Skip to content

A minha vizinha anda a acumular um proto-fascismo que põe em risco o elevador

20 Novembro, 2016

O Ricardo Paes Mamede tem razão. Uma vida saudável previne mesmo o populismo proto-fascista e, convenhamos, só o socialismo previne a barbárie.

Ainda há poucos anos, as mulheres tinham que matar os seus filhos, para os comer. Foi durante o governo de Passos Coelho e, não fosse a doutora Maria de Belém, nunca saberíamos disso. Ora, comer filhos em exclusivo não é uma alimentação saudável, é o caminho para a barbárie e para o proto-fascismo, via uma nutrição sem as vitaminas de uns legumes ou o cálcio de um bom esparregado como acompanhamento.

Eu passo a vida a avaliar mulheres na rua e ainda bem que o Ricardo Paes Mamede torna legítima esta minha actividade que, até agora, mantive na clandestinidade. Avaliações simples, não preconceituosas e bastante igualitárias, como “esta é gira”, “aquela tem uma boa anca para parir os meus futuros filhos”, “a amiga tem um rabo proto-fascista e só pode ser casada com um racista nojento dos que comem gorduras saturadas”. Às vezes acho que devo intervir, e faço-o, para bem delas. “Vai para o ginásio, badocha”, “mostra-me a tua depilação”, “esse peito alimentaria várias castas de múltiplas ninhadas indianas”. Tudo no máximo respeito pelas mulheres em geral e por mim próprio em particular. Nunca piropei, acho de mau gosto e até criminoso. Em vez de um nojento “comia-te toda”, tenho a classe e sofisticação para proferir um muito mais simpático “tens um corpinho de socialista que nem te digo nada”, mesmo que diga. “Esses brincos enormes são uma óbvia mensagem de que desejas ser argolada por ex-combatente proto-fascista graúdo que quase escreve livros” também é uma expressão que uso amiúde. “Andas de bicicleta enquanto lês Proust? Temos tanto em comum”.

***

O Passos Coelho não é gordo, o que o torna mais perigoso, porque oculta o corpo de proto-fascista. Já o António Costa é um homem que cultiva a imagem de barbaridade hipertensa como um sacrifício em prol da plebe flácida, para a convencer a corpo são em mente sã. A Catarina Martins está ali entre o socialismo e a falta de tempo para não ocultar um proto-fascismo que enche um pouco as coxas. O Jerónimo de Sousa é a antítese do proto-fascista, com um corpo de quem dança aos fins-de-semana. O Francisco Louçã tem muitas semelhanças com o Paulo Portas: ambos preocupados com a aparição dos primeiros sinais de um proto-fascismo de meia-idade muito mais difícil de perder depois de adquirido.

Quem também ligava muito ao aparecimento do proto-fascismo era o Hitler. Um gajo conhecido pela prevenção da barbárie, foi peça essencial para evitar muitos casamentos entre judeus, uma raça conhecida pelo excesso de celulite, para que estes vilões não propagassem o proto-fascismo pelas gerações vindouras. Todos os dentes de ouro foram devidamente removidos, para evitar envenenamento por metais pesados. Foi uma pessoa que pensou muito no nosso bem-estar colectivo.

E é aqui mesmo que Ricardo Paes Mamede tem razão, no facto do socialismo prevenir mesmo o aparecimento da barbárie: dá cabo de todos antes que venham com ideias ridículas de comer pasteis de nata em vez de combaterem o proto-fascismo no terreno, nas nossas universidades dotadas de génios com as mais maravilhosas teses eugénicas fora do Júlio de Matos.

Advertisements
14 comentários leave one →
  1. André Miguel permalink
    20 Novembro, 2016 11:35

    Looool

    Muito, muito bom!! VC em grande nível.

    Gostar

  2. Manuel permalink
    20 Novembro, 2016 12:14

    Considerando que a economia é uma ciência social, este senhor no curso dele só estudou o social e deve ter estudado pelas sebentas do sociólogo esquerdalho de Coimbra.

    Gostar

  3. jose sousa permalink
    20 Novembro, 2016 12:25

    Que esperavam deste betinho dótorado pelo ISCTE, uma escolinha madrassa, com pretensões a ser universidade, e sem qualquer prestígio académico?

    Gostar

  4. Juromenha permalink
    20 Novembro, 2016 13:18

    Uma besta ; uma besta “á la mode”,imbuída do que lhe terão dito ser “l`air du temps” e o “pulhiticamente” correcto; alegadamente “diplomada” – mas, ao fim e ao cabo, uma irremediável e irrecuperável besta.

    Gostar

  5. Emparedado permalink
    20 Novembro, 2016 13:47

    Comecei a detestar o prof. Braga de Macedo porquê?
    Porque aceita sentar-se e debater, num programa televisivo, com esta espécime.

    Gostar

  6. Filipe Costa permalink
    20 Novembro, 2016 21:06

    Até me apetecia abater um comuna, maas não, quero olhar para o tempo.

    Gostar

  7. Arlindo da Costa permalink
    21 Novembro, 2016 03:44

    Proto-fascismo é aquilo que uns ignorantes da dita «direita» tuga exercem e perseguem.
    Não percebem como lhe surgiram as PROTOberâncias, e muito menos sabem o que é o fascismo.
    E o pior é que emitem opiniões no ciberespaço.
    É de rir, não é?

    Gostar

    • 21 Novembro, 2016 07:11

      O Arlindo podia aproveitar para lhes explicar o que é o fascismo. Não deve perder uma oportunidade para a pedagogia corpo-a-corpo.

      Gostar

  8. Sérgio B. permalink
    21 Novembro, 2016 09:49

    A propósito deste post do sr. Ricardo no FB, perguntei educadamente na sua página se me podia esclarecer o motivo pelo qual um país com “reduzida esperança de vida”, profundas “desigualdades sociais” e com “inexistência de serviços públicos de qualidade” como Angola continua a ser uma republica socialista.

    Para além de não obter uma resposta fui banido da página. Penso que é demonstrativo da cultura democrática e de “abertura ao diálogo” deste “brilhante economista”.

    Gostar

    • 21 Novembro, 2016 12:01

      Sérgio B., muito relevante essa informação que dá sobre o Sr. Ricardo Pais Mamede.

      Eliminar opiniões e opinantes que vão contra as suas ideias…

      Isso parece-me muito mais protofascista do que a obesidade e a diabetes.

      Gostar

  9. ricardo permalink
    21 Novembro, 2016 11:02

    O ricardinho já percebeu tudo.
    E vós, ingratos! desdenhais do tesouro que o doutor professor vos oferece assim de mão beijada?
    O Mafarrico é manhoso e está onde menos se espera, mas ficamos avisados contra alimentos demoníacos susceptíveis de conspurcar os corpos e as mentes.
    Um grande Bem Haja ao ISCTE, ao sr professor doutor.
    Continuem o bom trabalho na propagação da verdadeira fé.

    Gostar

  10. Henrique Mota permalink
    21 Novembro, 2016 15:52

    Realmente o socialismo previne os diabetes, adelgaça o corpo e previne outras doenças. Que o digam os habitantes de Cuba da Coreia do Norte e os ucranianos no Gulag. O sistema tem infelizmente uns efeitos secundários. Algumas pessoas morrem.

    Gostar

Trackbacks

  1. A melhor arma contra a diabetes é o socialismo (2) – O Insurgente

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: