Saltar para o conteúdo

Obsessão igualitária e a União

9 Maio, 2018

taxtheft1

 

Entendo como o Rui que terá havido uma genuína preocupação da Iniciativa Liberal em produzir um documento mais bem estruturado e, sem dúvida, o objectivo de veicular uma mensagem que defenda tirar o estado das nossas vidas. Muito bem!

Li o programa político que apresentaram recentemente, mas infelizmente não posso dizer que nele me reveja. Desde logo porque é um “programa”. Claro que há pontos e intenções com que concordo totalmente, mas outros há que são bastante criticáveis.

Os capítulos dedicados à finanças e economia parecem ter sido os mais pensados e elaborados e, curiosamente, é dessa área que vem uma omissão imperdoável: a Iniciativa Liberal não defende o fim da progressividade fiscal. Assim, tudo o resto que possa afirmar neste tema está ferido de inconsistência.

Esta obsessão igualitária e redistributiva parece estar já entranhada subconscientemente. É isto Liberal?

Uma nota final: o novo partido diz defender o “aprofundamento da União Europeia”. Fico curioso sobre que significará isto.

*

 

Anúncios
13 comentários leave one →
  1. Mario Figueiredo permalink
    9 Maio, 2018 10:13

    Se considerarmos que também defendem as listas transnacionais e declaram explicitamente “mais poder legislativo para o parlamento europeu”, parece-me claro que a IL defende menos Estado-Nação em troca de mais Estado Europeu. Estranho liberalismo este.

    Gostar

    • Luis Lavoura permalink
      9 Maio, 2018 12:15

      a IL defende menos Estado-Nação em troca de mais Estado Europeu. Estranho liberalismo este

      Porque é que é estranho? O liberalismo não diz quais devam ser as fronteiras de qualquer Estado. O liberalismo não diz se Portugal deve ser um país independente, tal como não diz se a Catalunha ou a Madeira devem ser países independentes.

      Gostar

      • 9 Maio, 2018 13:56

        O “Liberalismo” apregoado pela UE diz exatamente que não devem haver fronteiras para qualquer Estado.
        E se para defender a eliminação definitiva daquilo que delimita um país faz um paralelismo entre o País mais antigo da ex-Europa (são 875 anos!!!) com a Madeira e a Catalunha, estamos conversados.
        Mais um partido para “dividir e conquistar’. Venha o próximo!

        Gostar

    • JMS permalink
      9 Maio, 2018 18:33

      Estranha inciativa esta que se auto-proclama de liberal.

      Estranhas pessoas estas que pedem autorização, aos “donos” do 25 de Abril, para “descerem a Avenida”, que estão inquietos por ainda não ter sido aprovada a eutanásia, etc.

      Confesso que ainda não tive paciência para ler o programa destes “liberais”. Mas pelas atitudes que têm tido, acho que se enganaram no país. Não estamos nos Estados Unidos. Estamos em Portugal e, o espaço que estas estranhas pessoas querem ocupar já está ocupado, diria mais, sobrelotado pelo BE, PCP, o actual PS e o actual PSD.

      As atitudes, para mim, valem mais do que qualquer linha programática a que se proponham, pelo que, só posso ficar triste, no mínimo, por ver a palavra liberal associada à esquerda mais burra e atrasada da europa.

      Triste país…

      Liked by 1 person

  2. Luis Lavoura permalink
    9 Maio, 2018 12:08

    não posso dizer que nele me reveja. Desde logo porque é um “programa”.

    Todos os partidos têm um programa. A IL é um partido, portanto tem um programa.

    O TAF não se revê em programas. Portanto, não se revê no programa de nenhum partido.

    Gostar

  3. Luis Lavoura permalink
    9 Maio, 2018 12:13

    a Iniciativa Liberal não defende o fim da progressividade fiscal. Assim, tudo o resto que possa afirmar neste tema está ferido de inconsistência

    Estranho raciocínio este. Um programa torna-se inconsistente apenas porque alguma coisa não está lá.

    Há montes de outras coisas que não estão no programa da IL. Não está lá a liberalização do proxenetismo, nem a liberalização do comércio de rins humanos, nem a liberalização do comércio de armas de guerra; será que essas omissões também tornam o programa inconsistente? Será que qualquer partido liberal (há muitos por essa Europa fora, e noutros países também) tem um programa inconsistente se não tiver lá essas coisas?

    Gostar

  4. Mario Figueiredo permalink
    9 Maio, 2018 13:30

    Porra! O Luís Lavoura consegue ser ainda mais imbecil que o nosso troll residente, o Arlindo da Costa. Deve ser a aposta da esquerda na educação que dá nisto.

    Gostar

  5. Procópio permalink
    9 Maio, 2018 18:09

    Vamos colocar-nos no sítio.
    Na fila de cima o gajo tinha dois mealheiros, fez alarde ao dar algum a quem precisa. Se for para conseguir benesses está parcialmente recheado para obter mais tarde três mealheiros e assim sucessivamente. é o sharing compadrio generalizado a todos os níveis da administração pública e privada. Uma forma habilidosa de viver na pocilga.
    Na fila de baixo é o dia a dia na vida dos cidadãos cumpridores.
    A AT vem e mama quanto pode, a certa altura o cidadão zarpa para onde possa viver decentemente com o seu trabalho ou desiste e passa para o grupo dos tugas que não fazendo nada, recebem subsídio e ainda dá para fazer uns trabalhitos por fora. Claro que o sistema não afecta os grandes amigos que têm o cuidado de pôr a massa nos offshores.
    Há os offshores legais e os outros.

    Gostar

  6. Procópio permalink
    9 Maio, 2018 18:30

    Para os mais espertos há os offshores legais e os outros.
    Os legais servem para justificar o roubo legal, os outros mudos e calados.
    Por falar em calar a boca, o princípio de omertá afinal vai para além de Nápoles e chegou à própria UE. O senhor governador lá está para não deixar dúvidas.
    “O Governador do Banco de Portugal disse hoje que a informação sobre os maiores devedores dos bancos não pode ser pública e que o acesso por deputados, caso seja decidido, tem de ser bem ponderado e coordenado segundo a legislação europeia.
    … qualquer iniciativa que o parlamento tome tem de ser feita depois de “ponderados os prós e contras” dessa decisão e respeitando “o enquadramento legislativo europeu, incluindo o regulamento do mecanismo único de supervisão”.
    Iniciativas liberais num pântano desta magnitude é conversa fiada.

    Gostar

  7. Lucklucky permalink
    9 Maio, 2018 18:31

    E para começar a Progressividade Fiscal é Inconstitucional.

    A Constituição diz que ninguém pode ser discriminado pela sua situação económica.

    Gostar

  8. Procópio permalink
    9 Maio, 2018 18:39

    O presidente da Liga Portuguesa Contra o Cancro lamenta também o facto de “ter sabido através dos jornais” da situação extrema a que a oncologia pediátrica chegou. Mas reconhece o porquê: “Os doentes normalmente têm medo de se queixar, temem represálias por parte das instituições. Mas não há qualquer retaliação por parte dos profissionais de saúde”, garante, acrescentando: “São os próprios médicos que muitas vezes levantam os problemas, porque se sentem impotentes para resolver as situações”.
    O liberalismo não apaga o medo, o medo grassa na suciedade tuga a olhos vistos, a começar nos funcionários públicos que têm que calar injustiças diárias perpretadas pelos apparatchiks do kosta. Em cada direção um apparatcjik, não esqueçam. Da central de negócios se lança o medo através do pulhiticamente correto. Pior do que no tempo do botas, tinha medo quem falava contra e já chegava.
    Os liberais nada podem fazer contra este estado de coisas vis.

    Gostar

  9. Procópio permalink
    9 Maio, 2018 18:53

    Primeiro há que os pôr a falar português nem que seja preciso arrancar-lhes a língua.

    “Tenho andado preocupado com a situação do Bes/Ges e com as acusações
    dos lesados que desconheciam o que estavam a comprar.
    Ora bem, estive a ouvir com toda a atenção Ricardo Salgado, ZeinalBava, Carlos Costa (do BP), a CMVM, etc, e, sinceramente, fiqueiesclarecido. Fiquei a saber que houve uma take over sobre a PT, o que provocou umdawnsizing na empresa e impediu o advanced freight. Sendo assim, o asset allocation baseado num appraial report, que é o allotment indicado, provocou um average price muito baixo, reduzindo os back to back ao mínimo.
    Ora, o bid price provocou um dumping e uma floating rate incomportável com o funding previsto pelos supervisores. Deixou, pois, de existir uma verdadeira hedge, o que levou aolevantamento de hard cash em grande quantidade.
    Se considerarmos que o ICVM, ao fim do período estava a deteriorar-se e os pay-out continuavam a baixar, a única solução seria o payabre tothe bearer de eventuais incomes da empresa.
    Voltando um pouco atrás, o pool entre Bes e Ges, fez diminuirdrasticamente o portfólio dos clientes, levando inevitavelmente a umrevolving credit que abrangeu a maioria dos shareholders de ambas asempresas. Como é evidente o pricecut da Rio Forte foi inevitável e a take over sobre a mesma também.
    O gross profit baixou significativamente, aumentando o grade period e o bank rate.

    Só para terminar e em jeito de conclusão creio que estamos perante uma
    grande quantidade de filhos da puting, que utilizando a corrupting ao
    nível central e local, foram delapidanding os recursos do país e
    continuam em casa riding da situação, deslocando-se de vez em quanding
    à Assembleia, fazer de parving os deputados e o poving em geral.

    Gostar

  10. Arlindo da Costa permalink
    9 Maio, 2018 21:10

    Aprofundar a UE é no sentido de acabar com as fronteiras físicas, mentais, monetárias, culturais e políticas.

    E desenvolver a economia europeia de forma integrada e não como se verifica hoje em dia.

    Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: