sem contraditório transforma essas mentiras repetidas incessantemente em verdades absolutas. É preciso pôr cobro a isso.

      Liked by 2 people

  17. 5 Outubro, 2020 23:44

    Oi, Cristina!
    Seus escritos são gritos pela Liberdade!

    Nos cruzamos no lançamento do bom professor Mithá. (Blog O cão que fuma)

    E o ‘cão’ adoraria conversar com você. E os leitores de ler!
    Por favor: caoquefuma@gmail.com
    Obrigado e um forte abraço./-

    Liked by 1 person

    • 5 Outubro, 2020 23:45

      “do livro”

      Liked by 1 person

    • Cristina Miranda permalink
      6 Outubro, 2020 07:32

      Quando quiser é só marcar.

      Gostar

      • 6 Outubro, 2020 23:00

        Estimadíssima Cristina, agradeço a sua pronta resposta.
        Mas, a conversa acontece por e-mail. Por isso, pedi que nos contatasse através do e-mail do cão. Assim, via e-mail, a gente ‘fala’ de todos os detalhes da conversa.
        Obrigado e forte abraço./-

        Gostar

  18. 6 Outubro, 2020 12:02

    👏👏👏👏👏

    Liked by 1 person

  19. José Luis Rocha permalink
    6 Outubro, 2020 12:22

    Parabéns pela excelente prosa…

    Liked by 1 person

  20. Miguel permalink
    6 Outubro, 2020 13:34

    Muito obrigado bom, cara Cristina. Só dois singelos reparos que em nada beliscam o texto:
    1. O termo “judaico-Cristao” é contraditório visto que a moral judaica é distinta da Cristã.
    2. “Casais homossexuais” também é um termo contraditório; um casal é sempre um membro do sexo masculino, e outro do feminino. Se eu disser “Tenho dois filhos, um casal”, não preciso de acrescentar mais nada. 😁

    Fique bem, cara Cristina, e Deus lhe abençoe.

    Liked by 1 person

    • chipamanine permalink
      6 Outubro, 2020 17:35

      O termo judaico-cristão é usado desde os idos 1800 e carqueja para caracterizar um conjunto de crenças e tradições comuns a uns e a outros…e sim há um conjunto alargado de valores e tradições partilhadas “por ambas as duas” não fora o cristianismo oriundo na sua base do judaísmo.
      Muito bem empregue portanto pois foi esse conjunto de valores e tradições que construíram a Europa.

      Liked by 1 person

  21. hajapachorra permalink
    6 Outubro, 2020 16:27

    Estão bem uma para a outra, lumpen intelectual com e sem chanel.

    Gostar

  22. 6 Outubro, 2020 20:49

    Se os homens já se encontram em minoria, será que já podemos candidatar-me aos programas de subsidios e proteção especial da lei das minorias acima dos demais, contra o gajedo opressor ?

    Liked by 1 person

  23. Jorge MR permalink
    6 Outubro, 2020 22:59

    Pra quê ler o púbico. Sabemos a bosta que escrevem, assim como na SIC e outros iguais. Tudo uma perda de tempo e um tédio infinito, ligar a esses comentadeiros quando já sabemos o que vão dizer.

    Liked by 1 person

  24. PORTUGA permalink
    7 Outubro, 2020 00:19

    Já tinha saudades de ler um texto tão bem escrito e assertivo da Cristina Miranda. Obrigado

    Liked by 1 person

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: