Skip to content

Deixa cá ver quando reprovei para pedir a minha compensação…

2 Fevereiro, 2016

Brandão Rodrigues vai compensar professores que foram excluídos pela prova. Contratados que foram impedidos de dar aulas, depois de chumbarem ou faltarem à PACC, vão ser compensados. Ministério não adianta qual a forma de compensação.

E os alunos que reprovaram senho ministro? Compense-os já. Senhor ministro diga-me só para eu decidir se emigro ou não: estas suas medidas vão chegar aos anestesistas e aos engenheiros de pontes?

Pode responder na caixa de comentários deste blogue. Obrigada.

 

Já se sabe que quando se lê o «Ainda» vamos ter causa

2 Fevereiro, 2016

«O sonho da maternidade vem com prazo de validade. Quando não há mais tempo para esperar por um pai, há mulheres que tomam as rédeas da situação e vão ao estrangeiro fazer tratamentos de fertilidade. Em Portugal, a prática é ilegal mas deverá mudar em breve.»

Estas mulheres querem ter filhos.
Tiveram-nos sozinhas.
Não está em causa o amor que sentem pelos filhos.
Mas as crianças têm direito a um pai.
Alguns são uns canalhas.
Muitos mais amam deviotadamente os filhos mas sacrificam-se poucio por eles.
Outros fazem tudo por eles.
Mas seja o pai como for as crianças têm direito a um pai.
E não só as crianças.
Quando nos tornamos adultos, quando as coisas falham ou correm muito bem, quando…. poder chamar Pai é algo a que todos temos direito.

Porfírio amigo, obrigada

1 Fevereiro, 2016

Não lia uma entrevista tão esclarecedora desde que em Novembro de 1975 o Otelo rumou ao Palácio de Queluz para aí se reunir com o Ceausescu e com ele se elucidar sobre as vias alternativas para o socialismo. Saído do encontro e quiçá ainda sob o efeito do encontro com a assombrosa comitiva do dirigente romeno, Otelo conta maravilhado que Ceausescu lhe dissera que o PPD não era de direita. Acredita Porfírio quem como eu andou vários anos às voltas com o PREC não se admira com nada. Continua Porfírio. Não desistas.

 

 

 

Uma sessão fotográfica

1 Fevereiro, 2016

– Doutor Porfírio! É um prazer finalmente poder conhecê-lo, ainda para mais agora, com a preponderância estratégica que tem tido na linha governamental e na comunicação genial que orgulha os portugueses! Olhe, para o nosso trabalho, eu tinha pensado em algo que demonstre severidade mas também alguma irreverência, como que projectando o futuro numa ameaça presente, percebe? Conhece o plano contra-picado? Fotografamos de baixo, o que faz com que o sujeito pareça altivo, ameaçador até. Acho que se adequa bastante. Tem mesmo várias vantagens para a mensagem que pretendemos passar, como a sua superioridade sobre o leitor ou até o simples transeunte que é confrontado com a capa do jornal inadvertidamente: é que, para todos os efeitos, o Doutor estará sempre num plano superior, a olhar para eles lá em baixo, algo que enfatiza a mensagem de Tempo Novo que pretende fazer passar. E sabe, concordo mesmo consigo, é terrível uma União Soviética sem um KGB à altura, que mantenha as coisas plurais, permitindo as alternativas normais que uma polícia política costuma permitir. “Dominante”? Usou o termo “dominante”? Melhor ainda: esta pose em contra-picado permite isso mesmo, mostrar o domínio do Doutor sobre as ideias, a linguagem, a retórica, a filosofia, a expressão de tudo que é a vontade do povo, nem que ainda não o saibam, os desgraçados. Odeio pessoas. Não o Doutor, que admiro muito, mas as pessoas nojentas que estragam este país. A direita. Odeio-os a todos. Sabe, podemos iluminar também por baixo e evitar que se formem sombras demasiado premonitórias no pescoço e nas olheiras, dando-lhe um ar mais ictérico, assim mais homogéneo, contrastando o cabelo negro de um Estaline e umas narinas assimétricas de quem partiu o nariz a assoá-lo com uma fronteira indistinta entre lábios e resto da face. Óptimo, óptimo! E assim até tapa melhor as sobrancelhas cleopátricas do Doutor com as lentes dos óculos. Excelente escolha de gravata, em padrão pele de cobra e articulação de casca de tatu. Nota-se até um certo padrão de caracol, uma espiral fractal de sabedoria recursiva. Isto funcionou muito bem com pessoas minúsculas cuja pose normal as faz parecer demasiado patéticas. Vamos então tirar a fotografia? Pronto? Não sorria. Não. Isso, isso, mais assim. Excelente, excelente! Clic! Clic! Clic! Vrrrr! Bzzz! Clic! Clic! Clic! E estamos prontos! Foi um prazer, tive muito gosto em o conhecer! Adeus, até à próxima.

– Boa tarde.

20160201-i-crop

Apresentação do OE2016 (não editada)

31 Janeiro, 2016

Já perceberam ou querem que faça um desenho?

31 Janeiro, 2016

Meu texto de hoje no Observador:  A falência do modelo socialista – e ele tinha necessariamente de falir porque foi concebido para redistribuir a riqueza e não para a produzir – fez os socialistas não só descrer de Marx como, e esse é o nosso drama actual, fê-los regredir para Robespierre. Ver os actuais líderes dos socialistas portugueses a fazerem acordos com o BE ou os socialistas espanhóis a ponderarem uma aliança com uma criatura como Iglesias não é um problema político. É um problema de regressão civilizacional no sentido darwiniano do termo

 

Está MESMO espectacular ‘a esperança para seguirmos a mesma linha’

31 Janeiro, 2016
tags:

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 44.808 outros seguidores