Skip to content

PAN leirices

28 Fevereiro, 2017

horses-eating-straw“Qual é o custo?”
Esta é a pergunta feita por ninguém, em nenhuma circunstância, em nenhuma altura, sempre que quem paga “é o Estado”. Ao menos, evita-se complementar a questão — felizmente — com a besteira que é a afirmação subsequente a estas coisas: “o Estado somos todos nós”.

O PAN, o BE e os Verdes (um deputado, um partido e uma coisa que finge ser outra) decidiram que todas as cantinas associadas a serviços do Estado — inclui escolas — têm que ter uma opção vegetariana no menu. Apesar de desconhecer a existência de menus em cantinas — já que costuma ser arroz com frango ou, em opção, frango com arroz — será interessante perceber a repercussão de coisas como estas:

A aplicação da lei será “simples”, comenta André Silva, pois “qualquer cantina tem uma entidade gestora responsável, que [por sua vez] tem alguém da área da nutrição que faz as fichas técnicas e as capitações”. Não estão, assim, previstos custos adicionais, comenta, até porque as refeições vegetarianas são “mais baratas” que as outras, acrescenta, citando a Direcção-Geral de Saúde (DGS), que fez um manual para quem quer seguir uma dieta vegetariana de forma saudável.
Público

Mas são mais baratas ou são grátis? Como é que o custo de estar quieto e o de confeccionar um agradável empadão de beterraba e grelos recheado de nabo e beringela é igual?

A opção vegetariana sempre esteve presente nos “menus”: é frango assado com arroz e uma folha de alface? Tire o frango fora, tem prato vegetariano instantâneo. Agora, abrindo portas aos vegetarianos, por que se há-de manter a discriminação? Para quando comida kosher? E halal? E para vegans? E fardos de palha para indivíduos que se caracterizam como sendo de esquerda?

Por outro lado, é bom verificar que os grandes problemas da humanidade estão a ser enfrentados por um governo de grande mérito: eutanásia, refugiados, promessas de não declaração de rendimentos para convidados e maneiras eficazes de meter as salsichas na borda do prato.

Anúncios
24 comentários leave one →
  1. piscoiso permalink
    28 Fevereiro, 2017 14:05

    Ora essa! Porquê “Arroz de Frango” e não um “Risoto de Cenoura”?

    Gostar

  2. 28 Fevereiro, 2017 14:16

    São retardados mentais. E já há os imbecis que incutem a ideia nas crianças que é melhor ficarem estéreis toda a vida para evitar poluição ou mais gente a comer bicho

    A sério. Aquela sujeita que escreveu o “domadora de camalões” achou o máximo contar que a filha pequena já diz isso. Que não vai procriar. E ela diz que é por ter grande consciência ecológica que lhe incutiu desde cedo.

    Liked by 1 person

  3. 28 Fevereiro, 2017 14:17

    Conheço que ande com anemia para proteger as vacas

    AHAHAHAHAH

    Dizem que até nem podem ser doadores de sangue mas é por uma boa causa.

    Está tudo marado.

    Gostar

  4. 28 Fevereiro, 2017 14:18

    Chama-se a isto neo-malthusianismo. A misantropia é tramada. Tem recorrências e vai mudando de nome da forma como se apresenta como “boa causa”.

    Liked by 1 person

  5. lucklucky permalink
    28 Fevereiro, 2017 16:33

    zazie usar saia é não inclusivo. Já estás avisada.

    http://www.telegraph.co.uk/news/2017/02/28/women-raf-no-longer-allowed-wear-skirts-parade/

    Liked by 1 person

    • 28 Fevereiro, 2017 16:43

      ahahahaha

      Estão tramados que agora já não podem contar com a minha participação. Só uso saias
      😛

      Gostar

      • lucklucky permalink
        1 Março, 2017 07:27

        Mas as saias vão ser vistas como não inclusivas, assim como toda a moda pois para um Marxista a moda reforça os estereótipos.

        Excepto se a moda for destinada a reforçar os grupos Corporativos temporariamente definidos pelo Marxismo como úteis à causa..

        Uma saia num gay já será okay, uma saia numa mulher – se a mulher for branca e de direita será sinal de exploração capitalista além de obediência ao patriarcado- e será no mínimo não inclusiva.

        Liked by 1 person

      • 1 Março, 2017 12:28

        Já .e Lembras-te daquelas mulheres barbudas de ambos os sexos que invdairam a barbearia de saias porque era barbearia só para homens?

        Eram do BE. Andam de saias e lenço de burra atado à cabeça- por causa da igualdade

        Gostar

    • 28 Fevereiro, 2017 17:04

      Toda a tara trans está condenada a desaparecer numa geração. Paz à sua alma (que nunca teve).

      Liked by 1 person

      • lucklucky permalink
        1 Março, 2017 07:29

        Se continuar a ser útil ao Marxismo continuará a existir. Os jornalistas e a burocracia estatal encarregar-se-á de assegurar.

        Liked by 1 person

      • 1 Março, 2017 12:29

        Eles adoptam para que não acabe. E fazem lavagem cerebral logo na primária para perpetuar a “trans-espécie”.

        Gostar

  6. licas permalink
    28 Fevereiro, 2017 22:43

    V.C. 17.04 não estou tão otimista assim, mas também não assistirei
    para (muito) talvez lhe dar razão. . .

    Gostar

  7. 28 Fevereiro, 2017 23:41

    Ainda não viram o enorme “outdoor” do PAN que declara: “COMER É UM ACTO POLÍTICO” ? E mostram 1 kg de carne, dizendo que equivale a 10.000 litros de água. Já não escondem ao que vêm.

    Liked by 1 person

  8. Arlindo da Costa permalink
    1 Março, 2017 00:47

    Não me digam que estão a reinvindicar subsídio para palha.

    Não que não merecem…

    Gostar

  9. António Castro permalink
    1 Março, 2017 03:20

    Gostei especialmente dos “fardos de palha para indivíduos que se caracterizam como sendo de esquerda”.

    Liked by 1 person

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: