Saltar para o conteúdo

Há 215 anos a Ucrânia ficava em Portugal

10 Abril, 2022

Esta semana no Observador escrevo sobre a primeira invasão francesa. Tudo em Portugal em 1807 parece um eco daquilo que a Ucrânia está a viver: lá estão os massacres, a resistência popular sempre depreciada pelas acusações de reaccionarismo, a necessidade de salvaguardar a face do agressor derrotado… Mas razão desta minha viagem ao passado acontece também por uma questão de higiene. Que é como quem diz, vou ler o que puder sobre o “Jinot” e o Maneta para desse modo poupar-me a ver Rosa Coutinho ser agraciado no 25 de Abril com a Ordem da Liberdade…

14 comentários leave one →
  1. Weltenbummler permalink
    10 Abril, 2022 13:38

    sobre os invasores de massena que morreu estraveculoso
    « foste soldado artilheiro
    na batalha do Buçaco.
    levaste um tiro no traseiro
    inda lá tens o buraco »
    o Maneta morreu antes de gozar os roubos

    felizmente temos
    PR comentador suspendeu tanto a CRP que tive receio do baraço se partir ou se tornar embaraço
    governo de funcionários públicos e muitos soutiens para evitar as quedas

    Gostar

  2. 10 Abril, 2022 17:00

    Esperemos que no final da contenda o resultado final seja o que ocorreu em Portugal.
    Uma magnífica vitória dos Ingleses

    Os americanos também vão ganhar a guerra da Ucrânia!
    Na analogia existem algumas diferenças o Ingleses combateram no terreno com os ingleses o americanos não vão ter essa honra.
    As armas nucleares limitam a virilidade guerreira das nações.
    Mas já que estamos maré de analogias como reagiriam os americanos se o Canadá aderisse ao novo pacto de Varsóvia ou o seu descendente o pacto de putin

    Gostar

    • Tiro ao Alvo permalink
      10 Abril, 2022 19:01

      Sobre as invasões francesas, o J fazia bem em ler o que escreveu Vasco Pulido Valente.
      Só na 1ª invasão é que os franceses ganharam, mas não mais do que o fruto dos roubos que fizeram e que os ingleses deixaram levar, sem que o exército português fosse verdadeiramente ouvido. Mas na 2ª e na 3ª invasão, foi o povo português, com armas muitos desiguais, quem derrotou as tropas de Napoleão, apesar da enorme diferença de meios. E dos crimes de guerra cometidos pelo Maneta. Os ingleses ajudaram, sobretudo na 3ª invasão, mas foi o povo português foi quem venceu e que pagou a vitória com sangue e não só.

      Liked by 2 people

      • 10 Abril, 2022 20:19

        E depois Portugal continuou vassalo da Inglaterra. Com os ingleses a tratar Portugal como uma colônia.
        Nos livros ingleses só aparecem nomes de generais ingleses.
        Portugal pagou muito caro a ajuda que deu á Inglaterra para se tornar na potência dominante.
        Recordo que a pena que para soldado inglês era de algumas chicotadas para um português era fuzilamento.
        Os ingleses no final de tudo obtiveram uma grande Vitória com o custo de muito sangue português.

        Gostar

      • Tiro ao Alvo permalink
        10 Abril, 2022 21:38

        Insisto, leia o Vasco Pulido Valente e outros historiadores portugueses. E dê menos importância aos historiadores ingleses.

        Liked by 1 person

      • jppch permalink
        14 Abril, 2022 14:35

        Resta acrescentar que embora a total sacanagem dos ingleses, já que mais não fosse na delapidação de património (no solo ou espaço da mais velha aliança), foram eles que pagaram o “pré” às tropas portuguesas, porque naquele contexto o reino (o Estado) foram incapazes de cumprir

        Gostar

  3. JgMenos permalink
    10 Abril, 2022 18:38

    E a canalha esquerdalha diz opôr-se à condecoração a Spínola, o homem que libertou essa corja de vendidos a Moscovo, que nos envergonharão para sempre, e que cedo o traíram.

    Gostar

  4. 10 Abril, 2022 21:44

    No que toca ao tipo de guerra não há comparação.
    Em Portugal e Espanha durante as invasões francesas surgiu com força a guerrilha.
    Já existia mas o fenômeno de populações civis e enfrentarem e derrotar exércitos começou a ser observado. Afeganistão Vietname são exemplos recentes do sucesso das guerrilhas.
    Mas Putin não vai entrar nesse tipo de guerra que conhece bem.
    A técnica de guerra será a criar vazio de gente.
    Usada por Afonso I das Astúrias. Vlad Drácula e todos os Czares em geral.
    Vai fazer com que população civil se desloque para o oeste, alguns serão deportados para a Rússia.
    Para criar este movimento terá que cometer algumas atrocidades sobre os civis.
    Para os assustar ao ponto de fugirem das suas casas.
    O Putin percebeu que os ucranianos nunca poderão ser russos. Se quiserem pertencer á CEE que vão para a Alemanha.
    Do 200000 km2 que pretende ocupar mais de dez milhões terão que se deslocar para oeste.
    Podem ficar dois milhões para tratar dos campos

    Gostar

    • Tiro ao Alvo permalink
      10 Abril, 2022 22:51

      Cheira-me que o J é alguém que está no Brasil, tolamente, a torcer pelo Putin. Tenha juízo, amigo. O Putin já perdeu esta guerra, que desencadeou estupidamente, guerra em que só gente “cegueta” é que aparece a encontrar explicações para tão grande asneira, que vai deixar a Rússia de rastos e o Putin com as mãos cheias de sangue. Um desastre para a humanidade.

      Liked by 2 people

      • chipamanine permalink
        11 Abril, 2022 06:53

        Na Europa há muito mais apoiantes do Putin do que no Brasil….que querem colar ao poder politico actual lá.
        Desde logo quem não tem coragem e anda com jogos de saias acerca do gás, do petroleo e do carvão. A Alemanha com isto é muito mais aliada do Putin do que jamais o Brasil poderá pretender ser que depende dos fosfatos.
        O racismo ideológico serve precisamente para esconder as cuecas sujas neste caso dos europeus. Apontar o dedo aos outros é mais fácil
        Depois há-os de proximidade “ideológica” a começar por toda a extrema-esquerda (O BE tem feito um esforço contrario mas sabemos que não é sincero mas apenas tático populista) e outros disfarçados até no governo como o ministros dos transportes do porche o ministro da finanças, só para mencionar dois.
        Há mais apoiantes entre a populaça do que aquela que parece ser. Estão é na defensiva perante a terraplanagem russa na Ucrania impossivel de enfrentar moralmente e no momento. Mal passe este momento tirarão novamente as garras de fora.

        Liked by 1 person

  5. 11 Abril, 2022 17:18

    O vendilhão que deu a estrangeiros o solo pátrio de Angola e Moçambique…
    O amado solo pátrio que nos pertencia desde a fundação da nacionalidade…

    Gostar

    • jppch permalink
      13 Abril, 2022 17:12

      pois é… mas naquele solo pátrio depois de nós ninguém deixou nada para além de vender matérias primas nomeadamente à URSS… nesse solo, onde havia indústria e saber, que muito dos autócnes queriam aproveitar… nada… e depois da independência, que aqui não vou contestar quanto à sua pertinência, ao fim de décadas a realidade vem fundamentar a impreparação dos autócnes para a independência… sempre joguetes nas mãos de terceiros… e você Galvão no seu espaço privado e familiar, continua a consumir (por exemplo) o Nesquick, o Milo, o Cola Cao e o café (residualmente em relação a Angola e Moçambique)… alegremente toma uma bica (sem pensar de onde ela vem)… e o solo pátrio a esses povos não deu valor acrescentado… porque o valor acrescentado é um crime, para os esquerdistas que os dominaram (e chuparam) e deixaram um rasto de miséria…

      Gostar

  6. Jorge Moreira permalink
    12 Abril, 2022 12:52

    O Galvao continua a não acertar uma…

    Gostar

  7. lucklucky permalink
    15 Abril, 2022 22:12

    Ano de 2034. Universidade Politicamente Correcta de Lisboa

    25 de Abril, O que há para festejar?

    Será que o 25 de Abril não é simbolo do dia mais racista e egoísta?

    O 25 de Abril não foi um alívio para o branco, com medo que uma democratização para salvar o império implicaria que muitos pretos passariam a ter lugares de poder?
    Não foi afinal o 25 de Abril que manteve o poder branco?

    Quando se festeja o 25 de Abril não se festeja ainda a criação de 5 ditaduras que provocaram mais de 1 milhão de mortos africanos?
    Ao longo destes 60 anos, já 6 décadas! os festejos do 25 de Abril não se referiram alguma vez ao holocausto com 1 milhão de mortos que se seguiu em África!

    O branco, obviamente socialista para poder justificar o seu egoísmo e supremacismo não regista esses mais de 1 milhão de mortos. Eram pretos por isso não existem na consciência do 25 de Abril. Esta ausência de referência, a negação da sua existência é um sinal claro que o 25 de Abril é um festejo, um símbolo escondido do supremacismo branco. Hoje a máscara socialista já não é suficiente para conseguir esconde-lo.

    Ao analisarmos este holocausto escondido dos festejos do 25 de Abril , é relevante ainda analisar a natureza das 5 ditaduras “Africanas” ; Não podemos deixar de constatar a sua fundação baseada no racismo e patriarquismo pois foram inspiradas pela ideologia europeia e branca do Marxismo, criadora do opressivo Capitalismo de Estado.
    O Marxismo nunca conseguiu cortar a sua ligação umbilical ao Capitalismo, sempre definiu e se definiu pelo Capitalismo.
    A Via Progressista tem de ter a coragem de considerar esta sua limitação conceptual.
    Relembrar aos Progressistas que nenhum pais inspirado pelo Marxismo foi liderado por uma pessoa que se menstrua.

    Assinado: Professor Má Ventura Sousa Pecador

    Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: