Saltar para o conteúdo

Venha então a lepra

27 Março, 2018

O “partido da Sofia” e os “liberais ALDE” são discos riscados sob a agulha da esquerda progressista. Ao som de hinos modernaços que substituem o ruído de fundo de um PCTP/MRPP para o fundo de ruído da outra esquerda, a progressista, limitam-se a procurar tacho no sistema corrupto da fátua insustentável leveza lusitana, adoptando as mesmas causas de obliteração social que cheirem a tradicionais ou — Stephen Hawking nos livre — civilizacionais. Beatos da laicidade cibertosca, recauchutadores da linguagem de Chomsky, têm a oferecer casamentos entre pilas, adopção de crianças equiparadas a animais de estimação, drogas leves (eles lá decidem o peso das cenas) e homicídio sancionado dos velhos que atrapalham o sacrossanto estado social, o que escrevem com maiúscula, como portadores da Palavra, a única fé que pretende o sacerdócio por via de quotas de divorciadas em crises de meia-idade. Falam do “género” como quem sente o cerebelo entumecido e cheiram a bafio por entre os poros desprovidos de bloqueadores-beta de mensagens de modernidade. Acrescentam uma redução de impostos ao discurso, uma léria consensual que se recusa a especificar como se consegue, que o estado social (com maiúsculas) é necessário para esculpir vulvas a partir de velhos testículos peludos. É esse o género.

Direitos. Mais uns para a erosão democrática da religião dos direitos.

Antigamente comprava-se um Porsche e abria-se a porta em frente à faculdade de letras. Agora colocam-se likes e corações em posts de Facebook e cria-se a necessidade crescente das pessoas de bem se tornarem ermitas. É isto que eu penso se o tentar exprimir de forma simpática. Não me peçam é para o exprimir sem um filtro de cortesia.

Anúncios
15 comentários leave one →
  1. Josué permalink
    27 Março, 2018 11:13

    Este tal de Vitor Cunha mais parece um João Quadros. Sempre que abre a boca sai poo poo. Só pode ser um frustrado sexual tendo em conta tantas criticas a pilas e afins. Se calhar fazia-lhe bem ter ido mais vezes à missa na Casa Pia. A ver se hoje não era um homofóbico que destila ódio, e seria um ser vivo útil à sociedade. Assim nunca passará de uma vil criatura a quem ninguém liga nenhuma. Um verdadeiro Vitor Pulha!

    Gostar

    • António C. Mendes permalink
      27 Março, 2018 12:08

      Vê Vitor, é por você insistir em apresentar as coisas com um filtro de cortesia que depois tem estas declarações de amor encapotadas.

      Liked by 1 person

  2. António C. Mendes permalink
    27 Março, 2018 12:11

    “Homofóbico que destila ódio” começa a tornar-se dos maiores elogios, quando apresentado pelos Josués que cada vez mais nos rodeiam, que uma pessoa normal pode receber!
    Parabéns Vitor Cunha.

    Gostar

  3. António C. Mendes permalink
    27 Março, 2018 12:29

    A direita não quer existir em Portugal. E, mesmo que queira, não vai a tempo de lho permitirem. A direita em Portugal foi, durante 44 anos, empurrada para onde está pela televisão; pelos jornais; pela educação, escolar e universitária; por parte da Igreja; pelos media digitais e deixou-se ir. Deixou cravar-se-lhe cobardemente um carimbo que não sai. Agora é tarde! Só mesmo da parte dura do fundo do poço se poderá algum dia erguer e não será com progressistas de esquerda.

    Gostar

  4. Raghnar permalink
    27 Março, 2018 12:33

    É a tal “direita moderna e arejada”. O regime preza muito a “liberdade de opinião” desde que essa opinião não possa ser incluída na “direita retrógrada”.

    Quem defende o conservadorismo, como bom “Velho do Restelo”, não tem direito a representação política. Há que ser “progressista”, “a bem de todos”…

    Gostar

  5. Juromenha permalink
    27 Março, 2018 13:37

    Texto brilhante ( a rotina, como sabe quem “passa por aqui”).
    E eficaz : o detrito mental (josué) , o bufo a quem tocou o turno de hoje, imediatamente ” entró al trapo” , como dizem ali ao lado…

    Gostar

  6. Mário Fernandes permalink
    27 Março, 2018 18:38

    Excelente texto. Como comentou acima Juromenha, o texto provocou a resposta imediata de alguém que enfiou o garruço até às nádegas.

    Gostar

  7. 27 Março, 2018 20:47

    Excelente post !

    Imaginemos o que ganharia a democracia, a sociedade, a política e os partidos, a cultura, se tivessemos o VCunha como deputado na ARepública com permissão (do “seu” partido) para intervir assiduamente…

    Gostar

  8. Euro2cent permalink
    27 Março, 2018 22:16

    Ando a pensar que o que nos falta é um ‘inteiro’ (‘partidos’ é cocó) de inspiração sulista-caligulista (uns romanos que tinham pó a senadores, sem falar em meros deputedos).

    O Vitor Cunha está no ponto. Obrigado.

    Gostar

  9. Arlindo da Costa permalink
    28 Março, 2018 00:24

    Historicamente os liberais foram sempre de «esquerda»…ou seja a parte progressista da sociedade….onde é que está o problema?

    Fascistas e sociais-fascistas é que são historicamente conservadores e totalitários.

    Aqui no Blasfémias há muita gente que deveria fundar um partido de falangistas, nacionais-bolchevistas ou integralistas lusitanos. Pois façam-no e deixem-se de passar por «liberais» que nem sabem o que isso é nem nunca aprenderam a respeitar a Liberdade!

    Gostar

    • António C. Mendes permalink
      28 Março, 2018 10:01

      Aqui no Blasfémias respeitam a sua liberdade de aqui habitar a cagar asneiras, meu fascista definidor de «liberal»!! Não sei se na sua amada Caracas tinha essa sorte!

      Gostar

    • Raghnar permalink
      28 Março, 2018 10:04

      Pelo menos não iremos replicar “progressismos” como o programa de eugenia nazi, onde as estrelas da companhia eram a eutanásia e o aborto ou o enorme programa progressista que foi o Grande Salto em “Frente”.

      Tudo em nome da “liberdade”, pá…

      Gostar

    • lucklucky permalink
      29 Março, 2018 08:39

      Arlindo continua a mentir.

      Só ler o que escreveu Toggliatti e outros comunistas sobre o Fascismo:

      La causa dei nostri mali e delle nostre miserie è nel fatto che
      l’Italia è dominata da un pugno di grandi capitalisti, parassiti del
      lavoro della Nazione, i quali non indietreggiano di fronte
      all’affamamento del popolo, pur di assicurarsi sempre più alti
      guadagni, e spingono il paese alla guerra, per estendere il campo
      delle loro speculazioni ed aumentare i loro profitti.
      (…)

      I comunisti fanno proprio il programma fascista del 1919, che è un
      programma di pace, di libertà, di difesa degli interessi dei
      lavoratori
      (…)
      FASCISTI DELLA VECCHIA GUARDIA! GIOVANI FASCISTI!
      Noi proclamiamo che siamo disposti a combattere assieme a voi
      LAVORATORE FASCISTA, noi ti diamo la mano perchè con te volgiamo
      costruire l’Italia del lavoro e della pace, e ti diamo la mano perchè
      noi siamo, come te, figli del popolo, siamo tuoi fratelli, abbiamo
      gli stessi interessi e gli stessi nemici
      (…)
      Il programma fascista del 1919 non è stato realizzato!
      Popolo Italiano!
      Fascisti della vecchia guardia!
      Giovani fascisti!
      Noi comunisti facciamo nostro il programma fascista del 1919, che è
      un programma di pace, di libertà, di difesa degli interessi dei
      lavoratori, e vi diciamo:
      Lottiamo uniti per la realizzazione di questo programma.
      (…)

      Era o ano de 1936.

      Gostar

      • lucklucky permalink
        29 Março, 2018 08:41

        O título do apelo era ” APPELLO AI FRATELLI IN CAMICIA NERA”

        Trad: Apelo aos irmãos em Camisa Negra.

        Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: