Saltar para o conteúdo

O Vaticano e a segregação de milhões de pessoas

22 Setembro, 2021

O Vaticano proibiu a entrada nesta cidade-estado a 5.400 milhões de pessoas. Isto porque segundo despacho oficial do Estado do Vaticano, a partir de 01 de Outubro próximo qualquer pessoa que não esteja munida do certificado de vacinação covid será impedida de entrar no território da sede da Santa Sé.

Como a proibição não abrange a possibilidade de participar na missa na Basílica de S. Pedro,  – desde que se entre e saia imediatamente e apenas para esse efeito – podemos colocar de lado a possibilidade de o decreto atender a motivos estritamente sanitários. O caso parece, pois, uma manifestação pública de suposta virtude pelo actual ocupante da Cadeira de Pedro. Se 68% da população mundial não está hoje vacinada pelos mais variados motivos, que virtude é esta em que o Papa impede a entrada de mais de meio mundo no seu domínio territorial? Domínio esse outorgado em 1929 por Mussolini, que foi quem permitiu que a cidadela do Vaticano tivesse “fronteira”.

Seguindo o exemplo de Cristo que chamou a si os leprosos, a Igreja Católica sempre acolheu e foi próxima dos doentes. Por isso seria já de si uma enorme perplexidade que o actual Papa permitisse afastar do Vaticano os que sofrem de doenças infeciosas, através da lei e com fiscalização policial. Mas o Papa Francisco vai mesmo ainda mais longe na ignomínia e perversão da palavra de Deus ao excluir por decreto a possibilidade de uma pessoa saudável, mas sem vacina da covid, se deslocar e permanecer até numa Praça de São Pedro deserta.

O Papa já antes tinha dito coisas pouco cristãs numa entrevista a um canal de televisão italiano. Pasme-se e atente-se à forma bruta e arrogante de Francisco quando afirma e cito novamente: “Eticamente todos devem tomar a vacina. Não é uma opção”. E mais uma vez, faz alusão ao “negacionismo” que apesar de nunca explicar em concreto de que se trata, reconhece que não consegue explicar a “negação suicida” (na expressão do Papa) de quem opta por não se vacinar.

Recentemente, o Papa Francisco fez outras declarações aos jornalistas aquando da sua viagem à Eslováquia que são no mínimo de mau gosto, e indiscutivelmente perversas e impróprias para um líder religioso que não queira ceder ao populismo e fomentar a divisão e tribalismo entre seres humanos. Disse Francisco e cito: “Mesmo no Colégio de Cardeais há alguns negacionistas da vacina. Mas um deles, por má sorte, está hospitalizado com o vírus” E acrescentou o Papa: “Essas são as ironias da vida.”

O actual Papado e chefia de Estado do Vaticano é exemplo da mais abjecta miséria moral da hierarquia da Igreja que deixou, aliás, de ser católica, universal.

O chefe de uma Igreja supostamente universal cauciona assim o estigma do “negacionismo” sobre pessoas que fazem a sua própria avaliação de risco, têm sentido crítico e dúvidas sobre o processo de vacinação. Curioso é que tenha sido o Papa na mesma ocasião a dizer asneiras grosseiras sobre o tema ao equivaler a vacina da covid à do sarampo ou da poliomielite.

Agora, quando Francisco deixar a sua habitual mensagem urbi et orbi a partir dos seus aposentos no Vaticano, ficará patente a contradição com uma cidade que deixou de estar aberta ao mundo.

Felizmente para todos, o dogma da infalibilidade do Papa apenas se refere a questões de fé.

O meu vídeo de hoje, aqui:

14 comentários leave one →
  1. Vasco Silveira permalink
    22 Setembro, 2021 19:40

    Caro Senhor

    Sem pretender ofender vítimas de situações históricas semelhantes, eu proponho que estes governos autoritários sigam esta trajectória sem vergonha, e arranjem um símbolo claro que distinga quem não pode ter acesso ao espaço público.
    Uma estrela na lapela talvez seja demais, mas porque não uma braçadeira encarnada; assim toda a gente ficaria a saber quem são os impuros.

    Julgo aliás que isso já foi feito num passado não tão distante.

    Melhores cumprimentos

    Vasco Silveira

    Gostar

  2. JMS permalink
    22 Setembro, 2021 19:54

    Outra coisa não seria de esperar vindo de um idiota dum Papa comunista. Comunista que é, só pode aprovar esta pouca vergonha do tal “certificado de vacina”.

    Este regresso a 1917, este obscurantismo medieval, deveria envergonhar toda a sociedade ocidental, nem que fosse pelo desrespeito que demonstra pelas pessoas que combateram o comunismo e o nacional socialismo que, são exactamente a mesma coisa, como bem sabemos.

    Não aprendemos nada, realmente.

    Liked by 1 person

  3. lucklucky permalink
    22 Setembro, 2021 20:52

    Tenho dúvidas que o Papa seja Católico quando o que ele pretende é transformar a Igreja numa ONG

    Liked by 2 people

  4. Chopin permalink
    22 Setembro, 2021 22:03

    O sr Francisco da Libertação não era contra os muros?
    A Igreja do Papa Xico não é a mesma que enviou missionários para os quatro cantos do mundo, assistindo os doentes e os sofredores.
    Abraçou Fidel, recebeu a foice e o martelo de Morales, recusou receber Trump e foge dos doentes. Cheira a enxofre no Vaticano.

    Liked by 2 people

  5. castanheira permalink
    22 Setembro, 2021 22:12

    Entretanto começa a haver luz ao fundo do túnel .
    Por exemplo , o governo Romeno mandou encerrar todos os centros de vacinação porque 70% da população recusou a alegada vacina.
    Cristo ensinou que o ser humano é livre e terá as consequencias das suas boas ou más escolhas, mas livre . O papa Francisco não é cristão.

    Liked by 1 person

  6. sam permalink
    22 Setembro, 2021 22:13

    Ó Telmo, até quando continuarás a ser aldrabão?

    Desde quando o Green Pass Covid é unicamente um certificado de vacinação?
    Desde quando uma pessoa saudável estará proibida de entrar no Vaticano? Basta que comprove que não está infectado ou que se encontra curado.
    Como é que esperas que os teus 5.400 milhões de pessoas entrem no Vaticano sem passar por Itália e pelas regras do governo italiano? Vai tudo a pé ou de carro?

    É gente parva como tu que dá má fama aos negacionistas. E aos católicos.

    Liked by 1 person

    • balio permalink
      23 Setembro, 2021 16:05

      Bom comentário.
      A maior parte das pessoas que quer entrar no Vaticano sem ser para ir à missa, são turistas. E os turistas, em todos os países da Europa atual, são obrigados a ter certificado de vacina. Antes de entrarem no Vaticano têm que entrar em Itália, e já para isso têm que ter certificado de vacina. Portanto, para a maior parte deles, nenhuma diferença fará.
      Enfim, um post disparatado.

      Liked by 1 person

    • 23 Setembro, 2021 21:48

      Exacto. Mas eu já nem os leio

      Gostar

  7. 22 Setembro, 2021 23:21

    Eu sou do tempo em que as senhores tinham que estar “cobertas” se queriam entrar na Basílica de S. Pedro. E os homens não podiam entrar de sandálias sem meias ou de manga curta…

    Não se deve contrariar os representantes de Deus na Terra…

    Gostar

    • luis barreiro permalink
      23 Setembro, 2021 03:30

      Eu sou do tempo onde se prendiam pessoas por vestir calças de ganga americanas, e onde se matavam quem quisesse visitar a família do outro lado do muro. Até discos de música ocidental tinham de ser escondidos dos teus amigos.

      Liked by 1 person

      • lucklucky permalink
        23 Setembro, 2021 08:16

        E se tinhas alguma maneira de imprimir alguma coisa sem declarares ao governo tinhas uma vista da Stasi…

        Liked by 1 person

  8. Prova Indirecta permalink
    23 Setembro, 2021 09:29

    Ainda falta decretar a bula papal da excomunhão , o Francisco é o novo Deus ex Machina da indústria do Covid …

    Gostar

  9. balio permalink
    23 Setembro, 2021 10:46

    a Igreja Católica sempre acolheu e foi próxima dos doentes. Por isso seria já de si uma enorme perplexidade que o actual Papa permitisse afastar do Vaticano os que sofrem de doenças infeciosas

    Uma coisa é ser próxima dos doentes, outra muito diferente é permitir e incentivar que eles se misturem com a sociedade em geral e espalhem a sua doença. A Igreja Católica não foi, que eu saiba, contra a existência de gafarias que se destinavam a isolar os leprosos do resto da sociedade, impedindo que eles propagassem a sua doença. Uma coisa é a Igreja Católica ir dar apoio a quem está doente, outra é apoiar a propagação da doença.

    Gostar

  10. balio permalink
    23 Setembro, 2021 10:49

    Eu até concordo com outros posts do Telmo sobre a epidemia. Mas este aqui, lamento dizer, erra completamente o alvo.

    Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: