Saltar para o conteúdo

A histeria colectiva é infértil

6 Agosto, 2021

Portugal tem uma das taxas de natalidade mais baixas do mundo e neste ano de 2021 prevê-se que o país venha ainda a afundar o indicador de novos nascimentos para mínimos dos últimos 50 anos. Em relação ao primeiro semestre de 2020, este ano registaram-se menos 10% de nascimentos, ou seja, nasceram menos 4.500 bebés durante o primeiro semestre do corrente ano.

Outro indicador relevante é o de que a actividade dos centros de procriação medicamente assistida diminui até Agosto do ano passado 48% no sector público e 33% no sector privado. Entretanto, não foram poucas as mulheres que foram recusadas no SNS por terem ultrapassado a idade-limite para assistência. Algumas tinham já começado os tratamentos, mas as más decisões do ministério da Saúde interromperam o processo, ou porque os centros fecharam ou, por exemplo, porque a DGS as mandou para isolamento chamado profilático. O tempo não volta para trás e goraram-se inúmeros projectos de vida por esta circunstância.

No início da alucinação social com a covid19 e com os casais fechados em casa, muitos foram os prognosticaram um baby-boom. Mas o que na verdade aconteceu foi exactamente o contrário do esperado: uma quebra acentuada dos nascimentos.

O primeiro-ministro disse recentemente que “há mais vida para além da covid” e acrescentou apelando à natalidade, como se uma palavra de António Costa entusiasmasse alguém a ter filhos…

António Costa tem uma lata imensa, já que desde Março de 2020 não faz outra coisa para além de promover o distanciamento social, opor-se a beijos, impossibilitar casais de terem jantares em restaurantes românticos, vedar passeios de namorados de mão dada à beira-mar e cancelar festas de casamento. Já para não falar daquilo que o governo considera um genocídio em potência que são os rituais de galanteio dos jovens e por isso os políticos proibiram as festas e ajuntamentos juvenis, sendo que os grupos prevaricadores têm sido alvo de perseguição policial.

Além disso, com o ambiente de medo, irracionalidade e crimes económicos activamente induzidos pelo governo na sociedade, quantos casais deixaram de ter ambiente propício a alargarem a sua família com o stress e incerteza adicional provocada pelo governo e as agências públicas do estado? Por exemplo: alguma grávida se sentiu confortável ao longo de todos estes meses em se ver privada das visitas e apoios familiares ou em alguns casos, com a dúvida sobre se o pai da criança poderia assistir ao parto devido às medidas absurdas da DGS?

Morreu gente com covid19, mas há muitos milhares de bebés que não nasceram em consequência das más decisões do governo a pretexto da histeria colectiva com um vírus respiratório.

O meu vídeo de quarta-feira passada, disponível aqui:

7 comentários leave one →
  1. Expatriado permalink
    7 Agosto, 2021 11:07

    Leiam e, se forem capazes, reflitam…

    Liked by 1 person

  2. Expatriado permalink
    7 Agosto, 2021 13:23

    Resumo da vida diária nos states explicada em termos simples. Será culpa do Trump? Se fosse cá era certamente culpa do Passos…

    https://video.foxnews.com/v/6266888366001#sp=show-clips

    Liked by 1 person

  3. Expatriado permalink
    7 Agosto, 2021 17:57

    E agora para animar o pessoal

    Gostar

  4. voza0db permalink
    8 Agosto, 2021 12:52

    Morreu gente com ETIQUETA PCR “covid19″… o resto é treta!

    Liked by 1 person

  5. Zé Manel Tonto permalink
    8 Agosto, 2021 13:59

    Portugal, e restantes países Ocidentais, querem mais mulheres na política, nas empresas, nas Universidades.

    Quais são os conselhos dados a países de terceiro mundo que necessitam de diminuir a taxa de natalidade? Mandarem mulheres para a política, para o mercado de trabalho, e para a Universidade.

    Incentiva-se à milésima potência nos países Ocidentais aquilo que se sabe baixar a nataliadade, e acham que é com abonos de família, e creches, que a coisa se inverte?

    Eu, no fundo, não quero saber se a natalidade é alta, ou baixa, se as senhoras seguem estudos, e carreiras, ou não.
    Tudo isso seria irrelevante se não houvesse Estado Social. Esse é o verdadeiro problema.

    A única preocupação da politicagem é continuar a haver escravos fiscais para manter o sistema que lhes alimenta os eleitores.

    Liked by 1 person

  6. 8 Agosto, 2021 14:13

    Apoiado Camilo de Lourenço! Que não lhe falte o ânimo!

    Liked by 1 person

  7. 10 Agosto, 2021 05:54

    Ao menos estamos todos mais protegidos e numa sociedade bem mais saudável que há meros 18 meses!

    Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: