Skip to content

Cogumelo a cogumelo estamos a ser tramados

6 Julho, 2016

Como o estado de graça ou desgraça do PR passa por aquilo que a esquerda quer as declarações mais despropositada de Marcelo passam absolutamente incólumes. E contudo o actual PR trata o governo de Costa em termos institucionalmente ofensivos.

DN «Olha que maravilha, um duplo cogumelo”, disse o Presidente enquanto colhia o produto. Depois veio a distinção intencional. Para Marcelo “o cogumelo maior é o cogumelo presidencial e este é o governo porque é mais pequenino”. Também aqui quis pender o peso do semipresidencialismo para Belém, já que o Presidente é “o cogumelo maior” e o governo de Costa “o mais pequenino”. Com a faca e o cogumelo na mão, o Presidente continuou a comparação, falando em “solidariedade institucional”, já que – como a forma daqueles cogumelos – “o Presidente da República [está] sempre a aguentar o governo…” A surpresa veio no final da frase, com Marcelo a acrescentar que o Presidente aguenta o governo… “por uns tempos”.»

Populista sorridente a toque de bombo e beijinho  Marcelo está a mudar o regime. Como escreve André Abrantes Amaral: «Perante um Governo que vê na sua continuidade o seu sucesso, Marcelo cedo percebeu que o seu mandato poderia ser diferente dos anteriores. (…) Neste mandato de Marcelo a maioria que sustenta o Governo não é absoluta, mas apenas parlamentar, tal como o de Soares em 1978. E quando este Governo cair, mesmo que sejam convocadas novas eleições, não é de esperar uma maioria absoluta de direita. Enquanto isso, Marcelo, que tem tido o cuidado de cultivar uma imagem de homem próximo do povo, um homem da rua, o que lhe granjeia uma popularidade ímpar, não terá dificuldades, perante um Parlamento dividido e um Estado com sérias dificuldades de financiamento, de impor a sua vontade. Se o fizer Marcelo porá termo ao equilíbrio por que Sá Carneiro lutou. Voltaremos a viver num sistema semi-presidencialista de pendor presidencial, ao invés de parlamentar. Ao consegui-lo, Marcelo será um De Gaulle à portuguesa, definindo o regime à sua imagem, mas com uma diferença relativamente ao francês: é que, ao contrário deste, Marcelo candidatou-se à presidência da República sem um programa que fosse. A sua estratégia foi o silêncio e a evitação de confrontos. E é neste ponto que o regime pode resvalar para o populismo sem conteúdo e, porque vazio, incontrolável e isento de críticas. Um regime oposto àquele por que Sá Carneiro, e também Soares, lutaram há 40 anos. »

Anúncios
30 comentários leave one →
  1. LTR permalink
    6 Julho, 2016 11:32

    Que saudades da marquise do Cavaco! 🙂

    Gostar

    • helenafmatos permalink
      6 Julho, 2016 12:14

      Imensas!

      Gostar

    • antónio permalink
      6 Julho, 2016 15:30

      Esta presidência em estilo de turismo pimba é lamentável, ridículo e uma vergonha para Portugal e a sua imagem !!

      Gostar

      • 6 Julho, 2016 18:17

        “vergonha para Portugal”. Mas que Portugal tem vergonha do que está a acontecer ? — só 10%, se tanto, porque a pimbalhada está diariamente dependente das televisões tugas, gosta do Marcelo, adora o Marcelo, vê em Marcelo um famoso da TV, um milagre tê-lo ali ao lado, poder abraçá-lo, beijá-lo.

        Gostar

    • oscar maximo permalink
      7 Julho, 2016 09:04

      Cavaco teve razões para demitir o governo e obrigar Marcelo a convocar eleições. Pôs os primeiros pregos no caixão ao criar o monstro.

      Gostar

  2. Emparedado permalink
    6 Julho, 2016 12:27

    Amigos ajudem-me; algo não bate certo. O Prof. Marcelo da TVI não é a mesma pessoa que se apresenta hoje como Presidente da Republica. Não pode ser o mesmo individuo.
    Passa-se qualquer coisa de muito estranho.
    Quem tiver capacidade cientifica para explicar esta metamorfose, façam favor…
    Agradecimentos antecipados.

    Gostar

  3. Manuel permalink
    6 Julho, 2016 12:30

    E era bom que quisesse ficar na história como tendo sido o impulsionador da mudança que o regime precisa. Os partidos, tal como na fase final da monarquia e no pré- Estado Novo são centrais de interesses para empregarem os seus e perpetuarem a nomenclatura instalada no poder. Os partidos estão esgotados e acredito que vou ver o PCP e BE a apoiarem o próximo resgate. Como bem disse António Barreto, tem de ser o PR a partir de Belém a forçar a reforma o Estado e existem três sectores que podem ser perfeitamente consensuais: saúde, educação e segurança(interna e externa). Reitero, nas actuais condições, nós não somos viáveis economicamente como Estado e seremos um protectorado de Bruxelas, como já somos em parte. A dívida continua a aumentar e no dia em que a impressora do Dragui parar, nós teremos novo resgate. A nada ser feito, o regime caminha para o colapso, tal como caiu a Monarquia e o Estado Novo.

    Liked by 1 person

  4. Eduardo permalink
    6 Julho, 2016 12:38

    O que eu gosto mais de ver são os apoios e conselhos do Galo de Barcelos ao discípulo kosta.
    Que candura com que um e outro se entendem.
    Lindo!!!
    Até o Galamba Malcriado se ri.
    O Seguro nada diz porque, como todos os ratos, foi o primeiro a zarpar do barco ao aperceber-se do naufrágio

    Gostar

    • SRG permalink
      6 Julho, 2016 15:11

      Caro Eduardo, discordo totalmente daquilo que diz no que respeita ao António José Seguro. Na minha opinião, a sua retirada perante a traição de que foi vítima, só revelou um grande sentido de estado. Cumprimentos

      Gostar

  5. Manuel permalink
    6 Julho, 2016 12:45

    O PR Marcelo, em quem votei, dá sinais de ter percebido onde também está uma das causas da nossa inviabilidade económica que é na corrupção. A sua acção sobre as contas da presidência que gasta(+-) o dobro da Casa Real de Espanha (16/8) foi uma lufada de ar fresco no ar bolorento e obscuro que o PR Cavaco( em que votei também) permitiu nas contas em Belém, fazia poucos concursos nas compras e era quase tudo por ajuste directo, deu espaço para o “brilhante” gestor do museu da presidência. Continuo a acreditar que Marcelo honrará o meu voto.

    Gostar

    • 6 Julho, 2016 17:23

      Mero fogo de artifício do Marcelo. Areia para os olhos da populaça.
      Ele sabe muito bem onde está a corrupção na política, mas nadinha fará para a combater.

      Hoje, é a quarta ou quinta vez que um representante do Estado tuga vai ao Euro. Com despesas pagas pelo maralhal. Há necessidade disso ? A selecção tuga é o máximo que Portugal tem como seu representante ?

      Gostar

    • A.Lopes permalink
      8 Julho, 2016 16:32

      Cuidado quando fala de corrupção: não se esqueça da ligação do Marcelo aos queridos Espirito Santo, com quem sempre confraternizou quer na Comporta, quer no Brasil, quer no iate do Ricardo!

      Gostar

  6. 6 Julho, 2016 13:20

    “não terá dificuldades, perante um Parlamento dividido e um Estado com sérias dificuldades de financiamento, de impor a sua vontade. Se o fizer Marcelo porá termo ao equilíbrio por que Sá Carneiro lutou. Voltaremos a viver num sistema semi-presidencialista de pendor presidencial, ao invés de parlamentar.”

    Querem ver que o Marcelo se quer tornar num Sidónio Pais, como há 100 anos?

    Gostar

    • Manuel permalink
      6 Julho, 2016 14:29

      Será que a democracia não precisa disso? Acredita mais na Catarina, Jerónimo, Costa, Heloísa,Passos ou Cristas? Marcelo tem capital político para o ser, se ficar como um rei de opereta, terá aqui, da minha parte, uma oposição feroz. O regime está como o BES, BPN, BPP, Novo Banco, CGD e anda por força da inércia e da impressora do Draghi.

      Gostar

  7. Licas permalink
    6 Julho, 2016 15:45

    é isso,o cavaco é que é fixe.pelo menos a gastar o dinheiro do estado em tempo de austeridade…

    Gostar

  8. 6 Julho, 2016 17:18

    Marcelo já vai no Falcon para Lyon. Porquê ? –por causa do futebol, claro !
    Espero que se algum português for distinguido com mais um Pritzker, um Nobel ou outra grande distinção mundial também na área da ciência, da cultura ou da medicina, o PR Marcelo/Craveiro/Thomaz tenha senso, noção da realidade e, para além de estar presente na cerimónia, o releve no país para os tugas em geral ou seja, tanto para as beijoqueiras como para os “famosos” da política e tal.
    Isto, com este PR a amamentar o AC-DC vai acabar mal.
    Amarrem uma perna do PR à sua secretária (de madeira) em Belém, carago !
    Ou…provavelmente vai mandar comprar e adaptar às funções, uma grande roulotte para transitar pelo país…

    Gostar

  9. 6 Julho, 2016 17:58

    Correcta a análise de AAbrantes Amaral.
    Mas MSoares não se importaria de algo parecido com o que Marcelo está a praticar e provavelmente querer

    Gostar

  10. bintoito permalink
    6 Julho, 2016 18:13

    “Marcelo: Presidente aguenta governo por uns tempos”
    Eu é que já não aguento a escuridão mental do artista que está a ser aguentado, nem os sopros hipócritas de sol na eira e chuva no nabal que nos chegam do emplastro vizinho dos pasteis.

    Gostar

    • 6 Julho, 2016 18:39

      Aquilo pela zona de Belém está a ficar pimba. Há dias comi dois pastéis, dos famosos, já não são o que eram. Até a minha amiga francesa não notou nada de especial no pastel e…no Palácio do Marcelo.

      Gostar

  11. 6 Julho, 2016 18:47

    Bem…Marcelo tem este mérito: neste período económico-financeiro ainda periclitante e de contenção, entretem, anima, excita positivamente, varre dos cérebros do maralhal irresponsável reacções violentas. É uma festança, o país está bem, o governo é óptimo, haja confiança, amor, carinho, afecto, tintol, febras e ejaculações

    Gostar

  12. bintoito permalink
    6 Julho, 2016 19:49

    Lembro-me de um jornalista comentador ter chamado palhaço ao presidente anterior.

    Gostar

    • 6 Julho, 2016 20:27

      E com esse insulto, nas duas semanas seguintes vendeu mais uns milhares dum livro editado dias antes… Quem os comprou inesperadamente ? — o pessoal que naquela ocasião estava atiçada contra o Cavaco.
      Esperto, o tal comentador-escritor !

      Gostar

  13. 6 Julho, 2016 22:05

    Sem ironia alguma: a selecção de futebol (repito, para mim não é a representação máxima do país) merece estar na final.
    E se a vencer, terá o meu aplauso. Também esta geração de jogadores tem o direito à alegria suprema. Já chega de quase-quase vencer uma competição e não conseguir.

    Se vencer, o PR e o AC-DC decretam feriado nacional nos três dias seguintes …!?

    Gostar

  14. Arlindo da Costa permalink
    6 Julho, 2016 22:24

    Tramados estávamos nós com o governo neo-comunista do Sr. Passos e de mais meia dúzia de néscios!

    Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: