Saltar para o conteúdo

A crónica de Joana Bento Rodrigues e os feminazis

2 Março, 2019

Ainda estou em estado de choque com as reacções a uma crónica de opinião  de uma médica sobre as Mulheres. Gente que escreve em publicações e que se julga com superioridade moral e intelectual dispararam violentamente não poupando sequer insultos por ela ter dito o que pensava sobre o tema. Seria cómico se não fosse trágico, o facto de terem simplesmente distorcido o sentido às palavras tão cristalinas da autora. É que não encontrei nada no texto de que acusam Joana Bento Rodrigues: fascismo, inimiga das mulheres, machista de saias.

O problema do texto em causa é que contém verdades inegáveis e por isso provocam a ira dos feminazis (feministas nazistas/fascistas masculinos e femininos) que não suportam quem os contrarie nas suas “verdades alternativas” contrárias à natureza humana. Mas peca por generalizar uma vez que a natureza das mulheres, numa escala minoritária, foge a esta regra geral. Só isso.

Quando a autora diz que a mulher é “naturalmente feminina, gosta de se arranjar e sentir-se bonita, ter a casa cheirosa e bem arrumada e decorada, gosta de cuidar e receber, e chama a si muitas tarefas domésticas”, onde está a mentira nisto? Quem tem a coragem de contrariar que a  maioria das mulheres gostam de ser femininas, e em casa são quem tomam os comandos daquele espaço (o lar) onde são elas que predominantemente decidem sobre tudo e onde o companheiro apenas complementa essa ajuda? Só eu é que tropeço aos pontapés em mulheres assim?

Quando a autora  refere que a mulher “procura no matrimónio amparo e necessidade de segurança, que gosta de se sentir útil dentro da relação, de ser a retaguarda para a estabilidade familiar, para que marido possa ser bem sucedido porque esse sucesso também é seu e que não se incomoda se tem rendimentos inferiores (não se refere a salários diferentes para mesma função)  ao marido pois orgulha-se que ele seja bem sucedido porque lhe transmite segurança” e status, isto é mentira? Quem tem coragem de contrariar  quando é sabido que toda a mulher que opta por ter uma relação séria e duradoura procura que seja com alguém bem sucedido e estabilizado na vida? Só eu é que esbarro nelas?

Quando ela diz que as mulheres “que têm a carreira condicionada por terem optado por assumir o papel de esposa e mãe contam com o suporte e apoio do marido, para que nada falte e que  o casal, enquanto um só e actuando em uníssono, pode optar pela inversão destes papéis, que em nada diminuiu qualquer dos elementos, desde que movidos por objectivos comuns e focados no Amor”, que a maternidade é um apelo biológico e que a vida é feita de opções,  está a mentir? Não não está.

A natureza é perfeita e criou nos mamíferos instintos que de forma inconsciente levam-nos a ter comportamentos que privilegiam a família na protecção da espécie. Nós como animais que somos, embora racionais, não fugimos a isto: por instinto o homem é protector e defende sua família; a mulher cuida dela (podem arrancar cabelos com esta afirmação que nada altera a verdade).

Por isso e na sua maioria, as Mulheres, numa relação de amor com um homem (de forma inconsciente) chamam a si o papel de cuidadoras. Optam sem pestanejar para serem elas a gerir as necessidades do lar.  E sem qualquer hesitação também, sacrificam ou adiam projectos pessoais para ter tempo de usufruir em plenitude sua maternidade. Isto é inegável.

Claro que este texto não é para qualquer um. Só as pessoas bem resolvidas com a vida o entendem sem o distorcer. A autora esqueceu-se que hoje há mulheres que  já não sabem o que é ser mulher porque cresceram numa sociedade estúpida que insiste que não há sexos (somos todos neutros) e  que não há diferenças entre homens e mulheres, negando as evidências biológicas que nos distinguem quer fisicamente quer psicologicamente. São mulheres  que tão pouco  sabem que estas uniões de entreajuda existem e nada sabem  sobre o verdadeiro amor. Umas agem apenas por desconhecimento, outras por ressabiamento.  

Os feminazis não suportam a diferença. Querem nivelar tudo sem respeito pelas opções de cada uma.  Querem  IMPOR uma igualdade à revelia da natureza feminina que sente outros apelos, desrespeitando as livres opções de cada uma. Há muitas mulheres que têm medo de o dizer pela ditadura feminazi que  impõe que uma mulher que não ambiciona  uma carreira é porque a está a ser oprimida. Quando na verdade elas se realizam  optando pela família de forma voluntária.

Quando conheci meu marido, era eu a que estava profissionalmente bem posicionada e ganhava muito mais do que ele. Durante anos senti-me frustrada por vê-lo batalhar sem resultados de emprego precário em emprego precário. Por ter mais tempo, era ele o doméstico que cuidava da casa e filhos. Do outro lado, estava eu a ganhar para sustentar a família e sem horários de chegada a casa.  Essa situação nunca me agradou. Até que um dia, depois de muitos anos de luta juntos,  ele conseguiu finalmente vencer. Hoje tem um bom emprego com excelentes condições de trabalho, já foi promovido  e ganha muito mas muito acima de mim. Ainda não me cansei de lhe dizer o quanto me sinto orgulhosa dele, o quanto o admiro. E ele, pelo seu lado, não se cansa de repetir: “no passado ajudaste-me, hoje sou eu que faço questão  em te apoiar nos teus novos projectos”. Isto é união. Isto é amor. Isto é o que as feminazis não entendem.

O que as Mulheres precisam é de liberdade de escolha que as feminazis lhes negam. E se dúvidas houvesse sobre de que lado está a maioria das Mulheres, basta olhar para as mais de 25000 partilhas do texto. Aí está a resposta.

Anúncios
57 comentários leave one →
  1. 2 Março, 2019 12:08

    Não existe isso de “optar por ter relação séria e duradoira”.

    Acontece. E tende a acontecer mais nos casos de exemplo familiar da mesma.
    E isso vale para tudo.

    Há transmissão de ensinamentos de geração em geração. Chama-se a isso sabedoria.

    Quando se perde a sabedoria acontece asneira.

    Está a acontecer a bardo no Ocidente. Por se achar que se pode inventar o mundo todos os dias e caminhar para uma utopia de engenharias sociais contra-natura.

    Liked by 1 person

    • Carlos Rosa permalink
      2 Março, 2019 13:14

      Ainda ontem estava uma tal Inês Pedrosa a debitar parvoíces na RTP 3 e eu cá para comigo a pensar; obrigam-me a pagar taxa de audio-visual para transmitirem estas anormalidades.
      Vivemos em ditadura!

      Gostar

    • 2 Março, 2019 16:32

      Tive uma epifania Zazie !!! um seguro de divórcio para mulheres , assim já podiam decidir, sem medo de perdas económicas futuras, uma série de coisas. diz lá que não é uma bela ideia ? 🙂 🙂

      Liked by 1 person

      • 2 Março, 2019 17:42

        Já existe entre as estrelas de Hollywood
        ehehe

        Isto agora é tudo a copiar o marxismo de Hollywood

        Liked by 1 person

    • hajapachorra permalink
      2 Março, 2019 23:23

      Claro que existe. Uma relação séria e duradoira é obviamente uma opção, um acto de vontade. Só quem vive com a cabeça cheia de amores românticos (sim esta merda começou com a revolução romântica) é que julga que não. Trinta, quarenta ou mais anos de vida conjugal só é possível querendo, querendo muito. Hoje as ‘relaçãoes’, porcaria de palavra, duram um fósforo, porque justamente falta decisão, vontade, disciplina, e sobram ‘sentimentos’, impulsos, apetites.

      Liked by 1 person

      • Velho do Restelo permalink
        3 Março, 2019 08:48

        Na muche !!
        É preciso ter “peso” para não ser levado pelos ventos da moda, para resistir à via do mais fácil, do mais “in” e sobretudo inteligência e cabeça fria para tomar decisões acertadas. Claro, que uma família estruturada e com os mesmos valores ajuda muito.
        Haja mesmo pachorra para aturar tantas crises de esquizofrenia …
        Não tomam a medicação, depois vêm para aqui descarregar a neura !

        Liked by 1 person

  2. 2 Março, 2019 12:09

    Do mesmo modo não acontece optar-se por ser-se bela.
    Acontece.
    É a maior discriminação social que existe. Mas ninguém fala dela a não ser as marcas de maquilhagem e a cirurgia estética.

    Liked by 2 people

  3. 2 Março, 2019 12:11

    Tal como não acontece “optar-se por se ter família ou não”.
    Acontece. Nos casos em que há esterilidade também se inventaram formas alternativas da inseminação artificial às barrigas de aluguer.

    Quem está out da família, não tem de se queixar. A família é a base social, não é o indivíduo.

    Liked by 1 person

  4. 2 Março, 2019 12:14

    Por outro lado, a Joana Bento faz uma coisa mais séria- fala em termos gerais com conselhos que qualquer mãe poderia e deveria dar.

    Considero errado esquecer-se estes conselhos e dizer que o mais importante é a rapariga ser toda independente e escolher a carreira ou ficar sozinha se lhe apetecer.

    Como é óbvio isso é dizer para apostar na solidão colmatada por dinheiro, caso tenha sorte.

    Liked by 1 person

  5. 2 Março, 2019 12:16

    Depois dos conselhos sensatos, sim, cada um pode fazer o que calhar fazer.

    Mas isso é outra coisa- não é a transmissão generalizada da sabedoria ancestral.
    É deixar ao acaso e entregar o resto ao Estado que cuide daquilo que não se aprendeu a tempo.

    Liked by 1 person

  6. 2 Março, 2019 12:19

    Depois há o género galinhice armada ao pingarelho à teletubbie

    Mas essa gosta de esnobar. Mostra a “criança mais velha e a criança mais nova” e toda a bijutaria foleira que usa, e a carreira a polir a doutrina mas nunca mostra a boa da cara-metade.

    Ou é uma metade feia para burro, ou deu à sola. Porque há coisas para as quais nem uma mulher tem pachorra, quanto mais um homem.

    Liked by 1 person

  7. MJRB permalink
    2 Março, 2019 13:09

    São novas seitas, radicais, excitadas, que no caso tuga têm apoio de partidos e de quase toda a Comunicação Social. Já com razoável poder para influenciar, se lhe retirarem a levedura (confrontrando-as e desprezando-as), baixam o parco e infundamentado discurso, reatraem-se e retiram-se de cena ou, continuam cada vez mais sozinhas.
    Conheço dois casos de jovens, uma delas muito bonita, que optaram por se abandalhar por causa do veganismo, feminismo rasca e, vivem mal e’tal.
    .

    Liked by 1 person

  8. MJRB permalink
    2 Março, 2019 13:37

    Anteontem sonhei com isto: Quando é que um partido político “da esquerda”, “do centro” ou “da direita” apresenta naquelas cenas para televisões transmitirem e jornais editarem imagens durante ou no final duma convenção, dum congresso, dum encontro, numa campanha eleitoral, atrás do líder falante um, dois frisos de gente pobre, de jovens nada bonitas/os e alegres qb, sem sorrisos forçados, com as roupas do dia-a-dia, sem bandeirinhas agitadas ? Por exemplo, que transmita a imagem “é também com estas pessoas que nos preocupamos !”.

    Liked by 1 person

  9. Agostinho permalink
    2 Março, 2019 14:15

    Não tenho vergonha de dizer – muito pelo contrário, assumo-o com o maior ORGULHO – que me vieram as lágrimas aos olhos ao ler este artigo de Cristina Miranda.

    E também por isso, e por mostrar que ainda existem MULHERES (felizmente muitas, mas infelizmente e como a autora diz silenciadas pelo medo) o meu MUITO OBRIGADO.

    E por fim dizer também o meu MUITO OBRIGADO ao seu marido, por mostrar que nós, os HOMENS, são assim e é assim que devem ser.

    Liked by 1 person

  10. basto_eu permalink
    2 Março, 2019 15:25

    Por via da D.ra Joana Bento Rodrigues o CDS vai ter o meu voto em Outubro.

    Liked by 1 person

  11. António Afonso permalink
    2 Março, 2019 15:30

    Eu sou Joana bento Rodrigues.

    Liked by 1 person

  12. Nelson Ferreira permalink
    2 Março, 2019 17:48

    As feminazis se fossem treinadoras de futebol faziam uma equipa só com guarda redes ou só com avançados. Não compreendem que uma família é uma equipa onde não pode haver rivalidade entre os seus membros mas sim complementaridade.

    Liked by 1 person

  13. Rogério Monteiro permalink
    2 Março, 2019 17:52

    Parabéns Cristina pela lucidez do seu comentário ao artigo da Joana Bento Rodrigues.
    As feminazi não passarão.

    Liked by 1 person

  14. Artista Português permalink
    2 Março, 2019 18:10

    Deixe lá, Cristina…. Não há nada a fazer. Vi há dias a informação de que, segundo estudos recentes, uma em cada três destas esquerdistas encartadas é tão imbecil como as outras duas.

    Liked by 1 person

  15. 2 Março, 2019 18:50

    Tudo aquilo que a Cristina considera serem aspectos da “natureza humana” ou da “natureza feminina”, não passam de realidades históricas e sociais, e, como tais, não são “verdades inegáveis” ou intemporais, até porque essa ideia de “natureza humana” é também ela uma construção ideológica.
    São ideias próprias das épocas e das sociedades em que as mulheres são consideradas propriedade dos homens, e daí que a sua “natureza” não seja muito diferente da “natureza” de qualquer vaca parideira. De facto, tal como a “mulher” da Cristina, a vaca parideira existe para parir e cuidar das crias, sendo que o papel “complementar” do criador e dono do gado é garantir a alimentação deste e a protecção e segurança do curral.
    Depois, o tipo de família monogâmica (constituída por pai, mãe e filhos) em que a Cristina está a pensar, não é uma criação de qualquer “natureza perfeita”, pois esta apenas criou o desejo sexual cuja satisfação resulta na reprodução da espécie, e não na constituição de qualquer família. Até porque a família começou por ser, de acordo com a História e com a etimologia da palavra, o conjunto de escravos que fazem parte da casa do proprietário desta.
    Portanto, Cristina, as suas ideias acerca da “mulher” e da “família” não têm nada que ver com instintos inconscientes naturais e biológicos, mas com, isso sim, determinadas relações sociais e hábitos culturais de que não tem consciência, e que por isso pensa serem realidades naturais.

    Gostar

  16. s6276989T permalink
    2 Março, 2019 20:05

    Quando a mulher do imã da mesquita apareceu nos jornais com os olhos papudos ,não houve tanta celeuma . As feministas , são para as ocasiões .

    Liked by 2 people

  17. maria permalink
    2 Março, 2019 20:15

    Este Q sem I deve ser só quociente sem inteligência. Há cada besta por aí à solta! Boa Cristina!Força!

    Liked by 1 person

  18. 2 Março, 2019 21:32

    Valha-nos Tomás de Aquino, que é quem sabe em que consiste a “natureza” das mulheres e dos homens.
    “Por natureza a mulher é inferior ao homem em força e dignidade, e por natureza lhe está sujeita, pois no homem o que domina, pela sua própria natureza, é a facilidade de discernir, a inteligência.”

    Gostar

    • Jornaleco permalink
      3 Março, 2019 00:19

      À vaca Q!!

      Realidades históricas? Hahahahhaah.
      Verdades inegáveis ou intemporais? Hahahahahahahahaa.
      Construção ideológica? Hahahahahahahaha.
      Ideais próprias das épocas? Hahahahahahaahaaaaaaaahahahahahaha.
      Propriedade do homem? Hahahahahahahahahahahahahahahaah.

      Vaca?
      Você dá para rir, porque anda aqui a transmitir argumentos, velhos e bem conhecidos, nada de novo. É capaz de me dizer, qual a escola de pensamento que defende essas mentiras? Eu era capaz de apostar, que não o sabe dizer. Se não for capaz de o fazer, você anda a espalhar coisas, que nunca percebeu, não percebe.

      A única (!!) verdade crua e nua, é que você não quer ou não é capaz de amar um homem e manter a palavra perante esse mesmo homem. Você é uma cobarde, uma mentirosa, que se escnde atrás de coisas, sobre as quais nunca reflectiu, nunca pensou, porque não domina a matéria. A infidelidade é a sua arma e a intriga. A maldade pura. (No caso que for um homem, é ao contrário. Nadinha muda na argumentação!! Nada!!!!)

      Epa, você é super-inteligente. O mais inteligente de todos, que alguma vez por aqui passaram. E nem no futuro, não haverá alguém mais fino e sagaz. Permitem-me umas perguntas, com todo o respeito?

      Que método (científico) é que usa? Os métodos, as vacas não sabem, porque são arrogantes e não-instruídas, são os instrumentos de qualquer pensador. Falo claro?

      Quem é que lhe ensinou essas mentiras?

      De quem copiou sem (!) pensar, querido ou não-querido, essa autêntica porcaria e mentira? Falo claro?

      Vaca Q? Sabe diferenciar entre dados e interpretações? Compreende-me? Qualquer saber tem os seus limites. Qualquer!! Não existe excepção.

      Vaca Q?
      Senta-se no seu rabo e comece a verificar tudo, o aqui escreveu. Tudo. Tudinho!! Porque, você, das duas uma, escolha por favor, ou é um “granda” burro (burra, como queira), sem a mínima dúvida, ou um drogado, que esteve ou está à frente de um sistema de puros idiotas, que nem sequer percebem, donde vem as suas mentiras, e não o reconhece, porque sabe ainda muito pouco. Eu falo da sua origem.

      Vaca Q?

      Existe neste universo, de um astro ao outro, a melhor ideologia que pode haver. Ela funciona assim. E a sua porcaria, não tem hipótese nenhuma. As regras são estas:

      O homem é diferente da mulher.
      A mulher é diferente do homem.
      Nenhum deles contesta este pormenor.
      Cada um tem as suas virtudes, cada um sua beleza.
      O homem e a mulher amam-se e são fieís um ao outro, até à morte de cada um.
      Cada um pode confiar no outro e ao contrário. A mais bela forma de amizade. A melhor, vaca Q!! Isto não e construção nenhuma. Dizer a verdade ao próximo, com verdadeiro amor e respeito, é o melhor fundamento. Existem pessoas ricas, que dariam tudo, tudo, para poder alcançar este patamar, que é construido, pela livre vontade. Livre vontade: liberdade de escolha.

      E o homem que é lógicamente, normalmente (premissa) o mais forte, protege a mulher perante o exterior, para vantagem da mulher. Quer dizer, se um gorila parvo aparecer, o homem manda o gorila embora, com um pontapé na parte traseira, caso necessário. Se for preciso, o gorila leva o necessário, para desistir. A mulher não o consegue também. Lógico. A mulher deixa-se normalmente, seduzir mais fácil. O homem não!!

      E no interior, da relação, no privado, manda a mulher, ou ambos, se for preciso. Verdadeiro respeito mútuo. E para já, isso é o segredo de ambos, ao qual ninguém tem direito a saber, em princípio.

      Mas, a mais brutal crítica a si, vaca Q, é, que você não sabe a origem dos seus pensamentos. Não o sabe. E a maior parte desses burros, que frequentam as escolas, as televisões, as universidades, que não merecem ser mais chamadas assim, estão perante o mesmo problema. Muito ar quente e nenhum fundamento.

      Vaca Q. Você nada sabe. Copiar coisas, que nunca percebeu, talvez só para ocultar, que é uma infiel, uma pessoa, que diz hoje a outra pessoa: eu amo-te, para umas horas mais tarde, ir com o vizinho para a cama, e trair a primeira, é a coisa mais feia, que existe no mundo. A traição total.

      a. Tente primeiro descobrir, quais as escolas de pensamento, que espalham essa porcaria.
      b. Depois, analise bem as premissas desses macacos. E se for bom pensador, só terá uma única escolha.
      c. Fala baratos, mentirosos, cobardes, perversos, decadentes. Esses é que argumentam como a vaca Q. Só esses!!

      P.S.: Eu conheço um gajo, que se meteu na psicologia e é corrupto. Deve toda a sua carreira ao pai da mulher que casou. Essa decidiu pôr os cornos a ele. Ela fodeu-o. Antes do casamento, ele não queris saber nada de fidelidade. Depois de ter casado a mullher dos sonhos dele, ela traiu a ele. Esse facto, quase destruiu a vida dele.

      Ele trabalha numa prisão na área de Lisboa, salvo erro. Ou trabalhava.

      O problema desse gajo. Ele nunca tentou compreender o fundamento da psicologia, que é tudo uma grande vigarice. Defender uma escola de pensamento, sem conhecer o nome dela, é fraco. E não conhecer os memos limites, não funciona. Fracasso total. Se não tiver do lado dos bons.

      Falo claro, vaca Q?

      Gostar

      • 3 Março, 2019 19:21

        Ó “touro enraivecido”, a verdade é que tu ainda não reparaste que és um analfabeto, alguém incapaz de escrever sem erros ortográficos e de pontuação básicos. Se reparasses nisso, não te rias dos comentários dos outros, pois esse teu riso amarelo é, apenas, o riso de um ignorante atrevido que não refutou nada do que eu disse, mas que gosta de escrever lençóis sem conteúdo. Um ignorante que baseia as suas ideias acerca dos homens e das mulheres naquela “escola de pensamento” conhecida como “escola primária” (ainda que mal feita), que é onde se contam essas tuas histórias de encantar com personagens que se caracterizam pela maldade ou bondade, e em que o Amor acaba sempre por triunfar. Até já estou com uma lágrima no olho… de tanto rir.
        PS: O que fica claro, pelo teu paleio, é que deves ser um desses fundamentalistas cristãos que faz interpretações literais da Bíblia. Mais um indício de que ainda não terminaste a escola primária…

        Gostar

  19. A. R permalink
    2 Março, 2019 21:42

    Bem sabemos que as maiores críticas do artigo morrerão sozinhas, sem filhos, sem marido, sem amigos, azedas e rodeadas de gatos em sofás coçados e com os pés arranhados.

    Muitas das “feministas” de nomeada suicidam-se: a solidão e percepção que estavam erradas acaba por ser insuportável.

    Liked by 1 person

  20. Maria permalink
    2 Março, 2019 22:02

    Cristina concordo a 1000% com tudo quanto escreveu. (Não consigo ler a entrevista da Drª. Joana, que gostava muito, porque me aparece sempre um anúncio por mais que clique no Observador!!!). Eu trabalhava numa grande Empresa antes de casar e auferia um belíssimo ordenado, na verdade muito acima da média nacional. O meu futuro marido não se teria importado nada que eu tivesse continuado a trabalhar depois de nos casarmos, mas eu optei por deixar o emprego de moto proprio para me dedicar ao meu marido, à casa e a ser boa mãe, a exemplo do que tinha sido a minha Mãe, Avó e restantes mulheres da família.

    A inversão total dos costumes, o virar do avesso da ordem estabelecida, o ridicularizar das nossas tradições, o faltar ao respeito aos mais velhos e sobretudo aos pais, tudo isto se processou à velocidade da luz imediatamente após a implementação desta farsa de regime a que os progressistas anti-patriotas teimam em apelidar erròneamente de ‘democracia’. A partir dessa altura a falta de respeito pelos mais velhos, pela autoridade e pelos governantes foi icentivada e apoiada por toda a esquerda reinante, com a ajuda imprescindível dos intelectuais, dos baladeiros, do professorado, da comunicação social falada e escrita e de um punhado de militares traidores, todos estes tornados democratas da noite para o dia e todos sem excepção apoiantes estrénuos da nova ordem política, não sem a promessa tácita de contrapartidas multi-milionárias.

    Para que esta tragédia atingisse ràpidamente toda a população portuguesa e se tornasse irreversível, o regime abriu imediatamente as portas do País de par em par dando carta branca às mais violentas redes criminosas para actuarem livremente. Os traficantes de umas destas, todos viciados, começaram a importar e a espalhar as mais perigosas drogas por todo o País (com a sua rápida disseminação, embora subreptícia mas maciça, nas escolas e universidades, pois sabiam/sabem que são os adolescentes os seres mais influenciáveios e receptivos ao respectivo consumo) e os chefes de fila de outras dedicaram-se ao tráfico de mulheres e crianças e de orgãos humanos e à pedofilia com a grande parte dos políticos nesta implicados. No meio daqueles vieram os dedicados ao roubo, aos assaltos, ao crime violento e aos assassinatos de toda a ordem e feitio. O resultado deste crime organizado, com o beneplácito dos governantes, foi a total insegurança e um terror permanente instilado (e propositado) nos portugueses. As graves consequências do consumo de drogas pesadas (não existem drogas leves, embora os aldrabões, políticos incluídos, que as querem impor na sociedade o neguem) na vida das famílias, na destruição física e em muitos casos na morte de grande parte da juventude, ficaram patentes nas estatísticas (quase todas intencionalmente manipuladas para fazer crer que o problema era residual) e n’algumas notícias dos jornais, claro que nestes só apareciam as permitidas pelo regime já que a este só lhe interessa/va a destruição completa da sociedade portuguesa.

    Neste regime/sistema a censura regressou em força, porém noutros moldes para disfarçar, porém muito pior do que ela havia sido durante todo o Estado Novo, embora os ‘democratas’ tenham levado décadas a mentir escandalosamente, contradizendo a verdade dos factos. Escusado será dizer que no Anterior Regime só não se publicavam notícias que glorificassem os regimes comunistas e toda a sua prática criminosa e ainda bem que assim foi. Está visto que Salazar tinha carradas de razão com esta política, pois desde o 25 de Abril que temos vindo a ter uma pequeníssima amostra do que seria hoje Portugal caso o comunismo tivesse vencido como regime… (mas atenção, em muitos aspectos ele é perfeitamente detectado mesmo se bastante camuflado). Claro que isso só não aconteceu por o regime soviético ter começado a implodir (infelizmente só) em 89 e definitivamente em 92. Só foi muita pena esse extraordinário acontecimento mundial não se ter verificado quinze anos antes (ou mesmo décadas), caso isto tivesse acontecido não teria havido o criminoso golpe de Estado em 1974. E no caso de décadas, ter-se-ía evitado o assassinato de muitos milhões de inocentes.
    Maria

    Liked by 1 person

  21. A. R permalink
    2 Março, 2019 23:17

    If anything is certain, it is that I myself am not a Marxist.

    Karl Marx

    Gostar

  22. hajapachorra permalink
    2 Março, 2019 23:26

    Em saber ler nem escrever ambas as senhoras têm inteira razão. Refiro-me obviamente à tal médica e à escriba blasfema. Sem saber ler nem escrever, as esganiçadas de vária extracção só dizem disparates.

    Gostar

    • Cristina Miranda permalink
      3 Março, 2019 09:22

      Temos aqui um feminazi? Quando partimos para o insulto é porque não temos melhores argumentos. Muito obrigada pelo grande elogio q acaba de fazer aos dois textos

      Gostar

  23. Maria permalink
    3 Março, 2019 02:02

    “A família é a base social, não é o indivíduo” Totalmente verdade, Zazie. Parabéns.

    Sem falar nos povos da idade da pedra, que certamente terão adoptado o mesmo método sem o qual difìcilmente teriam sobrevivido como espécie, até na Selva Amazónica e nas Selvas Africanas onde ainda existem tribos isoladas e mesmo em certas Ilhas do Pacífico e Índico onde há povos que vivem longe da civilização porque afastados por milhares de quilómetros dos Continentes a que pertencem, em todos esses lugares recônditos da Terra – alguns deles porventura a existirem desde há milhares de anos – que os autóctones se agruparam em tribos e dentro destas em pequenos núcleos (exactamente como acontece com os povos dos países desenvolvidos, mas a que naturalmente dão nome diverso) que, salvo as excepções que confirmam a regra, são formados por pais e filhos, o tal grupo restrito a que desde há muitos séculos se convencionou chamar “a família”. Família que tem sofrido as maiores agruras, afrontas e vexames saídos da boca da esquerda unida em todas as ‘democracias’, mas que foi sempre resistindo a tudo, pois sem ela a Humanidade tal como hoje a conhecemos já teria desaparecido há muito. Se bem que desde pelo menos os finais do século XVIII aquela tenha vindo a fazer os possíveis e os impossíveis para a desintegrar, tendo atingido o seu zénite no séc. dezanove e perdurado até meados do vinte. Mas e ainda que tenha desaparecido há várias décadas a ideologia que lhe deu o mote e a força motriz, ninguém pense que a mesma já desistiu do intento, ela vive disso e por consequência nunca o fará. Está-lhe na massa do sangue.
    Maria

    Gostar

  24. Arlindo da Costa permalink
    3 Março, 2019 03:01

    O que as mulheres precisam é de serem respeitadas. Coisa que o sistema político-social e judicial (seja ele capitalista ou comunista) ou as religiões (todas!!!) não o permitem. É isso que tem de ser denunciado no lugar das mulheres serem inimigas de si próprias. A mulher é o elemento que preserva a espécie e ainda é tratada (como foi sempre) como um ser de segunda categoria. Vocês mulheres denunciem aquelas figurinhas ridículas dos juízes, dos padrecas, dos marialvas grunhos ou dos políticos paternalistas, e libertem-se dessa escumalha parasita e peçonheta.

    Gostar

    • Jornaleco permalink
      3 Março, 2019 03:21

      Por favor @Arlindo.

      Correcção: defina o termo religião. O que é isso? Você nunca quis reparar, que todas (!!) as religiões podem ser claramente distinguidas, uma da outra? Premissa: vontade e rigor no pensamento.

      Erro seu: a fé cristã não é nenhuma religião.

      A fé cristã, por si, talvez assim caracterizada, não sei, mas desconfio, é a única que dá o maior respeito pela mulher. Lógico. Ninguém consegue ultrapassar a fé cristã. Ninguém. Porque é que não diz então?

      A religião do ateísmo, pelo contrário, levou a mesma mulhar à prostituição, à infidelidade, ao abandono. Quem é que trata mal a mulher? Quem é que bate na mulher? Quem é que a não respeita?

      Essa coisa de diferenciar entra idelogia e religião é só um truque barato. Só existem religiões na terra. E todas estão no campo de futebol, a jogar pela verdade e só uma é que pode ganhar. Nenhuma está assentada na bancada e a dizer: olha, ali vês aquela e aquela e acolá outra.

      Os termos ideologia e religião insinuam uma superioridade sobre a última, que não existe. É tudo um jogo de palavras. Sem importância.

      Gostar

      • Jornaleco permalink
        3 Março, 2019 03:31

        Citação:
        “O que as mulheres precisam é de serem respeitadas. […]”

        Muito bem dito. Eu também o disse atrás ou encima, em outras palavras. Igual. Falamos do mesmo.

        Porque é que Salazar foi tão odeado pelos fascistas da esquerda? (Eu repito: a esquerda mente em quase tudo!) Salazer nunca foi um ditador.

        Sucede, que a esquerda, ama ditadores. O ódio contra a Salazar, advinha do facto, de Salazar ter tido sempre o maior respeito pela mulher.

        Estaline matou, em muito pouco tempo, na Rússia, 800.000 (oitocentos mil) seres humanos, e todos (!) respeitavam a mulher. Todos. A sangue frio, aquele monstro e fascista Estaline assassinou.

        Os ateus já pediram perdão a essas pessoas? Não!!

        Quem é que só pode ter respeito, perante a mulher? E onde é que a mulher só pode ser livre?

        Gostar

  25. Jornaleco permalink
    3 Março, 2019 03:03

    @Maria

    Eu estou interessado no seu ponto de vista, por favor.

    Eu não quero ser injusto, com (!) todo (!) o respeito.

    Aqui temos um problema, grave.

    As diferentes escolas de pensamento. Escolas de pensamento existem, para ajudar o pensador a interpretar melhor os dados, os factos, etc. E a interpretação muda conforme a escola. A escola X diz, ah!, essa coisa é uma concha. A escola Y contradiz, não, aquilo é uma colher. Outra afirma, não, meus amigos, é uma bola. Et cetera.

    a. Uma verdade dura e crua: o ateísmo (escola de pensamento), não dispõe de nenhum (!) mecanismo, para verificar a idade do planeta. Nenhuma. É tudo não-verificável. É crença pura. Um facto inatacável. Gostem ou não. E este pormenor muda muito o jogo. Muitíssimo. Dá para estragar o jogo a muitas, muitas pessoas.

    b. Você está consciente, como trabalha qualquer arqueólogo? Já se interessou por isso? Vale a pena. E é para rir. A arqueologia tem muitas fraquezas. Muitas. E eles dependem do trabalho de outros. Muito é só crença.

    c. A ciência está nas mãos do ateísmo, trabalha só para essa, e manipula e engana, sem a mínima dúvida.

    d. Está consciente, do seguinte facto inatacável? Qual é a estrutura mais complexa, conhecida pelo ser humano, em todo o universo, aliás, na pequena parte, que ele diz conhecer?

    e. Tudo começou quando Caim matou Abel? Quase. Sim. Quem é o pai mental de Caim?

    f. O ser humano foi construído. Até hoje não existe prova nenhuma, para que houvesse putativa evolução. Absolutamente ilógico. Repare para os corpos do homem de da mulher. A beleza da mulher. Sem inteligência é impossível. E a premissa foi e sempre é e continua a ser:
    os ingredientes:
    muito, muito tempo (não existem provas!!) e o acaso (não existem provas nenhumas!). Só que, isso é impossível. A estatística diz: probabilidade zero! A ciência da cibernética confirma. Para fazer uma coisa inteligente como o ser humano, é necessário outra coisa muito mais superior.

    A matemática não é uma ciência pura. Eu não sei como as bibliotecas em Portugal estão equipadas. Mas existem bibliotecas em outros países, muito bem dotadas, de maneira excelente. A discussão é velha, mas sempre actual. E o vencedor é claro. A crença está metida dentro da igreja do ateísmo. É lógico. Muitos não vão gostar. Mas nada a fazer contra os factos, não é?

    g. Mas eu gostaria de voltar ao ponto d. Qual a estrutura mais complexa?

    h. Já leu Jean-Paul Sartre? A autobiografia dele? Aquela que ele próprio quis escrever!! A prova é inegável. Jean-Paul Sartre desmente toda a esquerda (ateísmo). Toda!! Um facto ocultado pela mesma esquerda, e com muito boa razão. Quem é quer ser derrotado por completo, logo nos primeiro minutos?

    Gostar

  26. Prova Indirecta permalink
    3 Março, 2019 05:25

    ( Vai ser engraçada a assimilação cultural do feminismo no Islão , ai vai , vai .São tão lindos o multiculturalismo , o cientoinismo , as ideologias do género … )

    Liked by 1 person

  27. PiErre permalink
    3 Março, 2019 09:03

    “Eu não sei como as bibliotecas em Portugal estão equipadas. Mas existem bibliotecas em outros países, muito bem dotadas, de maneira excelente.” Jornaleco

    E noutros planetas também, ó jornaleco! Sobretudo noutras galáxias, como a Antrómeda, aqui tão pertinho. Já lá foste? Estás à espera de quê? Apanha já o autocarro, se não houver greve e vai lá ver. Depois conta-nos, tá bem?

    Liked by 1 person

    • Jornaleco permalink
      3 Março, 2019 18:13

      Cobarde, nem citar correcto sabes. O resto é para as tuas galinhas. Nem o que uma biblioteca é deves saber. Mas o cu do teu vizinho deves conhecer muito bem.

      Se tivesses à minha frente, nunca terias a coragem de falar assim para mim.

      Gostar

  28. PiErre permalink
    3 Março, 2019 09:11

    Ah, ó jornaleco, não te esqueças de pegar no teu Jean-Paul Sartre e coloca-o no cano de esgoto que ele fica lá muito bem, pá! Aliás é mesmo o lugar dele.

    Gostar

  29. Pedro Dias permalink
    3 Março, 2019 09:16

    Experiência

    Liked by 1 person

    • Jornaleco permalink
      3 Março, 2019 18:08

      Experiência em quê? Hahahahahah.

      Coisa mais inculta. Aprenda a ler e a escrever, seu ignorante. Pensar não sabe.

      Era claro, que mais tarde ou mais cedo, os macacos apareciam.

      Olhe que, nenhum gorila tem coragem de me enfrentar. Nenhum!!

      Gostar

      • Velho do Restelo permalink
        3 Março, 2019 22:06

        Tás a ver no que dá andares por aqui armado em intelectual ?
        Estou farto de te avisar para tomar a medicação, e não insultar pessoas que não conheces! Gabas-te de conhecer muito bem Portugal, e na volta nem cá resides. Também conheces muito bem a Alemanha, mas duvido que lá tenhas ido! Tens mais pinta de brasuca, pago para andar aqui a espalhar lixo, mas parece que os teus dias estão contados.
        Vai mas é chatear os teus pais para ver se eles se arrependem por não terem tomado as devidas cautelas … bastava um preservativo !

        Liked by 1 person

  30. Jornaleco permalink
    3 Março, 2019 22:26

    @Velho do Restelo
    3 Março, 2019 22:06

    Citação.
    “Tás a ver no que dá andares por aqui armado em intelectual ?”

    Ataque ad hominem.

    Citação:
    “Estou farto de te avisar para tomar a medicação, e não insultar pessoas que não conheces! […]”

    Mas quem é que pensa que é? Conselhos de si? O que é que aprendeu, para dar conselhos? Quem é que os pediu? É isso a sua educação?

    Citação:
    “[…] Gabas-te de conhecer muito bem Portugal, e na volta nem cá resides. […]”

    Ataque ad hominem. Como é que sabe, que eu não conheço Portugal? Eu não resido em Portugal?

    Citação:
    “[…] Também conheces muito bem a Alemanha, mas duvido que lá tenhas ido! […]”

    Quem é que pensa que é? Duvida? Não me diga, que sabe mais sobre a Alemanha que eu. Prove-o, por favor.

    Citação:
    “[…] Tens mais pinta de brasuca, pago para andar aqui a espalhar lixo, […]”

    Ataque ad hominem. Onde estão os seus argumentos? Onde é que eu espalhei lixo? Que autoridade tem você?

    Citação:
    “[…] mas parece que os teus dias estão cados.”

    Que frase pouco inteligente.

    Citação:
    “[…] Vai mas é chatear os teus pais para ver se eles se arrependem por não terem tomado as devidas cautelas … bastava um preservativo !”

    Teria a coragem de dizer isso à minha frente? Não. Depois via os efeitos da física.

    Criança do Restelo. Você não tem cabedal, nem sequer inteligência, para me enfrentar. Nem esse Pierre ou Pedro Dias. Vá dormir. Nem o mínimo preenche. Quem fala com você, não pode ser inteligente.

    Olha lá. O que é um intelectual? Você é um? Um homem como você é a melhor amostra, dos problemas que Portugal tem. Você é uma triste figura e completamente incompetente.

    Gostar

  31. Jornaleco permalink
    3 Março, 2019 22:56

    Jornaleco permalink
    3 Março, 2019 22:26

    a. Ataques ad hominem, provam, que a ciência não feita para pessoas, como você. Quem os comete, disqualifica-se, de imediato. Cartão vermelho.

    b. Você não gosta de mim. Isso não me interessa. Isso é o seu problema. Deve ter de haver com o “preservativo”, que traz em cima da sua cabeça? Eu não o sei. Eu pergunto! Mas parece.

    c. As suas ofensas são um insulto, e crime. Castigados com multas altas e/ou prisão. Sabia?

    d. Onde é que eu escrevi lixo? Prove-o.

    e. Prove, que sabe mais do que eu sobre a Alemanha. Vá! Está à espera de quê? E pode consultar também a autora Cristina Miranda. E o marido dela, também.

    f. Prove, que eu não resido em Portugal.

    g. Você nem sequer sabe o que é um intelectual. E para já discrimina.

    h. Você não percebe o suficiente, sobre a casa da ciência. Tem uma visão muito estática, muito selectiva. Só o seu ponto de vista é que vale. Não é capaz de reflectir sobre os seus erros de pensamento. Nunca olhou além do prato, em que se quer mover. Como a lentilha.

    i. Você duvida, que as bibliotecas lá fora, são melhores, do que as em Portugal? Hahahahahahahahahaahaah.

    Homem. Acorde.

    j. Sabe o que é uma teoria? Como todas teorias funcionam? O mecanismo? Depois ter lido os seus insultos, não o pode saber. Impossível.

    Ar quente e nenhum fundamento. Você é muito arrogante e pouco ou nada sabe. Assim como escreve (fala) é uma autêntica vergonha.

    k. Não gostar de uma pessoa é uma coisa. Agora querer desmentir os meus argumentos. É outro mundo. Nunca ninguém lhe ensinou a trabalhar de um modo cientico. Impossível.

    Agora, insultar sabe. Mas isso é crime. Lembre-se da prisão. Nunca teria a coragem de me dizer essas porcarias na cara. Nunca.

    Gostar

    • Pedro Dias permalink
      4 Março, 2019 08:12

      Linguagem típica de fanfarrão.

      Gostar

    • 4 Março, 2019 08:17

      Linguagem típica de fanfarrão.

      Gostar

    • Velho do Restelo permalink
      4 Março, 2019 09:02

      Palhacito jornaleco, porque precisas de escrever tanto para passar a tua mensagem ?
      Escreves muito, com muitos erros (não sou só eu que o digo), agrides toda a gente, até os que te dão trela (como zazie)! O teu discurso é tão esquizofrénico, que bem o podias ler em frente a um espelho, e assim vias a origem de todos os teus problemas!
      Toda a tua argumentação, é também válida para ti, ou será que te julgas com “sangue azul” ?
      Sim espalhas lixo, a tua escrita é lixo, muito lixo, não dizes nada com utilidade, só espalhas um pseudo-ódio ao BE, para esconderes que militas um deles (PS,BE ou PCP).
      Quanto a um encontro físico, declino, porque confesso que fiquei cheio de medo 🙂

      Gostar

    • Velho do Restelo permalink
      4 Março, 2019 19:27

      Então jornaleco, parece que o teu sistema “anti-calúnias” instalado à nascença, deve ter um BUG! Ficas todo eriçado que nem um gato assustado, quando te dizem 1/10 do que habitualmente chamas aos outros 🙂 🙂
      Cheguei a pensar que ignorar-te seria a melhor solução, como não resultou …
      agora é malhar no jornaleco 🙂 🙂
      Andei a investigar, e parece que os teus primeiros comentários apareceram em meados de Janeiro, certo ? No inicio até tinhas um discurso dito “normal”, mas a certa altura destrambelhaste de vez ! Será que mudaste de fornecedor ?

      Liked by 1 person

  32. Francisco Botelho permalink
    6 Março, 2019 17:58

    Parabens Dra Joana Bento Rodrigues, só pelo seu artigo, o CDS vai levar o meu voto, será menos uma abstenção. Pena que neste pais, em que uma maioria significativa se revê nas suas palavras, haja uma comunicação social facciosa, extremista e destrutiva dos valores humanistas, e se ponha ao serviço do marxismo cultural e do seu expoente no quadro parlamentar, o BE. Bem haja !

    Liked by 1 person

Trackbacks

  1. A crónica de Joana Bento Rodrigues e os feminazis – PortugalGate

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: