Saltar para o conteúdo

Num estado lastimável

14 Setembro, 2018

orcamento - porquinho

Em que estado nos deixa o orçamento de estado? Num estado de nervos? Num torpor condescendente de quem nada pode fazer?

Será que este é o princípio do fim da geringonça ou apenas o fim do princípio que pré-anuncia um novo arranjo doutro tipo? E será que isso muda algo de fundamental?

Onde pára a Liberdade num país em que o estado abarbata metade da riqueza e regula tudo o resto?

Estas e outras inquietações poderão ser discutidas na próxima tertúlia da Oficina da Liberdade, uma associação sem fins lucrativos em processo de formalização, que tem como objectivo abordar temas fundamentais relacionados com a liberdade individual.

Oradores: Daniel Bessa e Camilo Lourenço

Eu irei moderar o debate.

12 de Outubro de 2018 / Porto / Casa do Vinho Verde / 21:30

Entrada Livre

 

Anúncios
14 comentários leave one →
  1. 14 Setembro, 2018 17:04

    Deixa-nos num estado sem qualquer pena. Depenados.

    Gostar

  2. mg42 permalink
    14 Setembro, 2018 17:30

    Não é o Estado que vos tira, são vocês que obedecem e voluntariamente lhes dão sempre que Ele vos exige.

    Gostar

  3. 14 Setembro, 2018 18:21

    A oficina da liberdade já convidou oradores marxistas arrependidos agora libertários, caiu mal!

    Gostar

  4. LTR permalink
    14 Setembro, 2018 18:28

    A tara psiquiátrica com a alteração da lei dos compromissos só pelo prazer doentio de desfazer o que outros fizeram ainda mal nasceu e já está a dar resultados. Estes senhores estão a dar à luz um desastre ao som da música do presidente. Quando a UE descobrir a nossa “saúde” vamos ficar gregos. De Pedrógão diz-se agora que as casas são afinal metade.

    Gostar

  5. raCSt14CrAmirocarrola@sapo.pt permalink
    14 Setembro, 2018 19:05

    Sim, pergunta bem: Onde pára a porra da liberdade num país onde o Estado abarbata metade da riqueza e regula tudo o resto, e nos dá cabo da paciência e do coirão?
    Oh sorte malvada! Que miserável bando de canalhas tomaram o poder de assalto e, pelo que se vê e sabe, nada, ou muito pouco, as pessoas decentes, que sustentam a porca horrenda do Estado, parece poderem fazer.
    Os merdias marxistas estão de cama e pucarinho com esta canalha.
    Veja-se: um bando de cinco criminosos que assaltavam, pela calada da noite, as casas em sítios ermos de velhotes, sequestrando-os, espancando-os, torturando-os até dizerem onde tinham o parco dinheiro para os seus gastos diários.
    A PJ prendeu o bando, em acampamentos e bairros sociais: esta-se mesmo a ver quem os criminosos são.
    Apresentados pelo MP, o juiz de Leira imediatamente põe quatro dos bandidos na rua. Parece que um dos cinco terá ficado em prisão preventiva.
    Notícia da RTP, à hora de almoço: O juiz da comarca de Leiria aplicou a medida de coacção mais gravosa a um dos detidos. Omitindo, com descaro e má fé, que o juiz pusera na rua quatro meliantes da pior espécie, violentíssimos, que assaltam, brutalizam e torturam pessoas idosas absolutamente indefesas.
    Cambada miserável de fdp!

    Gostar

  6. weltenbummler permalink
    14 Setembro, 2018 21:53

    ‘fundidos … e mal pagos’

    Gostar

  7. Euro2cent permalink
    14 Setembro, 2018 22:36

    Onde pára a Liberdade num país em que o estado abarbata metade da riqueza e regula tudo o resto?

    Isso é pergunta com truque? A liberdade é da aristocracia do regime, que está bem e se recomenda, como sempre.

    Se os proletas estão descontentes com o produto “liberdade” que lhes venderam, podem ir fazer queixa no livro de reclamações.

    Gostar

  8. Leunam permalink
    14 Setembro, 2018 23:01

    “Apresentados pelo MP, o juiz de Leira imediatamente põe quatro dos bandidos na rua. Parece que um dos cinco terá ficado em prisão preventiva.”

    raCSt14CrAmirocarrola@sapo.pt

    Este não é caso único; veja-se o caso de incendiários comprovados que são soltos e inúmeros outros casos sentenciados que levam com prisões domiciliárias, penas suspensas, pulseiras electrónicas, etc., isto para não falar em leis especialmente brandas para pedófilos… e a admissão dos sucessivos recursos após sentenças.

    Imagino a sensação de revolta que os polícias devem sentir quando, depois de arriscarem a vida para pôr os criminosos sob a alçada da lei, veem os seus esforços frustrados pela classe judicial.

    Na minha forma de entender, deve haver orientações superiores para os tribunais evitarem as penas de prisão efectiva, pelos custos que isso deve acarretar ao erário público e para não parecer mal numa democracia.

    No tempo do Marquês de Pombal os reclusos que tivessem família, eram sustentados pelos familiares.
    No tempo do Dr. Oliveira Salazar, muitos reclusos eram encaminhados para trabalhar em diversas profissões nomeadamente na construção dos tribunais e bairros para os carcereiros, no que auferiam um pequeno salário.

    Os tempos mudaram e agora…

    é Sª Exª a Senhora Ministra da Justiça quem participa em acções de limpeza de matas (!) como aquela que ocorreu nas matas junto ao Centro Prisional de Alcoentre, em 24/4/2018 tal como foi noticiado pelos jornais…

    Gostar

  9. Alberto Silva permalink
    14 Setembro, 2018 23:04

    Para combater a filhadaputisse que açambarcou o poder em Portugal só com uma alternativa radical pela positiva. Os portugueses merecem e agradecem.
    O PNR tem dito umas coisas acertadas. O resultado eleitoral que vier a ter nas eleições Europeias vai definir o estado de espírito do povo português. Se calhar tudo como dantes no quartel de Abrantes. Como sempre em Portugal, o povo só se alevanta quando sentir o fogo no cú.

    Gostar

  10. Arlindo da Costa permalink
    15 Setembro, 2018 06:32

    Estado lastimável? Não tendes vergonha de dizer asneiras desse jaez?
    E o Daniel Bessa? Um ministro socialista já anda metido com delinquentes mentais?
    Que raio de substâncias anda a tomar esta gente?
    Isto é muito sério. Não é o cabaret da coxa! Apre!!!!!!

    Gostar

  11. Rão Arques permalink
    15 Setembro, 2018 09:54

    Basta de Bosta.

    Gostar

  12. Isabel permalink
    15 Setembro, 2018 12:12

    O orçamento é uma farsa. As cativações de acordo com as conveniências e outras acções pouco transparentes transformam a aprovação do orçamento num circo para entreter deputados e CS. A UE que, em última instância, tem o direito de aprovar ou não a versão apresentada pelo governo sabe muito bem o que se passa. Como sabia, no tempo do Sócrates, que a dívida estava a atingir níveis insustentáveis e deixou a situação evoluir até ao ponto em que a soberania passou para Bruxelas.
    De qualquer modo, o desaparecimento de qualquer país da UE como nação está programado há muito tempo e, em Portugal, este tema não é minimamente debatido. Qualquer opinião que não encaixe no politicamente correcto não tem o mínimo eco na CS nem na enorme maioria da população.

    Gostar

  13. basto_eu permalink
    15 Setembro, 2018 15:16

    Os Orçamentos de Estado são uma falácia.
    Uma aldrabice pegada.
    Nunca são cumpridos, nem pelo lado das despesas, nem pelo lado das receitas.
    Falham sempre. É matemático.
    Os orçamentos de estado apenas e só servem para engordar os porcos que o executam que, é como quem diz, os seus promotores que, não têm pejo nenhum em espoliar o espoliado contribuinte.
    As receitas do espólio nunca chegam para cobrir as despesas dos serviços básicos que é a educação, a saúde e a segurança dos que a ela têm direito, porque os que mexem na massa ficam com a maior parte dela.
    E o Predidente dá o aval a esta pasmaceira toda.
    Diz ele que três orçamentos foram assinados pela geringonça e acha isso muito bom, porque dá estabilidade ( uma estabilidade podre digo eu).
    E, esquece o estado deplorável em que se encontra a saúde, a educação e a segurança das pessoas que devia estar primeiro, em Pedrógão e Outubro morreram mais de cem.
    Ele apenas se preocupa com a propaganda, dele e do seu aluno, para poder repetir mais 4 anos este atraso de vida que é, as cativações efectuadas pelo Semtino na educação, na segurança e nas pensões de reforma.
    O “abelidoso comunista” passa a vida a propalar que acabou a austeridade e, de seguida diz que não há dinheiro, que devolveu o rendimento às famílias e, de seguida cativa valores todos os meses nas pensões de reforma.
    Aumenta a inflação. Diminui o emprego e passa a vida no passeio com a mala da Linda de cartão…
    E, o mais lamentável desta desgraceira toda é que ninguém é responsável por este atraso de vida.

    Gostar

  14. Leunam permalink
    15 Setembro, 2018 18:56

    “é que ninguém é responsável por este atraso de vida.”
    basto_eu.

    Meu caro
    O responsável é este povo, a quem MJRB chama de populaça -nada, o qual tem alguns hábitos curiosos que passo a expor os quais respiguei de vários comentários na blogoesfera:

    O português costuma:

    Levar arroz de frango para a praia.

    Guardar as cuecas velhas para polir o carro.

    Lavar o carro na rua, ao domingo.

    Ter pelo menos duas camisas traficadas da Lacoste e uma da Tommy (de cor amarelo-canário e azul-cueca).

    Passar o domingo no shopping.

    Tirar a cera dos ouvidos com a chave do carro ou com a tampa da esferográfica.

    Ter bigode.

    Viajar pró cu de Judas e encontrar outro Tuga no restaurante.

    Receber visitas e ir logo mostrar a casa toda.

    Enfeitar as estantes da sala com os presentes do casamento.

    Exigir que lhe chamem ‘Doutor’.

    Exigir que o tratem por Sr. Engenheiro.

    Axaxinar o Portuguex ao eskrever.

    Gastar 50 mil euros no Mercedes C220 CDI, mas não comprar o kit mãos-livres, porque ‘é caro’.

    Já ter ‘ido à bruxa’.

    Filhos baptizados e de catecismo na mão, mas nunca pôr os pés na igreja.

    Não ser racista, mas abrir uma excepção com os ciganos.

    Ir de carro para todo o lado, aconteça o que acontecer, e pelo menos, a 500 metros de casa.

    Conduzir sempre pela faixa da esquerda da auto-estrada (a da direita é para os camiões).

    Cometer 3 infracções ao código da estrada, por quilómetro percorrido!!!

    Ter três telemóveis.

    Gastar uma fortuna no telemóvel mas pensar duas vezes antes de ir ao dentista.

    Ir à bola, comprar o bilhete ‘prá-geral’ e saltar ‘prá-central’.

    Viver em casa dos pais até aos 30 anos ou mais.

    Ser mal atendido num serviço, ficar lixado da vida, mas não reclamar por escrito ‘porque não se quer aborrecer’.

    Falar mal do Governo eleito e esquecer-se que votou nele.

    Viva Portugal, carago…

    E esta do

    javitudo HIPERLIGAÇÃO PERMANENTE
    8 Setembro, 2013 17:25

    Foram precisos quase 40 anos para os paizinhos perceberem que a maior parte dos cursos foram a isca com que se apanharam milhões que fugiram dos seus bolsos.
    Nos protetorados onde afinal já vegetamos há muito, o que dá são:
    as cunhas,
    as jotas,
    os padrinhos,
    os favores,
    a prostitução masculina e feminina como forma de subir mais alto, a corrupção daninha e
    acima de tudo o uso do avental.
    40 anos para perceber isto!
    É obra.
    Se nem isto percebem como é que vão algum dia votar em consciência.
    Que consciência, que grau de responsabilidade tem um povo onde a maioria:
    1. – Rouba a carga de veículos acidentados nas estradas.
    2. – Estaciona nas calçadas, muitas vezes debaixo de placas proibitivas.
    3. – Suborna ou tenta subornar quando é apanhado cometendo uma infração.
    4. – Troca o voto por qualquer promessa eleitoral mesmo que reconheça ser irrealizavel .
    5. – Fala ao telemóvel enquanto conduz.
    6. – Usa o telefone da empresa onde trabalha para ligar para o telemóvel dos amigos (dá-me um toque que eu ligo..) – assim o amigo não gasta nada.
    7. – Conduz pela direita e pelos passeios nos engarrafamentos.
    8. – Para em filas duplas, triplas, em frente às escolas.
    9. – Viola a lei do silêncio.
    10. – Conduz bebado.
    11. – Fura filas nos bancos, nas repartições públicas, etc. etc. utilizando as mais esfarrapadas desculpas.
    12. – Deita lixo nas ruas, nas calçadas nos jardins.
    13. – Usa atestado médico sem estar doente, só para faltar ao trabalho.
    14. – Usurpa” luz, água e tv a cabo.
    15. – Regista imóveis no cartório num valor abaixo do comprado, muitas vezes irrisórios, só para pagar menos impostos.
    16. – Compra recibos para abater na declaração das finanças para pagar menos imposto.
    17. – Quando viaja em serviço pela empresa, se o almoço custou 10€, pede factura de 20€.
    18. – Comercializa objectos doados em campanhas de catástrofes, ou para ajuda a mais necessitados.
    19. – Estaciona em espaços exclusivos para deficientes.
    20.. – Adultera o conta quilómetros do carro para vendê-lo como se fosse pouco rodado.
    21. – Compra produtos piratas com a plena consciência de que são piratas.
    22. – Substitui o catalisador do carro por um, que só tem a chapa
    23. – Diminui a idade do filho para que este passe por baixo da roleta do metro, sem pagar passagem.
    24. – Leva das empresas onde trabalha, pequenos objetos, como clipes, envelopes, canetas, lápis… etc. etc. como se isso não fosse roubo.
    25. – Falsifica tudo, tudo mesmo… só não falsifica aquilo que ainda não foi inventado.
    26. – Quando volta do estrangeiro, nunca diz a verdade quando o fiscal aduaneiro pergunta ou perguntava o que traz na bagagem.
    27. – Quando encontra algum objeto perdido, na maioria das vezes não devolve.
    28. – Coloca o nome em trabalho/licenciatura que não fez.
    29. – Coloca o nome de colega que faltou em lista de presença.
    30. – Paga para alguém fazer seus trabalhos.

    Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: