Saltar para o conteúdo

A carga pronta metida nos contentores

20 Outubro, 2021

Regista-se uma subida dos preços das matérias-primas nos mercados mundiais, faltam produtos nas prateleiras dos supermercados em alguns países, há escassez de componentes para automóveis ou computadores, atrasos nas entregas de mercadorias e, em geral, assiste-se a uma série de graves disrupções nas cadeias de fornecimento e comércio internacional.

Mas se a comunicação social lhe disse que o grande culpado desta situação é a covid, mentiram-lhe!
Tudo isto resulta directamente ou foi fortemente agravado por decisões dos governos e de políticos.

Se hoje já é evidente para muitos (e cada vez mais pessoas) que a esmagadora maioria das medidas ditas sanitárias adoptadas pelos governos a pretexto da covid19 foram totalmente estúpidas, largamente ineficazes e muitas vezes contraproducentes em termos de saúde pública, os efeitos destas intervenções estatais na vida das pessoas tornam-se agora mais claros.

Os decisores políticos decretaram suspender ou limitar fortemente a actividade da indústria e dos negócios, mandaram trabalhadores para casa, colocaram em confinamentos sucessivos pessoas saudáveis. Fechadas em casa sem poder viajar, fazer férias, frequentar espectáculos ou cinemas, sem ginásios ou jantares em restaurantes os consumidores em isolamento ou teletrabalho foram induzidos pelos governos a alterar os seus padrões de consumo habituais e com os apoios de layoff e injecções de dinheiro e subsídios públicos na economia, as pessoas em vez de serviços aumentaram as suas compras de bens como equipamentos electrónicos, artigos para casa, equipamentos de fitness, etc.

Mas ao mesmo tempo, as fábricas fecharam ou reduziram drasticamente a sua produção, os motoristas de pesados deixaram de estar na estrada e ficaram em isolamento profilático, os trabalhadores dos portos e tripulações de cargueiros de mercadorias deixaram de estar disponíveis em número suficiente. Apenas um exemplo: com a detecção de um teste positivo à Covid num único trabalhador de 34 anos, totalmente vacinado e assintomático, o terceiro maior porto do mundo fechou por completo durante duas semanas.

A carga pronta e metida nos contentores fica parada, os navios de transporte acumulam-se às dezenas nos portos, o tráfego marítimo reduz-se significativamente, deixa de haver paletes e contentores para acomodar novas encomendas, os custos de transporte e logística disparam. O sistema de transporte e comércio internacional está em pré-colapso, os estrangulamentos estão à vista de todos.

E não se pense que estes problemas afectam apenas a burguesia ou aqueles que passaram a usar o ZOOM como a sua ferramenta de trabalho preferida. Não só escasseiam alguns produtos alimentares como o preço dos alimentos também subiu. O número de pessoas em situação de insegurança aumentou, e só nos Estados Unidos este problema duplicou colocando agora 23% das famílias em risco de passar fome.

A intervenção dos governos resulta em consequências que não se podem planear nem prevêr em toda a sua extensão, produzindo um efeito de cascata em centenas de setores e segmentos da sociedade. Para surpresa de muitos a economia não funciona como um interruptor de luz, ora liga, ora desliga. Enfim, a ideia de que uma economia pode ser fechada sem critério e retomada sem consequências de largo espectro, é criminosa. Só poderia vir da mente de indivíduos e decisores políticos sem nenhuma compreensão ou consideração pela extraordinária interdependência do sector produtivo e a enorme complexidade do funcionamento da sociedade. Só poderia vir de socialistas e estatistas de todos os quadrantes políticos.

O meu vídeo de hoe, aqui:

16 comentários leave one →
  1. Zé Manel Tonto permalink
    20 Outubro, 2021 20:32

    Ora, ora…
    Mas a vida é o mais importante…
    Evitar que morram alguns milhões de pessoas, que se não morreram no Inverno passado morrem neste, justifica mandar muito mais milhões para o desemprego, e desorganizar a vida de muitos mais.

    Gostar

    • Atento permalink
      20 Outubro, 2021 20:53

      Desde que não seja consigo, né, Zé? Os outros que se danem… quem lhes manda ser velhos e/ou doentes?

      Não que eu defenda a histeria covideira: houve inúmeros exageros e absurdos, em Portugal e em todo o lado. Mas esse egoísmo atroz quase faz ter vontade de confinar três meses. É pena não dar para confinar só direitalhas.

      Os preços sobem, a economia cai, chora o Telmo. Fácil: é taxar os mamões. É acabar com monopólios e oligopólios; acabar com a banca privada; confiscar offshores e riqueza excessiva. Colocar a economia ao serviço do planeta, em vez de encher os 0,001%. Fácil, né? Bem podemos esperar sentados.

      Gostar

      • Francisco Miguel Colaço permalink
        20 Outubro, 2021 21:06

        Há dois tipos de pessoas. Um deles conhece a figura de estilo chamado sarcasmo. O outro tem quociente de inteligência medido por um número que multiplicado por si mesmo dá um número, o qual, subtraído pelo módulo de si próprio, tem o resultado zero.

        Tem três soluções. O Atento consegue-me dizer quais são? Escolha a solução que mais lhe convier.

        Gostar

      • Zé Manel Tonto permalink
        20 Outubro, 2021 22:47

        O Atento não percebeu o essencial do comentário.

        “se não morreram no Inverno passado morrem neste”

        É uma tragédia uns milhões de idosos não viverem sabe se lá em que condições mais um ano, ou dois.

        Jovens irem para o desemprego, e ficarem com a vida em banho Maria meia década, não há problema…

        Gostar

  2. lucklucky permalink
    20 Outubro, 2021 21:54

    O jornalismo é o maior problema no ocidente.

    Liked by 1 person

  3. chipamanine permalink
    20 Outubro, 2021 21:56

    Gostei muito daquela “colocar a economia ao serviço do planeta”. Esta gente é do ramo da metafísica né?

    Gostar

    • F Santos permalink
      21 Outubro, 2021 14:38

      Quer-me cá parecer que é mais da “estupidez iluminada e encartada”… A metafísica é algo de intelectualmente fascinante e dá trabalho, que é coisa que esta malta não sabe o que é!

      Gostar

      • chipamanine permalink
        21 Outubro, 2021 16:31

        Também não precisava ser tão explicito . E eu com todos os cuidados hein?

        Gostar

  4. marão permalink
    21 Outubro, 2021 07:10

    No tempo das outras bancarrotas qual era a covid?

    Gostar

    • chipamanine permalink
      21 Outubro, 2021 11:41

      era e é o socialismo…aquele covid que nos levará para as outras até venezuelarmos totalmente e atentamente

      Gostar

  5. Andre Miguel permalink
    21 Outubro, 2021 08:02

    Sem duvida que a intervenção dos governos foi desastrosa, mas não é menos verdade que aquilo que andámos a aprender nas universidades, durante anos, como o lean management, stock zero, fazer mais com menos, etc está à vista que é uma treta.
    Trabalho em comercio internacional há mais de duas décadas e sabem uma coisa: as cadeiras de abastecimento mundiais estavam coladas com fita cola. Se com um soluço num país abana tudo, imaginem um sufoco de ano e meio… Isto ainda nao é nada, o pior está para vir.

    Gostar

    • Tiro ao Alvo permalink
      21 Outubro, 2021 09:04

      O “lean management, stock zero, fazer mais com menos”, não é uma treta quando assente em bases seguras. E não há dúvida de que, em muitos casos, se arriscou para além do necessário. Mas a actuação dos nossos governantes, ao irem atrás dos asiáticos, decretando confinamentos a torto e a direito, também devem ser responsabilizados por este desastre.

      Gostar

      • Andre Miguel permalink
        21 Outubro, 2021 10:26

        O problema está mesmo nas bases seguras, isso em logística não existe, pelo menos a 100%, tal é a variedade de factores.
        Sabe a quantidade de intervenientes e burocracia para embarcar um contentor? Carregador, porto, estivadores, armador, despachante, alfandega, transportador rodoviário, transitário, etc, agora meta os mesmos intervenientes no país de destino.
        Se assim já é o que vemos, imaginemos quando os governos metem o bedelho, só dar asneira da grossa, como estamos a ver. Isso e um povo acéfalo que pensa que a comida nasce nos supermercados…

        Gostar

      • Tiro ao Alvo permalink
        21 Outubro, 2021 12:15

        Sim, tem razão, mas aqueles princípios não se aplicam apenas aos casos das matérias-primas/mercadorias transportadas em contentores. E, é claro, não podem ser seguidos cegamente.
        Além disso, os governantes, ao decretarem confinamentos, deviam ter presentes estas questões e atribuir-lhes a grande importância que elas têm para a economia e para as pessoas. O que, em muitos casos, manifestamente não aconteceu.

        Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: