Saltar para o conteúdo

Desconcertante

31 Janeiro, 2009

é o estado em que ficamos após ouvir frases como esta

Judite de Sousa: “Já localizaram o primo do primeiro-ministro?”

Cândido de Almeida: “Sim, sabemos onde está”:

JS:”E pode dizer-nos onde?”

CA:”Não posso, senão ele foge.”

Digamos que os primos merecem todos igual presunção de inocência e não se percebe o que leva a senhora procuradora a dar este primo como um culpado à partida e ainda por cima candidato a foragido. E sobretudo esta oscilação nas declarações de Cândida Almeida entre o segredo da investigação, o segredo de justiça, a majestade da investigação e depois afirmações como esta geram um embaraçoso desconcerto em quem a ouve.

36 comentários leave one →
  1. Anónimo permalink
    31 Janeiro, 2009 11:26

    Não foi isso que ela disse.

    Gostar

  2. Anónimo permalink
    31 Janeiro, 2009 11:28

    E sobre isto ninguém investiga e liga ao Freeport?

    “Hello everybody!
    You should know that Portugal is stealing money from your Queen, at least since the Portuguese Revolution – 25th April 1974.
    This is why your Secret Services are investigating our Prime Minister; it is just one of the doors to enter in this matter.
    You might want to read a letter sent (August, 7th, 2002) to the British Embassador in Lisboa, Dame Madelaine Glynne Dervel Evans.
    You can download it from:

    http://freefilehosting.net/download/44dlc

    As you will see you need to translate it as it is in portuguese.
    Anyway if you need more details please let me know.” – picado daqui:

    http://the3arguidos.net/forum/viewtopic.php?f=43&t=28002&st=0&sk=t&sd=a&sid=07e9eab5baae9dd33cee30a3c4aec8b0&start=30

    Gostar

  3. Tolstoi permalink
    31 Janeiro, 2009 11:31

    Helena

    Vamos deixar-nos de Rodriguinhos e esperar que este fim de semana que deve ser o mais difícil da vida politica de Cavaco Silva tenha o final que a decência exige, caso contrário passo a ser um federalista acérrimo.
    Quanto à expressão “ele foge” relembro que 5 milhões de portugueses já fugiram e vivem no estrangeiro.

    Gostar

  4. Acção Directa permalink
    31 Janeiro, 2009 11:46

    Demita-se ou demitam-no.
    Com urgência. E que leva a cândida Cândida com ele.

    Gostar

  5. 31 Janeiro, 2009 11:51

    “31 Janeiro 2009 – 00h30

    Exclusivo: Depoimento à Polícia Judiciária de Setúbal em 2004

    Assessora confirma comissão

    A assessora de Manuel Pedro garantiu à Polícia Judiciária que durante o processo de licenciamento do Freeport houve pagamento de avultadas comissões. A testemunha terá ouvido várias conversas em datas posteriores que confirmam essa tese e recorda mesmo uma delas, entre Manuel Pedro e João Cabral, o primeiro da empresa promotora, o segundo com ligações à empresa Freeport.

    Manuel Pedro disse a João Cabral que ‘tinham de se desenrascar’ porque ‘o Sócrates já tinha os 400 mil’. Falaram depois de 100 mil euros que a testemunha garante não saber a quem se destinavam. Mas que garante serem igualmente comissões para que o processo fosse aprovado.

    Disse ainda a mesma assessora, no depoimento recolhido no final de 2004 pela Polícia Judiciária de Setúbal (diligência que foi presidida pela directora do departamento), que Manuel Pedro não estava preocupado com o que os ingleses podiam saber. Garantia mesmo que até que eles se apercebessem do destino das verbas já o dinheiro tinha sido distribuído pelos interessados e as provas destruídas.

    Ainda segundo o CM apurou, a mesma testemunha refere ainda que a cumplicidade de Manuel Pedro com alguns autarcas era igualmente suspeita. E nomeia dois casos: o presidente da Câmara de Alcochete e o do Montijo. Relativamente ao primeiro (José Inocêncio), Manuel Pedro gabava-se mesmo de o ter ajudado nos períodos eleitorais. E na altura do licenciamento do Freeport não percebia o porquê de ele estar a levantar o problema dos ‘esgotos’, já que o projecto estava ‘previamente’ aprovado.

    O CM apurou ainda que a testemunha trabalhou na Pedro&Smith entre 2004 e 2005, tendo começado por perceber que algo do processo não estava correcto ao verificar a informação contida nos computadores da empresa. Também o secretismo que rodeava as conversas entre os administradores da empresa promotora e João Cabral levava a assessora a suspeitar da lisura dos procedimentos.

    DESTRUÍRAM COMPUTADORES

    A ex-assessora da Pedro&Smith garante ter assistido a uma operação de destruição de provas. Disse a ex-funcionária da empresa promotora que presenciou a destruição de papéis e a retirada da documentação, logo após o empreendimento ter sido inaugurado.

    Garante ainda que, além desses procedimentos, os sócios da Pedro&Smith fizeram backups nos computadores. O que na altura teria percebido era que Manuel Pedro pretendia ocultar a Charles Smith, sócio da empresa, a forma como teriam sido feitos alguns pagamentos.

    Esta operação de ‘limpeza’ terá acontecido logo após a inauguração do maior outlet da Europa, situado em Alcochete. Meses depois, a funcionária foi afastada.

    MP TENTA QUE HUGO VOLTE A SER INTERROGADO

    O Ministério Público acredita que Hugo Monteiro recebeu dinheiro em numerário da empresa Pedro&Smith, no âmbito da legalização do Freepoort. O crime em investigação é tráfico de influências, sendo suspeitos Hugo e Júlio Monteiro, respectivamente primo e tio de José Sócrates.

    No anexo 2 da carta rogatória estão descritos os elementos de investigação já recolhidospelaPolícia Judiciária e Ministério Público, entre eles alguns fluxos de verbas considerados suspeitos. OMP avançou também com um pedidodelevantamento do segredo bancário ao tio de José Sócrates, para tentar detectar transferências na data em investigação.

    Asautoridades estão também a tentar perceber a viagem de Hugo para a China e o porquê do ‘timing’ escolhido. O jovem saiu de Portugal no passado dia 7 – curiosamente, no mesmo dia em que o pai assume ter sido contactado pela jornalista Felícia Cabrita, que o terá confrontado com as suspeitas que recaíam contra si e a sua família – mas já estaria há algumas semanas a tratar do visto.

    Neste momento, e embora o Ministério Público o queira interrogar, tal afigura–se praticamente impossível.Oex-responsável pela Neurónio Criativo está em Pequim a fazer um curso de Marketing e, segundo o pai, que foi contactado pelo CM, só pretende regressar para o ano. ‘Foi tentar refazer a vida. O curso demora um ano’, garantiu Júlio Monteiro, que recusa as suspeitas que recaem sobre o filho. O empresário garante mesmo não ter pedido ou recebido qualquer suborno já que tem elevadas posses económicas.

    (continua)

    Gostar

  6. 31 Janeiro, 2009 11:53

    (continuação)

    PORMENORES

    CINCO MILHÕES

    A empresa que geria o Freeport terá transferido três vezes 50 mil libras para a Pedro&Smith para pagamento de comissões.Depois transferiram mais cinco milhões de libras para o mesmo efeito. Os dados constam da carta rogatória e foram apurados pelas autoridades portuguesas.

    TRÁFICO DE INFLUÊNCIAS

    O crime em que eventualmente incorre Júlio e HugoMonteiro (tio e primo de José Sócrates) é o de tráfico de influências. As autoridades suspeitam que ambos terão ‘usado’ o laço familiar ao então ministro do Ambiente para conseguir o licenciamento do projecto.

    FINANCIAMENTO

    Uma das linhas seguidas pela investigação é a possibilidade de haver financiamento partidário. As autoridades ainda não conseguiram confirmar tal hipótese mas o depoimento da assessora também avança no mesmo sentido.

    PROBLEMAS DE AUDIÇÃO

    A ex-assessora tinha alguns problemas de audição. Por esse motivo, acredita que Manuel Pedro e João Cabral conversavam quando se encontrava próximo. ‘Pensavam que eu não ouvia’, garante.

    DISSERAM

    ‘Sou rico. Nunca aceitei qualquer comissão, nem o meu filho o fez. Telefonei ao meu sobrinho quando me falaram de que estavam a pedir uma comissão’

    Júlio MonteiroTio de Sócrates, Tio de Sócrates

    ‘A terceira avaliação de impacte ambiental foi aprovada a 17 de Março de 2002, dia das eleições nacionais que resultaram em que esse ministro [José Sócrates] perdesse o lugar’

    Carta rogatória, Apurado pela polícia portuguesa

    ‘A Freeport efectuou três ou quatro pagamentos em parcelas de 50 mil libras à Smith&Pedro. Charles Smith, no vídeo de 3 de Março de 2006, alega que se trata de pagamentos de subornos, com o intuito de satisfazer o ocorrido a 17 de Janeiro de 2002, a partir das quais efectuou uma série de pagamentos em numerário a um primo de José Sócrates’

    Carta rogatória, Apurado pelas autoridades inglesas

    ‘Neste mesmo dia, o ministro do Ambiente, José Sócrates, reuniu posteriormente com Sean Collidge, Gary Russell, Charles Smith e Manuel Pedro. (…) e foram pedidas comissões.”

    Autoridades inglesas
    Eduardo Damaso/Tânia Laranjo

    http://www.correiomanha.pt/noticia.aspx?contentid=6789800C-2415-4E39-BACB-B3B0D90113B4&channelid=00000009-0000-0000-0000-000000000009

    Gostar

  7. Joaquim Amado Lopes permalink
    31 Janeiro, 2009 11:53

    Emidio Rangel:
    “Seis ou sete anos (o Ministério Público) a investigar se houve corrupção e/ou tráfico de influências. Até agora não descobriram nada.”
    Parece que não é bem assim. Pelo menos desde 2005, o Ministério Público não tem investigado nada.

    Convenhamos que, não investigando, é difícil encontrar o que quer que seja. A não ser que alguém que tenha realmente investigado (sei lá, uns ingleses da Serious Fraud qualquer-coisa, p.e.) envie uma carta com a descrição do que descobriram e o Ministério Público “encontre” essa informação na carta.

    José Sócrates é culpado? Não sei.
    Aquilo de que é suspeito confere com o que sabemos da personagem? Sem dúvida que sim.
    Isso chega para o condenar? Absolutamente não.
    Merece o benefício da dúvida? Sobre este caso, dúvida quem quiser. Sobre a não-licenciatura, a assinatura de projectos feitos por outros para contornar a Lei, o relatório (que não é) da OCDE, a estratégia ruinosa das grandes obras públicas desnecessárias, insistir além do razoável em completos disparates (OTA e TGV Lisboa-Porto, p.e.), os carros eléctricos que não pagam imposto e que vão passar a pagar “apenas” 30% do imposto, a banha-da-cobra do Magalhães, a arrogância desmedida, a falta de respeito pela Assembleia da República, a perseguição a quem exerce e direito e dever de cidadania de contestar o que o Governo faz, etc, etc, etc, sobre isto não há dúvidas nenhumas.

    Gostar

  8. 31 Janeiro, 2009 11:55

    “Numa democracia, até os cães raivosos podem andar à solta (…)”, diz o berbequim no Correio da Manha.

    Ora, ora, era desnecessária a confissão…

    Gostar

  9. 31 Janeiro, 2009 11:56

    http://downloadsexpresso.aeiou.pt/expressoonline/PDF/CartaRogatoriaFreeport_300109.pdf.

    Esta é a missiva que chega de Londres e é bem diferente que a nossa Descomunicação Social

    Gostar

  10. 31 Janeiro, 2009 11:59

    31 Janeiro 2009 – 09h00

    Coisas do Circo
    Sr. PGR, despache-se
    Em boa verdade, ninguém de boa-fé pode hoje acusar Sócrates de ter praticado tráfico de influências, de ter recebido um euro de um ‘comercial’ esperto de Londres, de ter violado princípios de honra que são fundamentais no exercício da vida, sobretudo quando se desempenha funções de primeiro-ministro.

    Ainda não vi nem ouvi ninguém com responsabilidades produzir quaisquer acusações ou ter mostrado qualquer prova indiciadora de ter sido praticado qualquer dos crimes atrás referidos. Claro que andam à solta alguns cães raivosos que vão aproveitando todas as deixas para adensar as críticas, para insinuar um ou outro aspecto, que, com ar angelical, pretendem fazer passar como determinante para ferir Sócrates. Nada a fazer.

    Numa democracia, até os cães raivosos podem andar à solta a envenenar tudo aquilo que os rodeia, em especial quando o visado é um primeiro-ministro que teve a coragem e a lucidez para lutar contra os lobbies instalados que impedem Portugal de crescer, para contrariar os interesses egoístas dos que não gostam de ver-se desapossados dos seus privilégios. Vem-me à memória o preço pago por Leonor Beleza quando resolveu pôr ordem no Ministério da Saúde. Médicos relapsos, negócios escuros no mundo dos medicamentos, a medicina privada sem regras. Eu vi-a destroçada por este lobby poderoso, que usou todos os meios para desfazê-la junto da opinião pública (já havia as tão famosas agências de comunicação). E conseguiram. Leonor Beleza abandonou o ministério como se fosse uma condenada à morte.

    Lembro-me de Sá Carneiro, um homem íntegro, que viu o seu nome estampado nas primeiras páginas associado a actos de corrupção. Uma campanha negra que aparecia todos os dias sob formas diferentes. Agora é Sócrates. Não sei se tem ou não razão. O que sei é que o Ministério Público, entidade com poder para deslindar o caso, assume um discurso passivo e arrogante. Acho uma vergonha o seu procedimento. Seis ou sete anos a investigar se houve corrupção e/ou tráfico de influências. Até agora não descobriram nada.

    Que interessam as declarações piedosas de Cândida Almeida ou do PGR? Sócrates é inocente ou culpado? Se é inocente, esses magistrados, que estão a fazer render o peixe desde 2005, deviam pagar na mesma moeda os elevados prejuízos causados a Sócrates e ao País. Se é culpado, é preciso acabar com esta agonia, rapidamente. Hitchcock deixou-nos boas lições de ‘suspense’ – mas é só para usar no cinema.

    Emídio Rangel, jornalista

    Gostar

  11. 31 Janeiro, 2009 12:08

    COMUNICADO

    1. Em 13 de Março de 2007, um ilustre Advogado denunciou ao Senhor
    Procurador-Geral da República um crime de falsificação de documento
    autêntico, envolvendo a licenciatura em engenharia civil na UNI –
    Universidade Independente de José Sócrates Carvalho Pinto de Sousa.
    2. O Senhor Procurador-Geral da República nomeou, por despacho de 30
    de Abril de 2007, a Procuradora-Geral Adjunta Maria Cândida Almeida
    para dirigir o respectivo inquérito e a Procuradora-Adjunta Carla Dias
    para a coadjuvar.
    3. No decurso do inquérito foram determinadas e realizadas vinte e
    nove diligências, das quais vinte e sete inquirições, duas buscas e
    recolha de variada documentação proveniente da Câmara Municipal da
    Covilhã, Instituto Superior de Engenharia de Coimbra, Instituto
    Superior de Engenharia de Lisboa, Direcção-Geral do Ensino Superior,
    Inspecção-Geral do Ensino Superior e Ordem dos Engenheiros.
    4. Da análise conjugada de todos os elementos de prova carreados para
    os autos resultou não se ter verificado a prática de crime de
    falsificação de documento autêntico, p. e p. pelo art.º 256º, n.º 1 e
    n.º 3, do Código Penal, na modalidade de falsidade em documento, ou de
    crime de uso de documento autêntico falso, p. e p. pelo citado
    preceito, n.sº 1, al. c) e 3, envolvendo a licenciatura em engenharia
    civil de José Sócrates Carvalho Pinto de Sousa.
    5. Em consequência, determinou-se o arquivamento dos autos nos termos
    do art.º 277º, n.º 1, do Código de Processo Penal, por despacho
    exarado em 31 de Julho de 2007.
    A PROCURADORA-GERAL ADJUNTA
    __________________
    (Maria Cândida Almeida)
    A PROCURADORA-ADJUNTA
    ___________________
    (Carla Dias)
    http://www.pgr.pt/portugues/grupo_soltas/noticias/COMUNICADO.pdf

    Gostar

  12. Tolstoi permalink
    31 Janeiro, 2009 12:14

    Pois é a situação é insustentável, tudo sai cá para fora, penso que a Sra. procuradora já não terá tempo para processar tanta gente por fugas de informação, a ter tempo para tal como tem tempo para o resto.

    Gostar

  13. 31 Janeiro, 2009 12:15

    Miss Helena Matos,
    caros blasfemos e comentadores,

    O caso, vai ser SERENADO em termos de investigação.
    Façam o favor de montar o puzzle (também com as múltiplas entrevistas da magistrada e depoimentos do PGR e inerentes frases subtis….) que chegarão à mesma conclusão: ARQUIVE-SE.

    No entanto, POLITICAMENTE Sócrates está na antecâmara duma mais vasta delapidação do já escasso crédito como PM.

    Cavaco Silva vai agir.
    Ocorrerão eleições antecipadas.
    Como entretanto as “investigações” (ainda !…) não estão concluídas, Sócrates-O-Pirro(*) recandidata-se, autovitimiza-se, dá uma guinada à “esquerda” no programa eleitoral e nos discursos (MAlegre dá-lhe crédito) e…como neste país quase tudo é possível, o povo-NADA reelege-o !

    Portugal ficará cada vez mais indecente para aqui viver e respirar.

    (*) made in Mr.CAA

    Gostar

  14. Tolstoi permalink
    31 Janeiro, 2009 12:23

    A situação descrita por MJRB (14) é Kafkiana, mas em termos teóricos possível (devo lembrar que até Vara chegou a administrador do BCP), mas penso que não vai corresponder á realidade.

    Gostar

  15. 31 Janeiro, 2009 12:23

    31 Janeiro 2009 – 00h30
    Acusação: Crimes económicos e financeiros imputados a 23 pessoas

    Associação criminosa na Independente

    Rui Verde, vice-reitor da Universidade Independente, e Amadeu Lima de Carvalho, ex-accionista da mesma, estão entre as 23 pessoas acusadas pelo Ministério Público de diversos delitos económicos e financeiros, em associação criminosa.

    Segundo revelou ontem a Procuradoria-Geral da República (PGR), foi deduzida acusação formal contra 23 arguidos e três pessoas colectivas. Em causa estão crimes de fraude fiscal, abuso de confiança, falsificação de documentos, burla qualificada, corrupção activa e passiva, e igualmente branqueamento e recepção ilícita de depósitos.

    A Polícia Judiciária concluiu, em Abril passado, o relatório do inquérito à Universidade Independente, no âmbito do qual foram investigados negócios que descapitalizaram a SIDES – Sociedade Independente de Desenvolvimento do Ensino Superior –, entidade gestora da Universidade Independente. Agora, a procuradora Fernanda Pêgo proferiu 26 acusações, mas até ontem à noite um dos principais arguidos, Luiz Arouca, ex-reitor, não tinha sido notificado de qualquer decisão. Já Amadeu Lima de Carvalho, principal accionista da SIDES – que, tal como Rui Verde, esteve em prisão preventiva – confirmou ao CM ter recebido um telefonema do DIAP a informá-lo do despacho de acusação.

    “O Ministério Público, em representação do Estado, deduziu ainda pedido de indemnização cível contra cinco demandados, de montante superior a um milhão de euros, promovendo-se o arresto de bens imóveis”, informa ainda a Procuradoria-Geral da República.

    Fora desta acusação ficou a juíza Isabel Magalhães, mulher de Rui Verde, que também foi constituída arguida. No entanto, caso venha a ser proferida acusação, esta terá de acontecer no Tribunal da Relação de Lisboa, onde, apurou o CM, continua a decorrer um processo.

    O escândalo na Universidade Independente, entretanto encerrada, em Outubro de 2007, por decisão do ministro da Ciência e do Ensino Superior, Mariano Gago, atingiu o auge no início do mesmo ano, altura em que a Polícia Judiciária efectuou buscas ao estabelecimento privado de ensino.

    A Universidade Independente ganhou nome com a passagem de altas individualidades do PS como alunos, como José Sócrates ou Armando Vara, que ali terminaram as suas licenciaturas, nomes que ficarão para sempre ligados à história da antiga universidade.

    CÂNDIDA ALMEIDA ARQUIVOU CASO DE CURSO DE SÓCRATES

    A licenciatura em Engenharia Civil obtida pelo primeiro-ministro José Sócrates em 1996, na Universidade Independente, foi alvo de polémica em 2007, perante um alegado crime de falsificação de documento. Após receber a denúncia a 13 de Março de 2007, o procurador-geral da República, Pinto Monteiro, nomeou a procuradora–geral-adjunta Cândida Almeida (magistrada que hoje coordena a investigação do caso Freeport) para realizar um inquérito, a fim de apurar a prática de crime. A 31 de Julho de 2007, o processo foi arquivado ao não se verificar a prática de crime de falsificação de documento. As notas de quatro cadeiras foram lançadas num domingo.

    CRONOLOGIA

    01.10.1993

    Constituída a SIDES, SA, entidade instituidora da UNI.

    26.02.2007

    Falência da UNI. Luiz Arouca afasta Rui Verde de vice-reitor.

    22.03.2007

    Rui Verde fica em prisão preventiva, após interrogatório.

    09.04.2007

    Ministério do Ensino Superior propõe encerramento da UNI.

    04.08.2007

    Ministério determina fecho da UNI até 31 de Outubro.

    30.10.2007

    UNI fecha portas.
    Ana Luísa Nascimento com B.E./A.P./J.S
    http://www.correiodamanha.pt/noticia.aspx?contentid=18AFDCF3-14EC-4287-9399-2BF2B82142E7&channelid=ED40E6C1-FF04-4FB3-A203-5B4BE438007E

    Gostar

  16. 31 Janeiro, 2009 12:26

    Tolstoi,

    Você vai lembrar-se de ter lido o que escrevi.

    Gostar

  17. 31 Janeiro, 2009 12:28

    Com tantas filmes, DVD’s, com tantas cartas denunciantes e conhecidos, com tantas provas fatuais, a pontos de o visado ja deve 4 anos á fogueira na Praça do Comercio, conquanto, a denuncia foi apresentada á PJ de Setubal.

    Eu q

    Gostar

  18. Tolstoi permalink
    31 Janeiro, 2009 12:32

    MJRB

    Como escrevi em termos teóricos o que vaticina é possível, o ponto mais fraco do que prognostica é o acordo com M. Alegre , será difícil.

    Gostar

  19. 31 Janeiro, 2009 12:34

    Tolstoi, 19

    Precisamente pela magnitude que o caso atingiu, vai ser mais fácil mais uma “compreensão” e “esperança” de Alegre.

    Alegre que será catapultado a Presidente do PS.

    Gostar

  20. 31 Janeiro, 2009 12:36

    Tolstoi,

    pegando no título deste post de Miss Helena Matos, vamos assistir a resoluções desconcertantes….

    Gostar

  21. 31 Janeiro, 2009 12:38

    Com tantas filmes, DVD’s, com tantas cartas denunciantes e conhecidos, com tantas provas fatuais, a pontos de o visado ja deveR 4 anos á fogueira na Praça do Comercio, conquanto, a denuncia foi apresentada á PJ de Setubal.

    Eu que sou leigo nestas coisas, expliquem-me, que um caso que não deixa para dúvidas, entregam a denuncia, anónima, num posto da PJ secundario, logo, uma coisa importante. Era o posto com maior vagar, não tinha que fazer? era um posto da Zona? era um posto conhecido do Boss da FreePort e tinha lá alguem conhecido?
    Em Setubal come-se um bom peixe assado, bem regado, e o Boss da Free Port depois do almoço se lembrou apresentar a queixa?

    Por favor, esclarecido

    Gostar

  22. Anónimo permalink
    31 Janeiro, 2009 12:45

    “Judite de Sousa: “Já localizaram o primo do primeiro-ministro?”

    Cândido de Almeida: “Sim, sabemos onde está”:

    JS:”E pode dizer-nos onde?”

    CA:”Não posso, senão ele foge.””

    a conclusão é óbvia: se alguém, para além dos que já sabem, sabe onde ele se esconde, ele aí vai precisar de ter que fugir

    Gostar

  23. Anónimo permalink
    31 Janeiro, 2009 13:54

    À atenção da Helena Matos


    El Ministerio de Exteriores de Israel ha iniciado el reclutamiento de centenares de voluntarios que tendrán la misión de contrarrestar las críticas que recibe su Estado en los diarios digitales de todo el mundo y defender los intereses del país en la blogosfera en general.”

    Ver notícia aquihttp://www.publico.es/internacional/196105/israel/inunda/internet/propaganda

    Gostar

  24. Pi-Erre permalink
    31 Janeiro, 2009 14:00

    O apparatchik anónimo já anda por aqui a defender a nomenklatura. Coitado do infeliz…

    Gostar

  25. 31 Janeiro, 2009 14:01

    Uma entrevista inusitada que em nada contribui para a credibilidade do nosso sistema judicial.
    De novo, só mesmo o programa de informática Citius que, ao que parece, já nasceu formatado de modo a mais facilmente aderir à prática sistemática da quebra do segredo de justiça; um cenário podendo já ser considerado endémico no espaço onde circula a magistratura portuguesa.

    Gostar

  26. José permalink
    31 Janeiro, 2009 14:22

    Esqueci-me de assinar, mas ainda vou a tempo.

    O segredo de justiça nestes casos é uma quimera. Assim, o melhor seria acabar com ele ou controlar efectivamente as possibilidades de fuga dizendo o nome das pessoas que tiveram contacto efectivo como o processo. Mas ainda há um problema: por vezes os jornalistas adivinham, inventam. Os peritos neste tipo de coisas eram os do Independente. O Pedro Guerra era um ás.
    Tenho provas desta estultícia no caso do sangue contaminado.

    Gostar

  27. José permalink
    31 Janeiro, 2009 14:37

    Este último comentário veio parar aqui, desgarrado. Era para outro postal.

    Mesmo assim: aquilo que a Cândida disse é de uma candura desarmante.

    Saia daí, minha senhora! Dê o lugar ao Euclides Dâmaso, do Diap de Coimbra. Esse, é um magistrado que sabe investigar a sério e com proficiência. A prova? O caso dos CTT de Coimbra…

    Gostar

  28. cão-tribuinte permalink
    31 Janeiro, 2009 15:05

    a cândida devia fugir porta fora
    ou ser corrida

    Gostar

  29. Anonimo permalink
    31 Janeiro, 2009 15:29

    .
    Sem ofensa a ninguém, neste caso as contradições e as argoladas das declarações publicas são monumentais. Escancaradas. Das de natureza politica são uma enxurrada.
    .
    Cansaço, cansaço não tenho duvidas. Talvez férias quando autorizarem o “Big Boss” a ordená-las
    .
    Nos entretantos isto continua a ir “para o charco”.
    .

    Gostar

  30. 31 Janeiro, 2009 15:57

    Tive esta noite um sonho esquisito: num país, ou sítio, nao sei precisar, havia um caso muito melindroso para resolver pela justiça.
    Depois meteu-se uns branqueamentos no sonho, e aparece uma juíza, cinquentona, que estava a averiguar o caso, aparece, dizia, grávida !
    Só me lembro que o tal caso foi parar às mãos de uma qualquer outra personagem, o que, não só atrasou como prejudicou a investigação.

    Há sonhos giríssimos !

    Gostar

  31. Tribunus permalink
    31 Janeiro, 2009 18:57

    Um primo que anda fugido, sá geito para lhe chamar nomes…….

    Gostar

  32. Tolstoi permalink
    31 Janeiro, 2009 19:13

    Freitas do Amaral na sua entrevista, que não teve dúvidas em afirmar que era o primo quem começava a aparecer mal na fotografia.

    Gostar

  33. 31 Janeiro, 2009 21:33

    Tolstoi, 33

    Sem ironia minha, também já equacionei essa hipótese: Sócrates, vítima de abuso do seu nome por parte de indivíduos para tirarem proveito de (supostos) favores do então ministro.

    Mas presumo que “a coisa” é muito mais complicada.

    Gostar

  34. 31 Janeiro, 2009 23:16

    Um verdadeiro “festival anedótico”… aquilo em que nos tornámos.
    Riam-se… riam-se, porque ainda é o melhor (e único) remédio disponível.
    Viva a Républica… eheheheh!

    Gostar

Trackbacks

  1. Enfim não sei que diga « BLASFÉMIAS

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: