Saltar para o conteúdo

O Cardeal tem razão

14 Janeiro, 2009
by

… quando fala nos obstáculos ao diálogo inter-cultural e alerta para as dificuldades inerentes aos casamentos de mulheres de cultura ocidental (mulheres, saliente-se!) com homens muçulmanos. A questão da igualdade de direitos entre os sexos divide diametralmente as duas civilizações – sendo que, por cá, foi ultrapassada apesar dos esforços em contrário da Igreja ao longo de muitas décadas.
Claro que o Cardeal vai apanhar com um vendaval de politicamente correcto e não me admiraria se voltasse atrás nas próximas horas (dizendo o costume: “não fui bem interpretado, a comunicação social transmitiu mal o meu pensamento…”). Espero que não o faça.

Anúncios
156 comentários leave one →
  1. caramelo permalink
    14 Janeiro, 2009 11:05

    Eu acho que o Cardeal Patriarca deve ser mesmo politicamente correcto e não deve dizer coisas como “casar com muçulmanos pode dar um monte de sarilhos”. Mas isto sou eu, um chato do caraças, que acha que o Cardeal não é exactamente um comentador de blog. Mas quem nos dera que todos os nossos lideres pudessem ser divertidissimos e folgazões politicamente incorrectos. Far out, dude! como dizia o outro.

    Gostar

  2. helderega permalink
    14 Janeiro, 2009 11:05

    O vendaval já começou no Jugular!

    Gostar

  3. 14 Janeiro, 2009 11:18

    O que me admira, do Sr.Cardeal e do liberal CAA, logo ele com o espirito aberto, é que imponhom as regras a quem quer que seja nesta materia -então eu não posso casar uma mulher Judia ou Muçulmana, não posso divorciar de uma, para casar com outra? vou contra os principios da ICAR? e se eu me sinto bem com tal casamento, quem pode proibir?

    Ja fumar na Basilica é uma falta de respeito, que eu respeito e outros não.

    Qualquer pessoa apaixonada, tem que levar a “Benção” do Cardeal, ele, que é do Sporting, que foi o clube dos casamentos por conveniencia, nessa altura não havia perigo?.

    Eu trabalhei com Muçulmanos, com hindus, com Judeus e não que mais, e sabe uma coisa – desconfio sempre de um catolico, aquele que vai a missa, normalmente é caloteiro, no minimo.

    Já vai longa e não merece a pena

    Gostar

  4. 14 Janeiro, 2009 11:24

    Ó Amigo de Éscrivá,

    ninguém impôs coisa nenhuma a alguém! O que o Cardeal disse e é aquilo que foi sublinhado neste post foi uma coisa diferente: verificou o óbvio e, quando muito, alertou para as dificuldades e “sarilhos” que, por vezes, daquela situação poderão advir!

    Gostar

  5. Mula da Comprativa permalink
    14 Janeiro, 2009 11:31

    O que o Cardeal diz não é nada comparado com o ourives a pedir pela vida ao negro que o assaltava:
    “Implorei-lhe para não me fazer mal”

    A africanização e a islamização aceleradas têm os seus testas de ferro.Lá em cima.Cá em baixo as mulheres abrem a perna e os homens pedem pela vida… é a “democracoia como a imaginou o Mário Soares”

    Gostar

  6. 14 Janeiro, 2009 11:35

    Amigo do escrivá,

    «então eu não posso casar uma mulher Judia ou Muçulmana, não posso divorciar de uma, para casar com outra?»

    Pode, desde que seja cá. Experimente fazer a experiência na Arábia Saudita, por exemplo.

    Para além do mais, a questão diz respeito às mulheres – elas é que são tidas como seres inferiores pelo direito e pela cultura de muitos desses países. Donde o alerta faz todo o sentido, para mim.

    Gostar

  7. Mula da Comprativa permalink
    14 Janeiro, 2009 11:36

    A traição um dia vai ser travada.E as contas ajustadas.Porque se os Portugueses o não fizerem não serão dignos de destino.Estrangeiros a ditarem-lhe o que é bom para si na sua terra?Oh tempos maravilhosos…
    Enquanto não rebentarem com esses gajos servirão…

    Gostar

  8. pvnamII permalink
    14 Janeiro, 2009 11:37

    PARASITAS INTOLERANTES

    —> Os Parasitas Intolerantes (vulgo parasitas brancos – a maioria dos europeus) ao promoverem o ”’multiculturalismo”’ (local!!!…) e a intolerância para com a preservação/sobrevivência das Identidades Étnicas Autóctones não estão a fazer mais do que uma fuga para frente!
    —> De facto, como não constituem uma SOCIEDADE SUSTENTÁVEL – isto é, uma sociedade dotada da capacidade de renovação demográfica – os Parasitas Intolerantes (vulgo parasitas brancos – a maioria dos europeus) procuram infiltrar-se em qualquer lado! Um exemplo: quer importando outros povos para a Europa… quer deslocando-se para o território de outros povos……

    —> Pelo legítimo Direito ao SEPARATISMO:
    http://separatismo–50–50.blogspot.com/

    Gostar

  9. Dark Side permalink
    14 Janeiro, 2009 11:37

    O cardeal disse o que pensa sem pensar no que disse… no fundo é o que toda a gente pensa mas está intimidada de o dizer por causa de alguns tiques de esquerda que povoam algumas mentes “brilhantes”

    Gostar

  10. Acção Directa permalink
    14 Janeiro, 2009 11:39

    Então já não somos ” tolinhos “, como nos chamaram aqui.

    Pode ser que um dia destes, quem nos atacou, também deixe de dormir descansado.

    Ontem, foi o princípio de algo muito novo. Surpreendente. E, não, D. José Policarpo, leiam as entrelinhas, não falou só de ” amores “…

    http://bandeiranegra1.wordpress.com/2009/01/14/o-que-mudou-para-finalmente-haver-mais-alguem-a-analisar-de-forma-clara-a-comunidade-islamica-portuguesa/

    Gostar

  11. Acção Directa permalink
    14 Janeiro, 2009 11:42

    # 3.

    Pode casar com uma muçulmana. Existem aliás casos. O noivo converteu-se primeiro ao Islão.

    Já um muçulmano casa com quem quiser.

    Gostar

  12. 14 Janeiro, 2009 11:44

    O problema das declarações do cardeal e das de quem as apoia, como foi o meu caso, é sermos salpicados na confusão desnecessária com textos e contextos como o do link acima.
    Por mim, rejeito totalmente essa mistura.

    Gostar

  13. Mula da Comprativa permalink
    14 Janeiro, 2009 11:45

    O cargo religioso do Mário Soares será pago?Quer-se dizer pelo “nosso erário”?

    Gostar

  14. helenafmatos permalink
    14 Janeiro, 2009 11:46

    Para as mulheres o problema é enorme. Em caso de divórcio dificilmente a família do marido aceita que ela fique com os filhos, mesmo num país ocidental. E caso o ex-marido viaje para um país muçulmano ela fica completamente à mercê da vontade dele. Aliás nesse países donde dificilmente uma mulher consegue tirar um filho o pai pode decidir casar esses filhos. E para uma mulher europeia ver casada a sua filha aos oitos ou dez anos é um crime.

    Gostar

  15. 14 Janeiro, 2009 11:57

    Não há qualquer diferença entre católicos e muçulmanos no que diz respeito a igualdade entre sexos. O que há é a percepção de que os católicos se estão a cagar para os cardeais burros que têm e os muçulmanos não. Mas isso é só uma percepção…

    Gostar

  16. Acção Directa permalink
    14 Janeiro, 2009 12:01

    #12.

    Pois. Mas não se pode. Convem. Mas tarde ou cedo, se saberá.

    Facto: o Cardeal foi claro. A comunidade portuguesa não é tolerante e o diálogo é difícil e viciado à partida. Facto: quem é quem na comunidade. ( Só não sabe entender quem não conhece as relações de autoridade e obediência no mundo muçulmano ). Quem manda, marca o ritmo. Quem manda de forma absolutamente autocrática? Facto: o Dr. Abdool Vakil.

    O resto, pois,

    Gostar

  17. Acção Directa permalink
    14 Janeiro, 2009 12:04

    Helena:

    Num casal muçulmano os filhos PERTENCEM SEMPRE ao pai.
    Isso tanto no sunismo como no xiismo.

    Pode-se fazer como pretendem na Inglaterra. Abrir excepções à lei do País e aplicar pontualmente a Sharia para elementos da comunidade muçulmana…

    CAA:

    Acredite que por aqui há quem saiba o Corão de cor e MUITO de Islão. E muito mais da CIL.

    Gostar

  18. Acção Directa permalink
    14 Janeiro, 2009 12:05

    Já agora:

    o meu comentário anterior, na resposta a Helena Matos, estou a fazer humor, claro…

    Gostar

  19. honni soit qui mal y pense permalink
    14 Janeiro, 2009 12:09

    É uma coisa por demais conhecida.Há para aí tantos livros de gajas “arrependidas” .Na feira do livro estão sempre á frente .
    Apanharam o Policarpo a jeito e estão a fazer um Festival de Politicamente Correcto .
    Há pouca coisa que se tire de jeito da “civilização islâmica”, um atraso de vida, a que se não fosse o pitrole ninguem ligava. .
    Nestas coisas sou muito pragmático .Gastronomia sim , costumes não.

    Gostar

  20. Pi-Erre permalink
    14 Janeiro, 2009 12:23

    Quem sabe o Alcorão de cor não precisa de saber mais nada. Nem merece, está lá tudo a que tem direito.

    Gostar

  21. hora-porra permalink
    14 Janeiro, 2009 12:35

    o islão é sujeição aos homens
    brevemente veremos passar mulheres blindadas como nos países muçulmanos

    Gostar

  22. Lince permalink
    14 Janeiro, 2009 12:40

    E eu desconfio de escrivás.
    Mas desconfio muito mais do que qualquer muçulmano, hindu, budista ou agnóstico.(Com quem convivo desde criança).
    São aquela espécie de “kafir” que se chama de “idiota útil” que será pendurado numa corda antes de qualquer crente.
    Até os católicos serão mais respeitados.

    Gostar

  23. Al Guidar permalink
    14 Janeiro, 2009 12:52

    O Cardeal desatou o saco dos lacraus. Já estão a começar de morder. E a comunicação social, ávida de choldra, ajuda à festa. Obviamente. A Igreja (um grande buuuu!) não pode abrir o bico, era só o que faltava!

    Gostar

  24. 14 Janeiro, 2009 12:58

    A origem do TABÚ-SEXO

    Nos tempos mais remotos da existência humana, o ser humano viveria duma forma em tudo semelhante à de outros animais mamíferos do planeta Terra. Consequentemente, podemos dizer que, nesses tempos mais remotos, as fêmeas humanas teriam possuído toda a Liberdade e Independência.

    Depois, mais tarde, pela necessidade de luta pela sobrevivência, ou pela ambição de ocupar e dominar novos territórios, alguém fez uma descoberta extraordinária (um truque que permite alcançar uma vantagem competitiva demográfica): A REPRESSÃO DOS DIREITOS DAS MULHERES!
    A Repressão dos Direitos das Mulheres tinha como objectivo tratar as mulheres como uns meros ‘úteros ambulantes’… para que as sociedades ficassem dotadas duma Vantagem Competitiva Demográfica!!!
    De facto, quando as guerras eram lutas ‘corpo-a-corpo’ o factor numérico (número de combatentes disponíveis) era de uma importância decisiva… visto que esse factor era (frequentemente) determinante na decisão das Batalhas (e das Guerras).

    Depois, pela necessidade de luta pela sobrevivência, ou pela ambição de ocupar e dominar novos territórios, alguém fez uma nova descoberta extraordinária: O TABÚ-SEXO!
    O Tabú-Sexo tinha como objectivo proporcionar uma melhor Rentabilização dos Recursos Humanos da Sociedade!!! De facto, o Ser Humano não é nenhum Extraterrestre: tal como acontece com muitos outros animais mamíferos, duma maneira geral, as fêmeas humanas são ‘particularmente sensíveis’ para com os machos mais fortes…
    Analisemos o Tabú-Sexo:
    – a sociedade dificultava o acesso das mulheres à independência económica;
    – as mulheres que não casassem eram alvo de crítica social;
    [portanto, como é óbvio, as mulheres eram pressionadas no sentido do Casamento];
    – não devia haver sexo antes do Casamento;
    – as mulheres não deviam procurar obter prazer no sexo;
    – as mulheres que se sentissem sexualmente insatisfeitas, não podiam falar nesse assunto a ninguém, pois o desempenho sexual dos machos não podia ser questionado;
    – era proibido o divórcio.
    Conclusão óbvia: o Verdadeiro Objectivo do Tabú-Sexo eram montar uma autêntica armadilha às fêmeas… de forma a que estas fossem conduzidas a aceitar os machos sexualmente mais fracos!!! Dito de outra forma, o verdadeiro objectivo do Tabú-Sexo era proceder à integração social dos machos mais fracos!!!

    P.S.
    Os Islâmicos reprimem os Direitos das mulheres – elas são tratadas como uns ‘úteros ambulantes’ – com o objectivo de obterem uma vantagem competitiva demográfica. Se eles não tivessem sido derrotados em 732 D.C. (em Poitiers), hoje em dia todas as mulheres na Europa andavam com burkas enfiadas na cabeça.

    Gostar

  25. portela menos 1 permalink
    14 Janeiro, 2009 12:59

    para os politicamente (in)correctos:

    “Quem diz que a Igreja Católica não se actualiza?
    Antes eram os judeus, hoje são muçulmanos”
    in Arrastão

    Gostar

  26. Luis Marques permalink
    14 Janeiro, 2009 12:59

    # 11 correcto…

    Gostar

  27. Luis Marques permalink
    14 Janeiro, 2009 13:15

    1. helenafmatos Says:
    14 Janeiro, 2009 às 11:46 am
    Para as mulheres o problema é enorme. Em caso de divórcio dificilmente a família do marido aceita que ela fique com os filhos, mesmo num país ocidental. E caso o ex-marido viaje para um país muçulmano ela fica completamente à mercê da vontade dele. Aliás nesse países donde dificilmente uma mulher consegue tirar um filho o pai pode decidir casar esses filhos. E para uma mulher europeia ver casada a sua filha aos oitos ou dez anos é um crime.
    Bom, um extremo lá…
    Aqui outro extremo… O pai fica completamente à mercê da vontade da mãe…
    Aqui o pai nada pode contra a mãe… e muito comum é o pai ficar impedido de ver os seus queridos filhos durante anos…
    Aqui, no ocidente, aonde é mais propício e factual o elo emocional entre pai e filhos por mais paradoxal que pareça “mata-se o pai”…Tudo só porque é Pai e não cabe na cabeça, nem é aceitável por ninguém que o filho possa ter um elo mais forte com o PAI, porque simplesmente é PAI….
    Ignora-se tudo, o passado, os factos… vivam os boatos e a difamação sobre a bênção dos tribunais e da sociedade….
    Aqui automaticamente há uma discriminação, não interessa o elo… tal como lá… aqui vai automaticamente para a mãe e o pai é “nada”… nem um Direito, nem uma palavra… lá o pai e o mãe é “nada”… nem um Direito, nem uma palavra…
    A questão não é só “matar” o pai… é matar o pai dentro do filho, sem avaliar as consequências nefastas e dramáticas de tal…
    “Direitos” dos Pais, aqui em Portugal, justiça para os pais não há, é um vergonhoso escândalo…repito aqui os Pais são os Tavóras do mundo de hoje, o negro da era do apartheid, os judeus do “Endlösung” Nazi……
    Conclusão, duas sociedades imorais, criminosas não tem Direito de se Criticarem… Barbaridades… são praticadas na pseudo sociedade avançada Portuguesa e na pseudo divina Islâmica…
    E quem sobre, claro os nossos queridos filhos….
    Obrigado à Isabel Stilwell – Destak de 7 de Janeiro:

    http://www.destak.pt/artigos.php?art=18788

    “… Talvez, se acreditarem que nenhum juiz compactuará com estes maus tratos, cheguem a acordo com aquele/a que, afinal, escolheram para pai/mãe dos seus filhos.
    Os divórcios são sempre duros, mas é possível fazer um “bom divórcio” que consiste na maior prova de amor que os pais podem dar aos filhos, para além de uma lição de compatibilizar interesses de forma responsável e altruísta. Só leis e tribunais que assegurem o direito das crianças a ambos os pais, não pactuando com golpes baixos nem chantagens, interessam a Portugal. …”

    Gostar

  28. Luis Marques permalink
    14 Janeiro, 2009 13:27

    Agora imagine: Um pai que mudava quase todas as fraldas do filho, dava-lhe quase sempre o biberão, dava-lhe quase sempre o seu banhinho, alimentava-o… tomava sempre conta do seu querido filho… e que decidiu trabalhar em e de casa….
    Com o tempo, levava-o à escola, tratava e preparava sempre o seu lanchezinho, fazia os trabalhos da escola com ele, tratava de tudo com todo o amor, absolutamente tudo dos assuntos escolares…
    Arranjava sempre as visitas dos seus pares a casa dele e dele a casa dos seus pares e amigos…
    Metia-o sempre na sua caminha, lia-lhe todas as noites histórias antes de ele adormecer, dava-lhe todo o amor e carinho…
    Em resumo, um pai que é o elo principal e emocional da criança… bom senso e óbvio que seja, mais ainda se a mãe nem estava por perto ainda mais o elo forte, óbvio…
    Na nossa terra, este pai é um anormal… um energúmeno… com “…comportamentos idiossincráticos e fora do padrão normal de relações sociais…”
    Acha que um pai terá alguma hipótese… mesmo que passe o relatório psicológico, mesmo que o filho por duas vez repetidamente disser que quer o pai, mas no fim haverá algum energúmenos, que pensa estar acima do Juiz de Direito e tribunal (que tudo ja fizeram para reduzir ou destruir o elo) que “acham que o Pai tem direitos a mais”, e que “filhos não precisam de pais”, sem ouvir o Pai que dirá no fim: “guarda do menor deverá ser entregue à requerente e limitados os convívios entre o menor e o pai, os quais deverão ser vigiados por terceiros da confiança da requerente ou pelas instituições responsáveis nesta matéria…”
    Tudo só porque é Pai e não cabe na cabeça, nem é aceitável por ninguém que o filho possa ter um elo mais forte com o PAI, porque simplesmente é PAI….
    Solução final: “Endlösung” dos pais… e do elo entre filhos e pais…
    “Direitos” dos Pais, aqui em Portugal, justiça para os pais não há, é um vergonhoso escândalo…repito aqui os Pais são os Tavóras do mundo de hoje, o negro da era do apartheid, os judeus do “Endlösung” Nazi……

    Gostar

  29. Mula da Comprativa permalink
    14 Janeiro, 2009 13:33

    O profeta também gostava muito de crianças.Até da sua filha Fátima, com quem fazia linguado…

    Gostar

  30. Luis Marques permalink
    14 Janeiro, 2009 13:34

    Acção Directa Says:
    14 Janeiro, 2009 às 12:04 pm
    Helena:

    Num casal muçulmano os filhos PERTENCEM SEMPRE ao pai.
    Isso tanto no sunismo como no xiismo.

    Pode-se fazer como pretendem na Inglaterra. Abrir excepções à lei do País e aplicar pontualmente a Sharia para elementos da comunidade muçulmana…

    Aqui em Portugal:

    Num casal Português os filhos PERTENCEM SEMPRE à mãe.

    E não tenham dúvidas, aqui no pseudo Estado de Direito, no pseudo superiores interesses dos nossos queridos filhos “mata-se” e destrói-se os pais vergonhosamente… por pessoas pseudo intelectuais, ou pseudo educadas com a maior malvadez e mesquinhes alguma vez vista…

    “Direitos” dos Pais, aqui em Portugal, justiça para os pais não há, é um vergonhoso escândalo…repito aqui os Pais são os Tavóras do mundo de hoje, o negro da era do apartheid, os judeus do “Endlösung” Nazi……

    Gostar

  31. 14 Janeiro, 2009 13:46

    Ó amigo do escrivá, ninguém tem culpa de teres chegado atrasado à distribuição de neurónios. Como te percebo, o caa ficou com o último, pá.

    Gostar

  32. Luis Marques permalink
    14 Janeiro, 2009 13:55

    Que Direito tem uma instituição de tirar ou “matar” um pai a uma criança?

    Gostar

  33. 14 Janeiro, 2009 13:58

    O cardeal, que não é chefe de igreja nenhuma além de Lisboa, disse o mais-que-óbvio. Nenhuma mulher em seu perfeito juizo vai casar com um maometano. Mas não devia ter dito, para isso, para opiniões cá estão os leigos, e para morder os laicos e as laicas, com e sem trela. D. José já devia ter deixado o lugar, não se percebe porque Roma ainda não nomeou outro bispo para Lisboa. Só interessam as opiniões de um bispo enquanto bispo, por isso fale como bispo e evite programas como esse da inapresentável D. Fátima. Os emboras do Caa só revelam a sua supina e consabida ignorância. Nem sequer é preconceito, é mesmo ignorância.

    Gostar

  34. Mula da Comprativa permalink
    14 Janeiro, 2009 14:01

    10 SELIM
    14 Jan 2009 às 13:26

    As mulheres portuguesas devem casar-se com muçulmanos quando os gays portugueses forem casar-se lá nos países muçulmanos…
    O cardeal acordou?Louvado seja o Senhor…

    Gostar

  35. Luis Marques permalink
    14 Janeiro, 2009 14:01

    “Perdei, ó vós que entrais, toda a Esperança”.

    Gostar

  36. Luis Marques permalink
    14 Janeiro, 2009 14:02

    Lei do Divórcio: Pai morto ou vivo? Quid iuris?

    Gostar

  37. Luis Marques permalink
    14 Janeiro, 2009 14:04

    Para qualquer Pai digno desse nome, a regulação do poder paternal é uma das mais penosas e humilhantes experiências da sua vida. É algo de tão traumático que poucos imaginam, e como é um fenómeno recente poucos tem consciência dos factos e ramificações e consequências futuras para os nossos queridos filhos…

    E se solicitar ao Tribunal o quer que seja a resposta é sempre a mesma, a mãe detêm o poder “Paternal”, a ela de decidir, e só a ela… mesmo que por exemplo tenha sido você a criar o seu filho, fazem o papel de mãe…

    Gostar

  38. Mula da Comprativa permalink
    14 Janeiro, 2009 14:06

    Os filhos devem permanecer com as mães pois estas têm formas limitadas de abuso sobre as mesmas e menos “ofensivas e lesivas”.O mesmo não se passa por espertalhões que bem podem ser uns pedófilos disfarçados de pai…

    Gostar

  39. Luis Marques permalink
    14 Janeiro, 2009 14:06

    What in name of law can be done… what flagellation of our soul and spirit are done today in court of family law, in so called social reports… So many good and decent, honorable, loving fathers are flagellated, smeared and torn apart…
    Fathers who strived nothing but the best for their beloved Children have their image shattered, their name vilified by vindictive mothers who care less of their children, but of a scurrilous vengeance and a display of total abuse of power given by a system who names itself as justice but has nothing of it.
    I pray that one day our Children might know the unlimited love, the care, the passion we fathers have for our children.
    Our children are what we have of most precious, to whom we owe our best… our unconditional love.

    Gostar

  40. Mula da Comprativa permalink
    14 Janeiro, 2009 14:09

    Ainda vamos descobrir que afinal o DO é monárquico e que o rei é o seu patrão…

    Gostar

  41. Vítor permalink
    14 Janeiro, 2009 14:09

    O Cardeal disse alguma mentira? Disse que conhecemos pouco o povo islâmico. Disse que o diálogo é dificil porque os islâmicos não vêm vantagens no diálogo ecuménico. Disse que as mulheres não são consideradas á luz da lei islâmica.

    Onde é que está a tomada de posição, a opinião??!?!!?

    Luis Marques,

    Tem toda a razão. Em Portugal apenas 3% das custódias são atribuídas aos pais, desses 85% são por motivo de viuvez. Em Portugal para se ter o poder paternal dos filhos, é bom que a mãe seja drogada, mentalmente instável ou criminosa, senão adeuzinho (mesmo assim não é garantido).

    Gostar

  42. Luis Marques permalink
    14 Janeiro, 2009 14:16

    Thanks Victor… you are 100% right…

    Gostar

  43. caramelo permalink
    14 Janeiro, 2009 14:22

    E portanto temos aqui no Blasfemias uma discussão interessantissima sobre quem deve casar com quem e porquê. Posso meter a colherada nesta discussão de comadres? E se a gaja gostar de carne de porco? Vai ter de esconder os enchidos, para os comer às escondidas?
    Portanto, hoje são cristãs versus muçulmanos; amanhã encontramo-nos aqui para discutir as desvantagens do casamento de gajas minhotas com gajos alentejanos.
    É que as gajas são tolinhas e vão com qualquer um e depois dá nisto. Numa coisa os gajos do “outro lado” têm razão: há que proteger as nossas mulheres.

    Gostar

  44. Pi-Erre permalink
    14 Janeiro, 2009 14:23

    O Cardeal não disse mentira nenhuma. Mas, caraças, mandou-nos ler o Alcorão para entendermos melhor os muçulmanos.
    Foscasse!!!!!!

    Gostar

  45. Antonio Cunha permalink
    14 Janeiro, 2009 14:48

    Estima-se que pelo menos uma vez ao ano, 50% das mulheres árabes casadas são espancadas por seus maridos e 25%, uma vez a cada seis meses (Control Ciudadano, Instituto Del Tercer Mundo, 1999).

    Gostar

  46. honni soit qui mal y pense permalink
    14 Janeiro, 2009 14:51

    nem mais … sintetiza tudo sobre os chanfrados do corão

    Acção Directa Says:
    14 Janeiro, 2009 às 11:42 am
    # 3.

    Pode casar com uma muçulmana. Existem aliás casos. O noivo converteu-se primeiro ao Islão.

    Já um muçulmano casa com quem quiser.

    Gostar

  47. Acção Directa permalink
    14 Janeiro, 2009 14:52

    Luís Marques: tens TODA a razão e eu até sou um pai que não se queixa.
    Isso não tira qualquer validade às palavras do Cardeal Policarpo.

    Como não católico só digo: pelo andar da carruagem, em vinte anos, ainda vão ter saudades da Igreja. E da Europa.

    Quem cá estiver, verá.

    Gostar

  48. honni soit qui mal y pense permalink
    14 Janeiro, 2009 14:53

    24

    o Louçã que se saiba não é mulher e anda com uma burka enfiada na cabeça … aliás o Miguel Portas anda com duas

    Gostar

  49. salim islva permalink
    14 Janeiro, 2009 14:56

    é lindo ver um blog liberal a defender a ortodoxia catolica
    e cheio de amiginhos fascistas e nacionalistas, que se fizessem uma análise ao ADN cometiam suicidio, já que todos temos sangue judeu, arabe, etc

    o problema não ´e o casamento é a condicão social da mulher nos paises islamicos
    cá, a codição social da mulher é diferente contra a vontade da igreja…

    Gostar

  50. Arsénico permalink
    14 Janeiro, 2009 15:37

    #49 Salim

    Já agora, não esqueça os sionistas, “pecudos” e os “neoconeiros” em geral ( nem sei como ainda não temos comentários do “Euroliberal”), e denuncie as palavras do cardeal como manobra de diversão para distrair a malta da “agressão ” israelita… mas, vamos lá a ver: qual foi a mentira que o homem disse? O problema não é o “sangue”, é a concepção dominante no ideário muçulmano da submissão total da mulher ao homem. E não venha com a conversa de treta de que a igreja católica não aceita o divórcio – pois não, nem é obrigada; pode-se concordar ou discordar; não obstante, em Portugal, um católico pode divorciar-se à vontade, e não leva dez chibatadas por isso; experimente pôr uma mulher ao volante na Arábia Saudita, e veja o que acontece….

    Gostar

  51. Acção Directa permalink
    14 Janeiro, 2009 15:40

    #49.

    Espantei-me. É por aprender tanto que gosto de vir aqui.

    ” Fascistas e nacionalistas “. Não se pode ser Nacionalista e não ser fascista? Valha-me a Virgem…é que eu gosto da Nação, enquanto Heimat. Mas não do Estado, da Pátria e muito menos de fascistas. Ou do Kapital…

    Gostar

  52. Anónimo permalink
    14 Janeiro, 2009 15:49

    CAA defende padres…

    Gostar

  53. Anónimo permalink
    14 Janeiro, 2009 15:51

    CAA a defender os padres…

    Gostar

  54. 14 Janeiro, 2009 15:56

    Giro. Muito giro.

    O CAA a defender o mais alto dignitário da Igreja portuguesa.

    E alguns “liberais” a defenderem o estatuto “canino” das mulheres!

    Está na hora de rebentar uma guerra, a sério. Não aquela de Gaza. Parece que há por aí muita energia a necessitar de ser liberta!

    Acreditamos que o “bem” vencerá sempre o “mal”.

    Até lá, é importante comprar acções da Lockeed Martin, da Boeing, da Lagardére ou da Northrop-Grumaan!

    Gostar

  55. Pi-Erre permalink
    14 Janeiro, 2009 15:57

    “…se fizessem uma análise ao ADN cometiam suicidio, já que todos temos sangue judeu, arabe, etc”

    Sangue no ADN? Não será nas mãos?

    Gostar

  56. 14 Janeiro, 2009 16:01

    E fala Policarpo, que nem com católica pode casar.

    Gostar

  57. Acção Directa permalink
    14 Janeiro, 2009 16:02

    #55.

    Lapidar. Até logo. ( Gostei mesmo dessa. A SÉRIO ).

    Gostar

  58. atom permalink
    14 Janeiro, 2009 16:10

    1. O Sr. Cardeal disse que o Islão se considera como único detentor da verdade. Pois é perfeitamente natural que assim se considere. Considerar as verdades dos outros, implicaria a aceitação da teoria sionista da Relatividade. Essa teoria diz que há vários relatos divergentes, e apesar disso verdadeiros, de um dado acontecimento para observadores localizados em diferentes referenciais. Esta teoria, descaradamente sionista, foi inventada por um notório “capo” sionista ao serviço dos americanos chamado Albert. Este indivíduo aplicou a linguagem matemática (outro artifício habitual dos sionista) para dar credibilidade à tal teoria. O nome de “capo” aplicado ao dito sionista Albert peca por suave. Pois como ficou demonstrado por muitos participantes no Blogue Arrastão, esse nome era aplicado aos ajudantes sionistas dos guardas prisionais alemães. Os quais, aproveitando os momentos de distracção desses guardas, se entretinham a chacinar outros sionistas detidos nos citados estabelecimentos prisionais, para após a guerra, imputarem tais crimes aos alemães. Portanto se o Sr. Albert colaborou com os americanos, (o verdadeiro império satânico) o apelido de “capo” é classificativo suave para este sionista. Felizmente o Sr. Albert já faleceu, e claro, os americanos (o verdadeiro império satânico) não perdem pela demora… vão levar com um bloco na parte esquerda do crânio.
    Está a circular o boato que no Irão estão a utilizar uma fórmula do “capo” Albert, para calcular o rendimento energético em função da massa a fim de calcular a potência da bomba destinada a resolver o problema sionista. Ora como qualquer crente sabe, essas fórmulas são revelações divinas que só os crentes podem receber. Não faltava mais nada que fossem reveladas a um sionista!
    E o Sr. Cardeal vai ver o que lhe acontece quando for estabelecida a Ditadura do Califado.

    Gostar

  59. pvnamII permalink
    14 Janeiro, 2009 16:15

    «…se fizessem uma análise ao ADN cometiam suicidio, já que todos temos sangue judeu, arabe, etc…»

    TODOS DIFERENTES!!! TODOS IGUAIS!!!
    — Isto é, TODOS os Povos Nativos do Planeta Terra:
    -> INCLUSIVE os de ‘baixo rendimento demográfico’ (reprodutivo) !!!
    -> INCLUSIVE os economicamente pouco rentáveis !!!
    devem possuir o Direito de ter o SEU espaço no Planeta!!!
    {nota: os povos nativos de Boa Vontade (apenas reclamam o Direito de terem o SEU espaço no Planeta) devem possuir o legitimo Direito de se defenderem de Predadores Insaciáveis(…) que estão numa corrida demográfica pelo controlo de novos territórios}

    —> A cada dia que passa, a Inquisição Mestiça ganha mais força repressiva… a luta pela sobrevivência é, sempre foi, e continuará a ser, uma coisa difícil e complicada… as Identidades Étnicas Autóctones só têm uma coisa a fazer: lutar pela sobrevivência… consequentemente… contrariando aquilo que os espertalhões da Inquisição Mestiça pretendem… não devemos ser Fundamentalistas!!!… Assim sendo, devem ser considerados NATIVOS todas as pessoas com, pelo menos, x % de GENES TÍPICOS NATIVOS… ( nota: x% -> a definir por uma comissão científica )

    Gostar

  60. salim islva permalink
    14 Janeiro, 2009 16:17

    arsenico
    não deve ter lido bem o que eu disse , até porque eu tenho ascendencia judaica e defendo obviamente o estado de israel

    quanto ao accão directa
    o que é a nação???

    povo branco????

    Gostar

  61. 14 Janeiro, 2009 16:40

    Pois, é esta a consequência das declarações do Cardeal: a sua intolerância gerou mais intolerância ainda.
    Mas será assim tão complicado admitir e compreender que, sim, existem culturas diferentes das nossas, diferentes formas de pensar, de viver, e que essa é a verdadeira essência do Planeta? É por isso que ainda não somos todos uma cambada de andróides…
    Eu estou-me borrifando para a opinião do cardeal, só acho que tendo em conta a posição que ocupa deveria ter mais preocupação com o eco das suas palavras!

    Gostar

  62. pvnamII permalink
    14 Janeiro, 2009 16:45

    «…será assim tão complicado admitir e compreender que, sim, existem culturas diferentes das nossas, diferentes formas de pensar, de viver…»

    —> Pois é, o problema é mesmo esse: existem Predadores Insaciáveis(…) que estão numa corrida demográfica pelo controlo de novos territórios… e que não admitem que outros… possuam o SEU espaço no Planeta!

    Gostar

  63. honni soit qui mal y pense permalink
    14 Janeiro, 2009 16:46

    já estamos numa de benfica-sporting …

    61
    claro … e até devemos aceitar que mutilem para punir o roubo, e enterrem humanos vivos para punir a homossexualidade
    devemos pois admitir e compreender as culturas diferentes das nossas …

    androides , daqueles do blade runner são precisos sff , a realidade parece muito pior

    Gostar

  64. caramelo permalink
    14 Janeiro, 2009 16:47

    61

    Mas é que o Policarpo, iô, é agora um ganda maluko do politicamente incorrecto.

    Como é que o CCA aplaude a intervenção do Cardeal Patriarca na vida privada dos indivíduos, daquela forma paternalista, é que é coisa que ainda me ultrapassa.

    O mais engraçado é que os seus pares vieram logo pôr água na fervura, com aquela hermenêutica bizantina como só eles sabem. É que, obviamente, devem ter posto as mãos à cabeça…

    Gostar

  65. Pi-Erre permalink
    14 Janeiro, 2009 16:52

    “É que, obviamente, devem ter posto as mãos à cabeça…”

    E no entanto sabem que o Policarpo tem carradas de razão.

    Gostar

  66. Acção Directa permalink
    14 Janeiro, 2009 16:52

    Se não sabes já não aprendes. Ou não és de cá. Olha: cozido à portuguesa, serve?
    Branco? Com ou sem alentejanos? Estamos na Europa, dizem. Não sei.

    Pergunta ao banqueiro: vai pedir EXPLICAÇÕES ao Cardeal. Pois. Quem tem banco, mesmo que BPN, tem muito.
    Pena não se poder pedir explicações ao dito sobre o banco. Ou ao Sampaio sobre os motivos porque o condecorou num 10 de Junho.

    Gostar

  67. Acção Directa permalink
    14 Janeiro, 2009 16:53

    Vai ler, sei lá, Herder. Por exemplo.
    #60.

    Gostar

  68. salim islva permalink
    14 Janeiro, 2009 16:54

    Acção Directa
    falas falas falas mas não dizes nada…

    Gostar

  69. 14 Janeiro, 2009 16:55

    Ainda por cima o Policarpo é Socialista! Iô!

    Gostar

  70. 14 Janeiro, 2009 16:56

    Quantas virgens estão do “outro lado”? Digam lá? Só virgens. Das outras, não.

    Gostar

  71. Pi-Erre permalink
    14 Janeiro, 2009 16:57

    #58 Atom

    Tudo isso está no Alcoirão.

    Gostar

  72. caramelo permalink
    14 Janeiro, 2009 17:03

    65

    Pi-Erre, se tem razão ou não, é uma coisa. Outra coisa é que o Cardeal Patriarca Dom José Policarpo não está lá para ter “razão”… por alguma razão não o tratam habitualmente por Zé Policarpo.

    Gostar

  73. Mula da Comprativa permalink
    14 Janeiro, 2009 17:29

    Com tantos defensores dos islâmicos que aqui vejo vamos lá a implementar o casamneto gay nos países muçulmanos se assim houver maioria ou impedi-lo cá…

    Gostar

  74. Mula da Comprativa permalink
    14 Janeiro, 2009 17:31

    Portanto com tantos defensores do diálogo com muçulmanos vamos lá aplicar a sharia aqui.Enforcar os gays,apedrejar as adúlteras, cortar as mãos aos gatunos, fazer umas madrassas de bombistas suicidas…

    Gostar

  75. Mula da Comprativa permalink
    14 Janeiro, 2009 17:39

    Eu se fosse beija-tapete ia-me já embora de Portugal…

    Gostar

  76. 14 Janeiro, 2009 18:02

    “Portanto com tantos defensores do diálogo com muçulmanos vamos lá aplicar a sharia aqui.Enforcar os gays,apedrejar as adúlteras, cortar as mãos aos gatunos, fazer umas madrassas de bombistas suicidas…”

    Já. Amanhã. Não, hoje.

    Em cada Escola da Milú, uma Madrassa, para ver se eles aprendem alguma coisa.

    Gostar

  77. Acção Directa permalink
    14 Janeiro, 2009 18:07

    Contigo? Lolololol…bacalhau com todos? Lolololol…o que tu queres sei eu.

    Gostar

  78. Acção Directa permalink
    14 Janeiro, 2009 18:07

    #76.
    J.

    Posso roubar o fim do seu comentário?

    Gostar

  79. Pi-Erre permalink
    14 Janeiro, 2009 18:25

    “Com tantos defensores dos islâmicos que aqui vejo vamos lá a implementar o casamneto gay nos países muçulmanos se assim houver maioria ou impedi-lo cá…”

    Casamentos gay parece que não há.
    Mas dizem que os gajos costumam casar com cabras, ovelhas e camelas.
    O Alcoirão não proíbe.

    Gostar

  80. Arsénico permalink
    14 Janeiro, 2009 18:28

    #50

    Ok, Ok – מִצְטַעֵר

    Gostar

  81. 14 Janeiro, 2009 18:31

    Devem sim casar com quem bem entenderem, se forem adultas e vacinadas, devem avancar.Se sao Portuguesas vivem num estado dito democratico ,logo tem acesso a tudo, escolas, informacao,etc, assim sendo, sabem o que se passa no mundo, logo conhecem o meio onde se vao meter, logo se o amor fala mais alto…

    Gostar

  82. 14 Janeiro, 2009 18:35

    Ena, ena, tanta prova de superioridade cultural que para aqui vai.

    Pena que não tentem casório com rabino para verem no que dá. Ou quem diz rabino diz monhé que também têm costumes altamente modernos.

    Só fico espantada como o Papa não fez ainda uma declaração- então não é que o nosso Policarpito já passa por chefe da Igreja e no Vaticano nem se sabe?

    Gostar

  83. justine permalink
    14 Janeiro, 2009 18:43

    O cardenal tem razão. Que até por cá se mata mulheres por casar e casadas. Mas tudo na lei de deus, no seio da santa igreja. Não como na Palestina, no Iraque e Afganistão, ao peso da morteirada de canhões, de tanques e mísseis teleguiados, num horror de guerra santa dos judeus e cristandade.
    E digo-o como mulher. Que admira só agora se ouvir o prelado.

    Gostar

  84. justine permalink
    14 Janeiro, 2009 18:48

    E diz que também russos, ucranianos, como os outros desses lados, não são boa escolha, ortodoxos, veja lá, ó CAA, quando não médicos, engenheiros, se não mesmo cientistas, na maioria formados.

    Gostar

  85. justine permalink
    14 Janeiro, 2009 18:51

    Por outro lado, que também nisto há outro lado, diz que as virgens cristãs são mais brancas, mais doces, se são cruzadas.

    Gostar

  86. Anónimo permalink
    14 Janeiro, 2009 19:24

    “O Cardeal tem razão” – Amén.
    PS – intercultural.

    Gostar

  87. Mr. Hyde permalink
    14 Janeiro, 2009 19:47

    Comentário 86

    Gostar

  88. Ateu permalink
    14 Janeiro, 2009 20:04

    O islão vive nas trevas.Em vez de se vitimizarem deviam evoluir, abandonar as crenças descriminatórias em relação às mulheres, abandonar a poligamia, dar às mulheres os mesmos direitos que aos homens, acabar com o aparthaid de género,e com a pena de morte para os muçulmanos que abandonam a sua fé, em suma tornarem-se civilizados. Então poderão falar de igual para igual com o ocidente. E a comunidade muçulmana em Lisboa, só devia botar falatório sobre o Cardeal, quando nos paises muçulmanos acabar a proibição de igrejas e os não muçulmanos tiverem liberdade religiosa. E acabem lá com essa ladainha do racismo e xenofobia, que religião não é raça.

    Gostar

  89. 14 Janeiro, 2009 20:15

    É, é tudo assim terrível, basta viver para essas bandas. E é tudo igual. Por isso mesmo é que até a Natascha Kinski casou com um árabe e até a princesa Di andava com outro, né?

    Mas se for casório com indu ou macumba africana não há crise.

    Até porque o mundo não mudou desde que Napoleão decretou que a mesma Europa tinha atingido o expoente máximo de civilização e a partir daí só faltava exportá-la.

    Gostar

  90. 14 Janeiro, 2009 20:17

    Agora as boas trevas do ateísmo e os milhões bem recentes de mortos que fizeram foi engano.

    Na volta,tivessem tornado o mundo todo ateu, e isto era um paraíso.

    Até porque curiosidades culturais são coisa para selvagem e antropologia está fora de moda.

    Agora, a prova máxima de desenvolvimento ocidental mede-se por paradas gay e capacidade de excitação sempre que há guerras nesses lugares infames.

    Gostar

  91. 14 Janeiro, 2009 20:19

    O que eu gosto de ouvir estas frases do “islão vive nas trevas” ditas por estes iluminados.

    Soa a velho escape de grunho das berças em cima de motorizada.

    Como eles são civilizados na estrada…

    Gostar

  92. 14 Janeiro, 2009 20:21

    Mas a lógica e tomar partido, como na bola, é que importa. Agora, à falta de mundial, temos a boa da guerra para torcer.

    Prova de civilidade que mais ninguém consegue. Então se torcer pelos mortos que não vivem em democracia, dá direito a bebida à borla na tasca da moda.

    Gostar

  93. 14 Janeiro, 2009 20:23

    Quero dizer, por aqueles mortos inúteis que são machistas e fanáticos e que nem fazem falta nenhuma à boa da nossa civilização Ocidental.

    Que fica mais para ocidente no mapa. Não tem que enganar.

    Gostar

  94. Anónimo permalink
    14 Janeiro, 2009 20:58

    Ninguém te liga nenhuma, Zazie. Já reparaste?

    Gostar

  95. Anónimo permalink
    14 Janeiro, 2009 21:09

    A não perder:
    http://controversamaresia.blogs.sapo.pt/149128.html

    Gostar

  96. 14 Janeiro, 2009 21:58

    Reparei que há alguém que nem nome tem que se viu ao espelho. Tens alguma coisa para dizer ou só andas na blogo para reparar em mim?

    Gostar

  97. Acção Directa permalink
    14 Janeiro, 2009 22:06

    Que não seja por isso que por aqui vale tudo.
    ( Não sei quem é mas ) viva a Zazie.

    Gostar

  98. helderega permalink
    14 Janeiro, 2009 22:13

    Iuhu! Zasie’s back!
    Embora um pouco murchita!
    Vamos! Vamos! Então?

    Gostar

  99. 14 Janeiro, 2009 22:19

    Anónimo 95. tinha que vir um paspalho anónimo mandar vir, lá porque não sabe o que dizer. É assim quem não tem nada a defender, tem a ofender.

    Mas vocês não se fartam da vossa monotonia? Têm que ter sempre um bode expiatório.

    É só dor de cotovelo, Zazie.

    Gostar

  100. 14 Janeiro, 2009 22:22

    É que eu ando por aqui a fazer o meu National Geographic. Deve ser difícil juntar tanto grunho por uma missão mais nobre- este gosto pelo extermínio do desconhecido em prol de chavões.

    Cá pra mim aposto que também te achas uma pessoa evoluidíssima. Nada de comparável com esses bárbaros que nem conheces mas que dizem que são terroristas e tratam pior as mulheres ao vivo que v.s virtualmente.

    Até aquela barbie monga da maresia se julga gente, à custa destas palhaçadas. Até porque só se lembram das selvajarias islâmicas quando quem o não é se comporta de forma mais bárbara e não mata islâmicos- mata seres humanos, neste caso palestinianos.

    Da última vez foram aos milhares de libaneses, que até tiveram honras de apanhar com armas químicas, naquela manifestação de “superioridade humanista de shock and awe ocidental”.

    ————-
    murcho está o site. Esta coisas só se podem fazer em doses pequenas e de nariz tapado.

    Já estou de saída- Fede- o Blasfémias fede.

    Gostar

  101. Toni o Grunho permalink
    14 Janeiro, 2009 22:40

    zazita já percebi o que te falta:

    Tu precisas é de sexo, e de preferencia com um Grunho Árabe que te mostre como é.

    Porrada nos cornos e pouco barulho.

    Tem juizo pá

    Tu e o euroliberal davam um belo casal.Assim só se estraga uma casa. De neopencudos

    Get a live

    Gostar

  102. Arsénico permalink
    14 Janeiro, 2009 23:01

    #101

    Não podem – o Corão proíbe o hermafroditismo

    Gostar

  103. 14 Janeiro, 2009 23:13

    Do postal: “”(dizendo o costume: “não fui bem interpretado, a comunicação social transmitiu mal o meu pensamento…”). Espero que não o faça.””

    O que ele disse é aquilo que qualquer mãe com dois dedos de testa diria à filha – isto é, puro bom senso.
    Aquela gente a mandar vir lá no jornal (os comentários ao artigo) deve já ser a geração alimentada com coca-cola aspartan. É o que dá. Fica-se idiota.

    “Ai, ele nunca leu o evangelho, ai que anti-cristão”. Sofrem de estupidite aguda.

    Está o homem a fazer a boa acção do dia. Para que não aconteça aquelas miúdas o que acontece por cá. Ele é as meninas convertidas ao Islão, metidas em sacos e burkas logo pela manhã, ao pequeno almoço, em frente aos pais.

    O que não percebem é que é tudo made in ianque land & Cª.

    É no que dá a política internacional dos manda tudo. Vão lá ao meu blogue e ouçam Friedmman,

    http://ailhadosamores.wordpress.com/2009/01/13/os-ianques-confessam-se-ao-mundo/

    Dá luzes sobre o que é esta guerra. Vá vão lá ter com os vossos amiguinhos.

    E então ” a “””””natural****** decline in population growth. hahahaha

    “”quando quem o não é se comporta de forma mais bárbara e não mata islâmicos- mata seres humanos, neste caso palestinianos.

    Da última vez foram aos milhares de libaneses, que até tiveram honras de apanhar com armas químicas, naquela manifestação de “superioridade humanista de shock and awe ocidental”.

    “”

    Absolutamente.

    Gostar

  104. 14 Janeiro, 2009 23:20

    Realmente. Get a life é estribilho de outra mazela blogosférica.

    As vs. demonstrações de vida medem-se pela capacidade de se superarem no gosto pelo abjecto.

    Gostar

  105. celestine permalink
    14 Janeiro, 2009 23:21

    “Ninguém te liga nenhuma, Zazie. Já reparaste?”

    Anonimo sayz

    E diz por dizer, talvez admirado da sensatez Zaziana, das poucas que ainda pensam por aqui.

    E eu gostei foi daquela da sabença sobre a motorizada, que bem cabe nestas berças blasfemórias.

    Gostar

  106. 14 Janeiro, 2009 23:27

    Há maneiras mais honestas de se exorcizarem fantasmas. Se vs. sentissem vergonha, calavam-se.

    Mas não sentem. Têm aquele prazer doentio de escarafunchar na imundice. Como quem não é capaz de perder um desastre com sangue exposto na estrada.

    Chama-se a isto o olhar monstruoso.

    Freaks de feira, grunhos e analfabrutos que nem curiosidade cultural manifestam. Não sabem nada, não lhes interessa estudar nada, apenas ulular com esta última forma de ditadura que dá pelo nome do politicamente correcto.

    E nem conhecem as boas das séries televisivas do Michael Palin. Já que não abrem um livro, podiam ao menos aprender alguma coisa na tv ou dar melhor uso ao computador.

    Mas não- gostam do hooliganismo do sangue- da barbárie por interposta pessoa, já que nem à tropa devem ter ido, quanto mais lutar numa guerra.

    Gostar

  107. Arsénico permalink
    15 Janeiro, 2009 00:02

    #107
    Escreve-se “Imundície”. Dota-te de alguma “curiosidade intelectual”, e vai inscrever-te nas ” Novas oportunidades” – ou então, enfia os dedos numa ficha.

    Gostar

  108. celestine permalink
    15 Janeiro, 2009 00:03

    Por amor de deus, calem-se. À imagem de outros grandes, Beethoven, Mendelshon, Marx, Lenine, o próprio Hitler, ouvi hoje, que, por apagar registos, ordenou o bombardeio da sua terra natal, primeiro, do mesmo Woody Allen, judeu, quanto anti-judeu, além de ateu, don policarpo é judeu, distinto dos mais por ser um prelado marido da carpa.

    Gostar

  109. celestine permalink
    15 Janeiro, 2009 00:07

    Hi, parabéns, entendo, Arsénico é o frasquinho de veneno que tem junto um dicionário.

    Gostar

  110. fnv permalink
    15 Janeiro, 2009 00:11

    O #101 estragou tudo.

    Gostar

  111. celestine permalink
    15 Janeiro, 2009 00:14

    Cum carago, vi o vídeo policarpo, com a fatimosa ferreira a ouvir, séria, e pensei logo os sarilhos em que a virge se meteu, a levar à séria a lenda, quando deu à pomba ovidos e o mais, se tanta é a hipocrisia, meu deus!

    Gostar

  112. celestine permalink
    15 Janeiro, 2009 00:16

    O 101 não estragou, vestiu-se de grunho na festa e falou.

    Gostar

  113. 15 Janeiro, 2009 00:18

    http://dissidentex.wordpress.com/2009/01/12/full-spectrum-dominance/

    http://dissidentex.wordpress.com/2009/01/14/full-spectrum-dominance-dois/

    Estão lá por cima do tal vídeo que deixei, mas esqueci-me de por no utimo postal, sobre

    sobre FULL SPECTRUM DOMINANCE . Aqui deixo as ligações para o artigo que está no blogue do dissidentex… que é para não pensarem que o quero é que vão lá ao meu blogue, se bem que eu também gostasse disso – mas não é o que conta para aqui.

    Gostar

  114. 15 Janeiro, 2009 00:25

    NO meu 99, onde está anónimo 95, enganei.me: é para anónimo 94, aquele do Zazie, já reparaste que…

    Gostar

  115. celestine permalink
    15 Janeiro, 2009 00:31

    O policarpo é sandeu.

    Gostar

  116. 15 Janeiro, 2009 00:35

    “”Agora as boas trevas do ateísmo e os milhões bem recentes de mortos que fizeram foi engano.””

    Isso não conta. Mesmo assim a culpa permanece da religiao. Da que têm os outros.

    Gostar

  117. Amonino permalink
    15 Janeiro, 2009 01:00

    .
    Isto das fés é só fezadas sobre Humanismo, ser Humano.
    .

    Gostar

  118. 15 Janeiro, 2009 01:05

    Olha que engraçado. Aquele senhor muito culto, defensor da compreensão dos terroristas da AlQaeda, que escreve no Mar Salgado e dá pelo nome de Filipe Nunes Vicente também se juntou à mongalhada (#111).

    E fez uma bela estreia- com um nível espantoso, para um filo-judaico anti-machista.

    Pelo menos fica-se a perceber o motivo pelo qual há loucos e taralhoucos que se julgam psicos, apenas porque agarraram primeiro a bata do doutor…
    ————

    Só é pena ele não fazer nova maratona com o outro atrasado mental dos jornais a explicar como se podia resolver o problema da Jiahd com a intervenção do Mário Soares.

    É mesmo uma peninha- este farrusco tem posts de antologia na qualidade de travestti ideológico.

    Só bufa agora porque gosta de estar sempre do lado das vítimas do Holocausto e sempre, sempre do lado onde há putas, paneleiros e paradas gay (sic)

    Tudo efeitos literários: leu demasiado Sebald…

    Gostar

  119. 15 Janeiro, 2009 01:07

    Um dia destes volto postar aquelas frases históricas a propósito da destruição do Líbano para se comparar com o que o idiota dizia ao defender a importância em se compreender os problemas e motivações dos coitados dos terroristas.

    Gostar

  120. 15 Janeiro, 2009 01:09

    Até chegou a insultar-me, a mim e ao Luck Lucky quando metia os pés pelas mãos e conseguia fazer o pleno da importância da psicanálise na compreensão do terrorismo, com o erro legítimo da polícia inglesa ao matar o desgraçado do brasileiro no metro.

    Este FNV é uma personalidade. Uma inteligência rara. Tão rara que deve ter desaparecido à nascença- a par da coluna vertebral…

    Gostar

  121. 15 Janeiro, 2009 01:14

    Aliás, ele não é filo-judaico, porque isso nem ele gosta- odeia religiões- ele é um SS sionista. Daqueles que são capazes de dizer que esse é o clube deles e não há limites, nem responsabilidades de Estado, nem de Governos, nem de políticas para tudo o que Israel faça.

    Até podia dar-se o caso de Israel retaliar com bomba atómica por terem morrido 9 soldados ou terem raptado 2.

    Vale tudo- Israel não é um Estado nem tem governo- Israel é o coitado do Judeu errante. A eterna vítima. E os eternos culpados são todos os fanáticos, a começar pelos que eles colonizaram, depois do treino com especialistas nazis e estalinistas.

    E já me esquecia- a ICAR! a Inquisição. Isto tudo ainda é tributo a pagar pela famigerada Inquisição.

    Gostar

  122. Luis Marques permalink
    15 Janeiro, 2009 01:38

    “Está pois a pena de morte abolida nesse nobre Portugal, pequeno povo que tem uma grande história. […] Felicito a vossa nação. Portugal dá o exemplo à Europa. Desfrutai de antemão essa imensa glória. A Europa imitará Portugal. Morte à morte! Guerra à guerra! Viva a vida! Ódio ao ódio. A liberdade é uma cidade imensa da qual todos somos concidadãos.”
    Victor Hugo, em 1876, a propósito da abolição da pena de morte em Portugal (o primeiro país europeu a fazê-lo).

    Caro Terpsichore, Lusitana Combatente,

    Quem me dera que Portugal desse o exemplo na “abolição da morte dos pais…”

    Que em vez de seguir cegamente as modas externas, fossemos luz com coragem e tendo em consideração a “veritas” e os verdadeiros interesses dos nossos filhos… de ter pai e mãe…

    Gostar

  123. 15 Janeiro, 2009 02:14

    Oh Luís eu no outro dia fiz-lhe umas perguntas para não estar a dar bitaites sem saber nada… há quanto tempo é que vive assim? quer deixar-me uma mensagem na Ilha, se quiser falar? Quantas vezes é que pode ver o seu filho? Há alguma coisa que eu possa fazer? Qual é a situação agora?

    Repare, isso que diz que mataram o pai dentro do seu filho, não é verdade. Não é assim que as coisas funcionam. A sua relação com o seu filho, não depende do tempo que está com ele, uma vez que ele sabe qeu não lhe é permitido estar mais. A sua relação com ele é feita por aquilo que fizer da relação que tem com ele. As crianças não são estúpidas.

    Mas eu não sei qual é a situação, portanto… só faço suposições:
    Só sei que você pode eventualmente construir uma relação de tanta qualidade como se vivesse com ele.

    ?

    Gostar

  124. 15 Janeiro, 2009 02:20

    “”Que em vez de seguir cegamente as modas externas, fossemos luz com coragem…””

    Esse é o objectivo.

    Gostar

  125. 15 Janeiro, 2009 07:05

    Após a queda dos Talibãs descobriu-se que todos os chefes ostentavam fotografias com jovens imberbes ao seu lado. Cada um tinha o seu. Conclusão: pedofilia pura e simples. Eles tapavam as mulheres, porque queriam papar os putos!

    Gostar

  126. Sofia Macedo permalink
    15 Janeiro, 2009 09:49

    Caro Luis Marques,
    Eu aconselho terapia…o seu discurso é completamente delirante, o que fica de lá é “os pais, oh os pais”. Parecem mais linhas de uma obra Shakespeariana do que outra coisa… blablabla blabla
    Essa sua ideia da justiça já mudou há muito tempo. Trabalhei por algum tempo (o suficiente) em casos de regulamento paternal e o que acontece é que, realmente, a maior parte dos pais (do sexo masculino) nem sequer quer ver os filhos. Aqueles que querem, usualmente, não têm problemas em fazê-lo (desde que não tenham distúrbios que possam dificultar o seu desenvolvimento e discursos delirantes).
    A realidade é que, infelizmente, na nossa sociedade, tomar conta dos filhos ainda é visto como responsabilidade exclusiva das mães…é por isso que vemos pensões de alimentos que não dão sequer para pagar a comida de um mês…como se uma criança não tivesse mais necessidades e como se essas necessidades não fossem responsabilidade de ambos os pais. Não sou feminista, longe disso, sou a favor da justiça tendo em conta as diferenças…não essa treta dos mesmos deveres para todos esquecendo a individualidade…homem e mulher são diferentes, ponto.
    O Homem é um ser “inteligente” (bem, pelo menos dotado com capacidade para isso) e sabe muito bem quando usar as coisas a seu favor…Têm um filho, mas a mulher é que tem que ficar com o trabalho “chato” (na ideia deles)…Se lhes interessa, utilizam a justiça para não darem qualquer pensão, para não terem qualquer responsabilidade e presença na vida dos filhos, etc etc (todos sabemos que estes casos são esmagadoramente superiores ao oposto)…Quando até querem dar umas voltinhas com os filhos e tal, então a culpa é da justiça “que mata o pai dentro da criança”…Por favor, nunca vi a justiça a opor-se à presença saudável do pai na vida da criança…pelo contrário, a “Justiça” por vezes falha ao obrigar a convívios que não são assim tão saudáveis, por acreditar que o bem da criança é ter os dois pais presentes…

    E já agora, o que é que isso tem a ver com o post? Nada.
    O discurso de D. Policarpo foi incrivelmente coerente para alguém do Clero. Não houve qualquer ponta de xenofobia nos seus comentários (ao contrário do que os esquerdistas radicais e aqueles que são do contra por ser querem afirmar). Aliás, vimos que apontou no final para a necessidade de melhor entendemos outras religiões para procedermos ao verdadeiro diálogo, coisa que pelos vistos ninguém quer comentar e que demonstra um alerta e abertura para todo o tipo de religiões. Ele tem toda a razão no que disse…é pena que seja preciso ter alguns neurónios para entender, em vez de se criticar imediatamente só porque ele pertence à Igreja (ainda mais piada tem que muitos dos que criticam-no como “politicamente incorrecto” por causa do posto que ocupa, nem sequer são católicos). Não sou católica, mas fiquei imensamente orgulhosa por finalmente alguém em Portugal dizer a verdade do que pensa…porque é que os muçulmanos podem criticar consecutivamente as outras religiões (sem ninguém se queixar, pois todos têm direito a opinião) e ninguém pode falar o que pensa na verdade deles?

    Gostar

  127. honni soit qui mal y pense permalink
    15 Janeiro, 2009 10:22

    Tanta asneira .

    Isto até começou bem.

    Mas depois descambou para o benfica-sporting do costume, e mais umas intervenções particulares avulsas a despropósito,como a habitual ladaínha e guerra pessoal do Luís Marques contra a mãe que lhe ficou com os filhos por decisão judicial…lamento , mas não tem nada que ver com o que se estava a falar, nem há comparação possível com o estatuto pessoal da guarda dos filhos no Islão.

    Quanto ao resto , o cardeal , convenhamos, não disse nenhuma mentira e até foi simpático.
    Enquanto hoje os jornais se dedicam a encontrar catolicas que casaram com muçulmanos e são felicissimas ( não lhes passou pela cabeça procurar os outros casos das infelizes … ai ai … a nossa imprensa sempre arreigada aos amigos do avental ) .

    É desta nossa divisão que cresce o Islão.De facto , atendendo ao evoluir da coisa e demografia, o tempo vai dar-lhes razão .

    Como disse um clérico whabista saudita aqui á uns tempos atrás , o ocidente está perdido :
    1) permite a emigração
    2)permite o proselitismo
    3)e sendo regido pela regra do voto , mais 50 anos a Europa será regida pela sharia.

    pode ser que sim , pode ser que não …

    mas o que desgosta é ver gente que intrinsecamente sabe e percebe que os preceitos islâmicos são irreconciliáveis com o estatuto da mulher no ocidente ,e com o assumpção dos seus direitos conquistas nos ultimos 100 anos … e releva tudo isso apenas para contrariar aqueles que mais perto não comungam da sua visão partidária e muito preto-branco , benfica-sporting …

    em bom português funciona assim :

    “em sou de esquerda , não gosto da igreja , do bush , e da direita ( todos uns grunhos ) , e embora o Islão seja um atraso de vida e um perigo para os direitos conquistados das mulheres no ocidente … o islão está lá longe ( é como os adeptos do fcp ), e Deus me livre de ter de concordar com os grunhos da direita portugueses … e logo estes do Blasfémias … sim porque eu sou da esquerda esclarecida, multicultural ( não sou como os comunistas franceses que perante a vaga de islão largaram o PCF e votaram Le Pen ) … e até cito autores que estas bestas fassistas não conhecem … logo o cardeal é um neoconeiro e todos os restantes que apoiam os argumentos são uns assassinos das pobres vitimas de beirute e bla bla bla … ”

    Quem quiser vestir a carapuça com Z … sff

    Gostar

  128. honni soit qui mal y pense permalink
    15 Janeiro, 2009 10:24

    Tanta asneira .

    Isto até começou bem.

    Mas depois descambou para o benfica-sporting do costume, e mais umas intervenções particulares avulsas a despropósito,como a habitual ladaínha e guerra pessoal do Luís Marques contra a mãe que lhe ficou com os filhos por decisão judicial…lamento , mas não tem nada que ver com o que se estava a falar, nem há comparação possível com o estatuto pessoal da guarda dos filhos no Islão.

    Quanto ao resto , o cardeal , convenhamos, não disse nenhuma mentira e até foi simpático.
    Enquanto hoje os jornais se dedicam a encontrar catolicas que casaram com muçulmanos e são felicissimas ( não lhes passou pela cabeça procurar os outros casos das infelizes … ai ai … a nossa imprensa sempre arreigada aos amigos do avental ) .

    É desta nossa divisão que cresce o Islão.De facto , atendendo ao evoluir da coisa e demografia, o tempo vai dar-lhes razão .

    Como disse um clérico whabista saudita aqui á uns tempos atrás , o ocidente está perdido :
    1) permite a emigração
    2) permite o proselitismo
    3) e sendo regido pela regra do voto , mais 50 anos a Europa será regida pela sharia.

    pode ser que sim , pode ser que não …

    mas o que desgosta é ver gente que intrinsecamente sabe e percebe que os preceitos islâmicos são irreconciliáveis com o estatuto da mulher no ocidente ,e com o assumpção dos seus direitos e conquistas nos ultimos 100 anos … e releva tudo isso apenas para contrariar aqueles que mais perto não comungam da sua visão partidária e muito preto-branco , benfica-sporting …

    em bom português funciona assim :

    “em sou de esquerda , não gosto da igreja , do bush , e da direita ( todos uns grunhos ) , e embora o Islão seja um atraso de vida e um perigo para os direitos conquistados das mulheres no ocidente … o islão está lá longe ( é como os adeptos do fcp ), e Deus me livre de ter de concordar com os grunhos da direita portugueses aqui tão perto … e logo estes do Blasfémias … sim porque eu sou da esquerda esclarecida, multicultural ( não sou como os comunistas franceses que perante a vaga de islão largaram o PCF e votaram Le Pen ) … e até cito autores que estas bestas fassistas não conhecem … logo o cardeal é um neoconeiro e todos os restantes que apoiam os argumentos são uns assassinos das pobres vitimas de beirute e bla bla bla … ”

    Quem quiser vestir a carapuZa … sff

    Gostar

  129. 15 Janeiro, 2009 12:18

    No Sorumbático (http://sorumbatico.blogspot.com/) desafia-se hoje os leitores a compararem a intervenção de D. José Policarpo com a de Obama (acerca da religião de cada um).

    Os prémios serão exemplares de «A Religiosa» (de Diderot) e de «O Inferno» (de Dante)

    Gostar

  130. 15 Janeiro, 2009 13:09

    o senhor Policarpo. até um certo ponto tem alguma razão. o que não o autoriza a fazer tais alvitres. pelo que tenho observado durante os já numerosos anos da minha vida, o casamento, em si, pode ser uma fonte de grandes sarilhos e não só entre cristãs e muçulmanos… por aqui, e entre cristãos os sarilhos foram e são muito frequentes, que durante séculos foram abafados pela máxima “entre marido e mulher não metas a colher” e nestes casos valia tudo e até tirar a vida, para já não falar dos olhos, que não se podiam mostrar muito, por estarem muito enegrecidos com muita frequência!

    os alguns, já bastantes, anos da minha vida, dos quais mais de metade se passaram por outras terras e outros costumes, tive ocasião de ver que as uniões entre muçulmanos e não muçulmanos também podem ser harmoniosas…

    o único problema, aqui, é que o senhor Policarpo de Lisboa, fez uma declaração que os médias registaram, mas se quisesse ser coerente, deveria dizer, a todas as mulheres católocas casadoiras deste país, que o casamnto pode ser uma fonte inesgotável de sarilhos! não é por acaso que o número de divórcios continua a aumentar, até por cá, e que não há divórcios pacíficos, excepto raríssimas excepções!

    Gostar

  131. honni soit qui mal y pense permalink
    15 Janeiro, 2009 14:49

    131

    1)Penso que em Liberdade , o Cardeal fará os alvitres que entender .Na Arabia Saudita talvez não o possa fazer . Já aqui o Sheik Munir pode dizer o que lhe vier á cabeça .

    2)Foram muitos os sarilhos .Mas para isso como houve separação entre Estado e Religião , e ofensas corporais entre os menbros de um casal são hoje … crime público .

    3)Pois podem ser harmoniosas…desde que a parte não muçulmana se converta ou se rebaixe perante a sombra do Corão.

    4)O casamento pode ser de facto uma fonte inesgotável de sarilhos .Mas as suas consequências divergem consoante estiver sujeito á lei civil cá da terra , ou estar desterrada noutra nação , que não lhe reconhece direito á custódias dos filhos … isto só para ser minimalista … tirando restantes deveres e poucos direitos.

    Gostar

  132. Mike permalink
    15 Janeiro, 2009 16:55

    a o “umquarentao” sobre a origem do TABU-SEXO,do post 24:
    parece-me q voce é defensor do DARWINISMO SOCIAL??
    não me quer esclarecer???

    Gostar

  133. Anónimo permalink
    15 Janeiro, 2009 17:17

    O Sr. Cardeal Patriarca de Lisboa transparece a “sabedoria popular” que o caracteriza e vem demonstrar, mais uma vez o seu desconhecimento numa matéria tão sensível. Não obstante alguns exageros que se verificam por todo o Mundo (também com outras religiões), a religião muçulmana é aquela que maiores direitos e igualdade dá às mulheres. A protecção dada à mulher nas sociedades muçulmanas é o único caminho para a recuperação de algum respeito por esta classe. Sou casada com um muçulmano, com muito orgulho de o ser, e nunca senti essa dificuldade de adaptação de que se fala. A verdade está no Alcorão, vem comprovar a Bíblia, aliás, e vem dar novas instruções a um Mundo tão descoordenado. A verdade só doi a quem vive sem fé e a quem não se submete à vontade de Deus, por se achar superior. Deus só dá conhecimento a quem mais ama e a quem se dedica a ele e embora seja misericordioso com todos torna autistas os ímpios.

    Gostar

  134. 15 Janeiro, 2009 18:23

    Ai mar, ai oh mar salgado, quanto do teu sal vão ser as lágrimas de Portugal.

    Gostar

  135. 15 Janeiro, 2009 21:38

    Só para informação de todos nós, passo a citar o versículo 221 da 2ª sura do Al Corão: “Não desposareis as idólatras até que elas se convertam, porque uma escrava fiel é preferível a uma idólatra, ainda que esta vos apraza. Tampouco consintais no matrimónio das vossas filhas com os idólatras, até que estes se tenham convertido, porque um escravo fiel é preferível a um livre idólatra, ainda que este vos apraza”.

    Acho que o versículo é por si só revelador … Leiam o Corão e revejam muito daquilo que dão como adquirido …

    Gostar

  136. fnv permalink
    16 Janeiro, 2009 00:23

    O Mar Salgado agradece:)))

    Gostar

  137. 16 Janeiro, 2009 00:32

    117. Sofia Macedo

    Acho deplorável e de evidente mau gosto, a sua intervenção, no que se refere à primeira parte do seu comentário.

    Além disso, as “” linhas de uma obra Shakespeariana “”, costumam ser boas.

    Gostar

  138. 16 Janeiro, 2009 02:54

    helenafmatos Says:
    14 Janeiro, 2009 às 11:46 am
    Para as mulheres o problema é enorme. Em caso de divórcio dificilmente a família do marido aceita que ela fique com os filhos.

    Cara Helena Matos

    Engraçado, é exactamente o mesmo que se passa em Portugal, mas com os Homens. E suas familias e crianças.
    Quando é que fala nisso ?

    O que leva-nos à conclusão, que os homens portugueses são como as mulheres nesses países. Não tem direitos, nem seus filhos.

    Gostar

  139. 16 Janeiro, 2009 03:20

    Sofia Macedo Says:

    Cara Sofia Macedo

    Evidente que o seu discurso é delirante, tanto que escreve com um nome falso.
    Nada do que diz é verdadeiro, pois se o fosse saberia dizer algo que tivesse sentido.
    O ter falado logo na questão monetária, mostra logo os seus própositos e das maes que diz que ajudou : dinheiro, e pouco amor.

    Não é de admirar, que tendo as mães que ajudou ficado com os filhos, ficado com as casas, e ainda acham que é pouco e querem pensão de alimentos (o que é pior que qualquer país muculmano), a Sofia Macedo já não tenha noção de nada, e ache que o que se passa em alguns países arabes pouco correcto, mas se é feito ao sexo masculino, já é correcto.

    Daí, também achar que certas noções de justiça estão ultrapassadas (isto numa epoca em que se fala tanto de crise de justiça )

    Ou seja, o seu discurso, terá exito certamente em vários tribunais de familia, mas qualquer discurso contra o Pai tem sempre exito. As estatistcas não mentem, em cada bairro ha centenas ou dezenas de casos, cada familia tem sempre uma história para contar.

    Gostar

  140. 16 Janeiro, 2009 03:32

    honni soit qui mal y pense Says:
    15 Janeiro, 2009 às 10:24 am
    ” Tanta asneira .

    Isto até começou bem.

    Mas depois descambou para o benfica-sporting do costume, e mais umas intervenções particulares avulsas a despropósito,como a habitual ladaínha e guerra pessoal do Luís Marques contra a mãe que lhe ficou com os filhos por decisão judicial…lamento , mas não tem nada que ver com o que se estava a falar, nem há comparação possível com o estatuto pessoal da guarda dos filhos no Islão. ”

    Ou seja, todos os casos como o do Luis Marques, são casos pessoais (como se as pessoas não fossem importantes, o que é horrivel de um jurista como vc dizer)
    Mas se é em países a milhares de quilometros de distancia, já não são casos pessoais, de portugueses, mas sim casos importantes e gerais.

    Para si o que se passa no estrangeiro é importante, se uma mulher fala no estrangeiro é importante e geral.

    Se é passado em Portugal, não interessa. Se é um homem que fala de um código 12 (ver filme a troca) isso já é um caso pessoal.

    Ao Sr Luis Marques, parabéns por dar a cara , e ser um Homem a sério. Que está dispostoa a ser atacado, porque ama o filho. Seja pessoal ou geral, que a gente, cá para nos, até sabemos ser geral. Mas grande parte dos Homens tem problemas em dizer que
    1- perdeu um caso
    2- mais a mais contra uma mulher
    3- e que nem sabe falar sobre o seu filho e seu caso.

    Quando ultrapassarem isso, mais pais vão aparecer como o Luis Marques. Tal como muitos já apareceram.

    Gostar

  141. Luis Marques permalink
    16 Janeiro, 2009 10:07

    1. Sofia Macedo Says:
    15 Janeiro, 2009 às 9:49 am
    “Caro Luis Marques,
    Eu aconselho terapia…o seu discurso é completamente delirante”
    Claro “Sofia”…
    Luis Marques já para o Júlio de Matos, cliente internado sobre o “código 12”…
    Quem se atreve a falar contra o sistema…

    Galileu Galilei já passou pelo “código 12”…
    Mastro Cecco, “código 12” e morte…
    Luis Marques esquarteja-se já… na praça do comércio… razão atreve-se a amar os seus queridos filhos… atreve-se a dizer a verdade e factos…

    Vítor: Luis Marques,
    Tem toda a razão. Em Portugal apenas 3% das custódias são atribuídas aos pais, desses 85% são por motivo de viuvez. Em Portugal para se ter o poder paternal dos filhos, é bom que a mãe seja drogada, mentalmente instável ou criminosa, senão adeuzinho (mesmo assim não é garantido).

    Juíza de serviço: Sofia Macedo.

    Repito e afirmo:

    Tudo só porque é Pai e não cabe na cabeça, nem é aceitável por ninguém que o filho possa ter um elo mais forte com o PAI, porque simplesmente é PAI….
    Solução final: “Endlösung” dos pais… e do elo entre filhos e pais…
    “Direitos” dos Pais, aqui em Portugal, justiça para os pais não há, é um vergonhoso escândalo…repito aqui os Pais são os Tavóras do mundo de hoje, o negro da era do apartheid, os judeus do “Endlösung” Nazi……

    Gostar

  142. Luis Marques permalink
    16 Janeiro, 2009 10:15

    Obrigado Paulo Quintela

    Gostar

  143. honni soit qui mal y pense permalink
    16 Janeiro, 2009 10:25

    lamento

    mas não tem nada a ver …

    compreendo a vontade de estabelecer analogias , mas são de todo inapropriadas atendendo ao contexto das respectivas sociedades, e direitos e deveres que assistem ás partes em cada uma delas , e possibilidade de recurso judicial que nesta sociedade assiste ao pai que se sinta lesado , já o inverso com uma mulher numa sociedade islâmica sobre a custódia dos filhos não existe , o Corão é taxativo …

    aliás a argumentação exagerada só revela a dor que vai na alma … o que se deve respeitar

    mas não dá direito a estabelecer com honestidade qualquer analogia

    Gostar

  144. Luis Marques permalink
    16 Janeiro, 2009 11:07

    1. honni soit qui mal y pense Says:
    15 Janeiro, 2009 às 10:22 am
    “Tanta asneira .
    Isto até começou bem.
    Mas depois descambou para o benfica-sporting do costume, e mais umas intervenções particulares avulsas a despropósito, como a habitual ladaínha e guerra pessoal do Luís Marques contra a mãe que lhe ficou com os filhos por decisão judicial…lamento , mas não tem nada que ver com o que se estava a falar, nem há comparação possível com o estatuto pessoal da guarda dos filhos no Islão.”
    A despropósito? Não meu caro. Vou-lhe explicar em algumas linhas porque é que falo com mais autoridade que você, um, dois que não são intervenções particulares avulsas a despropósito e concordo plenamente e com experiência de causa com o D. José Policarpo.
    Primeiro vivi na área em questão por quase uma década…
    Secundo, a mãe do meu filho é da área…
    Terceiro, a minha guerra aqui nas blasfémias, não é contra a mãe, mas contra o sistema que de facto é comparável ou tão mau (para mim pior) que o estatuto pessoal da guarda dos filhos no Islão…
    Facto é que um pai aqui nada é… NADA, nem um Direito… somos os pretos do apartheid…
    A minha luta pessoal é dar ao meu filho o melhor, lhe dar o Direito de se realizar plenamente como pessoa e cidadão, dar ao meu filho, cidadão PORTUGUÊS o Direito pelo menos ao seu país…
    Por duas vezes o meu filho expressou que quer Portugal, que quer o pai… O pai que é o elo afectivo e real da criança…
    Mas como pai se o tribunal decidir atribuir à mãe o filho não só nunca mais o verei, mas como o meu amado filho irá para um país em guerra ou seus arredores…
    Faço esta luta, não só pelo meu filho, mas por todos, TODOS os queridos filhos que tem Direito aos seus pais… TODOS OS NOSSOS FILHOS TEM DIREITO A PAI E MÃE…
    Um dia poderá ser o seu filho…
    O sistema é injusto, Inhumano… está errado…

    Gostar

  145. Luis Marques permalink
    16 Janeiro, 2009 11:08

    Lamento….

    Tem tudo a ver…

    Gostar

  146. Luis Marques permalink
    16 Janeiro, 2009 11:11

    Facto: Um Homen na sociedade Portuguesa a custódia dos filhos não existe …

    Somos nada, nem Direito a uma palavra…

    “Em Portugal apenas 3% das custódias são atribuídas aos pais, desses 85% são por motivo de viuvez. Em Portugal para se ter o poder paternal dos filhos, é bom que a mãe seja drogada, mentalmente instável ou criminosa, senão adeuzinho (mesmo assim não é garantido).”

    Gostar

  147. Luis Marques permalink
    16 Janeiro, 2009 11:42

    Pais são uns animais a serem humilhados e exterminados… viva o “Endlösung” dos pais…
    Aqui na nossa linda terra somos julgados e analisados por pessoas que acham que “…os pais têm Direitos a mais…” ou que “… os filhos não precisam de pais…”
    A discriminação, sexismo de certas instituições contra pais é mais aterrorizador do que enfrentar ameaças (e não só) de morte no Iraque…

    Aqui matam a nossa alma, o nosso amor, a nossa dignidade…

    Gostar

  148. honni soit qui mal y pense permalink
    16 Janeiro, 2009 12:05

    Ok .
    Agora já se percebeu que não está a falar de um conflito de custódia , entre cidadãos do mesmo estado.
    Mas de um conflito de direito internacional privado.
    Atendendo á area ,e leis dos nacionais em causa , lamento duas vezes por si .

    A conclusão que tirei não se altera .Fazendo fé na sua palavra de 3 % de custódia ao pai no nosso sistema , há 0 % de custódia á mãe no Islão ( desde que o pai seja muçulmano, ou fica com a familia do pai , caso este tenha falecido ) .Mais não fosse, e atendendo á possibilidade de recurso do nosso sistema judicial, estabelecer analogias não procede.
    O nosso sistema ainda dá o direito á custódia , já no caso inverso a mesma nem dá azo a qualquer esperança que isso possa eventualmente acontecer.

    Não obstante, são pois casos judiciais penosos e dolorosos ,que dão origem a situações pessoais extremas ,como se entende e respeita .
    Digamos que no ramo do direito da familia e dip, a custódia de um filho de um casamento misto é um pesadelo para qualquer advogado , e um sofrimento doloroso para os pais e os filhos .

    Gostar

  149. 17 Janeiro, 2009 03:49

    honni soit qui mal y pense

    Como vê, eu tinha razão, e vc é jurista. Só para que conste, que raramente erro nestas coisas de Poder Paternal.
    Obrigado por dar-me razão,

    Gostar

  150. 17 Janeiro, 2009 04:38

    honni soit qui mal y pense said
    “Mais não fosse, e atendendo á possibilidade de recurso do nosso sistema judicial, estabelecer analogias não procede.
    O nosso sistema ainda dá o direito á custódia ,”

    Caro Honni.

    Falar da possibilidade de recurso, é sempre algo que a mim, me parece pessoalmente o ultimo dos argumentos que qualquer jurista ou juiz deve utilizar. Faz-me pensar que as decisões são mal feitas, mas que pensam “bem, se for mal feita pode o cidadão ir para recurso”
    Ora tal frase utilizada noutras profissões, como por exemplo construção de pontes, não fica lá muito bem.
    Mas concordo, há tanta decisão errada e sem nexo, que é realmente essencial existir recursos e mais recursos e mais recursos.

    O que é bastante aborrecido, num país pobre como o nosso. Fica caro. Muito caro. Especialmente quando se comete uma coisa que parece um crime pelos vistos, que é querer conviver com um filho. Querer saber dele. Querer ama-lo.
    Tenho dificuldades em fazer concidir esse pensamento legalista, e litigioso, com alguma noção que seja de justiça, quanto mais de ser Pai.
    Envolver a possibilidade de ser Pai com a possibilidade monetária de poder ir para recurso, é algo que alguns juizes poderão dizer “não temos nada a ver com isso ”

    Só poderei, com toda a honestidade, e respeito, responder ” muito menos eu. E outros pais “.

    Gostar

  151. Luis Marques permalink
    17 Janeiro, 2009 09:38

    Dear Honni,

    “Agora já se percebeu que não está a falar de um conflito de custódia , entre cidadãos do mesmo estado.
    Mas de um conflito de direito internacional privado.”

    No… here whomever has the custody, has the supreme power, the “H” Bomb… hence it is a simple custody case which will give the mother the supreme and total power… or abuse of power…

    It is not a conflict of Private International Law…

    “A conclusão que tirei não se altera .Fazendo fé na sua palavra de 3 % de custódia ao pai no nosso sistema , há 0 % de custódia á mãe no Islão ( desde que o pai seja muçulmano, ou fica com a familia do pai , caso este tenha falecido ) .”

    Not true either…

    The Shari’a states that although children should be returned to their father, boys at age 7 and girls upon reaching puberty, there are certain exceptions that are made

    Gostar

  152. Luis Marques permalink
    17 Janeiro, 2009 09:38

    Dear Honni,

    “The Shari’ah does not give any specific directive regarding the custody of children, after divorce or separation of their parents. Thus, this is a matter, which is left for the parents to decide. If the parents do not reach a settlement then the court shall resolve the dispute. However, whatever the mode of settlement, there are a few principles, which although are not a part of the Shari’ah, but in my opinion should be duly considered while deciding about the custody of the child. The Prophet (pbuh) also decided such cases in the light of these principles.

    Firstly, incase of an infant, the mother should be given preference because a mother is naturally gifted with the required emotions and capabilities to take care of an infant. However, this preference will cease to exist if the mother decides to remarry. Now the father and the mother will be at par with each other in the matter of custody. This is so because the new husband of the woman might not want to keep the child or pay attention to his/her up bringing.

    Secondly, in the light of the Qur’anic principle that a man is the head of the family, it will be the responsibility of the father to provide for the basic needs of the children whether they are living with him or with their mother.

    Thirdly, unless hindered by an obvious moral or ethical reason, once the child is in a position to show his/her inclination in any way, its own choice shall be given due consideration in giving its custody to either of the parent. However, after maturity, the child shall itself decide where he wants to live and his/her preference shall play the most important role in the decision.”

    Gostar

  153. Luis Marques permalink
    17 Janeiro, 2009 09:40

    According to the AP, Molly Campbell, also known as Misbah Iram Ahmed Rana, has signed a legal statement saying she left of her own free will. While that statement comes under automatic suspicion of coercion due to the circumstances, the parental rights of her mother have been revoked by a Pakistani court on the grounds that “an apostate is devoid of all rights,” adding a new dimension to an already-messy custody battle.

    From the Evening Standard: “Father given custody of Molly – because her mother’s a Christian”

    The father of runaway Molly Campbell was granted interim custody of the 12-year-old in Pakistan because her mother had re-converted to Christianity.
    Sajad Ahmed Rana won the ruling after telling a court that Louise Campbell was not giving Molly an Islamic home and was living with a man she had not married – a crime under Pakistani law.
    Molly, who triggered an international police investigation after she disappeared from her school in the Outer Hebrides nine days ago, was at the Session Court of the Civil Judge in Lahore to hear the verdict.
    The court issued an order through the British High Commission in Islamabad that Mrs Campbell must personally appear in Lahore on Wednesday to defend herself, until which time Molly stays in her father’s custody.
    There is now likely to be a protracted legal case involving lawyers in Scotland and Pakistan. In Scotland, Mr Rana, a wealthy clothing manufacturer who initially had custody of all the couple’s four children after their divorce in 2001, could face prosecution for child abduction. In Pakistan, the position of Mrs Campbell, who converted to Islam upon her marriage, would be uncertain.
    “Louise Campbell is a re-convert and according to Pakistani law an apostate is devoid of all rights and deserves punishment,’ said Mr Rana’s lawyer, Dr Abdul Biset.

    Gostar

  154. 31 Agosto, 2009 23:09

    Boas. Em primeiro lugar gostaria de dar os meus parabêns pelo blog. Está muito bom. Em segundo lugar gostaria de levantar uma questão (não sei se foi levantada mas não consegui ler todos os comentários): e se o Cardeal se limitou a fazer discriminação religiosa? Porquê avisar as mulheres a não casarem com muçulmanos e não dizer nada acerca dos fanáticos da opus day? E dos católicos ortodoxos? A verdade é que o problema não está ligado a uma religião mas sim à religião. Se quiserem podem ler a minha opinião sobre o assunto:
    http://advocatusadiabolo.com/d-jose-policarpo-e-o-casamento-com-muculmanos/

    Gostar

  155. maria permalink
    14 Dezembro, 2010 13:09

    eu acho que eles estao eh com medo de os muculmanos serem melhores. ou de perderem seus servos pro islam. assim perderiam apoiadores nessa guerra ridicula que esta acontecendo ha anos. enquanto aos costumes ninguem eh obrigado a seguir, isso depende dele mesmo ou do seu parceiro que as vezes pode interferir em sua vida como costumam fazer todos os homens de qq outra religiao. epoca das trevas? quem disse isso com certeza adora qdo veem mulheres quase nuas nas ruas. e homens brigando na justica pra casar com outro homem. eh o fim do mundo! se for assim nao quero sair das trevas nunca…..

    Gostar

Trackbacks

  1. D. José Policarpo, o Islão e o casamento « Islão a nu - Para tomar consciência do terror

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: