Skip to content

Confesso que me passou pela cabeça o mesmo

24 Outubro, 2009
by

«A sensação que me ficou é que Saramago acredita mais em Deus do que Carreira das Neves…», Rogério da Costa Pereira, no jugular, acerca do debate de ontem.

Anúncios
95 comentários leave one →
  1. 24 Outubro, 2009 22:42

    Estou muito preocupado por o padre Carreira não ter atendido o telemóvel.
    E se era Deus?

    Gostar

  2. anónimo permalink
    24 Outubro, 2009 22:46

    #1 – foi deus

    Gostar

  3. Pinto permalink
    24 Outubro, 2009 22:49

    Concordo. Para quem não acredita minimamente em Deus, parece que Saramago perdeu muito do seu tempo em volta do tema. E à medida que a sua hora se aproxima, parece que a dedicação e empenho pelo assunto aumenta de forma galopante.

    Gostar

  4. 24 Outubro, 2009 22:51

    Começa a ser sintomática a urticária provocada pelo romance de JSaramago em crentes e em ateus.
    Sintoma-mor: impreparação –propositada por alguns, normal nos incultos e iletrados…– para entender que o livro não passa duma interpretação(legítima) dum escritor.

    A Igreja Católica, o Vaticano, está tão fragilizado que não aguenta “a matéria” ? De vez em quando não reunem para ‘reverem a matéria dada’ ?

    Saramago teve, ou não, direito a escrever o que tanta gente questiona em segredo ?

    Fosse o autor Nobel mas estrangeiro e não membro dum partido comunista, editado pela mesma empresa livreira, lançado o livro em Penafiel ou em Vilamoura, esta polémica teria atingido estas proporções ? Com os mesmos e tantos contestatários ?
    Os ateus ‘veem’ na mediatização de “Caim” unicamente a intenção de vender livros ? Saramago escreveu “Caim” só para amealhar mais uns bons milhares de Euros ? — homessa !

    Gostar

  5. 24 Outubro, 2009 22:55

    Acresce que escrever algo como “A sensação que me ficou é que Saramago acredita mais em Deus do que Carreira das Neves”, é dum simplismo inócuo e unicamente para chamar a atenção.

    Gostar

  6. anónimo permalink
    24 Outubro, 2009 22:58

    vendem ambos o mesmo produto, a felicidade. disputam os mesmos clientes apesar do produto do carreira ser pré-pago para gozar no céu e o do saramago ser gozado na terra a crédito pago no céu. o telefonema era uma promoção de última hora.

    Gostar

  7. tolstoi permalink
    24 Outubro, 2009 23:01

    Estou um pouco cansado de pessoas politicamente correctas em situações como esta,
    Carreira das Neves que discutiu com Saramago desfez-se em elogios, quando devia ter dito a Saramago que foi injurioso afirmar que os cristãos após o baptismo passavam a pertencer uma quadrilha, o que não seria se alguém afirmasse que uma pessoa ao se tornar militante comunista passava a fazer parte de uma quadrilha? Tudo pode ser discutido, e por vezes é bom questionar, é interessante que Saramago diga que os católicos desconhecem a bíblia e é lícito dizer que a bíblia tem textos cruéis, outra é afirmar que é um manual de maus costumes. Então e a mensagem do novo testamento: amor ao próximo, bondade, respeito e justiça, dimensões que nem sempre se sobrepõem e que podem até mesmo ser conflituantes entre si. Esse livro ao longo da história deu luz a obras fantásticas de humanidade e entrega. Existem argumentos interessantes levantados pelo escritor mas algumas expressões proferidas pelo escritor demonstram arrogância e falta de respeito e sensibilidade pela opção de vida de muitas pessoas algumas que de forma anónima se entregam completamente e de forma despojada à comunidade. Este Saramago implacável para os cristãos e que reclama para si o direito à dissidência e à heresia não dá o direito aos outros de não fazerem parte de uma quadrilha.

    Gostar

  8. 24 Outubro, 2009 23:10

    MJRB,

    «Acresce que escrever algo como “A sensação que me ficou é que Saramago acredita mais em Deus do que Carreira das Neves”, é dum simplismo inócuo e unicamente para chamar a atenção.»

    Não tenho a mesma opinião. O modo como Carreira das Neves se referiu ao Velho Testamento afunilando-o numa perspectiva exclusivamente histórica impressionou-me mal. Quero dizer, caso se parta do pressuposto (até aí, por mim assumido) de que Carreira das Neves era um crente.
    A não ser que se tratasse da clássica posição do demagogo que acredita literalmente na Bíblia e a tem como um texto sagrado quando isso interessa mas já a reduz a uma mera narração histórica de que, ainda por cima, não se podem extrair interpretações fora da regra tida e aceite quando o resultado interpretativo deixa uma sensação de desconforto.

    Mas essa péssima impressão com que fiquei de Carreira das Neves decorre mais do início do debate quando o padre se quis afirmar naquele contexto com o seu currículo de professor “de questões bíblicas há mais de 40 anos”, ajuntando menções propositadamente despropositadas sobre os seus estudo em Jerusalém e mais não sei onde…
    Foi o argumento curricular de quem se mostrou muito parco de argumentos no debate. De facto, o melhor momento do debate foi quando tocou o telemóvel (por caso não foi, houve um momento muito bom, mas agora não me interessa falar mais nisso).

    Gostar

  9. xico permalink
    24 Outubro, 2009 23:41

    O melhor momento foi quando Saramago disse, sem se rir, que devia estar consignado na carta dos direitos humanos, o direito à dissidência e à heresia!
    Carreira das Neves não esteve à altura da situação, como aliás nunca está, apesar do currículo.

    Gostar

  10. 24 Outubro, 2009 23:45

    Mr. CAA,

    Ouvi o “debate”. Fraco. Mas não minimamente indiciador de que “Saramago acredita mais em Deus do que Carreira das Neves”, por tal repito: esta conclusão via jugular e por si aqui colocada, entendo-a unicamente como frase com ironia qb para chamar a atenção.
    CNeves é crente. JSaramago não crê em Deus.

    Carreira das Neves, o Vaticano, o patriarcado, os padres, os bispos, os crentes, não querem (nunca quiseram) “discutir” a sério e publicamente, questões fracturantes da Bíblia ou do comportamento social e evangélico da Igreja Católica.

    Caro CAA, o seu terceiro parágrafo esclarece (quase) tudo.

    Repito: CNeves e muita mais gente (que de facto há) profundamente conhecedora dos textos bíblicos, não querem arriscar uma opinião ‘pecadora’ e muito menos um debate sobre trechos e personagens ‘incómodas’.

    Para muita, bastante gente (quantos, não leram Saramago e discutem-no ?; quem não lendo “Caim” já estão a sacrificá-lo ?), afinal um escritor “normal” ou sómente “bom” (embora Nobel), causa urticária que perdurará por muitos anos. Óptimo !

    O sintoma-mor é que em 2009, as sociedades ainda não estão preparadas (por incúria, por atavismo, por incultura, por iliteracia, ou por fundamentalismos…) para questionarem ‘altares’ e líderes políticos ou religiosos. Mesmo vivendo nesse dormente quotidiano, discutem, acusam, destroem se necessário.
    Só poucos querem “parar para pensar”.

    Gostar

  11. josé serra permalink
    24 Outubro, 2009 23:57

    caa,
    como vê já são várias as coisas em que está de acordo com o rcp.

    Gostar

  12. anónimo permalink
    24 Outubro, 2009 23:59

    #10 – “CNeves é crente. JSaramago não crê em Deus.”

    ambos estão dependentes do produto, o das neves é descrente por vergonha e o saramago crente por desavergonhado.

    Gostar

  13. Eduardo F. permalink
    25 Outubro, 2009 00:11

    Uma pequena contribuição quanto ao estatuto conferido por um Prémio Nobel:

    – Egas Moniz recebeu o prémio pelo «valor terapêutico da lobotomia».
    – 3 (três) primeiros-ministros israelitas já receberam o Nobel da Paz.

    Gostar

  14. 25 Outubro, 2009 00:15

    12,

    Há, sim senhor, um “produto”. No caso, a Bíblia e todas as influências que incute e faz viver milhões de crentes.
    É um “produto” onírico, surreal, encantatório para uns; unicamente (e boa) literatura para outros.

    Todos os que escrevem contra, ou que questionam regimes, leis, líderes, ou…a Bíblia, são “desavergonhados” ?
    Não quero nem me atreveria a ‘comparar’ Saramago com Galileu Galilei — este, foi um “desavergonhado” ? Os escritores, os filósofos e historiadores, os poucos teólogos que têm colocado em causa “regras”, são “desavergonhados” ?

    Gostar

  15. 25 Outubro, 2009 00:18

    Mr. Eduardo F,

    Não se esqueça dos vencedores do Nobel (em qualquer área) que efectivamente mereceram-no.
    Aí, a sua “contribuição” certamente ocupará uma grande mancha na caixa de comentários.

    Gostar

  16. 25 Outubro, 2009 00:19

    Caros,

    Boa noite.

    Gostar

  17. 25 Outubro, 2009 00:24

    à pressa, recomendo que, a propósito de Saramago e do seu “Caim”, leiam o poeta e padre Tolentino Mendonça, no “Expresso”

    Gostar

  18. Dazulpintado permalink
    25 Outubro, 2009 00:32

    A mim parece-me que CAA, entre outros que com ele coincidem nas opiniões, só teria ficado satisfeito se o Padre Carreira das Neves tivesse “esmagado” José Saramago, ou vice-versa. Acontece que ambos adoptaram um discurso moderado para que nenhuma das suas posições saísse chamuscada do debate. Um pouco à semelhança das posições de CAA, que não replica nas televisões a lucidez e o vigor com que neste forum defende as suas ideias.

    Gostar

  19. 25 Outubro, 2009 00:35

    Não vi esse debate. Ainda aguentei o primeiro minuto mas depois não tive paciência. Tinha visto o vídeo dum anterior com a Ana Lourenço e esse sim foi absolutamente excepcional. Está aqui o link, que até publiquei n’A Baixa do Porto:
    http://porto.taf.net/dp/node/6172

    Gostar

  20. Anónimo permalink
    25 Outubro, 2009 01:08

    De Anónimo a 24 de Outubro de 2009 às 00:47

    Saramago devia ter levado mais longe aquela necessidade de re-interpretação da bíblia, propondo que se deitasse a bíblia para o lixo e se escreva um livro a sério: claro e sucinto; para uma coisa que se pretende séria (segundo parece).

    Depois o padre vir dizer que todos os livros sofrem de problemas interpretativos: parece-me claro que o padre não sabe o que é um livro bem escrito sobre matéria de conhecimento. Deviam dar um livro de Matemática ou física ao moço para ele aprender umas coisinhas.

    Gostar

  21. 25 Outubro, 2009 01:10

    Não interessa acreditar ou não, o importante é estar precavido.
    Se DEUS não existir tanto faz acreditar ou não, porque o resultado final é o mesmo.
    Se existe o melhor é acreditar, porque se existir e for tão mau como diz Saramago então tudo que é ateu ou agnóstico vai ficar mesmo lixado na próxima vivência.

    Gostar

  22. Anónimo permalink
    25 Outubro, 2009 01:11

    De Rogério da Costa Pereira a 24 de Outubro de 2009 às 00:52
    Moço? Com um bocadinho de colégio militar ias lá, anónimo.

    responder a comentário | início da discussão | discussão

    De Anónimo a 24 de Outubro de 2009 às 00:54
    não percebi, pode explicar melhor? Ou devo requerer os serviços do teólogo mais próximo?

    responder a comentário | início da discussão | discussão

    De Rogério da Costa Pereira a 24 de Outubro de 2009 às 01:03
    Novas oportunidades, anónimo, novas oportunidades.

    responder a comentário | início da discussão | discussão

    De Anónimo a 24 de Outubro de 2009 às 01:07
    What? Doutorando, miúdo, sou doutorando

    responder a comentário | início da discussão | discussão

    De Rogério da Costa Pereira a 24 de Outubro de 2009 às 01:13
    Ah, bom, se és doutorando retiro já o que disse. Posso chamar-te amigo?

    responder a comentário | início da discussão | discussão

    De Damião Fernandes a 24 de Outubro de 2009 às 01:17
    ehehehehe. Afinal você sempre tem sentido de humor.

    responder a comentário | início da discussão | discussão

    De Rogério da Costa Pereira a 24 de Outubro de 2009 às 01:23
    Arranjei no ikea. Os parafusos deram-me trabalho, mas agora sou um humora”n”do.

    responder a comentário | início da discussão

    De Anónimo a 24 de Outubro de 2009 às 01:29
    Agradecia que, a bom das coisas boas, pedisse desculpa pelo comentário estupidamente preconceituoso que teceu quanto às supostas qualificações académicas de quem escreveu um comentário como o que eu escrevi.

    Ou então que tente justificar em que medida tal preconceito pode ser sequer tomado como um bom ajuste a priori para o meu comentário.

    responder a comentário | início da discussão | discussão

    De Rogério da Costa Pereira a 24 de Outubro de 2009 às 01:33
    “a bom das coisas boas”? Epá, colocada a coisa assim, sou gajo para reconsiderar. Isto sai-me com cada um.

    responder a comentário | início da discussão | discussão

    De Anónimo a 24 de Outubro de 2009 às 01:42
    Claro que não. Por momentos pensei que fosses um bocadinho menos do que simplesmente idiota.

    E olha, não me esqueço de pessoas com comportamentos como este que demonstraste. Para pena minha. É que eu preferia esquecer a escumalha.

    Gostar

  23. Caty Waves permalink
    25 Outubro, 2009 01:16

    O que vale é que foi graças aos socialistas que a liberdade de expressão e a liberdade religiosa foi reposta após o 25 de Abril!

    Gostar

  24. Anti-Chulos permalink
    25 Outubro, 2009 01:17

    O CAA é um incréu.

    Gosto mais de enxaréu!

    Gostar

  25. mile permalink
    25 Outubro, 2009 01:34

    Poupar esta vida! Para viver melhor na próxima.
    Sejam santos!
    Acreditem ………

    Gostar

  26. Anónimo permalink
    25 Outubro, 2009 01:45

    só não percebo qual o interesse de deus em criar isto. somos que ? tipo um reality show para entretenimento divino? cá para mim somos mas é uma hemorroida de deus. e deve-lhe doer bastante.

    Gostar

  27. Pois é... permalink
    25 Outubro, 2009 02:43

    8.CAA disse
    24 Outubro, 2009 às 11:10 pm
    .

    Você é bastante curto de vistas.
    Para quem está tão convencido de si próprio e se valoriza tanto, deveria ter uma atitude mais humilde por que não vale qualquer comentário – só revela ignorância.

    Nuno

    Gostar

  28. Anónimo permalink
    25 Outubro, 2009 03:17

    Gostar

  29. Disparates a metro permalink
    25 Outubro, 2009 03:31

    Depois de ver o vídeo,acho que a frase choque do CAA,retirada do ninho de escorpiões,é uma bacorada,mesmo só para chamar a atenção,porque parece inteligente.Só mesmo quem não conhece a doutrina da Igreja pode asnear daquela maneira.Nem o padre Carreira das Neves puxou dos galões,nem Saramago demonstrou sequer respeito pelo Deus bíblico.A Igreja Católica reconhece há muito o simbolismo dos textos sagrados e vai mais longe,estuda,faz a exegése dos mesmos.Carreira da Neves tem uma humildade que contrasta com a arrogância do Saramago.Afirmar que o escritor acredita na bíblia é sintomático de um homem que vive apenas de vaidade vazia,um saco de vento como o CAA.Um materialista assumido acredita em Deus?!Tenha juízo!

    Gostar

  30. 25 Outubro, 2009 03:57

    Teoria da Conspiração
    1. Como não acredito que todos os media são estúpidos, tenho de concluir que a “Caminho”, editora de Saramago, controla todos os media.

    2. Como diz Ulrich, aquilo que se passa na PT/Ongoing/CGD, etc., não é bonito (já envolve demissões). Mas os nossos media falam do circo de Saramago. Fomos ultrapassados pela Eslováquia nas contas dos PIBs e afins, mas os nossos media falam do circo de Saramago. Descemos 15 lugares na liberdade de imprensa, mas os nossos media falam do circo de Saramago. Isto é o tal sistema. E uma pergunta: os nossos jornalistas estão no negócio do circo ou estão no negócio da informação e da análise da realidade?
    http://www.clubedasrepublicasmortas.blogs.sapo.pt/205204.html

    Gostar

  31. 25 Outubro, 2009 04:53

    A ICAR em Portugal sofre de uma espécie de “complexo de esquerda”: a hierarquia tem medo de defender com convicção a verdade evangélica.

    É facílimo calar Saramago em debates ( e não só)…e os seus defensores ainda mais.

    Um gajo que coloca ao mesmo nível a Bíblia e o Al Corão não percebe nada, mas mesmo nada, do que diz.

    Para o calar, basta dizer-lhe que ele mistura Velho Testamento com Novo Testamento, pq, é óbvio, as diferenças são do dia para a noite…e isso não lhe interessa.

    Qto ao debate, Saramago, depois das atoardas que disse em Penafiel, para reconquistar aqueles a quem insultou, tem que enveredar pelo caminho do…não foi bem assim….afinal a Bíblia tem livros lindos…o dos Salmos é maravilhosos, idem o dos Cânticos, etc…

    Só é pena a ICAR Lusa colaborar nesta campanha de vendedor da cobra; dava uma resposta clara, seca e demolidora e deixava o ressabiado stalinista a falar sozinho….

    Gostar

  32. 25 Outubro, 2009 05:00

    #30
    de acordo

    http://aeiou.expresso.pt/as-7-da-manha-ja-ha-fila-para-o-almoco=f542758

    Os “media” subservientes socráticos, numa atitude de profundo desprezo pelo povo, tentam dar a ideia de que isto está porreiro, teve mal mas já está a recuperar, blá blá blá

    Gostar

  33. Per Caso permalink
    25 Outubro, 2009 08:53

    Saramago não há-de converter-se. Não pode.
    Seria um acto de fraqueza, como injustificável traição.
    Pois quem, no lugar dele, uma pessoa honesta, tão empenhadamente sincera e responsável, toda a vida, iria render-se ao deus de Caim, do Bush, dos mais fortes e sacanas, que assim o criaram, deus eternamente adormecido para um lado, quão indigno de respeito algum?
    Que bem podem feiticeiros, com todos os padres, jogar na estapafúrdia fé, sem mais crédito que o medo que nos tolhe, humanos, sabido como nascemos, um tempo vivemos, quão certo havemos de morrer.
    Para mais hoje, quando acima das nuvens, da astronomia, não há mais lugar a céu.
    Pois esta é, enfim, a grande crença, não há deus para além das nossas cabeças, cheias desse medo que nem já do dorminhoco se pode, convicto, esperar resolução.
    E tenho eu que maioria dos padres não vai além da fé de Saramago, perplexo e confuso de tanta cegueira e consentida malvadez. Não devem é dizê-lo, que lhes fica mal.
    A padres e bispos, sem falar do povo, que esse confia mais largo, pobrezinho, livre de se entorpecer na letra literal.
    Pois assim convém à ordem mundial.

    Gostar

  34. Per Caso permalink
    25 Outubro, 2009 09:03

    #31 O Sátiro
    “Para o calar, basta dizer-lhe que ele mistura Velho Testamento com Novo Testamento, pq, é óbvio, as diferenças são do dia para a noite…e isso não lhe interessa.”

    Assim tão grandes as diferenças?
    Vai ao Apocalipse, que aí acharás um compêndio de horrores, maiores, mais medonhos que em noite de breu.
    Vai e torna aqui a falar-nos desse óbvio tão certo que te aconteceu.

    Gostar

  35. OLP permalink
    25 Outubro, 2009 10:11

    Não sei se o deus materialista dialéctico de Saramago, estará tão longe daquela ideia que ele disse ter na cabeça de deus.
    Revisitida a história antiga. média e moderna um homem inteligente como ele terá percebido (?)que os anos do obscurantismo da idade média não foi assim tão ultrapassado pelas novas religiões ainda que materialistas (dialécticos ou não)
    Para mim pelo menos,Saramago tem a duvida instalada na sua cabeça.
    Todos os processos de conversão ou reconversão são sempre dolorosos e sofridos.
    Principalmente quando se chega a uma altura da vida em que se vai tendo conhecimento que os inquisidores e cruzados da nova religião, ou promitente religião,tornaram meninos de coro os primeiros.

    Gostar

  36. OLP permalink
    25 Outubro, 2009 10:47

    Um materialista dialéctico não tem deus ( ou não deveria ter) na cabeça e Saramago tem.
    Revisitada a história terá Saramago percebido que a história dos deuses na antiga média e moderna idades se tornaram cada vez mais fdp?
    Promitente inquisidor e cruzado da última religião materialista (dialéctica ou não), apercebendo-se que tornaram quase meninos de coro os anteriores, a reflexão o atormenta.
    A conversão sempre foi um processo doloroso e sofrido, principalmente para pessoas inteligentes e reflexivas como ele.
    Acreditar que Saramago continua exclusivamente materialista também é de um simplismo atroz, só usado pelos crentes sejam eles de que crença forem.

    Gostar

  37. Fernando P permalink
    25 Outubro, 2009 11:24

    Carreira das Neves fez de Deus uma profissão; Saramago, uma inquietação. Prefiro este.

    Gostar

  38. joao permalink
    25 Outubro, 2009 11:37

    Saramago dixit ” Deus é um filho da p…”
    ” Cuba é o paraíso na terra ”
    ” Tenho vergonha de ser português ”
    ” Gaza é o novo holocausto e os judeus os nazis ”
    ” a carta dos direitos humanos devia incluir o direito de dissidência ”

    palavras, para quê ? é um verdadeiro artista estalinista que nunca renegou a bíblia do comunismo, essa sim um verdadeiro manual de crime e maus costumes, que ainda hoje no ocidente é encarada com benevolencia.

    Gostar

  39. Américo Vicente permalink
    25 Outubro, 2009 11:48

    #36
    Parabéns! Sintético e brilhante!

    Gostar

  40. CARLOS permalink
    25 Outubro, 2009 11:52

    Aos hipócritas saramaguistas respondam lá : quem é que hoje em dia mata, decepa mãos e cabeças,enforca homosexuais, apedreja por adultério, mutila genitalmente bébes,pratica a escravatura ( permitida por lei no Niger e Mauritanea ; nos países do médio oriente só abolida nos anos 70), persegue os não crentes e infiéis em nome de Deus ? são os cristãos que leram a Biblía ? os católicos ? os protestantes ? os hindus ? os budistas ? os judeus ? Qual o livro que fala de Deus e que é seguido literalmente como um codigo de conduta diário por milhões de crentes ? a Biblía ? Saramago nunca levantou um dedo por Salmom Rusdhi, Van Gogh e muitos outros perseguidos na Europa….e agora vem falar da Biblía…vão dar banho ao cão. E já agora, foi certamente um leitor da Biblía que disparou sobre o Papa Joao Paulo no Vaticano nos anos 80, não foi ?

    Gostar

  41. Kolchak permalink
    25 Outubro, 2009 12:42

    Parece a famosa cena do Guerra Junqueiro a rezar à hora da morte…!

    Gostar

  42. OLP permalink
    25 Outubro, 2009 12:49

    #23
    Foram os mesmos socialistas que repuseram essas coisas a partir de 1989 no antigo bloco de leste ele próprio socialista?

    Gostar

  43. zazie permalink
    25 Outubro, 2009 13:19

    Resposta ao Carlos:

    Os pretos do tribalismo no Ruanda.

    Mas há pior em mais sítios e não consta que sejam da AlCaeda.

    São os selvagens onde a tv ainda não vai muito porque não englobam os famosos “conflitos internacionais”.

    Há 50 anos eram canibais e também sem precisarem de Maomé.

    Na Ìndia e na China também acontece tudo isso e, mais uma vez, não são muçulmanos.

    A lei das castas e a exclusão das mulheres do mundo do trabalho sempre fez parte da tradição de sociedades em que a crença religiosa pode ser budista ou hindu ou até animista.

    Gostar

  44. Pi-Erre permalink
    25 Outubro, 2009 13:19

    .
    Ambos são religiosos sectários.
    Um promete-nos o paraíso no Céu desde que renunciemos ao da Terra.
    Outro promete-nos o paraíso na Terra desde que renunciemos ao do Céu.

    Que venha o Diabo e escolha!

    Gostar

  45. zazie permalink
    25 Outubro, 2009 13:20

    Mas é lixado papaguear-se tudo nesse maniqueísmo kippa contra turbante.

    Lá isso é. Mas sem o papaguearem ficavam sem o passaporte da modernidade.

    Gostar

  46. zazie permalink
    25 Outubro, 2009 13:27

    Foi com este “passaporte da modernidade” que o Napoleão também se lembrou de exportar as Luzes aos selvagens.

    Qual Alexandre, continuou o trilho que v,s, agora, em nome do progressimo da “Civilização Ocidental” também fazem.

    Com uma diferença. O Napoleão ainda levou 600 sábios com ele para exportar essa supremacia. E teve de os mandar para o meio, juntamente com as bestas de carga, quando havia ataque.

    Agora, os vossos gurus levam carradas de bestas com bíblias de economia às costas e não há que as derrube.

    Gostar

  47. zazie permalink
    25 Outubro, 2009 13:28

    cavalo que as derrube.

    Na maior parte dos casos, até se limitam a exportar essa supremacia sentados no sofá.

    Gostar

  48. 25 Outubro, 2009 13:44

    Enfim… frases tontas… mas há que promover os amigos de sempre mesmo quando só dizem asneira. Acreditar no deus do antigo testamento quanto muito levaria as pessoas a serem satanistas. Se o escritor é ateu assumo que a qualidade moral do deus cristão lhe seja indiferente.

    Gostar

  49. Lili permalink
    25 Outubro, 2009 14:07

    Saramago tem opinado sobre o Deus do Antigo Testamento, não sobre o que se reconciliou com a Humanidade, depois do nascimento de Cristo (Novo Testamento).

    Gostar

  50. Anonima33 permalink
    25 Outubro, 2009 14:49

    #30
    Discutir as notícias que a Imprensa veicula ou não, é assunto quase tão estéril quanto o é abordar o assunto Maité ou as polémicas de Saramago (embora eu continue a achar que tudo serve para nos pôr a trocar pontos de vista). Portugal é pequeno. Todos se conhecem. Dizemo-lo amiúde. Talvez nos esqueçamos que, de alguma forma, acabam todos por conviver. A mim de há muito que prevalece esta sensação que isso gera bastiões de poder quiçá intrincados e perniciosos do ponto de vista da informação.
    Acresce que os jornalistas são, por definição, profissionais sujeitos a pressões. Às das fontes por exemplo. E as fontes são todas, do particular ao público.
    Acrescem salários pequenos de uma maioria, num mercado difícil em que ter ou não colocação naqueles quatro, cinco grupos que os governam, presumo, seja uma luta titânica travada de todos os dias e que pode levar muitos a mover-se de acordo com a máxima do salve-se quem puder porque é preciso pão para a boca. Só assim se compreende que tenha um Sindicato de que nunca se ouve falar, nem greves de monta a registrar.
    E ainda há o público, que gosta, de facto, de histórias fáceis por recusar-se a pensar e, eventualmente, uma excelente contra-informação por parte das instituições. Dizer-se que a Imprensa tem um poder astronómico, a meu ver, serve para de obter vantagem face a um poder concorrencial, valorizando-o aos olhos do cidadão, da opinião pública. Assim pode-se demonizá-lo, dizer-se que é ele o criador das manobras de diversão que desviam atenções dos reais e importantes problemas do País. Será?
    Então porque tem Portugal um caso TVI?, Porque se pronuncia a ERC contra a interferência da administração da estação na extinção do Jornal Nacional de sexta, não antes, mas uma semana e meia depois das autárquicas? Porque cai Portugal 14 lugares no ranking da liberdade de Imprensa (ela própria, de um certo ponto de vista, como a imparcialidade,uma utopia por haver interesses e subjectividade)?
    Com a investigação séria arredada dos horizontes, em boa parte, provavelmente, por falta de dinheiro dos seus agentes,jornais, televisões e rádios parecem-me enfrentar um conjunto de obstáculos a não menosprezar ao desenvolvimento do seu trabalho num país, que para meu amargo de boca, parece sempre menos democrático.
    Se ainda, é claro, me for permitida opinião!

    Gostar

  51. Marafado de Buliquei-me permalink
    25 Outubro, 2009 14:58

    OOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO pessoal da minha terra !!
    Eu também não acredito nem um ” Bucadinho ” no Cavaco e farto-me de falar nele !”
    E esta heeeeeeemmmmm !

    Gostar

  52. Anonima33 permalink
    25 Outubro, 2009 15:35

    Ainda quero deixar escrito que tenho visto criticar Saramago por ele não se “meter com o Corão”. Se escrevesse eu um livro também deixaria a Alá assuntos de sua pertença exclusiva. E não era por medo que o faria, mas sim por me interessar primeiramente por uma civilização -a ocidental- que é minha em que Igreja, com os seus ensinamentos, é um pilar-referência, mas se mostra incapaz de promover mudança. O seu seguidor, para “contextualizar”, está em pleno século XXI. Ela já não o convence. Ou isso ou não faz sentido que a Igreja esteja a perder fiéis em número catastrófico por todo o lado. Em nove anos a percentagem de católicos no Brasil, por exemplo, caiu 10 pontos percentuais, 83,3 em 1991 contra 73,8 em 2000.
    Ponho o Saramago de lado. Fica o Carreira das Neves e esse não defendeu bem a dama. Vou ser sucinta ao deixar esta frase: “ninguém é capaz de falar da existência de Deus à luz das ciências, mas também ninguém é capaz de dizer que Deus não existe à luz das ciências.”
    Não devia ser antes: se um crente não é capaz de provar a existência de Deus, a ciência também não pode provar a sua inexistência? Eu cá preferia assim, mas o padre parecia-me perdido.

    Gostar

  53. Dazulpintado permalink
    25 Outubro, 2009 16:08

    Aqui está mais uma que prefere a forma ao conteúdo.

    Gostar

  54. Anonima33 permalink
    25 Outubro, 2009 16:55

    Tem a certeza?
    Em questões de fé, dou-lhe o direito. Se não vos valer o conteúdo, valho-nos ao menos a forma!

    Gostar

  55. Eduardo F. permalink
    25 Outubro, 2009 17:05

    «O que, finalmente, espanta neste ridículo episódio não é Saramago, de quem – suponho – não se esperava melhor. É a extraordinária importância que lhe deram criaturas com bom senso e escolaridade obrigatória.»

    Vasco Pulido Valente, Público, 23 de Outubro de 2009

    Gostar

  56. Per Caso permalink
    25 Outubro, 2009 17:13

    E Deus não existe, por ilógico de todo, além do conceito, é verdade.

    Porque temos medo, cagufa, do que vive a ICAR, todas as seitas, com seus feiticeiros e padres.

    É infalível, como o Papa. E já não basta, como à minha amiga, praticante, que corre a Setúbal, à sexta, para a feiticeira, que lhe torne o namorado.

    Mas precisava? Oh, sim, com deus dorminhoco, dia após dia fechado.

    Gostar

  57. Eduardo F. permalink
    25 Outubro, 2009 17:17

    «D. Manuel Clemente conhece com certeza a dificuldade de explicar a mediocridade a um medíocre e a impossibilidade prática de suprir, sobre o tarde, certos dotes de nascença e de educação.»

    Vasco Pulido Valente, Público, 23 de Outubro de 2009

    Gostar

  58. Per Caso permalink
    25 Outubro, 2009 17:19

    E quem merecia esse nobel era eu, Pulido, Valente para mais, como toda a gente sabe.

    Acontece que não tenho tempo pa romances, ocupado que me tem a crítica, seja à dreita seja à esquerda, invejosa, cada vez mais despeitada.

    Gostar

  59. Salamargo permalink
    25 Outubro, 2009 18:56

    «O que, finalmente, espanta neste ridículo episódio não é Vasco Pulido Valente, de quem – suponho – não se esperava melhor. É a extraordinária importância que lhe deram criaturas com bom senso e escolaridade obrigatória.»

    Gostar

  60. 25 Outubro, 2009 19:44

    23, Caty Waves

    “O que vale é que foi graças aos socialistas que a liberdade de expressão e a liberdade religiosa foi reposta após o 25 de Abril!”

    Esses conhecimentos históricos deixam muito a desejar. E que tal informar-se (pensar/estudar) um bocadinho antes de escrever?

    Gostar

  61. 25 Outubro, 2009 19:54

    Fernando P (37)

    «Carreira das Neves fez de Deus uma profissão; Saramago, uma inquietação. Prefiro este.»

    Grande frase.

    Gostar

  62. 25 Outubro, 2009 19:57

    O que tem mais piada é que Saramago só por ele próprio faria da maioria dos que o defendem (eu incluido) inimigos mas a reacção católica e conservadora é tão primária que a pessoa fica a gostar, a contragosto, do escritor.

    Gostar

  63. 25 Outubro, 2009 21:08

    “reacção católica”

    Qual “reacção católica”? Há só uma? Já viu esta?
    http://porto.taf.net/dp/node/6172

    Gostar

  64. 25 Outubro, 2009 21:17

    Se há só uma liderança… o resto é um pouco para decoração não?

    E para adiantar a sua resposta: sim sei que há pessoas que se consideram católicas que não partilham as opiniões e sensibilidades da hierarquia mas também sei a linha oficial da Igreja sobre essas dissidências: são ovelhas perdidas que com o tempo verão a razão (que no fundo tapa a realidade de a instituição estar tão desesperada por manter os numeros que não se atreve a levar as coisas à sua conclusão).

    Gostar

  65. 25 Outubro, 2009 21:19

    Pelos vistos, esta gente (com raras excepções) ainda não percebeu que o País está-se cagando para o Saramago – e, já agora, também para o complexado padre das Neves…
    Que se f…. os dois e quem os apoiar!

    Gostar

  66. Per Caso permalink
    25 Outubro, 2009 21:38

    #62

    “que a pessoa fica a gostar, a contragosto, do escritor.”

    Essa, não, mas gosto, cada vez mais, se faz favor e em lugar de se ir na onda invejosa dos medíocres, entramos a porta larga da sua invenção criativa.

    Ou quem, após o Sec. XIX, é o nosso maior romancista, o Nobel de Literatura?

    Sem doutoramento nem canudo de letras filosóficas ou históricas, porém, genial, sobre todos inventivo, honesto trabalhador das Letras, quão humano, que as Musas tanto amam e apreciam.

    Audaces juvat Fortuna.

    Homero não foi doutor, nem Cervantes nem Virgílo.
    E nem os escribas da Bíblia.

    Gostar

  67. Per Caso permalink
    25 Outubro, 2009 21:39

    “mas a gosto,
    se faz favor.
    A grande gosto”

    Gostar

  68. 25 Outubro, 2009 21:43

    Per Caso,

    Ele tem um percurso invulgar admito mas acho que estou no meu direito de não gostar da personalidade nem do estilo literário, ou não?

    Gostar

  69. Pinto permalink
    25 Outubro, 2009 21:49

    MJRB (10),
    “(…) Carreira das Neves, o Vaticano, o patriarcado, os padres, os bispos, os crentes, não querem (nunca quiseram) “discutir” a sério e publicamente, questões fracturantes da Bíblia ou do comportamento social e evangélico da Igreja Católica (…)”

    Faço um resumo das questões fracturantes da Bíblia, para se perceber o quão está desactualizada e descontextualizada da nossa sociedade. Pego, como exemplo, na letra dos 10 Mandamentos – tão polémicos, tão criticados – para tentar salientar os perigos da leitura da Bíblia (esta comparação já foi publicada noutro blogue):

    I – (…) Não terás outros deuses em desafio a Mim (…)

    Artigo 12.º
    (Princípio da universalidade)
    1. Todos os cidadãos gozam dos direitos e estão sujeitos aos deveres consignados na Constituição.

    (Constituição da República Portuguesa)

    II – (…) Não farás imagem esculpida, referindo-se a ídolos, nem semelhança alguma do que há em cima nos ceús, nem embaixo na terra, nem nas águas debaixo da terra (…)

    (…) A Assembleia Constituinte afirma a decisão do povo português de defender a independência nacional, de garantir os direitos fundamentais dos cidadãos, de estabelecer os princípios basilares da democracia, de assegurar o primado do Estado de Direito democrático e de abrir caminho para uma sociedade socialista, no respeito da vontade do povo português (…)
    (Prefácio da Constituição da República Portuguesa)

    Artigo 46.º
    (Liberdade de associação)
    (…)
    4. Não são consentidas associações armadas nem de tipo militar, militarizadas ou paramilitares, nem organizações racistas ou que perfilhem a ideologia fascista.

    III – Não tomarás o nome de YHWH, teu Deus, em vão (…)

    Artigo 323.º
    Ultraje de símbolos estrangeiros
    Quem, publicamente, por palavras, gestos, divulgação de escrito ou outro meio de comunicação com o público, injuriar bandeira oficial ou outro símbolo de soberania de Estado estrangeiro ou de organização internacional de que Portugal seja membro é punido com pena de prisão até um ano ou com pena de multa até 120 dias.

    V – Honra a teu pai e a tua mãe, a fim de que os teus dias se prolonguem sobre o solo que YHWH, teu Deus, te dá

    Artigo 36.º
    (Família, casamento e filiação)
    (…)
    6. Os filhos não podem ser separados dos pais, salvo quando estes não cumpram os seus deveres fundamentais para com eles e sempre mediante decisão judicial.

    (Constituição da República Portuguesa)

    ARTIGO 1887.º
    Abandono do lar
    1. Os menores não podem abandonar a casa paterna ou aquela que os pais lhes destinaram, nem dela ser retirados.
    2. Se a abandonarem ou dela forem retirados; qualquer dos pais e, em caso de urgência, as pessoas a quem eles tenham confiado o filho podem reclamá-lo, recorrendo, se for necessário, ao tribunal ou à autoridade competente.

    IV – Lembra-te do dia do Sábado, para o santificar. Seis dias trabalharás, e farás todo o teu trabalho; mas o sétimo dia é o Sábado de YHWH, teu Deus (…)

    Artigo 205.º
    Descanso semanal obrigatório
    1 – O trabalhador tem direito a, pelo menos, um dia de descanso por semana.

    (Código do Trabalho)

    VI – Não matarás

    Artigo 131.º
    Homicídio
    Quem matar outra pessoa é punido com pena de prisão de oito a dezasseis anos.

    (Código Penal)

    VII – Não cometerás adultério

    ARTIGO 1672.º
    Deveres dos cônjuges
    Os cônjuges estão reciprocamente vinculados pelos deveres de respeito, fidelidade, coabitação, cooperação e assistência.

    (Código Civil)

    VIII – Não furtarás

    Artigo 203.º
    Furto
    1 – Quem, com ilegítima intenção de apropriação para si ou para outra pessoa, subtrair coisa móvel alheia, é punido com pena de prisão até três anos ou com pena de multa (…)

    (Código Penal)

    IX – Não levantarás falso testemunho

    Artigo 180.º
    Difamação
    1 – Quem, dirigindo-se a terceiro, imputar a outra pessoa, mesmo sob a forma de suspeita, um facto, ou formular sobre ela um juízo, ofensivos da sua honra ou consideração, ou reproduzir uma tal imputação ou juízo, é punido com pena de prisão até seis meses ou com pena de multa até 240 dias.

    (Código Penal)

    Só falta o décimo (não cobiçarás). Agora não me ocore uma norma apropriada. Quando encontrar, publico-a.

    Gostar

  70. 25 Outubro, 2009 23:15

    Este episódio deu oportunidade de tempo de antena a umas figuras tristes, como Lara e Neves. Mas Saramago não sai bem na foto. É feio dizer mal de um livro que já lhe deu argumento para duas novelas e que subrepticiamente influencia o seu estilo narrativo, como um leitor atento pode verificar. Quanto às questões “porque é que não se mete com o Corão”, não digo que não seja por prudência calculista, mas o certo é que o Corão não lhe interessa porque dali não consegue extrair nenhuma história de jeito.

    Gostar

  71. Per Caso permalink
    25 Outubro, 2009 23:48

    #68
    “estou no meu direito de não gostar da personalidade nem do estilo literário” Cinicopt (bom nick)

    Claro que não, a figura não iguala a Virgem de Fátima, sempre jovem, é verdade, apesar da falácia donzela, velha já de mais de dois mil anos, que só a pintura conserva.

    E nem do estilo literário, ok, do estilo, como Picasso não agradou ao tempo, nem Van Gogh, Galileu e o mesmo Pessoa.

    Criadores são assim, visionários, iconoclastas, uns percursores a seu tempo.

    Olha o divino Mozart, em “Amadeus,

    E lembras Sallieri, despeitado, rindo, como tolinho, “eu vos saúdo, todos, como eu medíocres…

    C’est la Vie. Como eu não tenho culpa de ver longe.

    Gostar

  72. Per Caso permalink
    25 Outubro, 2009 23:52

    Eh, saiu torto, parece, o simplesmente direito:

    Gostar

  73. Per Caso permalink
    26 Outubro, 2009 00:03

    http://papeisavulsosateismo.blogspot.com/2009/10/infiltrados.html

    Que em alguma parte se há-de encontrar essa passagem, com Sallieri, sobre a liteira, saudando os padres, críticos e a mais gente:

    “Medíocres, como eu, vos absolvo, agora e no futuro, em todo o mundo.”

    Gostar

  74. 26 Outubro, 2009 00:06

    Pinto, 69

    Os católicos, a Igreja Católica, é uma instituição separada do Estado português, embora por ele acolhida e respeitada, tal como por exemplo os muçulmanos.
    Está na Constituição da República portuguesa.
    Antes de 25 de Abril de 1974, a Igreja Católica era “unha com carne” com o regime.

    Os portugueses têm o direito de criticar, de questionar, de não pactuar com outros estados soberanos (leis, actos, constituições, ‘bíblias’). O Vaticano é um deles.

    Gostar

  75. 26 Outubro, 2009 00:09

    Mr. Fernando, 37

    Tal como Mr. CAA enalteceu, excelente resumo, o seu !

    Gostar

  76. 26 Outubro, 2009 00:15

    Adenda ao meu # 74:

    …pelo que o posicionamento e desafio do deputado do PSD a Saramago, é ridículo, despropositado e…(se quisermos) inconstitucional.
    Tal como a proibição, há anos, de Sousa Lara, então sub-secretário de estado da Cultura, sobre a candidatura do “Evangelho” Saramago, a um prémio europeu.

    Gostar

  77. 26 Outubro, 2009 00:28

    Per caso,

    Leia o comentário e aí pode ser que perceba o que quero dizer – se escrevi contra a reacção católica acha que ando aqui a cair de amores pela virgem? O resto olhe, o que não falta aqui são egos exaltados por isso de certeza que encontrará pessoas mais interessadas que eu para discutir quem se considera mais superior ao comum dos mortais…

    Assustador a necessidade de e agredir e humilhar, sua e de outros que tal, só tensões de uma vida real bem submissa e mal resolvida.

    Gostar

  78. Per Caso permalink
    26 Outubro, 2009 01:03

    Foi em tom de brincadeira, caro.
    E eu recorri à “virgem” por no repente não me ocorrer uma Starllet Joanshon ao caso.
    Quanto a superioridade, nada, não, assim mesmo, à brasileira, não humilha nem agride, se não que vi graça no seu livre gosto de “gostar a contra-gosto”, tirando daí opositora piada. Sem conseguir, tão a sério levou a tirada.

    Enfim, satisfações momentâneas de prever a goleada à Benfica, terça-feira, sobre esta vitória à Porto, ontem, que baste.

    Só, mais nada.

    Gostar

  79. Per Caso permalink
    26 Outubro, 2009 01:07

    #77
    “Assustador a necessidade de e agredir e humilhar, sua e de outros que tal, só tensões de uma vida real bem submissa e mal resolvida.”

    Coisa de nada, esta, comparada às guerras, desemprego, fome, desse mundo, numa autêntica miséria.

    Gostar

  80. 26 Outubro, 2009 01:08

    Num texto corrido sem indicação de contrário a interpretação é literal a não ser que se conheça bem a outra pessoa.

    Se não era literal fico mais contente 🙂

    Gostar

  81. Per Caso permalink
    26 Outubro, 2009 01:11

    Y por que me perdone, reciba en dádiva:

    Gostar

  82. Per Caso permalink
    26 Outubro, 2009 01:35

    Se não que, fora de problemas psicológicos, em celestial azul divino, repete a genial saga:

    Gostar

  83. 26 Outubro, 2009 05:24

    Conclusão:
    SAramago é um stalinista cheio de traumas e frustrações: a URSS desapareceu!!!!

    Tem que dirigir as frustrações contra algo.
    Claro, escolheu “algo” que atura as baboseiras, insultos e calúnias que vomita.
    Mesmo que discuta com ele.

    Exacto: não se meteu com o islão!!!

    Pq é covarde! Pq é arrogante: por ser Nobel, acha q pode inventar, mentir, insultar a seu bel prazer.
    Pq a selvajaria islâmica é hj defendida pelos frustradinhos stalinistas (basta ver o PCP,BE e quejandos..)

    E, óbvio, não fala do Novo Testamento que é a maior Revolução da História da Humanidade.

    Só é lamentável a ICAR não ter escolhido pessoas de debate, em vez de intelectuais cheios de ciências, mas sem capacidade de combate.

    E, claro, tenha ajudado na nojenta, ignóbil campanha publicitária do stalinista frustradinho da silva

    Gostar

  84. 26 Outubro, 2009 10:07

    “Antes de 25 de Abril de 1974, a Igreja Católica era “unha com carne” com o regime” – garante o “historiador” MJRB, #74.

    Tão “unha com carne” que até exilou o bispo do Porto.

    Gostar

  85. anónimo permalink
    26 Outubro, 2009 10:29

    #85 – se não sabes, estuda o assunto com calma, vais ver que é fácil e evitas fazer figura de ignorante.

    Gostar

  86. 26 Outubro, 2009 12:38

    Eu Sei Tudo, 85

    Vc. não sabe quem foi D.Amtónio Ferreira Gomes.
    Se sabe, escreve o primeiro disparate que lhe surge.

    (Não sou “historiador”).

    Gostar

  87. 26 Outubro, 2009 12:46

    Coincidindo com a campanha da candidatura presidencial de Humberto Delgado, em 1958, e, no exercício do magistério episcopal e em defesa da doutrina social da Igreja Católica, teve a coragem frontal de, numa carta dirigida a Salazar (então, chefe do Governo), tecer críticas contundentes relativas à situação político-social e religiosa do País, o que lhe veio a acarretar a viver exilado. Durante o exílio teve residência em Espanha, República Federal Alemã e França, tendo o Papa João XXIII nomeado-o membro da Comissão Pontifícia de Estudos Ecuménicos para a preparação do Concílio Vaticano II, realizado entre 1962 e 1965. Neste concílio (o 21.º concílio ecuménico da Igreja Católica) teve intervenções sobre a nomeação dos bispos (em 7 de Novembro de 1963) e sobre Ecumenismo (13 dias depois), respectivamente nas 62.ª e 71.ª Congregações Gerais do Concílio.

    Gostar

  88. joao permalink
    26 Outubro, 2009 13:06

    Saramago odeia Deus ( Deus é um filho da p…sic ). É natural. Quem toda a vida defendeu o estalinismo responsável pela perseguição, tortura e morte de milhões de pessoas, só pode estar de bem com o Diabo.Ainda há 2 anos dizia que Cuba era o paraíso na terra. Uns meses depois dessa afirmação, Fidel mandou fuzilar uns desgraçados que tentaram fugir da ilha. Logo a seguir S. diz que já já não se identifica com Fidel. Entretanto já esqueceu e já fez as pazes com Fidel. Palavras para quê ? as acções ficam com quem as pratica.

    Gostar

  89. 26 Outubro, 2009 13:37

    Mais de 1500 acessos nas primeiras semanas! Confiram o trabalho de estudantes de jornalismo: http://www.neofranciscanos.wordpress.com! Opinem!Suas conclusões sobre este grupo urbano religioso é muito importante pra nós! Agradecemos, grupo de estudantes de jornalismo – Belo Horizonte

    Gostar

  90. Per Caso permalink
    26 Outubro, 2009 13:45

    “Saramago odeia Deus ( Deus é um filho da p…sic ). É natural.”

    Deus, que nos fez mortais, ricos uns e outros pobres, cheios de cagaço e medo, mais uns, embora, do que outros, é natural. Do que já não se livrou Alexandre O Grande, nem Napoleão, gente ilustre e os mesmos santos papas.

    E também nós devíamos odiá-lo, todos, a esse deus de Caim e do Bush, e não passarmos por uns papa-moscas. Pois é um exercício saudável, demonstrativo de quem está vivo e se sente. Para mais, sabendo como o fantasma transcendente, pura criação dos humanos, num conceito exclusivo a bichos pensantes, não existe, por ilógico de todo, nem faz falta, realmente.

    Odiá-lo, sim, se não deixá-lo, como temos feito, maioria, a maior parte do tempo.

    Gostar

  91. Per Caso permalink
    26 Outubro, 2009 14:49

    “Saramago odeia Deus ( Deus é um filho da p…sic ). É natural.”

    Pois é.
    E também nós devíamos odiá-lo, fazer-lhe guerra incessante, se fôssemos gente honesta, decente.
    Se não, deixá-lo no seu sono eterno, sonso, cúmplice de quanta injustiça aí vai, abuso e prepotência, que é o que temos feito, maioria, a maior parte do tempo.

    Gostar

  92. Per Caso permalink
    26 Outubro, 2009 15:03

    Mas também não se exagere.

    E não passa de diatribe, agitação retórica, à toa.

    Deus não tem culpa, se não existe, é a verdade suave, claríssima.

    Gostar

  93. Pinto permalink
    26 Outubro, 2009 15:17

    MJRB (74),
    Os portugueses têm o direito de criticar, de questionar, de não pactuar com outros estados soberanos (leis, actos, constituições, ‘bíblias’). O Vaticano é um deles.

    Que eu saiba ninguém colocou em causa a legitimidade, do ponto de vista legal, das afirmações de Saramago. E se o fizeram, fizeram mal.
    Critica-se a opinião deselegante, baixa e ordinária que Saramago deu sobre um livro que SÓ serviu de inspiração – quer queiramos, quer não; quer gostemos, quer não – de toda a estrutura social contemporânea.
    Obviamente que ele tem o direito de expressar-se livremente. E as pessoas não têm o direito de criticar a sua opinião?

    O que eu critico (e somente falo por mim) é a forma leviana como um Nobel da Literatura interpreta a Bíblia. A Bíblia tem uma mensagem central a passar. Essa mensagem é ladeada por histórias – umas verdadeiras, outras não. Tal como n’Os Lusíadas.
    Imagine você nós interpretarmos Os Lusíadas desta forma literal e infantil:

    Será que Vasco da Gama foi mesmo à Índia? N’Os Lusíadas diz-se que sim, mas eu não acredito; aquele livro é um cardápio de mentiras: desde quando é que existe um monstro chamado Adamastor ao largo da África do Sul? Alguém acredita na existência daquela ilha paradisíaca, conhecida por Ilha dos Amores? E aquela outra da Máquina do Mundo? E aqueles deuses e deusas a conversar com Vasco da Gama? Alguém acredita?
    Deixe-me ver se me lembro de mais … ah, e aquela da Inês de Castro? Pff, alguém acredita? E a outra da Batalha de Aljubarrota?
    Que quereria Luís de Camões? Glorificar o povo português? Com mentiras? Ó Camões, ó Camões, você pensa que nós andamos aqui a dormir ou quê?
    Vai na volta e a viagem foi toda uma invenção dos portugueses para dizer que lá chegaram. Não fossem os espanhóis chegar pelo lado da América (é mais ou menos isto que alguns dizem que os americanos fizeram em 1969 com a chegada à Lua, não é? Imaginem agora os americanos a conspirar isso de nós; com tanto patriota doentio até que ia ser engraçado).

    Gostar

  94. Pinto permalink
    26 Outubro, 2009 15:34

    Agora do ponto de vista legal, não há nada a apontar. Felizmente.

    Tomara eu ter a liberdade que tenho de criticar a religião e os símbolos religiosos, para poder criticar a República e os seus símbolos.

    Se eu disser que a Bíblia é “um manual de maus costumes, um catálogo de crueldade e do pior da natureza humana” … e que deveria estar fora do alcance das crianças, não há problema: é liberdade de expressão.

    Se, por seu lado, eu disser que o Hino Nacional é um apelo à violência, ao belicismo, à crueldade e do pior da natureza humana e que deveria ser vedada às crianças, com jeito tenho um processo crime aos ombros.

    Outro exemplo:

    Se eu me puser a brincar com a Cruz de Cristo, se queimar uma Bíblia, se caricaturar ou ricularizar qualquer símbolo religioso, posso fazê-lo porque sou livre de me exprimir.

    Se eu brincar com a Bandeira Nacional, se a queimar, se caricaturar ou ridicularizar qualquer símbolo da República, posso ir parar dois anos à cadeia.

    Artigo 332.º
    Ultraje de símbolos nacionais e regionais
    1 – Quem publicamente, por palavras, gestos ou divulgação de escrito, ou por outro meio de comunicação com o público, ultrajar a República, a Bandeira ou o Hino Nacionais, as armas ou emblemas da soberania portuguesa, ou faltar ao respeito que lhes é devido, é punido com pena de prisão até dois anos ou com pena de multa até 240 dias.

    Código Penal.

    E aqui, por muito que não se goste dos EUA, é de se tirar o chapéu: queimar a bandeira americana é um exercício de liberdade de expressão; não é crime.

    Gostar

Trackbacks

  1. Anões imperiais « Reino Cínico

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: