Saltar para o conteúdo

As notícias mais patetinhas do mundo

22 Março, 2019

São aquelas em que os jornalistas noticiam o que acontece no seu local de trabalho. A explicação para a saída de Pedro Santos Guerreiro da direcção do Expresso parece um episódio do Ruca.

Anúncios
5 comentários leave one →
  1. 22 Março, 2019 10:28

    Pois é…será que o Sol vai noticiar como deve ser e contar o que se passou? Duvido. No mundo pequeno do jornalismo caseiro todos precisam de todos. O Pedro Tadeu, coitado bem queria estar no Correio da Manhã que afinal logrou atingir o sonho daquele: ter sucesso no reporte de acontecimentos de famosos, dinheiro e crime. Anda a escrever crónicas que ninguém lê num sítio que ninguém frequenta, o DN.

    Como é que faz um jornalista que tem de fazer pela vida quando perde um lugar num jornal falido? Procura outro lugar num jornal a falir. Ou numa agência de notícias do Estado ou assimilada.

    O jornalismo nacional é um pouco o retrato desta tragédia.

    O grupo Cofina lá vai, cantando e rindo. Todos os dias favorece a prostituição no jornal, com um encarte específico. Todos os dias passa os acontecimentos a “pente-fino” ou “aperta o cerco” a delinquentes que acompanha em directo e com informações recolhidas em segredo de justiça, através da colaboração da polícia. Todos os dias manipula factos e produz notícias falsas em primeiras páginas sensacionais. Mas ainda assim consegue ser o mais objectivo de todos.

    A imprensa em Portugal, hoje, é menos fiável em termos de credibilidade do que acontecia no tempo da Censura de Salazar e Caetano.

    Gostar

  2. 22 Março, 2019 10:54

    …mas arranjam sempre sítios para continuar a ganhar o deles e compreende-se: não sabem fazer outra coisa.

    Porém, em conjunto e por tendência o que fazem é demasiado grave para se deixar passar em claro: conseguem mesmo ser um quarto poder e influenciar os demais.

    O Sócrates e Cª já sabia disso e procurou apanhar a rede toda, através de colocação de amigos nos bancos. Primeiro a CGD e depois o BCP. O objectivo final era mesmo a alteração do Estado de Direito, através do controlo da rede de notícias dos principais media.

    O Expresso não era preciso porque estava dentro da rede favorável, como sempre esteve. É um jornal de todas as situações, conformista, mesmo no início em Janeiro de 1973, em que apoiava os liberais que procuravam a abertura que o regime não permitia. Esses liberais tornaram-se na “situação”.
    No PREC o jornal mantinha-se na tona não fazendo muitas ondas. Em Junho de 1975 Oriana Falacci entrevistou Cunhal que disse claramente que em Portugal não haveria democracia como a entendiam os europeus ocidentais.

    Tal declaração devia ser a notícia principal do Expresso dessa semana ( a seguir a 6 de Junho de 1975, data da publicação no L´Europeo). Não foi e foi relegada para páginas interiores e em transcrição parcial da entrevista feita em França, segundo julgo e sem destaque especial dessa afirmação. O PCP desmentiu o teor da entrevista e o Expresso ficou na mesma não desmentiu o PCP claramente. Estávamos no Verão Quente e era preciso jogar à defesa…o que Marcelo Rebelo de Sousa sabe fazer, acima de tudo e estava lá no jornal. Se lhe perguntarem ainda vai dizer que estava de férias com os amigos…

    Enfim.

    Gostar

    • Jornaleco permalink
      22 Março, 2019 11:19

      Oriana Falacci, uma jornalista muito boa, que também entrevistou os bárbaros do Irão (Pérsia). Oriana ficaria horrorizada, com o que se está a passar em toda a Europa, agora e ela, Oriana, preveu a cobardia da mesma Europa.

      Cunhal, não existe coisa mais falsa, mentia para enganar o povo e para apoderar-se do poder em Portugal e só morto o devolver. O dinheiro que este partido fascista PCP já destruiu em Portugal. A probreza, pela qual só eles são responsáveis. Cunhal mereceu todos os dias que teve na prisão, esse idiota, incompetente. Ele é pior do que qualquer cobra.

      Defender um modelo, que faliu claramente, como o burro do Cunhal & Lda. o continuam a fazer, é à maneira de cretinos.

      Cunhal foi sempre malvado, teimoso, um idiota. E ele foi professor de história do Mário (burro) Soares.

      Eles merecem o inferno.

      Muito bom, muito interessante, (senhor) José. Por favor, escreva mais.

      Gostar

  3. Jornaleco permalink
    22 Março, 2019 11:30

    @José

    Eles não sabem fazer outra coisa?

    Claro que sabem.
    Eles é que não o querem. São arrogantes e gostam de mentir para subir a carreira para cima.

    Se não houver lugar para jornalista, ele que vá arrancar batatas ou cavar. Faz muito bem ao carácter. Muito bem.

    Eles preferem beijar o cu a alguém, e tudo em nome do progresso (falso), do que aprender a trabalhar com honestidade.

    No centro de Europa andam à procura de pessoal para a colheita do espargo.

    Trabalho nunca falta. Só que eles gostam de mentir e ser jornalista, é como ser um soldado. Receber ordens e ter poder sobre os outros. Pensam eles.

    Mas eles fazem todas as contas sem a verdade. A verdade vence e vai vencer tudo. Tudo! Nem um vai escapar. A verdade não é ateia. Este pormenor decisivo é muita vez esquecido.

    Ninguém os obriga a fazer outra coisa. O problema é este. Mentirosos nunca deviam poder ser jornalistas.

    Gostar

  4. 23 Março, 2019 23:10

    Tal como previsto nem uma notícia sequer sobre o assunto, no Sol ou no Expresso de fim de semana. Silêncio total. O Expresso deve andar num vespeiro…

    Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: