Saltar para o conteúdo

o frentismo de esquerda é coisa que não lhes apetece

5 Outubro, 2015
by

A quem? À CDU, obviamente. Se lerem os resultados eleitorais, verificarão que, nos 20 círculos eleitorais nacionais, o Bloco ultrapassou a CDU em 16. Repito: em dezasseis círculos eleitorais dos vinte existentes, o Bloco teve mais votos que a CDU, e, em muitos deles, com o dobro dos votos e percentagens eleitorais. A CDU perdeu, também Lisboa e o Porto para o Bloco, no primeiro caso com 9,83% para 10,89% e, no segundo, com uns míseros 6,83% para 11,14%, o que é grave. A CDU aguentou-se, apenas, nos seus feudos tradicionais, a saber, em Beja, Évora, Portalegre e Setúbal, e, nestes dois últimos casos, com votações muito próximas do Bloco. Assim, duas conclusões evidentes: o discurso de bom rapaz, à Avô Cantigas, de Jerónimo de Sousa («Gente Séria»…) tem os dias contados; segunda, o inimigo principal da CDU deixou de ser a direita e passou a ser o Bloco. Por isso, com a CDU a direita pode dormir sossegada. O frentismo de esquerda é seguramente coisa que não está nos seus horizontes. A não ser que queira ser engolida de vez.

23 comentários leave one →
  1. 5 Outubro, 2015 17:02

    Rui, em 2009 o Bloco já tinha tido mais votos (e mandatos) do que a CDU. Teve até mais votos do que ontem (588 mil vs 549 mil):

    http://www.eleicoes.mai.gov.pt/legislativas2009/

    Dois anos depois, foi o que se viu. A CDU teve mais um deputado do que em 2009 e o Bloco perdeu 300.000 (trezentos mil) votos e perdeu metade dos deputados.

    Os eleitores do Bloco são muito mais flutuantes do que os da CDU. Nas últimas três eleições legislativas, a diferença entre a melhor e a pior votação da CDU é de apenas 4000 votos (menos de 1%). O resultado final da CDU depende essencialmente da abstenção e dos caprichos do método de Hondt…

    A probabilidade de haver mudança de voto da CDU para o Bloco é apenas ligeiramente superior à de se ser atingido por um raio…

    Gostar

    • rui a. permalink*
      5 Outubro, 2015 17:31

      Admito que sim, Carlos, que a CDU esteja estável no seu eleitorado, mas, francamente, parece-me que a fórmula utilizada nos últimos anos é inconsequente e impossibilita o crescimento. Por outras palavras, os votos, ou parte deles, pelo menos, que o Bloco apanhou nestas eleições, e, se calhar, em 2009, poderiam ter sido da CDU. Ou do PS, obviamente. Também admito a volatibilidade dos votos do Bloco, embora me pareça que uma vez pode ser sorte, mas à segunda a coisa pode consolidar-se. E não esqueças que em 2011 o Bloco estava com uma crise de liderança, que agora parece bem resolvida. A ver nos próximos anos, embora tenha uma coisa como certa: não há espaço eleitoral estável, em Portugal, para duas grandes formações à esquerda do PS.

      Gostar

      • 5 Outubro, 2015 17:42

        De acordo quanto à conjuntura do Bloco, Rui. Mas a CDU é um case study, sem comparação com quaisquer outros partidos comunistas por essa Europa fora, por várias razões, mas no caso apenas pela estabilidade do eleitorado. Manter-se-á acima dos 400.000 votos por mais 10 anos, aconteça o que acontecer (suspeito que os manteria mesmo que viesse a integrar um governo). Já o crescimento do Bloco será sempre feito à custa do PS (e até de de algum eleitorado do PSD). Reformulando, não há espaço eleitoral estável para duas grandes formações eleitorais de esquerda, para além da CDU… O Bloco percebeu isso durante a campanha (daí os certeiros ataques de Catarina Martins ao PS), o PS não.

        Gostar

  2. Ali Kath permalink
    5 Outubro, 2015 17:06

    partiram-lhes os últimos dentes
    e o sol brilhou para todos nós

    Gostar

  3. Miguel Lx permalink
    5 Outubro, 2015 17:47

    Rui,
    No site http://www.legislativas2015.pt/resultados/ creio que aparecem resultados diferentes.
    Lisboa
    B.E.Bloco de Esquerda
    9,35% 29.105 votos
    PCP-PEVCDU – Coligação Democrática Unitária
    7,87% 24.476 votos

    Porto
    B.E.Bloco de Esquerda
    11,35% 15.222 votos
    PCP-PEVCDU – Coligação Democrática Unitária
    8,36% 11.213 votos

    Gostar

  4. João de Brito permalink
    5 Outubro, 2015 18:37

    “Se lerem os resultados eleitorais, verificarão que…”

    Há uma grande confusão nisto tudo.
    Ou melhor, não é uma confusão: é um lapso, um lapso muito conveniente.
    Não tem meios de comunicação, não tem comentadores, não tem voz.
    É uma imensa maioria silenciosa!
    Que exerceu o seu direito de não votar.
    E, apesar de tudo, ganhou as eleições com mais de 30% sobre o partido mais votado!!!
    O maior resultado de sempre!
    E sempre a crescer.
    Batalha a batalha, até à vitória final.
    Cada vez mais próxima!
    Via a Abstenção!
    Viva Portugal!

    Liked by 1 person

  5. campus permalink
    5 Outubro, 2015 20:14

    Estou baralhado…,mas o pc não ganhou ??

    Liked by 1 person

  6. Zé dos Bois permalink
    5 Outubro, 2015 20:53

    Por pouco o PS+BE não conseguiram mais votos que o PSD+CDS. Se tivessem conseguido talvez a história fosse diferente.
    Não deixa de ser interessante que após o desastre da Grécia, cá em Portugal ainda há muita gente que acredita em contos de criança e tenha votado no Siriza português.
    Outro dado interessante foi ver o país partido ao meio entre norte e sul com resultados completamente diferentes.

    Liked by 1 person

  7. 5 Outubro, 2015 21:05

    onde sera que votaram o to ze e família politica ? no ps ? ai tanto voto no be , era capaz de apostar .

    Gostar

  8. colono permalink
    6 Outubro, 2015 00:54

    Bolota… onde estás? Acode-me!

    Gostar

  9. Diogo Câmara permalink
    6 Outubro, 2015 03:52

    O PCP – e a sua extenção eleitoral CDU – é manifestamente o partido mais conservador de Portugal. Até tem tiques salazaristas!!! O PSD de Passos Coelho ao pé do PC até passa por «esquerda radical» 🙂

    Gostar

    • Zé dos Bois permalink
      6 Outubro, 2015 08:57

      Totalmente de acordo. Os mais conservadores em Portugal estão no PCP. Desde 1975, invariavelmente, estiveram sempre contra qualquer mudança.

      Gostar

  10. brácaro permalink
    6 Outubro, 2015 14:08

    A esquerda (PS, BE e CDU) teve mais 662.796 votos do que a Coligação (CDS+PSD). Se cada voto corresponde a um cidadão, é claro que quem ganhou as eleições foi a esquerda. Ademais, do total nacional, incluindo votos brancos, nulos e abstenção, a Coligação tem 18% dos votos. Tanta basófia, sem suporte. A vitória foi de Pirro e será muito breve.

    Gostar

    • Joaquim Amado Lopes permalink
      6 Outubro, 2015 15:28

      brácaro,
      A que esquerda se refere, exactamente? À que quer Portugal no Euro ou à que o quer fora? À que subscreveu o Memorando de Entendimento (que trouxe a troika) ou à que o recusou? À que diz que quem ganhou as eleições deve formar Governo ou à que diz o contrário?

      Acredita por acaso que o PS tem mais em comum com o BE do que com o PSD? Se sim, vá rever o debate entre António Costa e Catarina Martins.

      Gostar

      • Abre-latas permalink
        6 Outubro, 2015 15:36

        Não abuse da capacidade lógica dele, já deita fumo.
        Eles são tão inteligentes mas para eles isto não passa de um Benfica-Sporting.

        Gostar

      • Joaquim Amado Lopes permalink
        7 Outubro, 2015 09:10

        Abre-latas,
        Não é bem um Benfica-Sporting, é mais um Lisboa-Porto. O FCPorto até pode acabar com mais pontos do que qualquer outro mas, como o SLBenfica e o SportingCP juntos têm mais pontos do que o FCPorto, o campeão tem que ser de Lisboa.

        Gostar

    • 6 Outubro, 2015 16:11

      Gostar

Trackbacks

  1. implacável | BLASFÉMIAS
  2. A estratégia do PCP | O Insurgente

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers gostam disto: