Skip to content

Chico, pára de chatear a tua irmã, racista-xenófobo-sexista

21 Março, 2017

Antigamente, quando nos indignávamos com alguma coisa, ainda tínhamos o site das petições electrónicas para extravasarmos a frustração. Hoje em dia, após a monção de manifestos de economistas incomodados e jarretas avulsos, as exigências para que o mundo mude à nossa feição são actividades que já não encaixam entre gatos do Facebook e mais uma lambidela ao nosso Querido Primeiro pelos precários dos Truques da Imprensa Portuguesa. Vai daí, entram os palhaços, que sempre quebram a monotonia do trapezista-líder e o desconforto de ver o contorcionista Centeno a esmigalhar os ossos que possam restar.

Jeroen Dijsselbloem, pessoa de nome que traduzirei por “flor de diesel”, disse umas coisas, umas palermices dentro do género socialista que, num dia qualquer, pareceriam banais se ditas por um daqueles comentadores de gesso com molde Adão e Silva que ornamentam as televisões. Porém, nem hoje é um dia normal, nem as esganiçadas portuguesas — refiro-me ao dr. Carlos César, naturalmente — estão para deixar passar em branco a existência de concorrência na traulitada. Diz-nos o dr. César, então, que o flor de diesel “é o tipo de criatura que não faz falta na União Europeia”, isto por oposição ao tipo de criatura que faz muita falta, como, permita-se a concessão à modéstia, o dr. César.

Já as malucas do Bloco, talvez por falta de diagnóstico, talvez por verem pilas coloridas em tudo que seja ajuntamento molecular, decidiram que o flor de diesel é um preconceituoso, racista, xenófobo e sexista, características que, em abono da verdade, dizem muito mais sobre quem as identifica do que sobre o alvo da caracterização. O meu conselho para os bloquistas é que, se forem apanhados na desgraça de gastar tudo em bebida e sexo, aleguem ter sido tudo em sumos detox e homens moçambicanos, para não caírem na malha do preconceito xeno-sexista.

Perante catástrofes desta dimensão ainda há gente que se preocupa com coisa pouca, como a dívida pública ou próximo resgate. São também estas as criaturas que não fazem falta nenhuma à União Europeia.

Anúncios
46 comentários leave one →
  1. Euro2cent permalink
    21 Março, 2017 21:52

    Felizmente não percebi patavina.

    Liked by 1 person

    • 21 Março, 2017 22:10

      Peça ao DJ da ARepública que lhe explique. Se este não souber, peça ao dono da discoteca de Belém.

      Liked by 1 person

      • Euro2cent permalink
        21 Março, 2017 22:37

        A ignorância, como a virgindade, deve ser cuidadosamente preservada.

        Gostar

  2. 21 Março, 2017 22:07

    Óptimo post !

    Gostar

  3. 21 Março, 2017 22:09

    refiro-me ao dr. Carlos César, naturalmente

    AHAHHAHAHAHA

    As malucas do bloco nem diesel têm que se cheire

    “:O)))))))

    Gostar

  4. Flic Flac permalink
    21 Março, 2017 22:19

    Eh!Eh! A vantagem é que o César não é dr. Presumo ironia sobre o grau académico

    Liked by 1 person

  5. Antigrunho permalink
    21 Março, 2017 22:22

    Parece-me que o sr Vítor também gosta de pilas coloridas. E às tantas abafa a palhinha

    Gostar

    • Sem Norte permalink
      22 Março, 2017 04:28

      Se for verdade o que o Antigrunho diz, quando o sr. Vítor for à grandiosa festa da esquerda avante, vai directo para o hospital, na casa da esquerda sabemos como tratar os abafa palhinhas. Cá te esperamos.

      Gostar

  6. Rocco permalink
    21 Março, 2017 22:23

    “Copos e mulheres” é um eufemismo. Dantes dizia-se “putas e vinho verde”… O Dijsselbloem é educadinho.

    Liked by 1 person

    • 21 Março, 2017 22:36

      Completamente. O outro da feira de gado ainda deve dizer assim, por isso é que não gostou do eufemismo 😛

      Gostar

      • 21 Março, 2017 23:05

        Essa, da “feira de gado” é muito mais grave. Mas a geringonça de nada sabe. E o MarceloCarmonaThomaz, tão atento a comentar tudo “esqueceu-se” do ASantosSilva boieiro do Rato.

        Liked by 1 person

    • oscar maximo permalink
      22 Março, 2017 07:28

      Também os meus piropos são eufemismos, pena a Catarina Martins não gostar deles, logo uma moça tão prendada.

      Gostar

  7. sam permalink
    21 Março, 2017 22:43

    O coitado do rapaz tem o posto ameaçado à conta dos resultados eleitorais na Holanda e vai daí sai-se com uma tirada populista para norte-europeu ver.
    Agora é tarde, filho. Prepara as malas.

    Gostar

    • Tiradentes permalink
      22 Março, 2017 08:15

      Porra pá…..e eu a julgar que o socialismo tinha derrotado a extrema direita xenófoba

      Liked by 2 people

  8. 21 Março, 2017 22:51

    Estes imbecis desconhecem as metáforas e traduzem tudo literalmente para poderem filtrar pela grelha do politicamente correcto.

    Em caindo nesse filtro uma qualquer palavra espantalho, aproveitam logo para a fogueira inquisotiral.

    Grande tara esta que é toda prot- sempre com a Liberdade para fazerem culpados.

    Liked by 2 people

  9. javitudo permalink
    21 Março, 2017 22:52

    “São também estas as criaturas que não fazem falta nenhuma à União Europeia”.
    Nem fazem falta a quem deseje e faça por levar uma vida decente.
    O termo desparasitação já soa para os lados dos inquisidores da nova.

    Gostar

  10. Artista Português permalink
    21 Março, 2017 22:59

    O indígena – politicamente correcto – daqui, não haja dúvida, enfiou a carapuça

    Gostar

    • Almeida permalink
      22 Março, 2017 11:26

      Leia o artigo do Ferreira Fernandes do DN e depois diga que carapuça há para enfiar

      Gostar

      • 22 Março, 2017 11:38

        E que diz o gajo, ó papagaio, também traduziu à leta a metáfora?

        Gostar

      • Almeida permalink
        22 Março, 2017 16:24

        O dinheiro gasto em copos é assim tanto que não dá para comprar um jornal?

        Gostar

      • 22 Março, 2017 17:28

        O Ferreira Fernandes escreve num jornal?

        Gostar

      • 22 Março, 2017 16:55

        E se fosses à merda, imbecil

        Gostar

  11. 21 Março, 2017 23:02

    O presidente do Eurogrupo referiu-se aos “países do Sul”, não especificamente só a Portugal. O BE e o P”S”, que já pediran o afastamento do tipo, podiam ter um certo recato (pela porcaria que têm feito na administração) e humor dizendo que estamos no Norte de África.
    Mas os ignorantes e as virgens tugas ofenderam-se.

    Liked by 2 people

  12. José Domingos permalink
    21 Março, 2017 23:04

    Uns merdas que se dão mal com a verdade

    Gostar

  13. Juromenha permalink
    21 Março, 2017 23:53

    Vai-se a ver, e a culpa do tipo ter dito aquilo é do Rentes de Carvalho…

    Gostar

  14. Alexandre permalink
    22 Março, 2017 09:16

    «Já as malucas do Bloco, talvez por falta de diagnóstico, talvez por verem pilas coloridas em tudo que seja ajuntamento molecular…»

    Quem usa estereótipos deste estilo, não vale nada como escritor.

    Gostar

  15. licas permalink
    22 Março, 2017 09:43

    Jeroen Dijsselbloem, salvo a grosseria, atá não está muito longe da verdade
    dos nossos governos não saberem utilizar os orçamentos no que nos seria
    mas conveniente . . . (digo eu,).

    Gostar

    • Luís permalink
      22 Março, 2017 09:56

      Vê-se bem que não conhece a Holanda para saber quem gasta dinheiro como o palerma disse.

      Gostar

  16. Luís permalink
    22 Março, 2017 10:00

    Desde o famoso mestrado inventado que se percebeu que este senhor não passava de um idiota, na linha de alguns que por cá também conhecemos (embora mais polidos, reconheça-se). Depois andou a dizer uma série de disparates no momento troika, quase a pedir que o sr. Schauble lhe desse a nacionalidade alemã. Curiosamente, nessa altura até houve quem o aplaudisse por estas bandas. Diz-me com quem andas…

    Gostar

  17. António C. Mendes permalink
    22 Março, 2017 11:09

    O “malha na direita” que classifica a concertação do país do qual é ministro de “feira de gado” (tomara ele ter um décimo da honradez e noção de palavra dada que existia nas feiras de gado), não se indignou quando o Delfim Coiso deixou o pais como deixou à conta de “putas e linguiça”!!! Seja por que motivo for, para o PS e o BE, desde que a tripa ande forra, está tudo bem!

    O Francisco Sena Santos termina o artigo de opinião de hoje assim:
    “Há que recordar a este holandês preconceituoso (a Holanda não tem culpa por ter gente assim, ele até foi derrotado nos votos), e que vem falar de solidariedade, que a Europa rica não deu nada aos países de contas apertadas no Sul: emprestou. E a dívida está a ser paga com juros de sacrifício que engordam a banca de países ricos.”

    Era não emprestarem pá!! Um país de contas apertadas, desde que tenha um PEC IV, não precisa de nada!!!

    Gostar

  18. ABC permalink
    22 Março, 2017 12:01

    Se o Dijsselbloem soubesse a quantidade de alcoól e mulheres e outras drogas que são precisas para aturar o monhé gordurento e as histéricas do bloco até nos dava razão.

    Gostar

  19. 22 Março, 2017 13:07

    Caso a populaça percebesse um pouco de gramática e de sintáxe, saberia que a expressão “não se pode gastar” (“one cannot spend” no original) faz referência ao infinitivo impessoal reflexivo, ou seja, não carece de sujeito, ou melhor, o sujeito faz referência a todo e qualquer um, logo, não havendo sujeito definido na oração, não se pode atribuir que quem gastou sejam os países do sul. Mas os jornalistas percebem tanto de gramática como eu percebo de suinicultura. O sujeito da oração, não estava identificado porque o verbo é impessoal, e os jornalistas tiram ilações sobre o que o homem não disse. Mas é típico como a estória do Coelho ter dito que os “portugueses são piegas” quando numa saula de aula cheia de crianças apenas disse que “não se pode ser piegas”. É típico na traulitada da esquerda jornaleira colocar coisas na boca dos outros. Dijsselbloem nunca na entrevista serquer refere a palavra “sul” nem “países do sul”. Toda esta “polémica” surge porque na mesma entrevista (de forma bem espaçada) junta duas expressões: “bebidas e mulheres” e “solidariedade do Norte”! E tudo o resto é “dedução criativa”! As redes sociais e o povo são muito “gaja”, indignam-se com umas “bocas”.

    Gostar

    • 22 Março, 2017 13:24

      Com tanto paleio, e escreves uma palavra idiota que nem existe- que raio é “estória”? vem de estores ou de persianas?

      Putas & vinho verde, é como se traduz por cá o provérbio bíblico.

      Gostar

    • 22 Março, 2017 13:31

      Para o caso, ó analfa, o facto do sujeito dessa expressão ser indeterminiado, tal não significa que ela tenha sido usada de forma abstracta.

      Foi claramente dirigida aos países do sul.

      Aprende a ler antes de armares aos cágados:

      «O pacto na zona euro baseia-se na confiança. Com a crise do euro, os países do norte na zona euro mostraram a sua solidariedade para com os países em crise. Como social-democrata considero a solidariedade extremamente importante. Mas quem a exige, também tem obrigações. Não posso gastar todo o meu dinheiro em álcool e mulheres e continuar a pedir ajuda. Este princípio aplica-se a nível pessoal, local, nacional e, inclusivamente, europeu.”»

      Quem é que pede ajuda são os do Norte e a solidariedade vem dos do Sul?

      Gostar

    • 22 Março, 2017 14:53

      A entrevista foi dada em inglês?
      Estranho, isso seria como um português dar uma entrevista a um jornal espanhol em inglês!
      Na cultura destes países a ideia de “Wein und Liebe” não tem nada de ofensivo, é até poética.
      Temos que aceitar a imposição de diferentes culturas, véus islâmicos e tudo usar expressões regionais isso é que já não.
      Gostava de ver a vossa indignação quando usam o estereótipo que todos os alemães são nazis!
      Idiotas úteis!

      Liked by 1 person

      • 22 Março, 2017 15:49

        Pois é shubertiana. Nem sei em que língua disse mas deve ter sido em inglês, pensado na sua tradição.

        Se fosse um tuga a coisa tinha metido putas e vinho verde que é a nossa tradução.

        Liked by 1 person

      • 22 Março, 2017 17:42

        De facto já tinha ouvido a tradução “putas e vinho verde”, por cá estas coisas resvalam sempre para o “pimba”.
        E os gajos é que são os bárbaros!
        Será que também têm direito a ficar ofendidinhos?

        Gostar

      • 22 Março, 2017 17:54

        A versão putas e vinho verde traduz o provérbio bíblico. Apenas lhe dá um tom mais saboroso

        ehhehehe

        A do vinho, Ceres e Vénus tem outro sentido literário.

        Gostar

      • 22 Março, 2017 17:56

        Nos Países Baixos usava-se o ditado “Hoe schilder hoe wilder” e tem uma série de representações muito engraçadas na pintura barroca da época.

        O Jan Steen dedicou-se a ilustrar esse gozo e esses pecados com mistura báquica e calvinista.

        Gostar

  20. 22 Março, 2017 15:10

    Anakreon, mein Lehrer,
    Singt nur von Wein und Liebe;
    Er kränzt sein Haupt mit Rosen,
    Und singt von Wein und Liebe!
    Zum Könige der Trinker
    Von Weisen auserkoren,
    Trinkt er mit seinen Freunden,
    Scherzt er mit seinen Göttern,
    Spielt er mit seinen Mädchen,
    Und singt von Wein und Liebe!
    Sollt’ ich, sein treuer Schüler,
    Von Haß und Wasser singen?

    Johann Wilhelm Ludwig Gleim (1719-1803)

    Liked by 1 person

  21. Arlindo da Costa permalink
    22 Março, 2017 18:34

    Toda a gente já percebeu que o copinho de leite do holandês o que precisa é de boa loiça das Caldas pelo cu acima!

    Gostar

  22. 22 Março, 2017 19:47

    — refiro-me ao dr. Carlos César, naturalmente — é de MESTRE !

    Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: