Skip to content

São coisas que acontecem

24 Julho, 2016

Calma aí com os julgamentos precipitados. Só porque um senhor sírio aparece de machete na rua não significa que o amor não deva prevalecer perante o ódio. O mais certo é ter sido um senhor sírio refugiado e portador de machete de extrema-direita a comemorar os 5 anos do atentado do norueguês nazi. Até porque ninguém comemora os atentados do Che excepto em t-shirts giras. Se a mulher morta o tivesse amado, poderia ainda ter uma cabeça para nos alertar do perigo de não amar preventivamente. Esta mulher foi vítima do seu próprio preconceito à posteriori. Se calhar nem estava grávida. Talvez tenha sido um senhor sírio refugiado portador de machete que é maluco, como o de ontem e o de segunda-feira. Toda a gente sabe que não faltam malucos à solta. Quais as probabilidades de um maluco ser um refugiado sírio portador de machete? Como diz a Helena Araújo, são só coisas que acontecem.

Advertisements
48 comentários leave one →
  1. 24 Julho, 2016 20:25

    Amoks, como ela diz. Mas há sempre culpa de alguém que não sabe receber e compreender.

    Gostar

  2. 24 Julho, 2016 20:31

    Agora mais a sério. O Portocarrero também se preocupa com o ódio- sentimento que devia saber que para um católico não existe, seja em relação ao que for.

    Só que existe outra coisa bem real e não muito difícil de prever- é que bastou um ano para os casos começarem a acontecer e cada vez com mais selvajaria. E pelo número estapafúrdio do que já estava cá dentro, do que entrou em semanas que nem em décadas e ainda continua a entrar- os actos de retaliação não vão ser lindos de ver nem de viver.

    E isto é História que se está a viver em directo.
    Há a mania à posteriori de considerar uma série de causas altamente abstractas e alargadas para todos os acontecimentos.

    Esquecem-se que muitas vezes se devem a uma ou duas pessoas com nome bem conhecido.

    E essas pessoas continuam com mando, quando há muito deviam ter sido castigadas pela irresponsabilidade e proibidas de terem cargos em que colocam a vida dos cidadãos de países inteiros em perigo de guerra, sem ela ser precisa para nada.

    Liked by 2 people

    • Jorge permalink
      24 Julho, 2016 20:58

      Subscrevo inteiramente.

      Gostar

    • 24 Julho, 2016 22:07

      A guerra, se estalar alguma vez, será por factores demográficos: quando a percentagem de cidadãos de raízes islâmicas se aproximar dos 40 ou 50% e haver aí uma reivindicação de território. Ainda demorará umas décadas. Até lá, é apenas a velha paz podre.

      Gostar

      • 24 Julho, 2016 22:13

        Se o ISIS deitar a mão a bomba atómica não vai ser preciso tanto.

        Gostar

      • 24 Julho, 2016 22:38

        O ISIS é composto por jovens frustrados demasiado estúpidos para alguma vez deitarem mão à bomba atómica. Não é o ISIS que vai rebentar com a Europa.

        A chave está na questão demográfica. Quando as minorias deixarem de ser minorias aí sim a coisa vai ser preta.

        Gostar

      • 24 Julho, 2016 23:30

        há só um problema : quem é que vai sustentar a nova maioria ? é que as actuais minorias , futuras maiorias , somos nós que as sustentamos e é por isso que andam a “ocupar ” territórios , pelo subsidiozinho 🙂

        Liked by 1 person

      • 25 Julho, 2016 01:34

        Ninguém vai sustentar a nova maioria. Ou sustentam-se a eles próprios ou vão focinhar na pobreza habitual. Note-se que esta última hipótese é sinónimo de mais lenha para a fogueira.

        Gostar

  3. 24 Julho, 2016 20:33

    Claro que existe a novela dos media e a exploração acéfala das imagens.
    Mas era suposto que quem tem enorme poder não se deixe ir atrás dela.

    Gostar

  4. lucklucky permalink
    24 Julho, 2016 20:40

    Vamos ver qual o nome ocidental para qual conseguem traduzir o nome.

    Gostar

  5. 24 Julho, 2016 20:51

    Obviamente repudio os atentados desses FDP ! Mas talvez o que aconteceu nos últimos dias contribua para a Alemanha optar por outro entendimento não só em relação aos migrantes, mas também como combater com outros países o inimigo comum.
    Se fosse permitido, napalm sobre a raíz do mal, nos territórios dominados pelos assassinos. Morrem crianças, pessoas inocentes ? Lamenta-se. E na Europa, o que tem acontecido ?

    Gostar

    • Jorge permalink
      24 Julho, 2016 20:59

      Subscrevo inteiramente.

      Gostar

    • lucklucky permalink
      24 Julho, 2016 21:09

      Não é assim que se faz. Para ganhar uma guerra o inimigo tem de ter custos. Tem de ver a sua ideia perder. O Islão tem de perder sempre que um atentado terrorista Islâmico acontece.

      Liked by 1 person

      • lucklucky permalink
        24 Julho, 2016 21:15

        Proíbe-se todas as “caridades” Islâmicas, escolas, construção de mesquitas tudo e vai-se andado degrau a degrau.

        Coloca-se a liberdade de construção de igrejas e templos de qualquer religião na Arábia Saudita e em qualquer país muçulmano, caso não, aplica-se as mesmas regras Sauditas ao Islão na Europa.

        Liked by 2 people

      • 24 Julho, 2016 21:19

        De acordo, Luck. Degrau a degrau é a única forma sensata.

        A questão que pareceria mais simples é que é a mais complicada.

        Como meter isso na cabeça das pessoas numa democracia?
        eheheh

        Parece uma pergunta imbecil e que as democracias serviriam mesmo para se evitar a imbecilidade e reincidência nela mas não é bem assim…

        Gostar

      • 24 Julho, 2016 21:23

        Andei a medir isto aos poucos pela ida ao Carnaval del Pueblo e ao de Notting Hill. Duas coisas que me limpavam a alma para o resto do ano.

        Progressivamente o segundo foi sendo cada vez menos aconselhado e com alguns actos de vandalismo e o primeiro com ameaças de bomba e a ser interrompido.

        Acho que não vou poder voltar ir a mais nenhum.
        E isso é bera e pode-se alargar a muito mais coisas para muitos mais europeus.

        Gostar

      • 24 Julho, 2016 21:24

        Corresponderam aos mandatos do bacano do Boris como mayor. Espero ainda alguma coisa dele, para além das piadas e da erudição.

        Gostar

    • Arlindo da Costa permalink
      25 Julho, 2016 04:09

      Eu se fosse sírio e se tivesse levado na cabeça bombas da França, Rússia, EUA ou RU, certamente que os ia foder os cornos aos agressores, na casa deles. è a lei da Física. A cada acção, uma reacção!
      Sua amélia MJRB, se você levar um soco nas ventas, vai ficar de mãos-postas a rezar ao Criador?
      Seja homem e não um verme!

      Gostar

  6. Jorge permalink
    24 Julho, 2016 21:05

    A única dissuasão para selvajaria a este nível, é selvajaria a um nível superior.
    Os russos sabem bem disso.
    E um estágio das malucas entre eles também ajuda…pelo menos a limpar o nosso ar.

    Gostar

  7. Juromenha permalink
    24 Julho, 2016 21:08

    Esperemos que tudo isto se reflicta nas próximas eleições.
    Entretanto, e curiosamente, ou nem tanto ,a “Ost” nada de novo…
    E havia, oh se havia!, grandiloquentes ameaças por causa da Síria…

    Liked by 1 person

  8. Juromenha permalink
    24 Julho, 2016 21:26

    TVE, Telediário das 20.00 : o assunto é etiquetado “violência de género”.
    Toda a merdia comunicacional do chamado “ocidente” está infectada com esta peçonha.
    Infectada,financiada e promocionada.
    Ou se dá cabo dela ou ela dá cabo de nós.

    Liked by 2 people

  9. Juromenha permalink
    24 Julho, 2016 21:43

    Disseram sim, Zazie. Locutor em solitário , Pedro Carreño ( possíveis férias da “guapíssima” Raquel Martinez ).
    O tipo, coitado, tem de ler o que lhe põem à frente.
    A “lacra”, como eles dizem, tem origem nas redacções, que , por sua vez, vêm já inquinadas de institutos e universidades.
    Veja-se a fina flor da pandilha podemita e os seu números circenses (lá como cá, o circo dá…) na La Sexta…

    Gostar

  10. 24 Julho, 2016 21:47

    luck, 21:09

    Para o inimigo ter perdas, tem de ser combatido na raíz. Dadas as características do EI, se for bastante dizimado onde tem as sedes, domina territórios (e com essas imagens faz propaganda também no Ocidente), resta aos atacantes, na fase imediatamente posterior aos bombardeamentos arrasadores editar imagens desmotivantes para quem por exemplo na Europa e nos EUA se prepara para o terrorismo. O efeito total sobre células ou gajos no Ocidente é impossível, mas terá influència, sentem-se sem líderes, sem motivação outrora forte.

    Gostar

    • Manuel permalink
      24 Julho, 2016 22:51

      Concordo. Mas estes ataques são imparáveis, apoiam-se na ideologia e no misticismo das religiões e cada cidadão europeu pode ser um potencial combatente pala causa. Por outro lado e segundo as leis da imitação, estas cenas vão propagar-se e estamos face a uma pandemia das mais sinistras que ocorreram na Europa. Seremos poupados? Não sei. As populações estão infantilizadas vi agora na SICN um jovem alemão a afirmar que estava descansado pois o ataque do centro comercial tinha sido feito por um doente psiquiátrico! Para a semana qual será a desculpa?

      Gostar

      • 24 Julho, 2016 23:57

        Claro que o terrorismo preparado e executado por células e por iniciativas individuais é incontrolável. Este, o enorme problema. É impossível ter uma vigilância por cada gajo ou gaja, por célula.
        Mas ataques devastadores nos tais territórios controlados e posteriormente vistos nas TV’s pelos proto-assassinos, podem desmotivar bastante. Sentir-se-ão sem líderes, sem “chamamento”, sem causa, sem virgens no “além”…
        Demora muito tempo, é certo, até à erradicação do mal, tamnha a proporção já hoje notada.

        Gostar

      • 25 Julho, 2016 00:15

        É capaz de demorar um bocado, é, ó caro MJRB. São só 1,678,442,000 no mundo.

        Talvez cordão sanitário fosse mais sensato, digo eu …

        Não vejo por que motivo em acabando com a Al-Qaeda não se impediu o ISIS e acabando com os 2 e mais os restantes lá pela banda deles, não esmoreça aí o que há séculos não esmoreceu.

        Gostar

      • 25 Julho, 2016 00:17

        Nunca existiu mistura disto sem um dominar o outro.
        É a primeira vez desde que o mundo é mundo que se acredita na possibilidade da bondade da mistura de tudo sem domínio político e colonial do mais forte.

        Gostar

    • 25 Julho, 2016 01:57

      “É a primeira vez desde que o mundo é mundo que se acredita na possibilidade da bondade da mistura de tudo sem domínio político e colonial do mais forte.”

      É precisamente isso mesmo. Que se deve ao facto de a narrativa dominante querer, à força e por artifício da vontade solidária, extinguir qualquer fronteira entre o “nós” e o “eles”. Escusado será dizer que isto está a funcionar num só sentido, já que “eles”, os islâmicos, têm essa separação perfeitamente pré-definida.

      Gostar

      • Rafael Ortega permalink
        25 Julho, 2016 08:55

        “É a primeira vez desde que o mundo é mundo que se acredita na possibilidade da bondade da mistura de tudo sem domínio político e colonial do mais forte.”

        Não, não é.

        Há quem esteja a tentar ter domínio político e colonial.

        Em alguns bairros de várias cidades europeias já têm.

        Do lado europeu os “líderes” são uns patos que não percebem boi do que se passa ou são, pura e simplesmente, colaboracionistas.

        Liked by 1 person

      • 25 Julho, 2016 09:01

        Exactamente. Ando a dizer o mesmo mas não passa- foi esse discurso do Outro- à Edward Said que se impôs e agora quer-se fazer desaparecer o Nós e a defesa do que é nosso em primeiro lugar.

        Gostar

  11. Juromenha permalink
    24 Julho, 2016 22:19

    Parágrafo do diário ABC sobre este acontecimento :

    ” Más tarde vecinos comentaron que ambos habian trabajado anteriormente en el mismo restaurante y que él se habia enamorado, lo que apuntaria a un crimen machista,pero ese extremo no ha sido confirmado por los investigadores”.

    E isto no mais que insuspeito ABC…

    http://www.abc.es

    Gostar

  12. 24 Julho, 2016 22:40

    “Police said they do not suspect any terror links.” Claro que não. Um muçulmano com um facalhão a matar um não muçulmano.Onde é que alguma vez se viu tal coisa ?

    Liked by 1 person

    • lucklucky permalink
      25 Julho, 2016 02:55

      Pode ser um caso passional, mas isso não invalida que o comportamento islâmico contra mulheres passe a ser norma na Europa.

      Liked by 1 person

  13. 24 Julho, 2016 22:46

    An eyewitness told German newspaper Bild: “The perpetrator was completely out of his mind. He ran with his machete even behind a [police] car. A BMW driver gave it some gas and ran him over. Then he lay prostrate and did not move”.

    The paper reports the man behind the wheel of the car was the son of the kebab-shop owner, and that by running down the refugee he likely prevented others from being attacked.

    Gostar

  14. 25 Julho, 2016 01:28

    Zazie,

    boa, essa do cordão sanitário. Sanitário por sanitário, eu preferia porque mais cómodo e barato, um autoclismo premido para erradicar esses FDP !

    Gostar

  15. 25 Julho, 2016 01:58

    Crime Scene TapeGerman Mayor Confirms Blast Killing 1, Injuring 11 was a Terror Attack

    http://sputniknews.com/europe/20160725/1043573624/bomb-attack-ansbach-germany-terror.html

    Gostar

  16. Arlindo da Costa permalink
    25 Julho, 2016 04:03

    Calma, Sr. Vitor. O senhor que apareceu de machado na Alemanha era afegão e vivia na Alemanha. Se não sabe os afegãos eram aqueles «combatentes da liberdade» que os EUA apoiaram e financiaram e talvez V. Exª deve ter apoiado com a sua excelsa percepção do caso.
    Já aquele cidadão que matou 9 em Munique era alemão mas de origem iraniana.
    Faz-me lembrar a nossa selecção, segundo os jornalistas tugas: muitos pretos, caboclos e ciganos mas que são portugueses 🙂
    Siga a dança, Sr. Vitor 🙂

    Gostar

  17. Jorge permalink
    25 Julho, 2016 04:34

    02:33 GMT
    The Bavarian interior minister noted that the contents of the backpack, in which the explosives had been carried, would have been sufficient to kill and injure many more people, had the explosion happened in heavily populated area.
    “We don’t know if this man planned on suicide or if he had the intention of killing others,” Bavarian interior minister Joachim Herrmann said.

    Nojentos estes políticos.
    Mais um doente mental que só se queria suicidar no aconchego dos afectos dos circunstantes.

    É só doentes mentais por lá…. Araújo incluída.

    Liked by 2 people

    • Manuel permalink
      25 Julho, 2016 06:25

      Continua o branqueamento. São mais que nojentos, são traidores ao povo ao não defendê-los e ao não avisarem para que se tomem posturas preventivas face ao estado de guerra em que estamos. Em breve, lá virá a conversa que é a extrema direita que incentiva os ataques e,eventualmente, acusarão os bloggers de acicatar os “doentes mentais”para a guerra “santa”.

      Gostar

      • 25 Julho, 2016 06:42

        Claro que tinha problemas psiquiátricos. Não tão graves como o dos maricas e esganiçadas que querem ser violados por refugiados, porém.

        Liked by 1 person

  18. lucklucky permalink
    25 Julho, 2016 07:24

    Não é interessante como os Jornalistas não parecem nada interessados pelas novas Wikileaks sobre o Partido de Obama e Hillary….

    Será porque são visados também?

    Liked by 3 people

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: