Skip to content

A Escravidão dos Impostos em Portugal

6 Novembro, 2017

É simplesmente criminoso o que se anda a fazer em Portugal anos a fio. Com uma irresponsabilidade arrepiante governa-se para a “compra” de votos sem qualquer preocupação com o futuro. Depois pede-se com ar muito sério austeridade ao povo português (que não inclui nunca a classe política) à qual se junta sistematicamente aumentos de impostos. Quando não chega o aumento aos já existentes, inventam-se uns quantos mais. Isto não é governar. É roubar.

O saque começa sempre pelos mesmos: os criadores de riqueza. A eles cabe a responsabilidade em primeiro lugar para pagar os devaneios dos políticos. Como aquele filho adolescente, estão a ver? que passa o tempo todo a exigir aos pais que lhe pague todos os vícios e luxos só porque acha que tem esse direito por ser filho. Ora o Estado age para com os empresários do mesmo jeito, considerando o lucro como um vício capitalista que é preciso controlar e manter em níveis baixos. É pecado ser criador de riqueza. Assim, penaliza-se a classe  com obrigações fiscais diversas sobre a empresa (IRC, tributações autónomas, PEC) e depois sobre os trabalhadores (seg. social, fundo de compensação, acidentes trabalho, subsídio alimentação, formação anual, higiene e segurança). Feitas as contas é assim: um trabalhador que leve um salário de 1000€ bruto, custará à empresa, por subsídios férias e natal, 166,6€ (1000 x 14/12=1166,6€), 277,08€ de segurança social (1.000€ x 23,75% = 237,5€ x 14=3 325€/12=277,08€),  11,66€ de acidentes trabalho (1000€ x 1% = 10€ x 14 = 140€ / 12 = 11,66€),  131,47€ de subsídio alimentação (6,83€ x 21 dias úteis = 143,43€ x 11 meses = 1.577,73€/12 = 131,47 €) num total de 1 581,81€ ao qual se junta AINDA as despesas, algumas variáveis, com formação anual obrigatória, fundo de compensação de 1%, higiene e segurança e 136 dias pagos anuais de trabalho não efectivo correspondente a fins semana, férias e feriados.

Depois vem o contribuinte que com seus parcos rendimentos tem de entregar ao Estado quase metade do fruto do seu trabalho a esse vigarista travestido  no IRS e outra vez na segurança social (11%).

Mas o confisco não acaba aqui. Depois, o Estado obriga a pagar IVA (entre outras taxas e taxinhas) de todos os serviços e bens transaccionados. Ora, enquanto nas empresas o IVA é dedutível, ao nível particular, tirando aquelas despesas mínimas mas com limites à dedução no IRS, o resto é pagar e não bufar. Ou seja, se nos retiram quase metade à cabeça para impostos sobre o trabalho, o resto acaba por inevitavelmente ir para pagar impostos directos e indirectos sobre casa, transportes, comida, luz, água, gás, roupa, educação e lazer (quando é possível). Ou seja, no fim das contas, ou nos cortamos em despesas ou ficamos a dever. Poupar? Bem isso é quase uma miragem pois tal proeza é só de quem consegue privar-se de muito e mesmo assim…

Um Estado responsável e competente não precisaria senão do IVA, cuja taxa até podia aumentar, para fazer uma boa gestão do sector, onde se tributaria apenas TODAS as transacções de bens e serviços. Porque esse é o único imposto justo e aceitável.  Em resultado teríamos um impulso na economia com investidores a guerrearem para criarem riqueza no nosso país, emprego a disparar, nível de vida a melhorar, pessoas mais felizes e motivadas porque veriam mais dinheiro ao fim do mês impulsionando o consumo, salários com muita mais margem de negociação logo muito melhores e acima dos miseráveis 585€ de mínimo nacional. Sim, o investimento cria riqueza e a riqueza, quando acessível a TODOS atenua as desigualdades. E sem grilhetas, as pessoas produzem mais porque sabem que o retorno do seu suor, é delas. Só delas.

O Estado actual é ladrão autorizado que empobrece tudo o que estiver à sua volta sem sequer dar o retorno a quem sacrifica. Por isso tem de ser reduzido ao essencial com limites expressos na Constituição, parar de tributar sucessivamente e procurar no futuro ALIVIAR reduzindo a carga fiscal até à razoabilidade para devolver a liberdade aos cidadãos.

Porque imposto é escravidão, é roubo aos indefesos.

 

 

 

 

 

Anúncios
66 comentários leave one →
  1. Paulo Valente permalink
    6 Novembro, 2017 12:56

    “Um Estado responsável e competente não precisaria senão do IVA,”
    Uma afirmação interessante sem dúvida. No entanto, gostaria que a autora deste artigo me apontasse os “Estados responsáveis” que no mundo inteiro apenas cobram aos contribuintes o IVA ou outro imposto semelhante.

    É que se nessa lista se encontrar um estado que para além de “responsável” seja também um estado interessante, talvez eu pense em emigrar para lá.

    Definição de estado interessante:
    1. estado com um sistema de saúde universal;
    2. estado com um sistema de ensino universal e gratuito;
    3. estado com um sistema de segurança social;
    2. estado onde a probabilidade de sofrer uma morte violenta é residual.

    Liked by 1 person

    • Cristina Miranda permalink
      6 Novembro, 2017 13:05

      Bom desafio para um próximo artigo. Sim, tenho resposta para si. E bem fundamentada, não se preocupe. Não é porque NINGUÉM ainda adoptou o sistema que defendo que não é viável. Sabe, isto de não ter uma agenda política, faz de mim um ser pensante FORA DA CAIXA capaz de ver além das ideologias. Sim, é possível 1 ESTADO SOCIAL EFICAZ só com esta receita. Quer saber como? Então convido-o a ler o artigo que vou preparar sobre estes assunto COM TODO O GOSTO. E não, não haveria morte lenta de porra nenhuma. Gestão eficaz faz nascer muito muito dinheiro. Mas eu explico isso mais à frente. Aguarde.

      Liked by 1 person

      • JCA permalink
        12 Novembro, 2017 01:58

        .
        Exato, Eles não gostam do Novo.

        Gostar

  2. 6 Novembro, 2017 12:58

    Lindo muito lindo:” O imposto é roubo aos indefesos”. Muito bem chefe Miranda.

    Liked by 2 people

    • Lourdes Fernandes permalink
      8 Novembro, 2017 12:39

      Esta Senhora deveria fazer parte de um governo num futuro próximo, antes deste deixar o país numa divida ainda maior.

      Liked by 1 person

  3. lucklucky permalink
    6 Novembro, 2017 13:20

    Votam em partidos com S ou C no nome esperam o quê?

    Gostar

    • EMS permalink
      6 Novembro, 2017 15:51

      Ó lucky, não devemos votar em partidos que não têm S e C no nome? Assim só restam o BE, o PAN e o PEV.

      Gostar

  4. Arlindo da Costa permalink
    6 Novembro, 2017 13:39

    Oh Diabos! Agora é que se queixam dos impostos!

    E do aumento colossal de impostos, já para não falar das confiscações e cortes de rendimentos, no tempo de Vitor Gaspar e da Marilú, durante a pafiosa e neo-comunista governação de Passos & Portas????????

    Gostar

    • oscar maximo permalink
      6 Novembro, 2017 14:01

      Mas quem combinou isso não foi quem chamou a troika ?

      Liked by 1 person

      • EMS permalink
        6 Novembro, 2017 15:44

        Que é que fez parte da comissão de boas vidas da troika?

        Gostar

      • oscar maximo permalink
        6 Novembro, 2017 18:43

        Quem recebeu a troika teve de ser quem não levou um chute

        Gostar

    • Cristina Miranda permalink
      6 Novembro, 2017 14:31

      Ou é cego ou burro porque no texto escrevi”… durante anos a fio…” sabe o q isso quer dizer?

      Liked by 1 person

      • EMS permalink
        6 Novembro, 2017 15:45

        queria dizer comissão de boas vindas da troika.

        Gostar

      • Democrata com larga experiência — Vende-se permalink
        6 Novembro, 2017 18:40

        Lamento discordar da sua afirmação »… ou é cego ou burro…«.

        Este comentador Arlindo da Costa acumula: é cego e burro. E quem lhe encomenda os sermões também é muito bera pois não »fiscaliza« o avençado e permite-lhe este chorrilho de dislates só para picar o ponto.

        Que Deus me perdoe (um Deus qualquer) mas chego a ter quase saudades do piscoiso…

        Para não gastar mais papel, aproveito esta minha entrada para elogiar o seu post.

        Liked by 1 person

      • Cristina Miranda permalink
        6 Novembro, 2017 22:13

        Ahahahahahahahahah

        Gostar

  5. António Carvalho permalink
    6 Novembro, 2017 15:28

    Interessante que se considere nos custos de trabalho os dias de férias, fins de semana e feriados. Porque não incluir também os custos do tempo extra-trabalho (sei lá: o tempo que o trabalhador gasta a comer, a dormir, etc.)?

    Gostar

    • Cristina Miranda permalink
      6 Novembro, 2017 16:35

      Pronto falou a ignorância. Sim, isso é 1 custo pra empresa. Você tem férias, feriados e fins de semana pagos pela empresa. Dito de outra forma, esses dias não trabalhados são-lhe DESCONTADOS na folha de trabalho? Se sim, por ser trabalhador independente, peço desculpa, pois não me estou a referir a si mas sim ao trabalhador DEPENDENTE.

      Liked by 1 person

  6. carlos alberto ilharco permalink
    6 Novembro, 2017 15:44

    Não sou economista e da mesma percebo patavina.
    Só sei que se eu pudesse cortar nas mordomias do Estado arranjava imediatamente centenas de milhões de euros para aliviar os impostos todos.
    Para que não digam que não dou exemplos, mandava parar e vender todos os carros do Estado excepto o do Presidente da República e mesmo este só era usado em viagens oficiais que claro não incluíam vir de Cascais para Belém.
    Há comboio, um bocadinho estragado, mas serve.
    Se quiserem tenho mais cem exemplos.

    Liked by 2 people

    • Graça de Jesus permalink
      6 Novembro, 2017 16:03

      Concordo plenamente consigo…

      Liked by 1 person

    • Cristina Miranda permalink
      6 Novembro, 2017 16:37

      Vou fazer outro artigo a explicar como se fica sem défice SEM AUSTERIDADE pra cima do contribuinte

      Liked by 1 person

      • Lourdes Fernandes permalink
        8 Novembro, 2017 12:59

        Força! Ensine-os. Eles b precisam… Se quiser aprender… Estes já “são burros velhos mais vale matá-los que ensiná-los”.

        Liked by 1 person

  7. Jose Albuquerque permalink
    6 Novembro, 2017 15:50

    Se já se paga salário durante 14 meses e o ano só tem 12 meses, até que a sua sugestão não me parece descabida.

    Gostar

    • Cristina Miranda permalink
      6 Novembro, 2017 16:39

      Pois é… A ignorância é tramada. Sim, recebe 14 meses e só trabalha doze. Chamam-se SUBSÍDIO DE FÉRIAS e SUBSÍDIO DE NATAL. 14 meses a entrar, só 12 trabalhados.

      Gostar

      • 6 Novembro, 2017 16:52

        Trabalha 11. Esqueceu o mês de férias.

        Liked by 1 person

      • Cristina Miranda permalink
        6 Novembro, 2017 22:20

        Sim, AB, são 11 meses de trabalho e não 12.

        Gostar

      • carlos alberto ilharco permalink
        6 Novembro, 2017 19:42

        Há um pormenor ainda mais interessante.
        Os reformados e pensionista recebem Subsídio de Férias.

        Liked by 1 person

  8. Rui permalink
    6 Novembro, 2017 16:12

    Se só houvesse IVA em Portugal a maioria das pessoas iria fazer as suas compras em Espanha pois o IVA teria de ser muito mais elevado. Isso já acontece atualmente nas zonas mais próximas da fronteira.

    A verdade é que o eleitorado favorece os impostos, votando nas últimas décadas por quem opta por aumentar as pensões e os funcionarios públicos, talvez com excepção do Pedro Passos Coelho que venceu eleições sem esse tipo de promessas.

    Liked by 1 person

    • Cristina Miranda permalink
      6 Novembro, 2017 16:31

      Negativo. Uma economia onde as empresas são aliviadas de impostos, é mais competitiva e atractiva. A qualidade aumenta também. Maior poder de compra trás selectividade na hora de comprar. Portanto, já não é o preço mais baixo q nos move mas sim à qualidade do mesmo. Essa atitude de ir atrás da pechincha é d3 gente remediada financeiramente. Na Suíça ninguém se importa com carros baratos, sabia? E não se vêem sequer com facilidade. Retire só deste exemplo suas conclusões.

      Liked by 1 person

  9. 6 Novembro, 2017 16:55

    O Estado dá-me metade do que me tira. Se tanto.
    E nesse sentido não preciso do Estado.

    Gostar

  10. António Carvalho permalink
    6 Novembro, 2017 17:32

    Então vai escrever novamente o ignorante. bela maneira de dialogar chamando alguém que não conhece de ignorante, mas enfim. Já a outro comentador chamou-o de cego ou burro – seguindo na mesma linha, ainda bem que não é segurança no Urban Beach!
    O empregador paga pelo trabalho efetuado dentro de determinados parâmetros (incluindo horário de trabalho, férias, etc., e custos acessórios, como referiu) e não pelas horas/dias de não-trabalho. Doutra forma, voltaríamos talvez à servidão da gleba ou algo assim. Se as horas de trabalho diminuem por alteração legislativa (sei la: mais um feriado ou mais dias de férias), mantendo-se o mesmo salário, existe um custo que não estava previsto. Ou existe uma poupança, quando acabam feriados.

    Gostar

    • Cristina Miranda permalink
      6 Novembro, 2017 22:17

      Bem, o caso é mais grave do que imaginava. É o que acontece aos meninos contratados pra comentar sem nunca terem mexido 1 músculo para ganhar a vida a trabalhar. Depois dá nisto. Nada a fazer. E eu não dou aulas grátis. Boa noite e descanse. A falta de sono é prejudicial à saúde cognitiva

      Gostar

    • Carneiro permalink
      7 Novembro, 2017 10:57

      Xissa ! Não faz mesmo a mínima do que seja um salário. Há níveis dramáticos de iliteracia

      Gostar

  11. oscar maximo permalink
    6 Novembro, 2017 18:50

    Não sei se será correcto, mesmo informalmente, chamar os descontos para a SS de impostos. Este valor ao menos é (seria) previsível que se receba de volta.

    Gostar

    • André Miguel permalink
      6 Novembro, 2017 19:13

      Não recebe nada de volta, é um embuste. V. Exa. Paga as reformas dos outros, com a demografia e a economia que temos alguem acredita que teremos reformas amanhã?! Boa piada!!!

      Imposto é roubo legalizado e ponto final. Ninguém tem o direito a ficar com o fruto do trabalho de alguém, se fizer isso a um indivíduo é roubo, se for o Estado já está tudo bem?!

      Como disse um grande homem: “don’t steal, the government hates competition”.

      Liked by 2 people

      • PiErre permalink
        6 Novembro, 2017 19:39

        Os impostos foram inventados no Paleolítico, ou já foi no Neolítico?

        Gostar

      • André Miguel permalink
        6 Novembro, 2017 20:25

        Julgo que foram apenas no Antigo Egipto. Mas a parvoíce infelizmente surgiu muito antes.

        Liked by 1 person

      • David permalink
        6 Novembro, 2017 23:04

        André Miguel É incrível como pouca gente percebe que a segurança social é um esquema em pirâmide, mais grave ainda, é um esquema fraudulento que força a participação do contribuinte. E poderia estar aqui meia hora a escrever sobre os efeitos sociais negativos a longo prazo.
        Já expliquei isto a muita gente, e a reação normalmente é a de “como é que não percebi antes”. Como qualquer esquema em pirâmide, a melhor solução será acabar com ele de um dia para o outro por muito que custe, e claro responsabilizar os culpados pela criação ou manutenção do sistema. O significante apoio de alguns meus conhecidos(não mto libertárias, por sinal) à minha proposta(demasiado radical talvez) de expropriar(no mínimo) e escravizar os políticos e funcionários responsáveis por tal proeza faz-me questionar como tal sistema é ainda tão popular.

        Gostar

    • Cristina Miranda permalink
      6 Novembro, 2017 22:12

      Não em Portugal. Cá é saque porque no fim da sua carreira profissional não lhe devolvem TUDO que investiu como na Suíça.

      Gostar

      • Pedro Martins permalink
        10 Novembro, 2017 15:18

        Os senhores libertários anti-segurança social porque é um sistema em pirâmide, por acaso também já pensaram que o dinheiro e a poupança é um sistema em pirâmide? Não? Pensem nisso.
        Querem deixar de pagar impostos? Abandonem o sistema, vão vier pra montannha, pá. Não chateiem.

        Gostar

      • Cristina Miranda permalink
        10 Novembro, 2017 15:33

        Vá tu. Quem foi que te disse que 1 país com imposto ÚNICO não pode ter sua vertente social? Eu vou te explicar a ti e outros como tu como se faz isso num próximo artigo. Até lá acalma essa tua intolerância por opiniões divergentes

        Gostar

  12. Euro2cent permalink
    6 Novembro, 2017 19:31

    Com o atraso do inverno, parece que em vez de surtos de gripe, temos surtos de libertarianismo.

    É um mau princípio em que assentar a crítica aos bandos de malfeitores incompetentes que assolam o estado.

    (E estou a falar como quem já defendeu que o estado só devia cobrar taxas sobre propriedade e transacções, mas não é por razões de “escravidão”, cá por mim o estado pode “escravizar” à vontade, é para isso que lhe pagam.)

    Gostar

    • 7 Novembro, 2017 13:35

      OS que não têm nada na cabeça mas muito fervor de “convicções” são assim. Há 2 semanas era socialista com exigências ao estado e favor das multiplas organizações governamentais de protecção aos coitadinhos. Há 1 semana converteu-se ao conservadorismo, agora tornou-se libertária. Sindroma de socras cameleônico .

      Gostar

  13. David permalink
    6 Novembro, 2017 19:35

    A compra de votos sem preocupação pelo futuro é algo inerente a uma democracia, afinal quem chega ao poder na democracia é quem consegue convencer melhor as massas a votar em si, ou seja o maior demagogo, e claro que como um governo democrático é apenas um guardião do estado durante um tempo limitado há um incentivo para que roube o máximo possível durante esse período porque não poderá roubar mais tarde.

    “Por isso tem de ser reduzido ao essencial com limites expressos na Constituição”
    Primeiro, o essencial para uns é educação, saúde, segurança social, rendimento mínimo, etc, para outros é segurança, infraestrutura, proteção civil e moeda, “essencial” é do mais arbitrário que pode haver.

    Segundo, quem irá interpretar e garantir que a constituição é cumprida? Será o tribunal constitucional, presumo, ou seja, confiaremos no estado para se limitar a si mesmo. O melhor exemplo que temos na História é a Constituição americana, em particular o Bill of Rights, e que como sabemos muito bem qualquer das emendas principalmente a segunda, a quarta e a décima é ignorada sempre que dá jeito. Basta ver a quantidade de departamentos federais em áreas cuja constituição não prevê que o governo federal exerça alguma função.

    “Porque imposto é escravidão, é roubo aos indefesos.”
    Concordo completamente com esta afirmação no entanto contraria outras afirmações atrás
    “O Estado actual é ladrão autorizado que empobrece tudo o que estiver à sua volta sem sequer dar o retorno a quem sacrifica.”
    Não é o Estado actual, portanto, é qualquer um pois qualquer estado se sustenta com base na extorsão dos frutos das actividades produtivas dos cidadãos.

    “Um Estado responsável e competente não precisaria senão do IVA, cuja taxa até podia aumentar, para fazer uma boa gestão do sector, onde se tributaria apenas TODAS as transacções de bens e serviços. Porque esse é o único imposto justo e aceitável.”
    Imposto justo não existe. Estado responsável e competente é um círculo quadrado, tanto pelo facto de a democracia favorecer uma governação de curto prazo como pelo facto de não receber feedback do cálculo económico(ver Economic Calculation in the Socialist Commonwealth, Ludwig von Mises).

    Gostar

  14. Luis permalink
    6 Novembro, 2017 20:10

    Por isso a empresas estao endividadissimas. Por isso as casas estao a cair. Por isso os portugueses investem tanto em cafes, restaurantes e quiosques. Portugal nunca teve economia nem estrutura para ter um Estado Social e a consequencia sao tres bancarrotas e uma das maiores dividas do mundo. Nao precisamos de 300 e tal conselhos, nao deveriamos ter os governos regionais, nao deveraim existir empresas publicas municipais, nem centros de emprego, de tantas comissoes e observatorios, nem IPSSs ou Fundacoes financiadas pelo Estado, deveria ser aplicado o principio do utilizador-pagador em alguns servicos publicos… enfim e possivel poupar mais de 10 mil milhoes, ter excedentes e baixar os impostos.

    Liked by 2 people

    • Luis permalink
      6 Novembro, 2017 20:10

      @concelhos

      Gostar

    • Manuel permalink
      6 Novembro, 2017 21:28

      Claro que é possível. Mas como vamos retirar as pessoas que mamam na teta da vaca? Se calhar vai ser necessário uma nova bancarrota para a teta secar de vez e, assim, talvez seja possível reduzir despesa e baixar impostos.

      Liked by 1 person

      • Luis permalink
        6 Novembro, 2017 21:52

        Se fossem extintos os organismos publicos a mais parte do trabalho estaria ja feito.

        Gostar

  15. Kapagrillos permalink
    6 Novembro, 2017 20:30

    Não me parece que saiamos tão cedo disto, paga e não bufes.

    O Trump parece que quer mexer nos impostos mas ele é um satanás de vão de escada por isso nada de seguir exemplos desses.

    Gostar

    • Luis permalink
      6 Novembro, 2017 20:36

      Vamos sair, mas a mal. Depois de nova bancarrota e possivel expulsao da zona euro, de seguida virara ainda mais a Esquerda para depois entao poder efectivamente mudar. E tambem enquanto nao desaparecer pela lei da vida a geracao abrileira nao sera possivel mexer em nada. So daqui a a pelo menos 15 anos.

      Gostar

  16. 6 Novembro, 2017 20:38

    Na realidade o problema passa pela falta de informação generalizada relativamente ao valor de impostos que cada um efetivamente paga.

    Algumas sugestões para tudo se tornar mais fácil de entender:
    – Valor bruto do salário deveria incluir todas as despesas mensais obrigatórias pagas pela empresa (ex.: TSU da empresa)
    – Acabar com o IRS

    Descontos ao valor bruto:
    – Taxa única para a reforma
    – Seguro de desemprego, baixa, etc. (sem contar para a reforma)
    – Seguro Obrigatório de Saúde (para financiamento total e exclusivo do Ministério da Saúde)
    – Imposto para Educação (para financiamento total e exclusivo do Ministério da Educação)

    Todas as taxas deveriam ser fixas, universais e sem escalões. Não haveria necessidade de entregar declarações de IRS porque este não existiria.

    Simples, justo e universal.

    Liked by 1 person

  17. Luis permalink
    6 Novembro, 2017 20:39

    O funcionalismo e um grupo de pressao com os seus egoismos, como qualquer corporacao organizada. Portanto, sempre que vir um sector a crescer, vai exigir impostos que transfiram essa riqueza para o seu bolso. O Estado deveria ter uma posicao distante e equilibrar todos os interesses, como faziam os nossos primeiros reis… mas nao tem, e por isso vivemos numa “democracia” de burocratas.

    Gostar

  18. Filipe Costa permalink
    6 Novembro, 2017 20:43

    O Estado devia subir os Impostos a 100% e distribuir senhas de racionamento, o paraiso chegaria aqui.

    Liked by 1 person

    • André Miguel permalink
      6 Novembro, 2017 21:11

      Isso já eles fazem, taxam por um lado, subsidiam por outro. Ainda não deu conta? Só não acabam com os salários e vai tudo a senha de racionamento porque querem mascarar a coisa com alguma suposta liberdade. São pérfidos, o rosto do mal e um cancro que urge combater.

      Liked by 2 people

    • Cristina Miranda permalink
      6 Novembro, 2017 21:54

      Ahahahahahahahahah Ahahahahahahahahah

      Gostar

  19. jorgemmc permalink
    7 Novembro, 2017 00:02

    Talvez daqui a, pelo menos, uma bancarrota a sério surjam condições pra mudar alguma coisa. O que tivemos em 2011 foi uma pré-bancarrota. Não é a mesma coisa.
    É preciso que chegue o dia 21 (e o 22 e o 23 e o mês seguinte, etc.) e o guito não caia na conta de quem recebe do Estado.
    Não é preciso ser cientista de foguetões pra saber o que é preciso fazer pra diminuir a carga fiscal: cortar na despesa do Estado (como, quanto e onde é outra discussão, interessante com certeza).
    O problema em Portugal é que isso é impossível porque o grupo que seria afetado (políticos, “crony capitalists”, FPs, pensionistas e outros dependentes) tem poder para bloquear as medidas necessárias.
    Enquanto houver quem nos empreste dinheiro pra mantermos o estado de coisas não saímos da cepa torta…

    Gostar

  20. JCA permalink
    7 Novembro, 2017 00:56

    .
    Ora bem minha cara amiga que nunca tive a oportunidade de repartir pão a uma qualquer refeição ou evento,
    .
    acrecente ao que disse a maldita fuga dos capitais para as amaldiçoadas offshores pelos grandes rendimentos, por exº num processo semelhante ao das jeans invejadas no inicio só para os muito ricos e hoje qualquer um tem um par de jeans,
    .
    significa que hoje só os ricos e as ‘elites de poder’ têm offshores mas dentro de pouco tempo qualquer um as terá. Porquê ? Porque uns e outros sentem que na sua Produção Pessoal seja salarial ou de rendas de capital ou imobiliarias ou agricolas etc,
    .
    o Estado e o minilobby fiscalista se apoderam persecutoriamente de mais de 50% sejam uns ou outros cada independentemente da sua dimensão de mais ou menos riqueza, mais ou menos ‘arremediado ou pobre, seja funcionario publico, privado ou investidor ou politico ou gestor religioso.
    .
    Ora bem tanta guerra, narrativa, discussão, abuso de poder e perseguição numa coisa tão simples de resolver:
    .
    .
    -coletem todos os Impostos, Taxas e Taxinhas num unico Imposto Nacional sobre o Consumo eliminando todos e quaisquer Impostos Taxas e Taxinhas sobre a Produção seja individual ou coletova,
    .
    .
    e os offshores secam, os preços de exporrtação baixam substancialemnte donde altamente concorrenciais se ‘made in Portugal’, todos os capitaos e mais outros doutros regressam em força a Portugal e
    .
    o poder de compra nuo primeiro momento é o mesmo, o Estado recebe extamente o mesmo em impostos e ha um buraco na legislação europeia, nada impede que se COBREM todos os Impostos num unico só e só sobre o Consumo.
    .
    E porque isto é proibido em Portugal ???
    .
    Pela resistencia dum pequenissiimo lobby qiue para lucrar não tem pejo de arruinar tudo o resto à sua volta contra o avanço covilizacional e à modernização para o top da Justiça Social e da agilidade de criação de riqueza acima e alem de todos os outros países (arruinando a propria competividade da China, India etc que arrumam permanentemente a Ocidental e Europeia);
    .
    .
    exatamente como no tempo dos Salazares, Reis, Coroas & Cªa Lda. Ora bem estamos no sec XXI. À espera de quê ? Da repetição sucessiva do mais do mesmo em Portugal desde os tempos da Rainha Dona Maria Caxuxa até ao Salazar prolongado em totalitarismo do Estado travestido em democracia com liberalização zero de cada cidadão ?
    .
    Poderá sê-lo, é mesmo facilmente possivel continuá-lo. E
    .
    specialmente Oposição, suposta de Direita ou outra coisa qualquer por exº centro daqui ou dacola,
    .
    quando diz que o OE é o caminho para a austeridade etc etc, apenas confessa que é tão fiscalmente totalitária como a Situação,
    .
    contra a carteira e produção de riqueza de cada Cidadao, funcionario publico ou privado ou familia ou mae solteira ou investidor ou solteiro.
    .
    Ora de esquerdas quiçá mesmo trotkistas BE não se estranha afirmam exatamente o que fazem,
    .
    mas dos Centro’s e Direita’s que gritam ‘ferozes adversários das Esquerdas’ e afinal nunca nem arrumam a questão e a carga fiscal que nem o Salazar teve a coragem de impor aos Portugueses …….
    .
    E com o resultado final do conjundo Oposição/Situação de bancarrotas, austeriades etc porque de facto nunca se interessaram pela sustentabilidade e criação de riqueza séria dos Prtugueses …
    .
    Alguem, Situação ou Oposição, tem de mudar de azimute. Aparentemente a Situação com a geringonça estará a tentá-lo. Mas a Oposição mais do mesmo cada vez se afunda mais apesar dos soundbytes aí pelas tasquinhas todas de Comunicação Social.~
    .
    É a vida, desenrasquem-se, pirem-se para as offshores, dentro de pouco tempo até um calceteiro ou um continuo tem uma conta nas Bahamas, Caimão, Ilhas Jersey, Luxemburgo, Suiça etc. E falta tão pouco, como as jeans e os telemoveis e os cabelos a beatle e as flausinas e os …
    .
    e os velhotes no Poder ninguem acreditava, mas foi um ar que lhe deu, como as dos offshores será um ar que lhes vai dar, mas depois ‘ninguem compreendeu, nem se apercebeu, foi incompetencia não tinham meios a culpa é do Legislativonão, é do Executivo, não nem dum nem doutro é do Judicial, não nem de nenhum deles, é dos eleitores etc e tal e tal e coisa’
    .
    no habitual ‘fado da desgraçadinha’ dos politicos, diretores gerais etc. Consubstanciando, mas afinalnão somos de resolver o uma m.rd. destas que é mesmo simplicissimo ? Mas afinal de ‘grandes valores’ nacionais o proibem para o desenvolvimento e o desempobrecimento de Portugal ?
    .
    qualquer um respondo sem quaisquer receios de falhar ou dividas: nenhuns;
    .
    excepto uma micro mini minoria dumas tão poucas centenas de interessados insensiveis à vontade de nove milhoes nocentos e noventa e nove mil Portugeses.
    .
    O em pleno sec XXI das luzes sugere inaceitavel, salvo alguns deslumbrados por alguma neo-Idade das Trevas ou de Comunismos à Xinesa se imutavel almejando uma neo-era medieval para a Europa com a destruição da sua vanguarda de direitos civilizacionais, a mais avançada em todo o Mundo,
    .
    bem acima de irrelevantes questiunculas e tricas partidarias ou egoismos e vaidades pessoais ou de supostas lutas ideologicas ou religiosas,
    .
    pois há muito mais vida para além da politica europeia, indfependentemente de opotunismos baratos ou habilidosos que se têm posto no palco, sabe deus à custa de quê; mas pronto foi assim,
    .
    mas pode bem não ser assim a seguir se os proprios habilidosos pra nao se autodestruirem souberem, ou derem lugar, realmente habeis. E para, o tempo já passou, mas ainda é possivel.
    .
    Como certos adorariam que não acreditassem …… E se calhar na volta ser(i)a, até o Antonio Variações já profetizava “quando a cabeça noa tem juizo, o corpo é que paga’ …..
    .

    .

    .

    .

    .

    Gostar

    • PiErre permalink
      7 Novembro, 2017 08:01

      O JCA é só bla bla bla e mais nada.

      Gostar

      • JCA permalink
        12 Novembro, 2017 02:36

        amigo, tem de ser,
        .
        quando se opta pelo bom senso da força pacifica da Razão dialogada para surgir o Novo cada vez mais Livre e realmente sempre a melhorar a Vida de cada um
        .
        em vez da força violenta da ‘perfeição’ do Poder que alguns apelidam de ‘politicamentes correto de homem novo’ imposto como
        .
        no nazismo, fascismo, bolchevismo herdeiros de tantos anteriores, cada um com o seu modelo oportunista politicos ‘justificadissimos’ de ‘Homem Novo, Perfeito e Superior a tudo e a todos de sempre’
        .
        modelos que ruiram como barahos de cartas apesar das respetivas Comunicações Sociais unicas e domesticadas
        .
        e as coisas vão andando.
        .

        Gostar

  21. António Carvalho permalink
    7 Novembro, 2017 16:26

    Tendo feito um período de descanso a este blogue, verifico agora que aos meus comentários se segue o insulto e, agora sou eu que afirmo, a ignorância. Sob o argumento de não querer ensinar, afinal nada diz nem contra-argumenta.
    Além disso, não me conhecendo a comentadora de lado nenhum, não sabe a minha idade nem quando comecei a trabalhar. Se calhar até sou mais velho e comecei a trabalhar mais cedo que a senhora! Não julgue que é a única trabalhadora neste país.
    Afinal, uma ideia a discutir (basear a cobrança fiscal apenas no IVA) é estragada pela falta de nível da comentadora.

    Gostar

    • Holonist permalink
      7 Novembro, 2017 16:29

      Tambem pode ser estragada pelo simples facto de seres um calhau que nem sequer sabe o que se paga num salario ? Ja pensaste nisso ? Ja agora , tu e outros que aparecem aqui armados em virgins ofendidas com palavreado pretensamente cordial … ide levar nos fundilhos , nao pensem que enganam alguem!

      Liked by 1 person

  22. Lourdes Vilela permalink
    8 Novembro, 2017 12:29

    Que assim escreve, e tão bem descreve os sentimentos dos portugueses (penso poder dizer de todos os portugueses), não deveria dar descanso à escrita! Parabéns, por descrever tão bem o que nos vai na alma! Continue. Nao cale a sua voz, que pode muito bem ser a nossa, se me permite. Obrigada por escrever e descrever tão bem o meu sentir.

    Liked by 1 person

  23. Lourdes Fernandes permalink
    8 Novembro, 2017 12:32

    Quem assim escreve, e tão bem descreve os sentimentos dos portugueses (penso poder dizer de todos os portugueses), não deveria dar descanso à escrita! Parabéns, por descrever tão bem o que nos vai na alma! Continue. Não cale a sua voz, que pode muito bem ser a nossa, se me permite. Obrigada por escrever e descrever tão bem o meu sentir.

    Liked by 1 person

  24. António Carvalho permalink
    8 Novembro, 2017 16:32

    Caro comentador Holonist: tento na língua que da minha parte não sou seu colega de taberna. E não o autorizei a tratar-me por tu, que até podia ser seu pai. Onde o senhor leva, é lá consigo mas não me misture no seu grupo. Argumentos é o que se precisa e não escorrer o fel das suas frustrações diárias. E o que eu comentei ainda não foi contrariado por qualquer argumento…

    Gostar

  25. Libertario permalink
    8 Novembro, 2017 19:16

    Acho piada a ‘definicao de uma estado interessante do Paulo Valente. Eu gostaria muito de poder escolher nao ter nenhum dos tres primeiros pontos e pagar 10% de impasto em vez da barbaridade que pago agora. Nao preciso que o estado tome conta de mim e nao acho justo que eu tenha de tomar conta de quem nao tem a mesma etica de trabalho que eu

    Gostar

Trackbacks

  1. A Escravidão dos Impostos em Portugal – PortugalGate

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: